Brasil conquista maior número de assinaturas em iniciativa do Pacto Global da ONU contra corrupção

A iniciativa – apoiada pelo Pacto Global, UNODC,Transparência Internacional, Open Contracting Initiative, Instituto do Banco Mundial e Organização Mundial de Parlamentares contra a Corrupção – reconhece a corrupção como um dos maiores obstáculos ao desenvolvimento econômico e social em todo o mundo.

Foto: IRIN/Edgar Mwakaba

Foto: IRIN/Edgar Mwakaba

O Pacto Global das Nações Unidas comemorou o 10º aniversário do 10ª Princípio contra a Corrupção em Nova York (EUA), nesta quarta-feira (10). Na ocasião, cerca de 250 empresas signatárias da iniciativa Call to Action: Anticorrupção e a Agenda de Desenvolvimento Global foram reconhecidas pelo compromisso público com a busca pela transparência e o combate à corrupção na última década.

Até o momento, o Brasil é o país com maior número de empresas signatárias, com 34 organizações de diferentes setores da economia que atenderam ao chamado de engajamento da Rede Brasileira do Pacto Global.

O Call to Action – apoiado pelo Pacto Global, Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Transparência Internacional, Open Contracting Initiative, Instituto do Banco Mundial e Organização Mundial de Parlamentares contra a Corrupção – reconhece a corrupção como um dos maiores obstáculos ao desenvolvimento econômico e social em todo o mundo. Trata-se de um apelo feito pelo setor privado aos governos, incentivando-os a promover medidas de anticorrupção e a implementar políticas para estabelecer sistemas de boa governança.

O 10º Princípio, que afirma que “As empresas devem combater a corrupção em todas as suas formas, inclusive extorsão e propina”, foi aprovado em 24 de junho de 2004 com forte apoio do setor privado. “É tão claro hoje como era há uma década atrás que um compromisso com a sustentabilidade ambiental e social não é completo sem um forte compromisso com a luta contra a corrupção”, disse Georg Kell, Diretor Executivo do Pacto Global da ONU, durante o evento em Nova York. “Todo o progresso feito para enfrentar as questões das mudanças climáticas, do trabalho e dos direitos humanos seria perdido sem os fundamentos da transparência e da boa governança.”

Mais informações sobre esta iniciativa e a lista completa da empresas encontra-se aqui.