Aumento da produção pesqueira deve melhorar condições de nutrição global na próxima década, diz FAO

Investimentos intensificados no setor da aquicultura devem incentivar a produção por meio de tecnologias de inovação para o uso da água, a criação de animais, as práticas de incubação e a ração.

Pescadores no Vietnã. Foto: FAO/Hoang Dinh Nam

Pescadores no Vietnã. Foto: FAO/Hoang Dinh Nam

O aumento da produção pesqueira deve aprimorar as condições de acesso de milhões de pessoas a uma melhor nutrição na próxima década, de acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Espera-se que os investimentos intensificados no setor da aquicultura incentivem a produção, especialmente na África e na Ásia, em mais de 4% no ano até 2022, por meio de tecnologias de inovação para o uso da água, a criação de animais, as práticas de incubação e a ração.

O relatório – denominado “Análise econômica da oferta e da demanda por alimentos até 2030 – Foco especial em peixes e produtos da pesca” – ressalta o elevado valor nutricional que o aumento do estoque de peixes vai oferecer às regiões do mundo que sofrem com a má nutrição, em especial para milhões de crianças com deficiência de vitaminas e minerais.

O Brasil está na décima segunda posição entre os maiores produtores pesqueiros do mundo entre 2010 e 2011, apesar de o país ter apresentado queda de 11% em sua produção no mesmo período.