Aquisições da ONU na América Latina e Caribe superam 1,5 bilhão de dólares em 2011

A ONU contribuiu com mais de 1,5 bilhão de dólares para a aquisição de bens e serviços na América Latina e Caribe em 2011, quantia que representa 10,7% do orçamento mundial daquele ano: 14,3 bilhões de dólares, uma redução de 1,9% em relação a 2010.

Argentina, Brasil, Haiti, Panamá e Peru estão entre os vinte principais países com as economias em desenvolvimento que mais forneceram produtos e serviços para a Organização. No Brasil, as Nações Unidas gastaram 188,9 milhões de dólares com aquisições de bens e serviços, representando 1,3% dos gastos mundiais. O país é o 10° colocado na lista das principais economias em desenvolvimento que servem de fornecedores para a ONU.

Gastos reduzidos

Em 2011, as aquisições mundiais em bens foram maiores, muito pela grande quantidade de medicinas, vacinas e anticonceptivos compradas . Em 2010 foi gasto 1,7 bilhão e um ano depois, 2,05 bilhões com produtos medicinais, dentre os quais as maiores parcelas foram destinadas para o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS).

Os dados são provenientes do informe de gastos mundiais da ONU, feito pelo Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS). Segundo o relatório, as maiores quantias do orçamento foram destinadas a alimentos, saúde, transporte e construções (hospitais e escolas).

No geral, os maiores fornecedores foram os Estados Unidos, respondendo por 1,5 bilhão de dólares, seguido pela Suíça, com 735,9 milhões de dólares – os dois países têm sedes importantes das Nações Unidas – e da Índia, com 724,6 milhões de dólares.

Acesse o relatório clicando aqui.