Ban manifesta preocupação com o aumento da violência e novas tensões no Egito e na Tunísia

O Secretário-Geral Ban Ki-moon manifestou-se hoje (11/05) contra a violência recente no Egito e na Tunísia, pedindo às autoridades e aos povos dos dois países que não desperdicem a oportunidade criada pelas revoluções democráticas do início do ano. Pelo menos 12 pessoas foram mortas no fim de semana no Cairo (Egito), durante confrontos entre muçulmanos e cristãos coptas, enquanto, na Tunísia, novos protestos levaram a uma nova onda de violência e à imposição de um toque de recolher à noite.

Durante uma conferência de imprensa em Genebra, Ban Ki-moon descreveu as revoluções como “uma das maiores oportunidades para promover a democracia e os direitos humanos ao longo de uma geração.” Ele disse ainda que “esta oportunidade é preciosa, mas, ao mesmo tempo, frágil. Ela deve ser alimentada e tratada com cuidado pelo povo que a criou.”

O Secretário-Geral disse estar particularmente preocupado com os surtos de violência sectária no Egito. “Após a prolongada demonstração de unidade nacional que levou à transição pacífica de poder, é fundamental que o povo egípcio mantenha esta unidade, com o propósito de alcançar suas aspirações democráticas.” Voltando-se ao aumento das tensões na Tunísia, ele pediu que “todas as partes resolvam suas diferenças através do diálogo pacífico e contem com as instituições existentes criadas pelo governo de transição.”

O líder da ONU pediu que as autoridades dos dois países “honrem a responsabilidade e a confiança que lhes foram conferidas. As pessoas foram às ruas para pedir responsabilidade, democracia, direitos humanos e melhores perspectivas. Seus líderes devem trabalhar para atender a essas demandas.”

Ban Ki-moon reiterou que a ONU está pronta para oferecer a assistência necessária à Tunísia e ao Egito para ajudá-los a progredir.