Banco Mundial aponta que valor de salários é responsável pelo alto gasto com funcionalismo público no Brasil

Novo Relatório Gestão de Pessoas e Folha de Pagamentos do Banco Mundial aponta que o gasto do setor público brasileiro com folha de pagamento é alto para os padrões internacionais. De acordo com o estudo, isto acontece por conta do alto valor das remunerações e não pelo número de funcionários.

O estudo mostra ainda que a complexidade da estrutura de cargos e salários no setor público é muito alta e projeções do Banco Mundial mostram que a política salarial dos próximos anos será decisiva para as finanças públicas.

Arte: Tumisu/Pixabay

Arte: Tumisu/Pixabay

Novo Relatório Gestão de Pessoas e Folha de Pagamentos do Banco Mundial aponta que o gasto do setor público brasileiro com folha de pagamento é alto para os padrões internacionais. De acordo com o estudo, isto acontece por conta do alto valor das remunerações e não pelo número de funcionários.

Em 2017, foram gastos 725 bilhões de reais com 11,5 milhões de servidores ativos. Isto equivale a 20 vezes o gasto atual com o programa de transferência de renda Bolsa Família.

O estudo mostra ainda que a complexidade da estrutura de cargos e salários no setor público é muito alta e projeções do Banco Mundial mostram que a política salarial dos próximos anos será decisiva para as finanças públicas. Atualmente, existem 300 carreiras diferentes, organizadas por órgãos de governo, com 117 tabelas de progressão salarial e 179 tipos de gratificação.

O relatório sugere a diminuição do número de carreiras, restrição aos aumentos salariais e promoção de políticas que reduzam o salário de entrada no serviço público do governo federal e dos estados.

O Sumário Executivo pode ser acessado aqui e o estudo completo está disponível aqui.