Atentado contra governo de transição não retarda processo de paz na Somália, diz Representante da ONU

Para Augustine Mahiga, país tem oportunidade de acabar com conflito de décadas e população colabora na identificação de explosivos e tentativas de ataques terroristas.

O ataque suicida da quarta-feira (14/03), promovido pelo grupo islâmico Al-Shabaab na entrada da Villa Somalia, sede do Governo Federal de Transição da Somália, fez o Representante Especial do Secretário-Geral da ONU para o país, Augustine Mahiga, afirmar que o processo de paz no país não será retardado devido ao incidente.

Ele lembrou que moradores de Mogadíscio, capital do país e sede do governo de transição, começaram a ter um papel ativo em identificar objetos explosivos e tentativas de ataques terroristas.

Na semana passada, Augustine Mahiga já havia dito ao Conselho de Segurança que a Somália tem uma grande oportunidade para acabar com o conflito que já dura mais de duas décadas.

Apesar de reconhecer os avanços, o Representante Especial pediu que a população de Mogadíscio mantenha o alerta máximo e que o Governo Federal de Transição ofereça ajuda às vítimas.