Banco Mundial investirá US$ 125 mi nos serviços de saúde e educação de Salvador

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Investimentos apoiarão a criação de um cadastro biométrico de pacientes do sistema público de saúde. Outra iniciativa prevista é a implementação de um modelo de avaliação e monitoramento do ensino fundamental, a fim de melhorar as competências dos alunos mais novos em leitura, escrita e matemática.

Vista do Elevador Lacerda, em Salvador, na Bahia. Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

Vista do Elevador Lacerda, em Salvador, na Bahia. Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

O Banco Mundial aprovou nesta semana (19) um empréstimo de 125 milhões de dólares para a capital da Bahia. Orçamento financiará o Projeto Social Salvador, iniciativa do organismo internacional para melhorar a qualidade dos serviços de saúde, educação e assistência social do município.

Investimentos apoiarão a implementação do plano plurianual da cidade para o quadriênio 2018-2021. A estratégia municipal tem metas específicas sobre infância e educação primária, além de considerar a atenção primária de saúde como uma “porta de entrada” para redes de atendimento.

No campo da saúde, o Banco Mundial vai colaborar com a implementação de um mapa clínico dos pacientes e do registro biométrico de quem utiliza o sistema público. A expectativa é de que o uso da tecnologia melhore as análises de dados sobre as condições de saúde de quem recorre à rede.

O Projeto Social Salvador também auxiliará o governo na criação de um sistema de gerenciamento dos fluxos de paciente, levando em conta a disponibilidade de recursos. Com a racionalização da gestão, a expectativa é de que o acesso aos três níveis de atenção — primária, secundária e terciária — seja aprimorado. O Banco Mundial espera, com o programa, aumentar as admissões hospitalares para condições sensíveis à atenção ambulatorial.

“Esse novo programa ajudará a consolidar as melhorias conquistadas e nos permitirá expandir a cobertura de serviços municipais, como uma ênfase maior em eficiência e otimização dos custos”, elogiou o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto. O chefe do Executivo lembrou que, desde 2013, esforços têm sido empreendidos para aprimorar a oferta de serviços, sobretudo para a população mais pobre.

Na área de educação, o projeto do Banco Mundial visa à concepção de um sistema abrangente de monitoramento do desempenho escolar de crianças no ensino fundamental. Entre as metas previstas, está a criação de avaliações nos primeiros anos da educação primária, a fim de acompanhar a performance de alunos e colégios. Outro objetivo será o estabelecimento de um modelo de gestão para as instituições de ensino que seja baseado em resultados.

Com as mudanças, o organismo financeiro acredita que será possível aumentar a proporção de estudantes com nível adequado de competências em leitura, escrita e matemática ao final da segunda série do ensino fundamental das escolas municipais.

“Essa nova operação vai apoiar a implementação de padrões de maior qualidade de proteção social e educação e a melhoria da cobertura do sistema de saúde, criando as condições necessárias para o desenvolvimento social e econômico”, ressaltou o diretor do Banco Mundial para o Brasil, Martin Raiser.

Na proteção social, a iniciativa da instituição tem como objetivo aprimorar a eficácia da oferta de serviços dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) por meio de protocolos para a gestão de casos familiares, como a identificação de episódios de violência de gênero.

O empréstimo foi concedido pelo Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), que faz parte do Grupo Banco Mundial, com maturidade final de 31 anos e cinco anos de período de carência.


Mais notícias de:

Comente

comentários