Aumento da violência em Gaza preocupa a ONU

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou os ataques dos militantes palestinos a Israel e apelou a Israel para exercer o máximo de contenção.

Escolas da UNRWA em Gaza, como esta, estão temporariamente fechadas por conta da violência. (Foto: ONU//Shareef Sarhan)A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos (UNRWA) está profundamente preocupada com o aumento da violência em Gaza, já que coloca a vida de civis em risco. “Apoiamos os apelos do Secretário-Geral da ONU para uma imediata desaceleração das tensões e sua exigência de que ambos os lados façam de tudo para evitar uma nova escalada de violência e respeitem suas obrigações sob a lei humanitária internacional para garantir a proteção de civis em todos os momentos”, acrescentou a UNRWA em um comunicado nesta quinta-feira (15).

Além de pedir uma imediata desaceleração da violência no início desta semana, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, também condenou os ataques dos militantes palestinos a Israel e apelou a Israel para exercer o máximo de contenção.

A nova onda de violência em Gaza e no sul de Israel resultou em várias pessoas mortas ou feridas em ambos os lados.

Na quarta-feira (14), Ban Ki-moon falou por telefone com o Primeiro-Ministro israelense Benjamin Netanyahu e com o Presidente egípcio Mohamed Morsy sobre a situação em Gaza e no sul de Israel.

Chefe de direitos humanos também se posiciona

A chefe de direitos humanos da ONU, Navi Pillay, está acompanhando a evolução da situação em Gaza e no sul de Israel com considerável alarme. Segundo seu porta-voz, Rupert Colville, ela está chocada que uma vez mais civis estão perdendo suas vidas, incluindo três cidadãos israelenses mortos em seu apartamento por um dos centenas de foguetes lançados na semana passada, bem como várias crianças palestinas – incluindo um bebê e uma mulher grávida – e outros civis estão sendo mortos em Gaza.

Pillay, que é a Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, junta-se ao Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, e muitos outros, exortando ambos os lados a tomar medidas sérias para evitar uma nova escalada e respeitar suas obrigações sob a lei humanitária internacional para garantir a proteção de civis.

Segundo Colville, a Alta Comissária repetidamente condenou o lançamento indiscriminado de foguetes a partir da Faixa de Gaza contra o sul de Israel, e está profundamente preocupada tanto pelo recente aumento significativo do número de ataques de foguetes, que atingem agora uma grande cidade como Tel Aviv. “Ela também está extremamente preocupada com o forte aumento nos ataques aéreos por forças israelenses na densamente povoada Faixa de Gaza nos últimos dois dias e insta ambas as partes a desistir de um confronto cada vez mais perigoso”, disse Colville.

“A Alta Comissária insta todas as partes envolvidas a cumprir rigorosamente a lei internacional de direitos humanos e o direito internacional humanitário”, completou.