Às vésperas da Assembleia Geral, chefe da ONU busca compromisso renovado com regras e valores globais

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu nesta quinta-feira (20) um “compromisso renovado com uma ordem global baseada em regras” e com as Nações Unidas, destacando os principais temas a serem discutidos durante as reuniões de alto nível da Assembleia Geral, a partir de segunda-feira (24), em Nova Iorque.

Em coletiva de imprensa para jornalistas da sede da ONU, Guterres disse que, com 84 chefes de Estado e 44 chefes de governo participando dos debates gerais na semana que vem, a ONU mostra que ainda é “o fórum indispensável para a cooperação internacional”.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu nesta quinta-feira (20) um “compromisso renovado com uma ordem global baseada em regras” e com as Nações Unidas, destacando os principais temas a serem discutidos durante as reuniões de alto nível da Assembleia Geral, a partir de segunda-feira (24), em Nova Iorque.

Em coletiva de imprensa para jornalistas da sede da ONU, Guterres disse que, com 84 chefes de Estado e 44 chefes de governo participando dos debates gerais na semana que vem, a ONU mostra que ainda é “o fórum indispensável para a cooperação internacional”.

Um ano após o lançamento de uma estratégia de paridade de gênero em todo o Sistema ONU, Guterres disse aos jornalistas que, atualmente, existe paridade de homens e mulheres entre líderes de equipes de campo das Nações Unidas, e que nunca houve tantas mulheres em cargos de chefia em operações de paz.

“Nosso objetivo é mudar os antigos desequilíbrios de poder que detiveram as Nações Unidas e extrair as melhores contribuições de todos os funcionários para levar a Organização adiante. E essa mudança também ajudará a lidar com o assédio sexual”, disse.

Ele disse que o foco da ONU era “na prevenção, respondendo rapidamente às acusações, apoiando as vítimas durante o trauma e garantindo a punição dos perpetradores”.

Guterres declarou que os casos de assédio sexual serão acelerados e investigados por uma nova equipe especializada dentro do Escritório de Serviços de Supervisão Interna (cinco dos seis membros da equipe são mulheres) e que, desde fevereiro, uma linha direta tem recebido e respondido ligações telefônicas com relatos de assédio sexual e abusos de poder ocorridos dentro do Sistema ONU.

Até agora, mais de 16 mil funcionários realizaram um novo curso de treinamento obrigatório sobre assédio sexual e, em outubro, a ONU lançará uma pesquisa sobre o tema, a fim de obter a melhor compreensão possível do que ocorre dentro da Organização.

Na segunda-feira (24), o chefe da ONU lançará uma nova estratégia chamada “Youth2030”, bem como uma ação denominada “Generation Unlimited”, ambas destinadas a ajudar os jovens a garantir educação de qualidade e empregos decentes, e contribuir para evitar a radicalização.

Também na segunda-feira, Guterres lançará sua estratégia de financiamento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Segundo ele, é necessário um aumento no investimento para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, bem como uma mudança sistêmica na forma como o mundo faz negócios, e o combate aos fluxos ilícitos de capital, como lavagem de dinheiro e evasão fiscal.

Finalmente, o secretário-geral da ONU anunciou sua participação na reunião de terça-feira (25) entre líderes dos Estados-membros e organizações regionais para fortalecer as operações de paz, como parte da iniciativa Ação pela Manutenção da Paz (A4P).

A reunião acontece em um momento de crescentes ameaças contra as forças de paz, com as mortes de capacetes-azuis em seu nível mais alto em uma geração.

Guterres concluiu a coletiva lembrando que o multilateralismo está sob ataque de várias frentes, exatamente em um momento em que é mais necessário.