Assistência remota: conheça a metodologia usada pelo Programa Mundial de Alimentos durante a COVID-19

Nas últimas semanas, o time brasileiro do Programa Mundial de Alimentos (WFP, em inglês) –Centro de Excelência contra a Fome – assim como outras equipes das Nações Unidas ao redor do mundo – tem se adaptado às restrições impostas pela pandemia da COVID-19 e todos os funcionários estão trabalhando de casa. No entanto, o Centro já tinha começado a adotar metodologias de assistência remota para apoiar países desde 2019. Com as novas restrições de viagem, a equipe está aperfeiçoando estas ferramentas, assim o que antes era feito presencialmente agora possa ser feito remotamente.

Conheça um pouco mais como é feita a assistência remota.

Assistência remota é usada pelo Programa Mundial de Alimentos durante a COVID-19

Assistência remota é usada pelo Programa Mundial de Alimentos durante a COVID-19

Nas últimas semanas, o time brasileiro do Programa Mundial de Alimentos (WFP, em inglês) –Centro de Excelência contra a Fome – assim como outras equipes das Nações Unidas ao redor do mundo – tem se adaptado às restrições impostas pela pandemia da COVID-19 e todos os funcionários estão trabalhando de casa. No entanto, o Centro já tinha começado a adotar metodologias de assistência remota para apoiar países desde 2019. Com as novas restrições de viagem, a equipe está aperfeiçoando estas ferramentas, assim o que antes era feito presencialmente agora possa ser feito remotamente.

Um dos trabalhos diretamente afetados pelas novas restrições é o apoio dado ao escritório regional da África Ocidental e Central (Escritório Regional do WFP Dacar) no desenvolvimento de planos e estratégias regionais para programas de alimentação nas escolas. “No geral, o escritório está atendendo bem a função principal de apoio técnico, supervisão e orientação política para os escritórios nos países da região. Um exemplo é o Centro de Excelência no Brasil: dois colegas que deveriam vir numa missão para ajudar o escritório regional a dar suporte estratégico, mas a missão foi cancelada na última hora por conta das restrições de viagem impostas pela COVID-19”, diz Abdi Farah, Conselheiro Regional para Alimentação Escolar do Escritório Eegional do WFP localizado em Dacar.

Sharon Freitas, Chefe de Programas do WFP Centro de Excelência Brasil - Foto: WFP

Sharon Freitas, Chefe de Programas do WFP Centro de Excelência Brasil – Foto: WFP

A chefe de programas do Centro de Excelência, Sharon Freitas, enfatiza a importância da rápida adaptação para que os projetos nestes países não sejam afetados. “É importante notar que nós já temos vasta experiência em apoiar países remotamente e continuaremos a dar este suporte, usando novas tecnologias”, afirmou.

O apoio dado ao escritório de Dakar é parte do desenvolvimento e implementação da Estratégia Global de Alimentação Escolar WFP 2020-2030 e é dividido em duas fases. A primeira inclui o desenvolvimento de uma nota conceitual para planejamento da implementação regional da Estratégia. Para este estágio, diversas atividades regionais foram inicialmente planejadas para acontecer no Senegal, incluindo oficinas para coleta de dados com a presença de parceiros. Como alternativa, a equipe do Centro de Excelência desenvolveu uma metodologia de pesquisa que pode ser feita remotamente, incluindo questionários e entrevistas em áudio e vídeo conferência.

Além disso, a equipe também usará a serviço de pesquisa para apoiar análise de situação, baseado num conjunto de documentos enviado pelo escritório regional. Entrevistas por telefone e chamadas em vídeo serão conduzidas com gerentes do escritório regional e representantes do WFP nos países. Isto servirá para coletar experiências locais que serão usadas como base para troca de conhecimento local entre os países participantes. A segunda etapa do trabalho é elaborar uma estratégia de implementação.

Conheça mais sobre o projeto de Trocas Virtuais do WFP aqui.

Especialistas do Centro de Excelência reuniram-se em 2019 para uma missão de avaliação a Banjul, no Gâmbia. Da esquerda para a direita: Igor Carneiro (Centro de Excelência Brasil), Abdi Farah (escritório regional em Dacar) e Bruno Magalhães (Centro de Excelência Brasil) em visita a escola-piloto do programa de alimentação escolar na região. - Foto: WFP

Especialistas do Centro de Excelência reuniram-se em 2019 para uma missão de avaliação a Banjul, no Gâmbia. Da esquerda para a direita: Igor Carneiro (Centro de Excelência Brasil), Abdi Farah (escritório regional em Dacar) e Bruno Magalhães (Centro de Excelência Brasil) em visita a escola-piloto do programa de alimentação escolar na região. – Foto: WFP