Aliança das Civilizações da ONU: atos violentos com base em etnia e religião devem parar

Representante da Aliança pediu aos líderes religiosos e políticos envolvidos para resolver as causas profundas da violência étnica e religiosa e defender o Estado de Direito.

Alto Representante para a Aliança das Civilizações, Nassir Abdulaziz Al-Nasser

Preocupado com o crescente número de atos de violência em todo o mundo com base na etnia e religião, o Alto Representante para a Aliança das Civilizações, Nassir Abdulaziz Al-Nasser, pede  que as causas dessa violência sejam discutidas e que o diálogo e a tolerância sejam promovidos.

“Os atos de violência levam ao incitamento ao ódio, racismo e xenofobia, que muitas vezes levam à instabilidade nacional, regional e internacional”, disse.  “Esses atos são contrários aos valores da Aliança das Civilizações, que está se esforçando para promover valores como a diversidade cultural, inclusão, tolerância religiosa e diálogo,  conformidade com a Carta das Nações Unidas.”

Al-Nasser pediu aos líderes religiosos e políticos envolvidos para resolver as causas profundas da violência étnica e religiosa e defender o Estado de Direito, bem como participar nos esforços de diplomacia preventiva, com o objetivo de assegurar a paz e a segurança, e a proteção dos direitos humanos.

Lançada em 2005 por iniciativa da Espanha e da Turquia, e sob os auspícios das Nações Unidas, a Aliança visa promover a melhoria das relações interculturais em todo o mundo.