Brasil doa US$ 2 milhões para agricultura no Haiti

Situação da segurança alimentar no país caribenho foi debatida na Conferência Regional da FAO, na Cidade do Panamá.

Brasil doa US$ 2 milhões para agricultura no Haiti
Situação da segurança alimentar no país caribenho foi debatida na Conferência Regional da FAO, na Cidade do Panamá.

A FAO investirá US$2 milhões doados pelo governo brasileiro na compra e distribuição de sementes, fertilizantes, ferramentas e outros insumos agrícolas para famílias rurais haitianas, como parte de suas ações de apoio ao país depois do terremoto de 12 de janeiro.

“Esta é uma contribuição importante para dar um impulso à agricultura e está no marco do plano preparado pelo governo do Haiti para a reconstrução do país. O objetivo é que o Haiti possa, cada vez mais, produzir os alimentos que precisa”, disse Cristina Amaral, chefe do Serviço de Operações de Emergências da FAO para África, América Latina e Caribe, que apresentou esta semana um resumo da atuação da organização no Haiti, durante a 31ª Conferência Regional da FAO.

A nova contribuição eleva a US$2,3 milhões o total de recursos doados pelo Brasil para que a FAO apoie a agricultura haitiana. Além da doação financeira, o país também enviou 36 toneladas de sementes de milho, 36 toneladas de sementes de feijão e 172 quilos de sementes de hortaliças.

As sementes estão sendo distribuídas pelo governo do Haiti e pela FAO a pequenos agricultores; parte delas serão guardadas para multiplicação e uso nas próximas colheitas. Brasil é o pais que mais tem apoiado – através da FAO – os esforços pós-terremoto.

FAO ajuda mais de 68 mil agricultores familiares

Este ano, a FAO distribuiu sementes e ferramentas a mais de 68 mil famílias de pequenos agricultores nas zonas afetadas pelo terremoto, como parte do esforço de emergência. Até o final de junho, a organização entregará outros US$ 5 milhões em insumos agrícolas.

Outras 40 mil famílias em Artibonite também receberam apoio da FAO para incrementar sua produção agrícola. Essa região está localizada no centro agrícola de Haiti e recebeu dezenas de milhares de famílias que fugiram de suas casas após o terremoto.

Cristina Amaral também fez um chamado para que os países aumentem seus aportes à reabilitação agrícola do Haiti, já que as doações recebidas ainda não alcançaram os US$73 milhões que a Organização das Nações Unidas estimou necessário para o apoio de curto prazo ao setor.

Em apresentação durante a 31ª Conferência Regional da FAO para América Latina e Caribe, o ministro de Agricultura, Recursos Naturais e Desenvolvimento Rural do Haiti, Jonas Gue, explicou o plano de investimentos para a agricultura no país, cujo objetivo é aumentar a produção local de alimentos e aumentar a renda dos agricultores familiares.

No encontro, os países da América Latina e Caribe confirmaram seu compromisso com a recuperação do Haiti e apoiaram o enfoque integral da cooperação da FAO para enfrentar a emergência, recuperar o setor agropecuário e impulsionar medidas estruturais a médio e longo prazo.

Mais informações

Assessoria de imprensa
Lucas Tavares: (562) 923 2176, (569) 9802 7300, lucas.tavares[@]fao.org
(celular no Panamá: +507 6490 1707)


Comente

comentários