Ban recebe petição com 1,3 milhão de assinaturas em solidariedade a refugiados

Às vésperas da cúpula sobre refugiados e migrantes que ocorre a partir de segunda-feira (19) em Nova York, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, recebeu uma petição com 1,3 milhão de assinaturas expressando solidariedade a milhões de refugiados em todo o mundo. “Não podemos deixar pessoas inocentes serem enterradas pela indiferença”, disse Ban durante cerimônia nesta sexta-feira (16). A petição #WithRefugees foi lançada em 19 de junho, na ocasião do Dia Mundial do Refugiado.

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon (centro) recebe petição com 1,3 milhão de assinaturas expressando solidariedade aos refugiados. Foto: ONU/Kim Haughton

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon (centro), recebe petição com assinaturas expressando solidariedade aos refugiados. Foto: ONU/Kim Haughton

Às vésperas da cúpula sobre refugiados e migrantes que ocorre a partir de segunda-feira (19) em Nova York, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, recebeu uma petição com 1,3 milhão de assinaturas expressando solidariedade a milhões de refugiados em todo o mundo.

“Não podemos deixar pessoas inocentes serem enterradas pela indiferença”, disse Ban durante cerimônia nesta sexta-feira (16) em Nova York. “Não podemos expor tantas crianças a riscos fatais (…) Estamos com os refugiados. A cúpula da semana que vem é para eles”, completou.

A petição #WithRefugees foi lançada em 19 de junho, na ocasião do Dia Mundial do Refugiado, pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

O secretário-geral disse ainda que os refugiados estão apenas pedindo o que todas as pessoas merecem: uma casa, uma escola, uma chance. Ele agradeceu a ONU pela solidariedade quando ele mesmo, aos 6 anos, era um refugiado, oferta sem a qual ele “não estaria aqui hoje”.

O chefe da ONU afirmou que a cúpula é uma base sobre a qual poderá ser construída uma resposta global mais forte para o tema, e que as Nações Unidas estão mobilizando todos os seus parceiros. “Hoje declaramos nosso comprometimento em compartilhar a responsabilidade. Isso beneficiará a todos. Vamos ajudar os refugiados e criar um melhor futuro para todos.”

A petição pede que representantes de 193 governos que participarão da cúpula garantam que todas as crianças refugiadas possam ir à escola; que todos os refugiados tenham um local seguro para viver e possam trabalhar e contribuir para a economia local.

O alto comissário da ONU para os refugiados, Filippo Grandi, junto com refugiados e apoiadores proeminentes do ACNUR, entregou a petição a Ban e ao presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas, Peter Thomson.

Quando a petição foi lançada, em junho, Grandi explicou por que o ACNUR estava pedindo apoio público à causa. “Estamos em um período de escalada dos conflitos e turbulência no mundo, o que está fazendo com que mais pessoas deixem suas casas”, disse, acrescentando: “isso afeta e envolve todos nós, e o que precisamos é de compreensão, compaixão e vontade política para nos unir e encontrar as reais respostas para a crise”.

Enquanto países do mundo em desenvolvimento foram os mais afetados, a Europa também testemunhou cenas dramáticas, enquanto centenas de milhares de pessoas cruzaram o Mediterrâneo em busca de segurança e refúgio. Milhares morreram no caminho. Grandi lembrou: “isso se tornou desafio definidor dos nossos tempos”.

Grandi disse também que, no ápice da crise de refugiados na Europa, muitas pessoas comuns passaram a ajudar, afirmando que há “enormes ondas de empatia e solidariedade, enquanto comunidades abrem suas casas e seus corações para os refugiados”.

O evento em Nova York teve apresentação da poeta Emi Mahmoud, que falou sobre o menino sírio Alan Kurdi, encontrado morto em uma praia na Turquia. Em seu poema, ela descreveu o que aconteceu com o menino de 3 anos e tantos outros, afirmando que isso “torna a Terra um cemitério”.

O ator norte-americano e apoiador do ACNUR Ben Stiller leu a petição, enquanto a modelo e embaixadora da Boa Vontade da Agência da ONU para Refugiados, Alek Wek, fez comentários.

Após fazer história nas Olimpíadas do Rio, a nadadora síria refugiada Yusra Mardini e o corredor Yiech Pur Biel, do Sudão do Sul, participaram do evento.

O encontro desta sexta-feira foi o encerramento de uma semana de transmissões globais pelo Facebook de celebridades apoiadoras da agência da ONU encorajando pessoas do mundo todo a assinar a petição, que permanecerá ativa até que seus objetivos sejam atingidos.

As transmissões foram lançadas pela embaixadora da Boa Vontade do ACNUR Cate Blanchett e incluíram seu filme produzido para o Facebook chamado “What they took with them” (o que eles levaram com eles), que estreou no evento desta sexta-feira.

O título do filme vem de um poema de mesmo nome escrito por Jenifer Toksvig, que lista as coisas que os refugiados carregam quando fogem, e expressa o trauma do conflito e da perseguição.