Autoridades avaliam avanços e desafios da igualdade de gênero na América Latina

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Ministras e autoridades latino-americanas avaliaram os avanços na garantia da igualdade de gênero e dos direitos das mulheres da região durante o encerramento da 57ª reunião da Mesa Diretiva da Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e do Caribe, encerrada na terça-feira (31) na sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) em Santiago, no Chile.

Durante o encontro, os países aprovaram o Fundo Regional de Apoio a Organizações e Movimentos de Mulheres e Feministas, cujo objetivo geral é apoiar o desenvolvimento de projetos que contribuam para a igualdade de gênero, a autonomia das mulheres e a materialização de seus direitos em toda a América Latina e o Caribe.

Marcha Nacional das Mulheres Negras em Brasília. Foto: Ministério da Cultura/Janine Moraes

Marcha Nacional das Mulheres Negras em Brasília. Foto: Ministério da Cultura/Janine Moraes

Ministras e autoridades latino-americanas avaliaram os avanços na garantia da igualdade de gênero e dos direitos das mulheres da região durante o encerramento da 57ª reunião da Mesa Diretiva da Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e do Caribe, encerrada na terça-feira (31) na sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) em Santiago, no Chile.

A reunião regional foi encerrada por Mariella Mazzotti, diretora do Instituto Nacional das Mulheres (INMUJERES) do Uruguai, em sua qualidade de presidente da mesa diretiva da conferência, e Mario Cimoli, secretário-executivo adjunto interino da CEPAL.

Durante o encontro, os países aprovaram o Fundo Regional de Apoio a Organizações e Movimentos de Mulheres e Feministas, cujo objetivo geral é apoiar o desenvolvimento de projetos que contribuam para a igualdade de gênero, a autonomia das mulheres e a materialização de seus direitos em toda a América Latina e o Caribe.

No encontro, que começou na segunda-feira (30), as autoridades aprovaram também um rascunho de acordo no qual destacam os esforços mobilizados pelos países da região na aplicação da Estratégia de Montevidéu para a Implementação da Agenda Regional de Gênero no Marco do Desenvolvimento Sustentável até 2030 e seu aporte como ferramenta para potencializar sinergias entre os planos de desenvolvimento sustentável, as políticas de igualdade de gênero e os orçamentos.

Reafirmaram também a necessidade de estabelecer padrões internacionais compartilhados para atenção, prevenção, proteção, acesso à justiça e reparação para mulheres, meninas, meninos e adolescentes vítimas de violência, e destacaram a importância do trabalho integral, da coordenação interinstitucional e da territorialização das iniciativas.

“Esta foi uma reunião muito frutífera. Demos elementos muito substantivos para o aprofundamento da autonomia das mulheres em todas as suas complexidades”, destacou Mariella Mazzotti, completando que “a conquista e o avanço dos direitos das mulheres têm muito a ver com a luta dos movimentos sociais”.

Mario Cimoli, por sua vez, reforçou o compromisso e a participação da CEPAL no processo de implementação plena da Estratégia de Montevidéu na região, e ressalvou a condição transversal da aspiração pela igualdade de gênero a toda a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

No final do encontro, os países concordaram em aprovar um plano para o processo preparatório da XIV Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e do Caribe, que ocorrerá em novembro de 2019 em Santiago.


Mais notícias de:

Comente

comentários