ONU em português: Lista com todas as notícias

Foto: UNESCO

Guia de educação em sexualidade da ONU enfatiza igualdade de gênero e direitos humanos

Perto de completar dez anos, o guia “Orientações Técnicas de Educação em Sexualidade”, voltado para legisladores que trabalham na elaboração de currículos escolares no mundo todo, teve esta semana sua edição atualizada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Com base em uma análise das melhores práticas no mundo, o guia mostra que a educação em sexualidade ajuda os jovens a se tornar mais responsáveis em sua atitude e comportamento no que se refere à saúde sexual e reprodutiva. Também é essencial no combate à evasão escolar de meninas provocada por gravidez ou casamento precoce.

Seminário Águas pela Paz aborda conservação de recursos hídricos sob perspectiva transdisciplinar. Foto: Águas pela Paz

Com ONU Meio Ambiente, seminário reivindica debate transdisciplinar sobre recursos hídricos

A água é central para a vida no planeta e é precondição para a existência humana. Apesar de elemento-chave no desenvolvimento sustentável, problemas como a poluição, a escassez e a má gestão do recurso sinalizam uma escalada das crises socioambientais, com graves consequências globais.

O II Seminário Internacional Água e Transdisciplinaridade — Águas pela Paz promove amanhã (13) uma consulta pública online para a elaboração de carta com encaminhamentos para o Fórum Mundial da Água. Saiba como participar.

Foto: Agência Brasil

ONU Meio Ambiente participa da 1ª Conferência Virtual de Protagonismo Juvenil

Quase metade da população mundial tem menos de 25 anos e, atualmente, existem mais jovens do que em qualquer outro período da história. Só no Brasil, são 51 milhões. Com o objetivo de estimular o engajamento dessa população em temas como política, sustentabilidade, ciência e educação, ocorre até domingo (14) a 1ª Conferência Virtual de Protagonismo Juvenil. O evento online teve a participação da ONU Meio Ambiente.

Presidente norte-americano Donald Trump na sede da ONU, em 2017, para o debate geral da Assembleia Geral. Foto: ONU/Rick Bajornas

ONU condena comentários ‘vergonhosos e racistas’ de Donald Trump sobre países africanos, Haiti e El Salvador

O Escritório do Alto Comissariado da ONU sobre Direitos Humanos (ACNUDH) criticou duramente os últimos comentários do presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que em reunião com parlamentares norte-americanos na quinta-feira (11), teria descrito o Haiti, El Salvador e os países africanos como “países de merda”.

“Esses são comentários chocantes e vergonhosos do presidente dos Estados Unidos. Perdoem-me, mas não há outra palavra que possa ser usada senão racista”, criticou o porta-voz do ACNUDH, Rupert Colville, em coletiva de imprensa em Genebra, nesta sexta-feira (12).

Representante afirmou que declarações de Trump validam e encorajam a xenofobia, indo contra valores universais.

Escola da Vila Nova Esperança em Tomé-Açu (PA), onde atua o Sistema de Organização Modular de Ensino (Some). Foto: Blog do Riba/http://ribaprasempre.blogspot.com.br

Professora adota currículo da ONU sobre igualdade de gênero em áreas rurais do Pará

A professora paraense Danielle Figueiredo, de 33 anos, dá aulas para alunos do ensino médio em áreas rurais do Pará por meio de um sistema denominado modular. Nele, as aulas são concentradas em apenas uma disciplina durante 50 dias, em locais de melhor acesso para estudantes que vivem longe dos centros urbanos.

Isso significa que Danielle, professora de sociologia pós-graduada na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), passa 50 dias em diferentes municípios da região nordeste do estado, já tendo lecionado em comunidades rurais de Capitão Poço, Garrafão do Norte, Nova Esperança do Piriá, entre outras.

Desde 2015, a professora da rede estadual de ensino passou a aplicar em sala de aula, por iniciativa própria, “O Valente não é Violento”, currículo interdisciplinar disponível na Internet que tem como objetivo abordar questões de sexualidade e de gênero para combater e prevenir a violência contra mulheres e meninas.

Câmara do Conselho de Direitos Humanos em Genebra. Foto: ONU/Elma Okic

Revisão Periódica Universal da ONU avalia situação de direitos humanos em 14 países

O grupo de trabalho da Revisão Periódica Universal (RPU) do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, mecanismo responsável por analisar e fazer recomendações sobre a situação dos direitos humanos dos Estados-membros da Organização, realizará sua 29ª sessão de 15 a 26 de janeiro em Genebra, na Suíça.

O próximo grupo de 14 países a serem analisados na próxima sessão são, em ordem de agendamento: França, Tonga, Romênia, Mali, Botswana, Bahamas, Burundi, Luxemburgo, Barbados, Montenegro, Emirados Árabes Unidos, Israel, Lichtenstein e Sérvia.

Linhas de transmissão de energia na Faixa de Gaza. Foto: Banco Mundial/Natalia Cieslik (arquivo)

Relatores da ONU elogiam retomada do fornecimento de energia elétrica em Gaza

Especialistas em direitos humanos das Nações Unidas elogiaram o anúncio de que os cortes de energia elétrica impostos a Gaza nos últimos seis meses foram interrompidos, mas alertaram que muito mais precisa ser feito para aliviar o sofrimento da população do enclave palestino.

“Esta retomada dos níveis de eletricidade anteriores a junho de 2017 vão diminuir o sofrimento dos 2 milhões de habitantes de Gaza”, disse o relator especial da ONU para a situação dos direitos humanos nos territórios palestinos ocupados desde 1967, Michael Lynk. “Nos últimos seis meses, a população de Gaza teve acesso à energia elétrica por aproximadamente quatro horas por dia e, frequentemente, por menos do que isso”.

Sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Foto: ONU/Rick Bajornas

ONU digitaliza publicação com documentos oficiais; disponível em seis línguas

Como parte de seus contínuos esforços para promover o multilinguismo e atender melhor os participantes de reuniões intergovernamentais, o Departamento para Assembleia Geral e Gestão de Conferências das Nações Unidas (DGACM, na sigla em inglês) digitalizou e simplificou sua principal publicação, o Jornal das Nações Unidas.

O jornal estará agora disponível em seis línguas oficiais da ONU, durante todo o ano, por meio do site https://journal.un.org. A página também é compatível com dispositivos móveis, incluindo tablets e smartphones.

Recifes de coral ficariam mais vulneráveis ao branqueamento por conta da contaminação das águas por protetor solar. Foto: ONU Meio Ambiente/NOOR/Kadir van Lohuizen

Protetor solar pode contribuir para destruição dos recifes de coral, alertam especialistas

Os cientistas têm más notícias para quem costuma frequentar praias: o filtro solar que protege a sua pele enquanto você nada, surfa ou mergulha pode estar matando os recifes de corais e a vida marinha. Muitos protetores solares contêm oxibenzona, uma substância química que ajuda a barrar os raios ultravioletas responsáveis pelo câncer de pele. Infelizmente, pesquisas também indicam que o composto torna os corais mais suscetíveis ao branqueamento.

Henrietta Fore iniciou seu mandato como diretora-executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no primeiro dia de 2018. De nacionalidade norte-americana, ela traz para essa função mais de quatro décadas de experiência em liderança no setor privado e público.

Nova diretora-executiva do UNICEF assume mandato; vídeo

Henrietta Fore iniciou seu mandato como diretora-executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no primeiro dia de 2018. De nacionalidade norte-americana, ela traz para essa função mais de quatro décadas de experiência em liderança no setor privado e público.

Henrietta foi a primeira mulher a liderar a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e a ocupar o cargo de diretora da Assistência Externa do Departamento de Estado dos EUA, funções que desempenhou no período de 2006 a 2009.

Antes, trabalhou como subsecretária de Estado para Gerenciamento e oficial-chefe de operações do Departamento de Estado norte-americano. De 2001 a 2005, a gestora dirigiu o braço do Tesouro estadunidense responsável pela fabricação e distribuição de moedas aos bancos e reservas federais.

Secretário-geral durante visita a campo de refugiados do Sudão do Sul no norte de Uganda em junho de 2017. Foto: ONU/Mark Garten

Gerir as migrações é um dos testes mais urgentes para a cooperação internacional, diz Guterres

“A migração é uma crescente realidade global”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em seu relatório divulgado nesta quinta-feira (11). “A hora para debater a necessidade de cooperação neste campo passou”, e “geri-la é um dos testes mais urgentes e profundos da cooperação internacional de nossos tempos”.

Se governos abrirem caminhos legais para a migração, baseando-se em análises realistas do mercado de trabalho, há probabilidade de haver menos travessias de fronteiras, menos migrantes trabalhando fora da lei e menos abusos contra indocumentados, de acordo com o relatório.

Poluição ambiental mata 12,6 milhões de pessoas por ano. Foto: PEXELS

Agências da ONU se unem para combater riscos ambientais de saúde

A ONU Meio Ambiente e a Organização Mundial da Saúde (OMS) firmaram nesta semana (10) uma nova parceria para enfrentar os problemas de saúde causados pela poluição ambiental. Cooperação visa ampliar a realização de pesquisas, além de aprimorar métodos de monitoramento da qualidade do ar e da água. Agências trabalharão ainda por melhorias na gestão de resíduos e produtos químicos. Acordo prevê que os dois organismos compartilhem a coordenação da campanha da ONU BreatheLife.

Crescimento sustentável da economia global requer melhora da qualidade da mão de obra. Foto: Agência Brasil

Economia global deverá crescer 3,1% em 2018, prevê Banco Mundial

O Banco Mundial anunciou na terça-feira (10), em Washington, que 2018 deve ser o primeiro ano, desde a crise financeira de 2008, em que a economia mundial operará em capacidade total ou quase total. O crescimento é estimado em 3,1%, segundo o relatório Perspectivas Econômicas Globais.

As economias da América Latina e Caribe, dentre as quais o Brasil, também avançarão em 2018. O relatório do Banco Mundial calcula 2% para a região e o mesmo percentual para o país. São progressos importantes frente às projeções para 2017, de 0,9% e 1%, respectivamente.

Refugiados somalis e eritreus lavam-se em centro de recepção em porto de Augusta, na Sicília, Itália. Eles foram resgatados no mar pela Guarda Costeira Espanhola após deixar a Líbia. Foto: ACNUR/Fabio Bucciarelli

ONU pede que Israel suspenda realocação forçada de refugiados africanos

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) pediu na terça-feira (9) que o governo de Israel interrompa a realocação forçada de refugiados e requerentes de asilo da Eritreia e do Sudão que vivem no país para a África Subsariana.

O pedido foi feito depois da identificação de 80 casos de pessoas realocadas por Israel que arriscaram suas vidas em perigosas travessias para a Europa. “Sentindo não ter outra escolha, eles viajaram muitas centenas de quilômetros atravessando zonas de conflito no Sudão do Sul, no Sudão e na Líbia depois de terem sido realocados por Israel”, disse o porta-voz do ACNUR, William Spindler, a jornalistas em Genebra.

Favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

CEPAL reafirma seu compromisso de trabalhar por um desenvolvimento igualitário

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) celebrou nesta quarta-feira (10) seu 70º aniversário com um seminário de alto nível em sua sede de Santiago do Chile no qual reafirmou seu compromisso em trabalhar por um desenvolvimento com igualdade, sustentabilidade ambiental, dignidade e bem-estar para todos os habitantes da região.

“Chegou a hora de crescer para igualar e igualar para crescer. Devemos romper com a cultura dos privilégios, que se manifesta na evasão e elisão fiscal, assim como nos fluxos ilícitos de capitais. A igualdade fortalece a democracia e ajuda a provisão de bens públicos”, disse a máxima autoridade da instituição, Alícia Bárcena.

Em visita à cidade portuária de Kismayo, na Somália, em dezembro, o alto-comissário das Nações Unidas para Refugiados, Filippo Grandi, prometeu continuar investindo em habitação, educação e meios de subsistência para os refugiados que retornam à região, aos deslocados internos e à população local. Em visita à terceira maior cidade do país do Chifre da África, o chefe da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) viu os enormes danos físicos decorrentes dos 28 anos de conflito, mas também sinais visíveis de restauração e atividade econômica nas ruas – incluindo novas pequenas empresas administradas por refugiados retornados.

Somália: apesar de instabilidade e seca, chefe do ACNUR vê esperança

Em visita à cidade portuária de Kismayo, na Somália, em dezembro, o alto-comissário das Nações Unidas para Refugiados, Filippo Grandi, prometeu continuar investindo em habitação, educação e meios de subsistência para os refugiados que retornam à região, aos deslocados internos e à população local.

Em visita à terceira maior cidade do país do Chifre da África, o chefe da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) viu os enormes danos físicos decorrentes dos 28 anos de conflito, mas também sinais visíveis de restauração e atividade econômica nas ruas – incluindo novas pequenas empresas administradas por refugiados retornados. Confira nesse vídeo.

Agricultores semeando alface crespa. Foto: Flickr/ Orgânicos do Pivas (Creative Commons)

Concurso irá escolher práticas agrícolas tradicionais de destaque no Brasil

Foram prorrogadas até 20 de fevereiro as inscrições para o prêmio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais (SAT). O objetivo é reconhecer 15 iniciativas brasileiras, bem como incentivar e fortalecer a articulação, mobilização e formação de redes comunitárias em torno desses sistemas.

O prêmio é uma parceria entre BNDES, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), com o apoio da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD).

Foto: OPAS/OMS

Brasil anuncia fracionamento de doses de vacina contra febre amarela em três estados

O Ministério da Saúde anunciou na terça-feira (9) que vai adotar, entre fevereiro e março deste ano, o fracionamento de doses da vacina contra a febre amarela em três estados: Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. Essa medida é recomendada pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) como uma das estratégias de imunização que podem ser usadas em casos de emergência.

O UNICEF alertou que as crianças refugiadas da etnia rohingya, que fugiram de Mianmar para Bangladesh, estão sofrendo de grave desnutrição, anemia e outras doenças. A agência da ONU e parceiros trataram quase 7 mil crianças gravemente desnutridas, administraram quase 900 mil doses da vacina contra o cólera e imunizaram cerca de 450 mil crianças contra o sarampo e a rubéola.

UNICEF apoia crianças rohingya sofrendo com desnutrição, anemia e outras doenças; vídeo

O UNICEF alertou que as crianças refugiadas da etnia rohingya, que fugiram de Mianmar para Bangladesh, estão sofrendo de grave desnutrição, anemia e outras doenças.

A agência da ONU e parceiros trataram quase 7 mil crianças gravemente desnutridas, administraram quase 900 mil doses da vacina contra o cólera e imunizaram cerca de 450 mil crianças contra o sarampo e a rubéola. Confira nesse vídeo.

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Violaine Martin

Chefe da ONU diz que conversa entre Coreias é essencial para reduzir tensões na região

Elogiando o progresso alcançado durante as conversas de alto nível entre autoridades de Coreia do Sul e Coreia do Norte nesta terça-feira (9) na cidade fronteiriça de Panmunjom, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que o acordo para reabrir canais militares de comunicação é essencial para reduzir as tensões na região.

Guterres também elogiou a decisão da Coreia do Norte de enviar uma delegação aos Jogos Olímpicos de Inverno, que serão realizados de 9 a 25 de fevereiro em Pyeongchang, na Coreia do Sul.

Redução do nível de oxigênio dos oceanos afeta a vida marinha. Foto: ONU

Redução do nível de oxigênio nos oceanos ameaça vida marinha, alerta estudo

Um novo artigo publicado na revista Science mostra que as concentrações de oxigênio no oceano estão caindo, não apenas como resultado das mudanças climáticas, mas também da poluição. Tal fenômeno representa uma séria ameaça para a vida marinha e para as populações cuja sobrevivência depende dos oceanos.

O estudo — realizado por uma equipe de cientistas da Global Ocean Oxygen Network, um novo grupo de trabalho criado pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO — destaca os maiores perigos para as comunidades oceânicas e costeiras e o que será necessário fazer para manter as águas da Terra saudáveis e produtivas.

O jogador da Juventus Blaise Matuidi. Foto: Flickr/Xavier NALTCHAYAN (CC)

UNESCO e Ministério dos Esportes da França condenam racismo contra jogador francês na Itália

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, e a ministra dos Esportes da França, Laura Flessel, condenaram na segunda-feira (8) os insultos racistas proferidos durante partidas de futebol na Europa no último fim de semana.

“O racismo não tem lugar nos campos nem fora deles. Condenamos sem reservas os insultos racistas direcionados (ao jogador francês) Blaise Matuidi, que joga na Juventus de Turim e na seleção francesa. Denunciamos todos os atos racistas que regularmente estragam os eventos esportivos no mundo todo. O esporte precisa permanecer como um vetor de excelência, entendimento mútuo e tolerância. Nada pode justificar o uso do esporte para impulsionar ódio, discriminação e rejeição”, declararam.

Entre os usuários da CID, estão profissionais de saúde, pesquisadores, gestores e codificadores de informações em saúde. Foto: Ministério da Saúde/Creative Commons

Leia perguntas e respostas sobre a revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID)

A Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID) fornece uma linguagem comum para registro e monitoramento de doenças. Isso permite que profissionais de todo o mundo comparem e compartilhem dados de forma consistente e padronizada — entre hospitais, regiões e países, bem como por períodos de tempo. Essa ferramenta facilita a coleta e armazenamento de dados para análise e tomada de decisões baseadas em evidências.

A CID foi traduzida para 43 idiomas e é utilizada por todos os Estados-membros da Organização Mundial da Saúde (OMS). A maioria dos países (117) usa o sistema para registrar dados sobre mortalidade, um indicador básico de saúde.

Xangai, China. Foto: ONU-Habitat/Julius Mwelu

China e ONU Meio Ambiente assinam acordo de cooperação pelo desenvolvimento sustentável

O ministro chinês do Meio Ambiente, Li Ganjie, assinou na sexta-feira (5) um acordo de cooperação estratégica com o diretor-executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, com o objetivo de apoiar a agência das Nações Unidas em seu suporte a países em desenvolvimento no enfrentamento de desafios ambientais.

O acordo também visa a apoiar esses países no desenvolvimento sustentável de suas economias e para aumentar o conhecimento sobre desafios ambientais. O pacto foca na Cooperação Sul-Sul entre países asiáticos e africanos.

Mães e crianças aguardam na fila para receber vacinação contra sarampo em campo de refugiados de Baidoa, na Somália. Foto ONU (arquivo)

Milhões de crianças na Somália são vacinadas contra sarampo em campanha da ONU

Mais de 1 milhão de crianças com idade entre 6 meses a 10 anos em Puntland e 4,2 milhões em toda a Somália participaram de uma campanha de vacinação de cinco dias contra o sarampo encerrada no domingo (7), informaram as Nações Unidas nesta segunda-feira (8).

A campanha foi conduzida por uma parceria entre Organização Mundial da Saúde (OMS), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Ministério da Saúde da Somália.

Família síria tenta se manter aquecida em um assentamento informal em Homs, na Síria. Foto: UNICEF/Sanadiki (arquivo)

Síria: guerra e inverno tornam situação de 13 milhões de pessoas desesperadora, alerta ONU

Com milhões de pessoas desesperadas em toda a Síria enfrentando seu sétimo inverno em meio à guerra, as Nações Unidas alertaram nessa semana que as operações militares intensificadas no norte do país estão forçando as famílias a fugir, no frio, para áreas sem recursos suficientes.

Chefe humanitário da ONU visitará a Síria a partir desta terça-feira (9) para ampliar acesso de organizações internacionais às milhões de pessoas em necessidade.