Brasil contribui com 17 milhões de dólares adicionais para projetos de erradicação da fome da FAO

No total, o Brasil apoia mais de 27 projetos da FAO, em um total de 100 milhões de dólares, igualando-se aos 10 maiores contribuintes da Organização, ao lado dos países do G7, da Noruega e da Arábia Saudita.

FAO e Brasil promovem projetos de alimentação na América Latina e Caribe e outras regiões. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

FAO e Brasil promovem projetos de alimentação na América Latina e Caribe e outras regiões. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

O Brasil ofereceu um aporte adicional de 17 milhões de dólares para projetos em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), reforçando o papel do país como ator-chave na luta contra a fome na região e em outras partes do mundo.

Os novos recursos elevam para mais de 100 milhões de dólares o total do financiamento brasileiro a projetos conduzidos pela FAO. Projetos recentes, aprovados durante o mês de dezembro, incluem desde programas de alimentação escolar a políticas de consultoria de agricultura familiar ao setor pesqueiro na América Latina e África.

A FAO ainda pretende assinar um novo memorando de entendimento com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), que tem sido fundamental para o país em sua transição de importador de alimentos para grande produtor agrícola. O acordo impulsionará a participação da FAO na Cooperação Sul-Sul.

No total, o Brasil apoia mais de 27 projetos da FAO, igualando-se aos 10 maiores contribuintes da Organização, ao lado dos países do G7, da Noruega e da Arábia Saudita.

Forte defensor da Cooperação Sul-Sul, o Brasil tem compartilhado as políticas do Programa Fome Zero, adotada no país em 2003 e que tirou milhões de brasileiros da extrema pobreza, com os países da América Latina, Caribe e África. As recentes contribuições atestam o quão diversificada tem sido a contribuição do país à FAO, que abrange vários de seus ministérios e instituições.

Outros detalhes, clique aqui.