Ban pede ‘ações concretas’ de líderes mundiais para financiar desenvolvimento sustentável

O secretário-geral da ONU defendeu que sejam cumpridas metas de financiamento para garantir a implementação de acordos globais para a erradicação da pobreza e de combate ao aquecimento global, de forma a “colocar o mundo no caminho do desenvolvimento sustentável”.

Segundo a publicação, o comércio de serviços globais em 2014 cresceu 5%, sendo o grande condutor do desenvolvimento econômico mundial em comércio do ano. Foto: USP Imagens/ Marcos Santos

Necessidades de financiamento para atingir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) são estimadas em trilhões de dólares anualmente. Foto: USP Imagens/ Marcos Santos

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, defendeu na semana passada (18) que sejam cumpridas metas de financiamento para garantir a implementação de acordos globais para a erradicação da pobreza e de combate ao aquecimento global, de forma a “colocar o mundo no caminho do desenvolvimento sustentável”.

Na abertura de um fórum sobre financiamento ao desenvolvimento organizado pelo Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (ECOSOC), na sede da ONU em Nova York, Ban disse que a Agenda de Ação de Adis Abeba, a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e o Acordo de Paris sobre o clima são “vitórias do multilateralismo”.

“Peço que cada um de vocês tome ações e mostre liderança”, disse Ban. “Todos precisamos cumprir nosso papel nessa empreitada global, de governos a organizações internacionais, a instituições financeiras e de comércio, setor privado e sociedade civil.”

“Temos a responsabilidade coletiva de transformar esses acordos em ações tangíveis”, completou Ban. “A hora de implementação é agora.”

Notando que as necessidades de financiamento para atingir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) são estimadas em trilhões de dólares anualmente, Ban disse que mobilizar tais recursos será um desafio significativo, particularmente em um momento de incerteza econômica e retração financeira.

“A recuperação da economia global permanece fraca. Não temos visto o crescimento forte, sustentado e equilibrado necessário para garantir o desenvolvimento sustentável para todos”, disse o chefe da ONU.

“Mas esse desafio não é insuperável. Sabemos que as poupanças globais públicas e privadas e os investimentos serão suficientes — mas só se estiverem alinhados ao desenvolvimento sustentável”, acrescentou.