Ban elogia medidas de facilitação do fluxo comercial para o Iêmen em meio ao conflito

Em áreas do Iêmen afetadas pelo conflito, insegurança dificulta esforços das agências da ONU em fornecer comida. Foto: PMA/Ammar Bamatraf

O secretário-geral da ONU elogiou o lançamento na segunda-feira (2) de um mecanismo de inspeção das Nações Unidas para facilitar o livre fluxo de bens e serviços para o Iêmen, enquanto garante o embargo de armas criado pelo Conselho de Segurança, disse seu porta-voz na terça-feira (3).

Ban disse que o mecanismo de verificação e inspeção com sede em Djibouti deve fornecer autorização rápida para empresas de embarcações transportando importações comerciais e assistência bilateral a portos iemenitas fora da autoridade do governo do país, segundo o porta-voz Stéphane Dujarric.

O secretário-geral disse ainda que o lançamento do mecanismo é parte de um esforço maior para levar alívio ao sofrimento dos civis iemenitas, e disse esperar um acordo político entre as partes do conflito nas negociações mediadas pela ONU no Kuwait.

Conversas de paz

O enviado das Nações Unidas para as conversas de paz no Iêmen, Ismail Ahmed, disse no domingo (1) em comunicado que a delegação do governo iemenita havia suspendido sua participação nas negociações devido a informações da província de Amran segundo as quais os rebeldes teriam violado a trégua.

No entanto, segundo informações divulgadas pela imprensa internacional nesta quarta-feira (4), as conversas estão sendo retomadas.

O enviado da ONU reuniu-se no domingo com a delegação do governo do Iêmen e com líderes oposicionistas da organização Ansar Allah e do Congresso Geral do Povo que, segundo ele, deram garantias de comprometimento para chegar a uma solução ao conflito.

De acordo com o comunicado do enviado da ONU, especialistas políticos das Nações Unidas estão agora analisando os documentos apresentados pelas duas delegações para identificar pontos comuns.

Segurança alimentar

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) e o Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) informaram nesta quarta-feira que criaram mecanismos para divulgar informações sobre as famílias que vivem nas zonas de conflito no Iêmen e enfrentam insegurança alimentar.

As entidades da ONU criaram mecanismos para visualizar dados sobre o tema por meio de tecnologias móveis baseadas em plataformas abertas.

Coletados por meio do serviço móvel sobre segurança alimentar do PMA, os dados acompanham o consumo de alimentos pelas residências iemenitas, mostrando como as famílias estão lidando com a ameaça da fome e da falta de alimentos com o passar do tempo em meio ao conflito.

Pelos dados, é possível verificar que até março de 2016, cerca de 70% das famílias em cada província do Iêmen pediram comida para amigos ou parentes. Essa proporção é mais significativa nas regiões afetadas pelo conflito.

Os dados estão disponíveis na plataforma Troca de Dados Humanitários da OCHA (clique aqui).