Associação promove seminário online sobre formação de docentes no Brasil

A Associação de jornalistas de educação — Jeduca realiza na quinta-feira (6), às 15h, o webnário “Cenários da formação do professor no Brasil e seus desafios”, pelo canal da Jeduca no YouTube.

O webnário será baseado na pesquisa de mesmo tema, realizada pela Fundação Carlos Chagas (FCC) e pela representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), no âmbito da Cátedra UNESCO sobre Profissionalização Docente.

A qualidade da formação docente é apontada por especialistas como um fator-chave para a melhoria da qualidade da educação básica no Brasil. Foto: UNESCO

A qualidade da formação docente é apontada por especialistas como um fator-chave para a melhoria da qualidade da educação básica no Brasil. Foto: UNESCO

A Associação de jornalistas de educação — Jeduca realiza na quinta-feira (6), às 15h, o webnário “Cenários da formação do professor no Brasil e seus desafios”, pelo canal da Jeduca no YouTube.

O webnário será baseado na pesquisa de mesmo tema, realizada pela Fundação Carlos Chagas (FCC) e pela representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), no âmbito da Cátedra UNESCO sobre Profissionalização Docente.

Participam do webnário Bernadete Gatti, pesquisadora da FCC e coordenadora da pesquisa, e Carlos Vargas, chefe da Unidade de Desenvolvimento Docente e responsável pelas áreas de Pesquisa, Educação Superior e Interculturalidade do OREALC (Escritório Regional da UNESCO de Educação para a América Latina e o Caribe) em Santiago, Chile.

Vargas vai traçar um painel sobre os níveis de qualificação dos professores da América Latina e Caribe, a diversidade dos programas de formação na região e a importância da formação inicial dos docentes para o cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4 (ODS 4) – que prevê uma educação inclusiva, equitativa e de qualidade para todos e ao longo da vida.

Além de Bernadete Gatti, a pesquisa é assinada por Elba Siqueira de Sá Barreto, Marli Eliza Dalmazo Afonso de André e Patricia Cristina Albieri de Almeida.

A qualidade da formação docente é apontada por especialistas como um fator-chave para a melhoria da qualidade da educação básica no Brasil. Paralelamente, as metas 15 e 16 do PNE (Plano Nacional de Educação), que completa cinco anos neste mês, abordam o tema.

A primeira trata da formação específica e da implementação de uma política nacional de formação. A segunda enfoca a formação em nível de pós-graduação de 50% dos professores da educação básica até 2024.

A pesquisa da FCC/UNESCO analisa o cenário da formação docente no país entre 2001 e 2016. No que diz respeito às matrículas, aponta a intensificação da tendência de concentração das matrículas no setor privado. Nas Licenciaturas, as particulares respondem por 55% das matrículas em 2001 e por 62% em 2016. Nos cursos de Pedagogia, no mesmo período, a concentração de matrículas nessas instituições passou de 67,6% para 81,4%.

Assim como as matrículas, o setor privado é responsável pela maioria das vagas – 1,9 milhão ou 89,4% do total –, mas também enfrenta altas taxas de ociosidade: a pesquisa mostra que somente 25% das vagas são ocupadas. No setor público, a ociosidade é menor e há mais concorrência pelos cursos de formação docente, mas ainda assim apenas 39% das vagas ofertadas são ocupadas.

A pesquisa também aborda o financiamento do ensino superior, o perfil dos estudantes de licenciatura e dos formadores dos professores da educação básica.

A pesquisa “Cenários da formação do professor no Brasil e seus desafios” é o terceiro de uma série que compõe um amplo painel sobre a docência nas dimensões da formação, trabalho e profissionalização. Os dois volumes anteriores foram lançados em 2009 e em 2011.


Comente

comentários