Banco Mundial e parceiros promovem encontro ‘Juventudes e Gênero’ no Rio

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A inserção dos jovens no mercado de trabalho, a igualdade de oportunidades para mulheres e homens e os desafios para dar voz às juventudes e suas diferentes identidades são o tema do encontro “Juventudes e Gênero”, a ser realizado na quinta-feira (15), no Rio de Janeiro.

Promovido por Banco Mundial, Instituto Promundo, Fundação Roberto Marinho e Canal Futura, o evento terá o lançamento de dois estudos inéditos: “Se já é difícil, imagina para mim – uma perspectiva qualitativa sobre os jovens que nem estudam, nem trabalham no Brasil”, do Banco Mundial, e “Tempo de Agir – a situação da paternidade no mundo em 2017”, do Instituto Promundo.

Jovens são 11% da população do Brasil. Foto: AGECOM/Carol Garcia.

Jovens são 11% da população do Brasil. Foto: AGECOM/Carol Garcia.

A inserção dos jovens no mercado de trabalho, a igualdade de oportunidades para mulheres e homens e os desafios para dar voz às juventudes e suas diferentes identidades são o tema do encontro “Juventudes e Gênero”, a ser realizado na quinta-feira (15), no Auditório do Canal Futura, na Fundação Roberto Marinho, no Rio de Janeiro (RJ).

Promovido por Banco Mundial, Instituto Promundo, Fundação Roberto Marinho e Canal Futura, o evento terá o lançamento de dois estudos inéditos: “Se já é difícil, imagina para mim – uma perspectiva qualitativa sobre os jovens que nem estudam, nem trabalham no Brasil”, do Banco Mundial, e “Tempo de Agir – a situação da paternidade no mundo em 2017”, do Instituto Promundo.

A abertura do evento, parte da agenda do Mês da Mulher, terá a participação do gerente-geral do Canal Futura, João Alegria; da gerente-geral de Educação Profissional da Fundação Roberto Marinho, Aparecida Lacerda; da gerente de operações do Banco Mundial, Doina Petrescu; e de gestora de Desenvolvimento Institucional do Instituto Promundo, Sandra do Vale.

No Brasil, 23,5% dos jovens entre 15 e 29 anos nem estudam e nem trabalham, segundo dados da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (PNAD), divulgados em 2015.

Esse cenário é esmiuçado pela cientista social e especialista em gênero do Banco Mundial, Miriam Muller, no estudo “Se já é difícil, imagina para mim – uma perspectiva qualitativa sobre os jovens que nem estudam, nem Trabalham no Brasil”.

O relatório mostra que a falta de compreensão sobre a complexa realidade desta camada da população dificulta uma reversão do quadro, principalmente quando se leva em contato os jovens da área rural.

O Instituto Promundo apresentará o relatório “Situação da Paternidade no Mundo 2017”. A coordenadora de projetos da entidade, Linda Cerdeira, apresentará uma agenda ousada para que homens e meninos realizem 50% das tarefas de cuidado não pagas (os trabalhos domésticos) no mundo, o que pode colaborar para a equidade de gênero na sociedade.

A coordenadora de projetos de mobilização comunitária do Canal Futura, Priscila Pereira, abordará iniciativa do canal e da Fundação Roberto Marinho para o tema da juventude. A ação tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento integral de adolescentes e jovens junto a instituições, coletivos e escolas com foco na juventude, a partir dos conteúdos desenvolvidos pelo Futura.

Após a apresentação, a jornalista Karen Souza, do Canal Futura, mediará uma sessão de perguntas da plateia.

Para participar, basta se inscrever pelo endereço eventos@frm.org.br ou pelo telefone +21.2502-3233.


Mais notícias de:

Comente

comentários