Atentado em Cabul preocupa Nações Unidas

Ban pede aos países-membros por mais segurança aos funcionários e aos edifícios da ONU no Afeganistão.

Ban pede aos países-membros por mais segurança aos funcionários e aos edifícios da ONU no Afeganistão.

O Secretário-Geral Ban Ki-moon apresentou pedido aos países-membros para que reforcem a segurança em resposta às ameaças que as Nações Unidas vêm sofrendo, como no último ataque desta quarta-feira, em Cabul, no Afeganistão, onde foram mortos cinco funcionários da ONU e outros ficaram feridos.

“Cada vez mais a ONU vem sendo alvo de ataques, e neste caso isso se dá precisamente pelo apoio às eleições afegãs”, disse Ban, que contabilizou 27 civis das Nações Unidas, sem contar os trabalhadores de paz, vítimas da violência desde o início do ano, sendo que mais da metade no Afeganistão e no Paquistão.

O Secretário-Geral demonstrou sua preocupação com o fato e alertou que “A ONU é uma operação civil. Nós estamos trabalhando para ajudar o povo afegão, mas nossa missão não conta com segurança e está vulnerável”. Em posição delicada, Ban aproveitou para reiterar a necessidade do apoio nacional e dos países-membros das Nações Unidas, “precisamos do apoio total do Governo afegão e da comunidade internacional”, disse.

Durante a reunião com o Conselho, Ban expressou seu apreço pelo heroísmo dos seguranças da Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA), que por mais de uma hora defenderam o edifício da ONU que estava sendo atacado, em confronto que tomou desde os corredores do prédio até o telhado. Segundo testemunhas, a resistência deu tempo a seus colegas para fugirem, “Não fosse o heroísmo deles, poderia haver mais vítimas”, disse Ban.

A porta-voz das Nações Unidas, Michele Montas, disse que “algumas recomendações de medidas imediatas já foram expedidas”, porém ao ser perguntada se havia possibilidade de adiamento das eleições, ela alegou não estar nos planos da organização, enfatizando que a ONU não se deixará dissuadir pelos ataques e reiterou a intenção de apoiar as eleições.