ONU em português: Lista com todas as notícias

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi estabelecida pelos países-membros da ONU no fim de 2015. Foto: ONU

ONU Brasil lança publicação para articular programas de governo à Agenda 2030

Tanto os postulantes ao Poder Executivo quanto os futuros legisladores podem desenvolver suas ideias à luz dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para que o mundo cumpra a Agenda 2030.

Pensando nisso, a ONU Brasil lançou neste mês a publicação “Articulando os Programas de Governo com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”. O relato é da Rede Brasil do Pacto Global.

Projeto do Equador visa combater a resistência de bactérias a antibióticos na cadeia de produção do frango. Foto: FAO/CC

Nas Américas, 77 milhões de pessoas adoecem anualmente por causa de alimentos contaminados

Em visita ao Equador para avaliar o uso de antibióticos na produção agrícola, especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) alertaram em agosto para os riscos da resistência crescente de bactérias aos remédios.

Com agentes infecciosos mais fortes, as doenças transmitidas por comida contaminada podem ter impacto ainda maior sobre a população. Nas Américas, essas enfermidades acometem mais de 77 milhões de pessoas por ano.

Foto:Pixabay/kaboompics (cc)

CEPAL pede mais igualdade de gênero no acesso a serviços bancários

Para avançar rumo a sistemas financeiros inclusivos que contribuam para eliminar as desigualdades de gênero, é necessário contar com dados desagregados por sexo e assim romper com o silêncio estatístico que afeta as mulheres, disse na semana passada (10) a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena.

Segundo a chefe da CEPAL, as mulheres enfrentam barreiras para acessar o sistema financeiro e não gozam dos mesmos benefícios e direitos que os homens.

Para ela, as políticas macroeconômicas deveriam ser sensíveis às desigualdades de gênero, já que as mulheres acabam  amortecendo os choques econômicos nos períodos de crise, instabilidade ou recessão, principalmente através da sobrecarga de trabalho não remunerado.

Família busca água no condado de Garissa, no Quênia. Foto: UNICEF/Serem

ONU usa dados de satélites para enfrentar secas e enchentes na África e Ásia

Em março de 2018, o Quênia foi palco da pior enchente do país desde 1997. A inundação deixou mais de 300 mil pessoas desabrigadas. Mas um mês antes, a preocupação da nação africana era com a pior seca desde 2010.

Para ajudar esse e outros países a lidar com estiagens e enchentes, a ONU Meio Ambiente implementa uma plataforma de monitoramento em tempo real de bacias hidrográficas. Iniciativa usa dados de satélites para orientar estratégias de prevenção.

Priscilla, de 48 anos, e seu filho Joshua, de 7 meses, vivem em um acampamento improvisado em Oicha, território de Beni. Foto: ACNUR/Natalia Micevic

Violência crescente leva milhares de congoleses a deixar suas casas

Os assassinatos brutais no território de Beni, na província de Kivu do Norte, na República Democrática do Congo, obrigaram milhares de pessoas a abandonar suas casas nas últimas semanas. A região ficou conhecida como “triângulo da morte”.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) chama a atenção para a deterioração da situação humanitária no território de Beni — que tem uma população de 1,3 milhão de habitantes.

Sede da ONU em NY. Foto: ONU/Rick Bajornas.

Acordo latino-americano sobre proteção de defensores ambientais recebe assinaturas a partir de 27/9

O acordo regional sobre acesso à informação, à participação pública e à Justiça em assuntos ambientais na América Latina e no Caribe (Acordo de Escazú) será aberto à assinatura de todos os países da região na quinta-feira (27) na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, no marco do debate geral do 73º período de sessões da Assembleia Geral da ONU.

O chamado “Acordo de Escazú” — por ter sido adotado em 4 de março passado no município de Escazú, na Costa Rica — é o primeiro acordo ambiental da região e o único de seu tipo no mundo, já que contém disposições específicas sobre proteção de defensores de direitos humanos em assuntos ambientais. Trata-se do primeiro instrumento legal que emergiu até agora da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

Reunião ocorreu no fim de agosto, no Rio de Janeiro. Foto: PANAFTOSA

Rede interamericana de análises de alimentos visita instituto de controle de qualidade no Rio

Dois membros da Rede Interamericana de Laboratórios de Análises de Alimentos (RIILA) visitaram no fim de agosto (28) o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), localizado em Manguinhos, zona norte do Rio de Janeiro.

Entre os temas discutidos, estão a apresentação do novo portal da RILAA, a participação do INCQS na 9ª Assembleia Ordinária da Rede — que ocorrerá entre 5 e 9 de novembro em Santo Domingo, República Dominicana — e alianças futuras, sobretudo nas áreas de teste de proficiência e ensino.

Edifícios nos arredores de Wall Street. Foto: Michael Aston/Flickr (CC)

ARTIGO: Dez anos depois da quebra do Lehman Brothers — lições e desafios

Em artigo, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirma que as consequências da crise financeira de 2008 e seu pesado custo sobre as pessoas comuns estão entre os fatores-chave para explicar a atual reação contra a globalização — particularmente nas economias avançadas — e a erosão da confiança no governo e em outras instituições. Leia o artigo completo.

A farmacêutica Salsabil Matouk morava em Douma, a dez quilômetros da capital da Síria, Damasco. Foto: ACNUR/Érico Hiller

‘Eu nunca imaginei que iria viver no Brasil’

A farmacêutica Salsabil Matouk morava em Douma, na Síria, a dez quilômetros da capital Damasco. Quando a guerra eclodiu no país, em 2011, a cidade virou alvo de bombardeios e operações militares.

Em 2014, Salsabil se viu forçada a deixar a Síria e veio com o marido Salim e sua filha Jury para o Brasil. Em São Paulo, ela busca reconstruir sua vida vendendo comida árabe, usando as receitas que aprendeu com a mãe. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

A equatoriana María Fernanda Espinosa, presidente da 73ª sessão da Assembleia Geral da ONU, fala ao plenário no primeiro dia de reunião em Nova Iorque. Foto: ONU/Loey Felipe

Nova presidente da Assembleia Geral pede ONU mais próxima das pessoas

A nova sessão da Assembleia Geral da ONU foi aberta nesta terça-feira (18) com sua presidente prometendo usar seu mandato de um ano para levar a organização global para mais perto das pessoas, fortalecendo o apoio e o sentido de pertencimento às Nações Unidas.

Em seu primeiro discurso como presidente da Assembleia Geral, ocorrido durante sua 73ª sessão, a equatoriana María Fernanda Espinosa disse que a necessidade de uma liderança global mais forte a serviço do multilateralismo, para garantir sociedades mais pacíficas, igualitárias e sustentáveis, permeará seu trabalho.

Espinosa, que foi eleita presidente da Assembleia Geral em junho, sucede Miroslav Lajčák, presidente da 72ª sessão. Ela é a quarta mulher a ocupar o cargo na história da organização internacional, e a primeira mulher latino-americana.

A violência contra as mulheres – particularmente a violência por parte de parceiros e a violência sexual – é um grande problema de saúde pública e de violação dos direitos humanos das mulheres. Foto: George Campos/USP Imagens

Fundo de População da ONU participa de debate em SP sobre empresas e igualdade de gênero

O representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, participa na semana que vem (25) de evento em São Paulo para discutir como as empresas podem impulsionar a igualdade de gênero no país, atuando de forma coordenada para o desenvolvimento social e econômico.

O painel “Alinhando esforços do setor privado na defesa dos direitos da mulher: estratégias inovadoras para fortalecer a agenda de saúde e de direitos sexuais e reprodutivos no Brasil” será realizado na terça-feira, das 11h às 12h, durante a Conferência Ethos, na capital paulista.

Vacina BCG, utilizada contra a tuberculose, é preparada em centro de saúde em Bougouni, no Mali, em março de 2018. Foto: UNICEF/Ilvy Njiokiktjien

Países não estão fazendo o suficiente para acabar com tuberculose, diz relatório da OMS

Os países não estão fazendo o suficiente para acabar com a tuberculose — a doença infecciosa mais letal do mundo — até 2030, alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta terça-feira (18), ao lançar o mais recente relatório global sobre o tema.

O documento mostra que a disparidade geográfica é gritante, com 500 casos de tuberculose para cada 100 mil habitantes em países incluindo Moçambique, Filipinas e África do Sul; e menos de dez para cada 100 mil pessoas em países de alta renda.

Foto: PEXELS

UNESCO participa de evento em Brasília sobre empreendedorismo de mulheres

A diretora e representante da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, Marlova Noleto, participou no fim de agosto (29) de um encontro em Brasília (DF) sobre empreendedorismo de mulheres, enfatizando a importância da educação para que mais mulheres possam empreender no país.

O painel “Mulheres transformando o mundo” foi realizado em comemoração ao primeiro ano do núcleo DF do Grupo Mulheres do Brasil, uma rede suprapartidária criada em 2013 por 40 executivas com o objetivo de engajar a sociedade civil no desenvolvimento do país.

Devastação em bairro de Idlib, na Síria, em setembro de 2018. Foto: PMA

Síria: ONU elogia acordo que estabelece zona desmilitarizada em Idlib

O acordo entre Turquia e Rússia para criar uma zona desmilitarizada em Idlib com o objetivo de proteger civis que vivem na cidade do noroeste da Síria foi elogiado nesta terça-feira (18) pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, e pelo chefe humanitário da Organização. Eles pediram que as partes em conflito garantam a efetividade do pacto.

O acordo, fechado pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, e pelo presidente russo, Vladimir Putin, na segunda-feira (17), tem como objetivo evitar uma operação militar de retomada da região que poderia se transformar em um “banho de sangue”, segundo disse o chefe da ONU na semana passada.

Na cidade de Baggao, no norte das Filipinas, Jessica Gonzales carrega seu filho de apenas um ano enquanto observa com o marido o que restou de sua casa, destruída pelo tufão Mangkhut. Foto: UNICEF/Maitem

Tufão nas Filipinas deixa quase 220 mil desabrigados

Nas Filipinas, agências das Nações Unidas mobilizam equipes para dar assistência às vítimas do tufão Mangkhut, que provocou pelo menos 74 mortes, segundo informações divulgadas hoje (18) pela imprensa internacional. O Escritório da ONU para Assuntos Humanitários (OCHA) afirmou na segunda-feira (17) que mais de 590 mil pessoas foram afetadas de alguma forma pela tempestade. Destruição deixou quase 220 mil filipinos sem casa.

Erradicar a pobreza é o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 1. Foto: ONU Habitat/Astrid Yanes

Países latino-americanos reafirmam compromisso de reduzir desigualdades na região

Dois vice-presidentes e cerca de 40 ministros de países latino-americanos e caribenhos se comprometeram na semana passada em encontro na Cidade do Panamá a tomar medidas concretas para reduzir as desigualdades estruturais que continuam impedindo que muitos participem das sociedades de forma significativa.

O 10º Fórum Ministerial para o Desenvolvimento na América Latina e no Caribe foi organizado pelo governo panamenho em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

No encontro, autoridades da região concordaram em ampliar os sistemas de proteção social universal; atuar e prestar especial atenção aos povos indígenas e populações afrodescendentes ao assumir o objetivo de “não deixar ninguém para trás”.

Situação prisional é tema de seminário em Brasília. Foto: Agência Brasil/Wilson Dias

Em Brasília, escritório da ONU debate falência do atual modelo prisional

Tem início hoje (19), em Brasília, o primeiro Seminário Internacional de Gestão de Políticas Penais, promovido pela Universidade de Brasília (UnB). Com a participação do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), o evento vai discutir a falência do modelo prisional atual. Especialistas brasileiros e estrangeiros debaterão a superlotação dos presídios, a expansão dos grupos criminais e os gastos crescentes com o sistema.

Criança come biscoito usado no tratamento de malnutrição em Juba, capital do Sudão do Sul. Foto: UNICEF/Njiokiktjien VII Photo

ONU: uma criança morre a cada 5 segundos no mundo

Cerca de 6,3 milhões de crianças com menos de 15 anos morreram em 2017, segundo estimativas divulgadas nesta semana (17) pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e pelo Grupo Banco Mundial.

Isso significa que, no ano passado, a cada cinco segundos, morria um jovem da faixa etária analisada. Maioria dos óbitos — 5,4 milhões — ocorreu entre meninos e meninas com até cinco anos de idade.

Imagens da Agência Espacial dos Estados Unidos (NASA) comparam o tamanho do buraco na camada de Ozônio, que aumentou consideravelmente de 1979 para 2008. Imagem: Observatório da Terra da NASA

ONU lembra tratado para enfrentar destruição da camada de ozônio e aquecimento global

“Fique frio e siga em frente”, este foi o tema das celebrações do Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio, comemorado no domingo (16). Data alertou para a necessidade de combater as mudanças climáticas e o aquecimento global.

No mesmo dia, o Protocolo de Montreal — um acordo global para eliminar os produtos e substâncias que destroem a Camada de Ozônio — completou 31 anos.

Bombeiros apagam pontos de fogo no Museu Nacional após incêndio. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

UNESCO realiza na terça-feira (18) coletiva de imprensa sobre missão ao Museu Nacional

Após se reunir com as autoridades brasileiras e com os atores locais e nacionais envolvidos com o Museu Nacional, a chefe da Missão de Emergência da UNESCO para o Museu Nacional, Cristina Menegazzi, concederá entrevista coletiva nessa terça-feira (18), às 11h, no escritório da UNESCO no Brasil, em Brasília. A especialista está no Brasil desde a última quinta-feira (13) e já realizou visitas técnicas ao Museu.

Duas crianças pequenas brincam com uma caixa na cidade de Nubul, no norte da Síria. Foto: ACNUR/Hameed Marouf

ONU pede US$ 270 mi para prestar assistência a refugiados sírios

Desde 2011, a guerra na Síria já expulsou 5,6 milhões de cidadãos do território para países vizinhos. Desse contingente, 2,6 milhões são crianças.

Cerca de 44 milhões de dólares são essenciais para que a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) não interrompa em novembro o auxílio financeiro à população refugiada. No Líbano e na Jordânia, 68% e 85% dos sírios, respectivamente, vivem abaixo da linha da pobreza.

Sede do UNAIDS, em Genebra. Foto: UNAIDS

Programa da ONU cumpre metas de igualdade de gênero no ambiente de trabalho

Pelo segundo ano consecutivo, o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) foi reconhecido por cumprir todas as metas da ONU para promover a igualdade entre homens e mulheres no ambiente de trabalho.

Um dos objetivos é ter 50% de todos os cargos, em todos os níveis, ocupados por mulheres. A Organização também estipula que todas as mulheres com as qualificações necessárias devem participar de iniciativas de liderança.

Famílias de venezuelanos participam do programa de interiorização do Governo Federal. Iniciativa tem o apoio de diferentes agências da ONU, como a Organização Internacional para as Migrações (OIM). Foto: OIM

Agências da ONU continuam a apoiar o governo brasileiro na interiorização de venezuelanos

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM), com o apoio de outras agências das Nações Unidas, continuam a trabalhar com o governo brasileiro para promover a transferência de venezuelanos da região Norte para outras cidades do país.

Desde o início do programa de interiorização em abril, quase 2 mil pessoas se mudaram do estado de Roraima para outras cidades brasileiras, como Brasília, Cuiabá, Manaus, Porto Alegre e São Paulo. Estima-se que outros 800 venezuelanos serão interiorizados até o final de setembro.

Limpeza de praia em Watamu, no Quênia. Foto: ONU Meio Ambiente/Cyril Villemain

ONU promove #SemanaMaresLimpos e lança relatório sobre lixos mais encontrados nas praias brasileiras

A segunda edição da #SemanaMaresLimpos, iniciativa da ONU Meio Ambiente com o Instituto Ecosurf, terá início neste sábado (15), com uma grande ação de limpeza de praia em Itapoá, Santa Catarina. A edição 2018 pretende superar a ação de 2017, que teve 136 grupos inscritos em 18 estados brasileiros e coletou cerca de 24 toneladas de resíduos.

Relatório da ONU revela que os dez itens mais recolhidos nessas praias foram: bitucas de cigarro, tampas de garrafa, canudos, garrafas plásticas, sacolas plásticas de supermercado, embalagens plásticas em geral, copos e pratos plásticos, garrafas de vidro, pedaços de isopor e talheres plásticos.

A ativista hondurenha Berta Cáceres foi perseguida e assassinada por seu ativismo em prol do meio ambiente e dos direitos dos povos indígenas. Foto: goldmanprize.org

Especialistas pedem ratificação de acordo latino-americano sobre ativistas ambientais

Vinte e sete especialistas em direitos humanos da ONU pediram na quinta-feira (13) que países latino-americanos e caribenhos ratifiquem o mais rápido possível o Acordo regional de Escazú, o primeiro tratado do mundo com mecanismos legalmente vinculantes para a proteção de ativistas ambientais. O texto será aberto para assinatura em 27 de setembro, na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque.