Brasil apoia países africanos na coleta de dados para a realização de censos

O projeto de cooperação técnica “Centros de Referência em Censos com Coleta Eletrônica de Dados” está entre as cinco melhores ações de Cooperação Sul-Sul do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em todo o mundo.

O objetivo da ação é capacitar os institutos de estatística de Cabo Verde e Senegal, por meio da troca de experiências e conhecimento com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e o UNFPA.

Para o oficial do UNFPA Vinícius Monteiro, o projeto contribui para a implementação e o monitoramento do alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, além das metas da "Agenda 2063: A África que queremos". Foto: PNUD

Para o oficial do UNFPA Vinícius Monteiro, o projeto contribui para a implementação e o monitoramento do alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, além das metas da “Agenda 2063: A África que queremos”. Foto: PNUD

O projeto de cooperação técnica “Centros de Referência em Censos com Coleta Eletrônica de Dados” está entre as cinco melhores ações de Cooperação Sul-Sul do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em todo o mundo.

O projeto participou de competição promovida pelo UNFPA, cujos vencedores foi divulgado no fim de novembro (24). Participaram do painel de jurados representantes do UNFPA Global, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e do Escritório das Nações Unidas para a Cooperação Sul-Sul.

Trata-se de uma plataforma para intercâmbio de experiências e construção conjunta de abordagens inovadoras que permitam reforço dos centros de estatística em países africanos nos futuros censos.

O objetivo da ação é capacitar os institutos de estatística de Cabo Verde e Senegal, por meio da troca de experiências e conhecimento com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e o UNFPA.

A intenção do projeto é fazer com que os institutos de estatística desses países atuem como pólos multiplicadores no uso de tecnologias eletrônicas de coleta de dados para censos e pesquisas em outros países africanos.

Na opinião do oficial do UNFPA para população e desenvolvimento, Vinícius Monteiro, o projeto contribui para a implementação e o monitoramento do alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, além das metas da “Agenda 2063: A África que queremos”.

“O investimento no fortalecimento das capacidades estatísticas dos países seja para coletar, analisar, produzir e divulgar os dados e informações são cruciais para o alcance destes objetivos e para o desenvolvimento de políticas e ações que melhorem a vida das pessoas”, diz o oficial.

A iniciativa começou em 2014 com uma missão de prospecção para mobilização de países africanos. Seguiu em 2016 com a assinatura de um protocolo de intenções que orienta o projeto no âmbito da Cooperação Sul-Sul, assinado durante a Comissão de Estatísticas das Nações Unidas.

Em 2017, cerca de 50 técnicos senegaleses e cabo-verdianos assistiram às palestras ministradas pelos 11 especialistas do IBGE, da ABC e do UNFPA que se deslocaram ao continente africano.

Este ano, o projeto contou com três missões diferentes: uma em Cabo Verde, no mês de fevereiro, outra em Camarões, no mês de março e a última em Bali, em setembro.

Essas missões tiveram como objetivo o planejamento e a divulgação da segunda fase do projeto, que consiste na replicação da experiência para outros países do continente africano.

Além disso, em julho deste ano, houve o lançamento oficial do site do projeto, onde é possível obter mais informações sobre a ação.