Brasil atinge meta de reduzir pela metade mortes por tuberculose, afirma estudo da OMS

Tuberculose entra em declínio pela primeira vez na história, segundo o Relatório Global de Controle da Tuberculose de 2011.

Brasil atinge meta de reduzir pela metade mortes por tuberculose, afirma estudo da OMSA Organização Mundial da Saúde (OMS) informou hoje (11/10) que pela primeira vez o número de pessoas com tuberculose está diminuindo. Este progresso está, no entanto, em risco devido ao subfinanciamento. Mesmo tendo em conta a incerteza das estimativas, a OMS afirmou que cinco países atingiram a meta de reduzir pela metade a taxa de mortalidade no período entre 1990 e 2010: Brasil, Camboja, China, Uganda e Tanzânia. Vários outros têm uma boa chance de alcançar a meta acordada até 2015.

Os dados são do Relatório Global de Controle da Tuberculose de 2011, que demonstra que o número de pessoas que contraíram tuberculose (TB) caiu para 8,8 milhões em 2010, após chegar a 9 milhões em 2005, e que o número de mortes caiu de 1,8 milhão em 2003 para 1 milhão em 2010.

“Menos pessoas estão morrendo de tuberculose e menos estão contraindo a doença. Este é um motivo para celebração” , disse o Secretário-Geral Ban Ki-moon. “Porém, isso não é motivo para complacência. Muitos milhões ainda contraem tuberculose a cada ano e muitos ainda morrem. Peço o apoio sério e sustentável para a ‘Parceria Pare a TB’ nos dias por vir.” Fundado em 2001, a Parceria Pare a TB é composta por organizações internacionais, países, doadores dos setores público e privado, bem como organizações governamentais e não-governamentais (ONGs).

Um novo teste para diagnosticar a tuberculose foi desenvolvido e aprovado pela OMS e, segundo o diretor da Parceria Pare a TB Mario Raviglione, está “revolucionando” o tratamento. O teste, que antes demorava 3 meses para ficar pronto, agora leva por volta de 100 minutos. Ao mesmo tempo, este progresso pode estar em risco financeiro, especialmente pela dificuldade de combater os casos de resistência aos medicamentos, que encarecem muito o tratamento e necessitam de verbas extras.

O Relatório também demonstrou que a taxa de mortalidade caiu 40% entre os anos de 1990 e 2010 e todas as regiões – exceto a África – estão na trilha para alcançar os 50% já no ano de 2015. Grande parte do progresso alcançado é resultado da expansão dos esforços em grandes países, como Quênia e Tanzânia. O Brasil e a China também são exemplos significativos desse progresso, sendo que a taxa da mortalidade na China caiu para 80% desde 1990.

“O desafio agora é construir esse compromisso, para aumentar o esforço global e prestar especial atenção à crescente ameaça das drogas resistentes ao tratamentos da TB”, disse a Diretora Geral da OMS, Margaret Chan.

Acesse o relatório em www.who.int/tb/publications/global_report