Brasil deve continuar na ‘vanguarda’ da luta contra a fome, diz FAO

Iniciativas brasileiras para combater insegurança alimentar e nutricional foram elogiadas pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) em evento que reuniu especialistas nacionais e estrangeiros sobre o tema em Brasília.

Evento reuniu especialistas brasileiros e estrangeiros. Foto: FAO / Karla Lucena

Evento reuniu especialistas brasileiros e estrangeiros. Foto: FAO / Karla Lucena

O Brasil está e deve continuar na “vanguarda” da lutra contra a fome no mundo, destacou a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) durante evento que reuniu especialistas brasileiros e estrangeiros em Brasília para discutir segurança alimentar e o direito à nutrição.

Realizado dos dias 5 a 7 de outubro, o II Encontro Nacional de Pesquisa em Segurança Alimentar e Nutricional (II ENPSAN) contou com a participação do assistente do representante da agência da ONU no Brasil, Gustavo Chianca.

O especialista elogiou os avanços do país ao longo dos últimos anos e afirmou que as iniciativas nacionais bem-sucedidas devem ser difundidas mundo afora.

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), contribui para o crescimento, o desenvolvimento, a aprendizagem, o rendimento escolar dos estudantes e a formação de hábitos alimentares saudáveis, por meio da oferta da alimentação escolar e de ações de educação alimentar e nutricional. Foto: MEC

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) contribui para o crescimento, o desenvolvimento, a aprendizagem, o rendimento escolar dos estudantes e a formação de hábitos alimentares saudáveis, por meio da oferta da alimentação escolar e de ações de educação alimentar e nutricional. Foto: MEC

“As boas iniciativas brasileiras têm se tornado cada vez mais exemplo para outros países. A FAO tem atuado como um fio condutor para levar essas experiências para países da América Latina, Caribe e África e já temos resultados positivos na implementação de projetos a partir do modelo brasileiro. O Brasil está na vanguarda e assim deve continuar”, disse Chianca durante a abertura do encontro.

O evento discutiu a produção, abastecimento e consumo sustentáveis, bem como métodos de processamento dos alimentos. Outros temas incluíram as consequências da falta de comida, as relações entre alimentação e cultura e os parâmetros das pesquisas sobre segurança nutricional.

Também presente na cerimônia que deu início às atividades do encontro, a presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA), Maria Emília Pacheco, ressaltou a importância de estudos acadêmicos para fortalecer o combate à fome no território nacional. “Para nós, é fundamental o reconhecimento dos pesquisadores engajados para construir uma ciência cidadã”, afirmou.