Belo Horizonte e Fortaleza entram na lista da Rede de Cidades Criativas da UNESCO

Belo Horizonte, pela Gastronomia, e Fortaleza, pelo Design, foram as duas cidades brasileiras escolhidas neste ano para integrar a Rede de Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). Elas se juntam à Paraty (RJ), Salvador (BA), Brasília (DF), Belém (PA), Curitiba (PR), Santos (SP), João Pessoa (PB) e Florianópolis (SC), que já fazem parte da Rede.

As 246 cidades que integram o projeto funcionam como um laboratório de ideias e de práticas inovadoras, trazendo contribuições concretas para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas.

A divulgação da lista com os 66 municípios escolhidos pela UNESCO aconteceu no Dia Mundial das Cidades, lembrado anualmente em 31 de outubro.

Cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais, foi escolhida pela categoria Gastronomia. Foto: Mtur | Pedro Vilela.

Cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais, foi escolhida pela categoria Gastronomia. Foto: Mtur | Pedro Vilela.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) designou ontem (30) 66 municípios em diferentes continentes para integrar a Rede Global de Cidades Criativas.

Belo Horizonte (MG), na categoria gastronomia, e Fortaleza (CE), na categoria design, estão entre as cidades brasileiras escolhidas deste ano. Outras cidades brasileiras que já faziam parte da Rede são Paraty (RJ), Salvador (BA), Brasília (DF), Belém (PA), Curitiba (PR), Santos (SP), João Pessoa (PB) e Florianópolis (SC).

Criada em 2004, a Rede de Cidades Criativas promove a cooperação internacional dentro e entre municípios de zonas urbanas que investem na cultura e na criatividade como aceleradoras do desenvolvimento sustentável, a fim de transformar as cidades em locais mais inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

“Em todo o mundo, essas cidades, cada uma a seu modo, fazem da cultura o seu pilar, e não um acessório de sua estratégia”, afirmou a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay. “Isso favorece a inovação política e social e é particularmente importante para as gerações jovens”.

Cidades cooperam para o desenvolvimento sustentável

Cidade de Fortaleza, no Ceará, foi escolhida pela categoria Design. Foto: Mtur | Jade Queiroz.

Cidade de Fortaleza, no Ceará, foi escolhida pela categoria Design. Foto: Mtur | Jade Queiroz.

As cidades que integram o projeto da UNESCO funcionam como um laboratório de ideias e de práticas inovadoras, trazendo contribuições concretas para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas.

Com o anúncio, sobe para 246 o total  de centros urbanos que pertencem à Rede da Unesco que pretende “colocar a criatividade e as indústrias culturais no centro de seus planos de desenvolvimento no nível local e cooperar ativamente no nível internacional”.

A agência da ONU destaca que a meta da iniciativa é fortalecer a criação de bens culturais; desenvolver polos de criatividade; melhorar o acesso, em particular para grupos marginalizados; e integrar a cultura nos planos de desenvolvimento sustentável.

A Rede de Cidades Criativas também pretende ajudar a implementar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Dia Mundial das Cidades 2019

A divulgação faz parte da comemoração do Dia Mundial das Cidades, celebrado anualmente em 31 de outubro. O tema deste ano, “Mudando o mundo: inovações e uma vida melhor para as gerações futuras”, será o assunto da conferência promovida pela UNESCO em Paris para marcar o dia mundial.

O evento reunirá representantes de cerca de 24 municípios de todas as partes do mundo para quatro painéis de discussão que cobrirão questões como sustentabilidade e ação climática; regeneração urbana e inclusão social; e inovação tecnológica.

Os principais objetivos do Dia Mundial das Cidades 2019 são: aumentar a conscientização sobre como as inovações digitais podem ser usadas para a prestação de serviços urbanos, a fim de melhorar a qualidade de vida e melhorar o ambiente urbano; mostrar novas tecnologias inovadoras que podem criar cidades mais inclusivas; apresentar oportunidades para geração de energia renovável nas cidades; e explorar como as tecnologias inovadoras podem promover a inclusão social nas cidades.

Confira aqui a lista completa divulgada hoje (31) pela UNESCO com as cidades escolhidas para integrar a Rede de Cidades Criativas (em inglês).