Brasil doa vacinas contra raiva humana ao Haiti com apoio do PANAFTOSA e OPAS

O governo brasileiro doou 15 mil doses de vacinas contra raiva humana ao Haiti para proteger pessoas que foram expostas à doença. A iniciativa contou com o apoio do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa da Organização Pan-Americana da Saúde (PANAFTOSA/OPAS).

O ministro da Saúde do Brasil, Ricardo Barros, entregou a doação pessoalmente à sua contraparte, Marie Greta Roy Clément, ministra de Saúde Pública e População do Haiti, durante cerimônia com a participação do representante da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no país, Luis Codina, e do diretor da PANAFTOSA, Ottorino Cosivi. As vacinas chegaram na última semana à capital haitiana, Porto Príncipe.

Escola em Les Cayes, no Haiti. Foto: UNICEF / Roger LeMoyne

Escola em Les Cayes, no Haiti. Foto: UNICEF / Roger LeMoyne

O governo brasileiro doou 15 mil doses de vacinas contra raiva humana ao Haiti para proteger pessoas que foram expostas à doença. A iniciativa contou com o apoio do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa da Organização Pan-Americana da Saúde (PANAFTOSA/OPAS).

O ministro da Saúde do Brasil, Ricardo Barros, entregou a doação pessoalmente à sua contraparte, Marie Greta Roy Clément, ministra de Saúde Pública e População do Haiti, durante cerimônia com a participação do representante da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no país, Luis Codina, e do diretor da PANAFTOSA, Ottorino Cosivi. As vacinas chegaram na última semana à capital haitiana, Porto Príncipe.

A região das Américas está muito perto de eliminar a raiva humana transmitida por cães e o Haiti é um dos poucos países onde essa doença ocorre. Por esta razão, é um país prioritário, onde a OPAS/OMS, por meio da PANAFTOSA – seu centro especializado em saúde pública veterinária –, apoia ações nacionais para eliminar a doença.

Além de facilitar o processo de doação de vacinas contra a raiva humana, a OPAS/OMS também apoia, desde 2016, o treinamento de 283 profissionais de saúde haitianos que trabalham em 110 centros de saúde. A capacitação abrange o atendimento médico de pessoas expostas ao vírus da raiva em sete dos dez departamentos que estão no país. O treinamento de profissionais de saúde nos três departamentos restantes (Grand’Anse, Sud e Nippes) estão agendados para os próximos meses.

A OPAS trabalhou junto ao Ministério da Saúde Pública e População do Haiti para garantir que os 110 centros de saúde tenham a vacina disponível e que os profissionais treinados possam aplicá-la. Essas ações apontam melhorias no acesso ao tratamento de pessoas mais vulneráveis. Adicionalmente, trabalhou-se conjuntamente na distribuição de materiais informativos na língua local e como agir em caso de agressão por cães que podem ter raiva.

Outra ação fundamental para a eliminação da raiva humana transmitida por cães são as campanhas de vacinação canina implementadas pelo Ministério da Agricultura, Recursos Naturais e Desenvolvimento Rural do Haiti. Essas iniciativas contam com a colaboração técnica do PANAFTOSA e dos Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC), bem como de outros atores nacionais e internacionais.

A raiva é uma doença causada por um vírus transmitido aos seres humanos por meio de mordidas ou arranhões de animais infectados (principalmente cachorros e animais selvagens, como morcegos). Existem vacinas seguras e eficazes para evitar a raiva em animais, bem como vacinas de uso humano a serem administradas antes e após exposições suspeitas. A limpeza imediata da ferida e a vacinação o mais rápido possível após o contato com um animal com suspeita da doença, na maioria dos casos, previne o aparecimento dessa enfermidade e mortes.

A manutenção da alta cobertura de vacinação nas populações caninas reduziu a frequência de casos de raiva em cães. A maioria dos países da região eliminou a raiva humana transmitida por cães.