Ataques terroristas em Istambul e Cairo deixam quase 70 mortos e centenas de feridos

Catedral Ortodoxa Copta de São Marcos, no Cairo (Egito), e na cidade de Istambul, na Turquia, deixou 24 e 44 mortos, respectivamente; ONU pede que autores sejam rapidamente identificados e levados à justiça.

Área próxima onde ocorreu o atentado do final de semana, em Istambul, na Turquia. Foto: John Walker/Flickr

Área próxima onde ocorreu o atentado do final de semana, em Istambul, na Turquia. Foto: John Walker/Flickr

Condenando o ataque terrorista na Igreja de São Pedro, um anexo da Catedral Ortodoxa Copta de São Marcos, no Cairo (Egito), no último domingo (11), o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e o Conselho de Segurança destacaram que os responsáveis devem ser responsabilizados.

Em uma declaração emitida por seu escritório, Ban condenou o ato terrorista contra o local de culto e expressou a esperança de que seus autores serão rapidamente identificados e levados à justiça. Pelo menos 24 pessoas foram mortas e outras 49 feridas no ataque.

O Conselho de Segurança da ONU também se manifestou contra o ataque e reiterou que “quaisquer atos de terrorismo são criminosos e injustificáveis, independentemente de sua motivação, autoria ou localidade”. O Conselho também sublinhou a necessidade de levar à justiça os perpetradores, organizadores, financiadores e patrocinadores de tais atos.

Além disso, os membros do Conselho também condenaram o ataque terrorista em Giza, na sexta-feira (9), no qual seis policiais egípcios foram mortos e diversos civis feridos.

A ONU também condenou os ataques da noite de sábado (10) na cidade de Istambul, na Turquia. Ban Ki-moon e o chefe da Organização Mundial do Turismo (OMT) condenaram o ataque terrorista que deixou pelo menos 44 pessoas mortes e mais de 200 feridas.

Os ataques ocorreram próximo a um estádio de futebol na cidade turca.

O chefe da ONU expressou suas condolências e compaixão com as famílias das vítimas e com o governo e o povo da Turquia, e desejou uma rápida recuperação aos feridos.

A agência de turismo da ONU disse que estava “profundamente chocada” com o incidente terrorista.

“Este ataque nos lembra mais uma vez que estamos enfrentando uma ameaça global que exige que trabalhemos mais próximos para ter uma resposta firme e coordenada que envolva todos os governos e a comunidade internacional”, disse Taleb Rifai, secretário-geral da OMT.

“A Turquia é um destino turístico importante e estamos confiantes de que continuará a ser assim com o apoio de todos”, acrescentou, expressando a total solidariedade da agência com o povo e o governo turco. Em junho de 2016, uma série de ataques terroristas também em Istambul, no aeroporto internacional, terminou com um total de 45 mortos e 230 feridos.