Após visita ao país, Sudão quer parceria sólida com o Brasil na área de alimentação escolar

Delegação sudanesa esteve no Brasil para participar de uma visita de estudos organizada pelo Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (PMA) com o objetivo de trocar conhecimentos sobre a integração entre alimentação escolar e agricultura familiar.

Delegação do Sudão visita escola pública de comunidade pobre do Distrito Federal. Foto: WFP/Isadora Ferreira

Delegação do Sudão visita escola pública de comunidade pobre do Distrito Federal. Foto: WFP/Isadora Ferreira

De 2 a 6 de março, uma delegação do Sudão esteve no Brasil para participar de uma visita de estudos organizada pelo Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (PMA). O objetivo da visita de estudos foi trocar conhecimentos com o governo brasileiro sobre a integração entre alimentação escolar e agricultura familiar. O governo sudanês tem um projeto piloto nessa área e pretende criar uma política nacional de alimentação escolar.

A delegação do Sudão era composta por três ministros de Estado e outros seis oficiais do alto escalão do governo sudanês. Eles estavam acompanhados pelo diretor do escritório de país do PMA no Sudão, Khan Adnan, e por Maysaa Alghribawy, responsável pelas relações entre o PMA e o governo sudanês. A visita de estudos também foi acompanhada pelo embaixador do Sudão no Brasil, Abd Elghani Elnaim Awad Elkarim.

Para conhecer o complexo sistema brasileiro de proteção social e combate à fome e à pobreza, a delegação participou de reuniões com o Itamaraty, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o Ministério da Educação, o Ministério da Saúde, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea). Eles tiveram a oportunidade de conversar com o ministro do Desenvolvimento Agrária, Patrus Ananias, e com o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Arnoldo de Campos.

Na reunião com o ministro Patrus Ananias, Adam Abdalla Al-Nour Mohammed, ministro da Educação do Sudão, afirmou: “O Brasil é um dos casos mais bem-sucedidos do mundo de desenvolvimento econômico e superação da pobreza e da fome. É uma ótima chance para nós ver de perto como o Brasil conseguiu isso”.

O ministro destacou ainda as semelhanças entre o Sudão e o Brasil: “Nós temos uma situação similar à do Brasil. Somos um grande país, com muita terra e recursos naturais, mas temos deficit de alimentos apesar desses inúmeros recursos. Queremos estabelecer uma relação de cooperação estratégica com o Brasil para ver como o Brasil chegou a resultados tão bons em um curto período de tempo”.

Visita de campo

Depois de conhecer o quadro político e institucional que serve de base para a implementação dos programas brasileiros que integram a estratégia Fome Zero, com destaque para o Programa Nacional de Alimentação Escolar, a delegação sudanesa participou de duas visitas de campo.

Na primeira, visitou a Ceasa, que centraliza a comercialização e distribuição de produtos agropecuários no Distrito Federal. Na Ceasa, os delegados puderam conhecer o mercado de flores, de produtos orgânicos e de peixes, além do Banco de Alimentos, órgão governamental que recebe produtos alimentícios que não estão na condição ideal para comercialização e os distribui a entidades de assistência social.

Em seguida, visitaram uma escola pública numa comunidade pobre do Distrito Federal, Cidade Estrutural, onde conversaram com professores, merendeiros, a direção da escola e a nutricionista responsável pela alimentação escolar.

Como parte do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), a escola compra alimentos da agricultura familiar, principalmente frutas, verduras, legumes e iogurte. Depois, a delegação foi almoçar no Restaurante Comunitário da Estrutural, que também usa alimentos produzidos pela agricultura familiar e é parte da estratégia do governo brasileiro de ampliação do acesso a alimentos nutritivos por um preço justo.

A delegação sudanesa almoçou no Restaurante Comunitário da Estrutural. Foto: WFP/Isadora Ferreira

A delegação sudanesa almoçou no Restaurante Comunitário da Estrutural. Foto: WFP/Isadora Ferreira

No segundo dia de visita de campo, os sudaneses foram acompanhados pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF), parceira do Centro de Excelência, para visitar cooperativas agrícolas e agricultores familiares. Eles foram à Associação dos Produtores Rurais de Alexandre de Gusmão, em Brazlândia, no Distrito Federal, que reúne 400 agricultores familiares e fornece alimentos para o PNAE e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Com essa visita, eles puderam entender os passos necessários para a organizações dos produtores rurais para fornecimento de alimentos para programas de governo, como o PNAE e o PAA. Também puderam verificar a importância da assistência técnica para aprimorar a produção agropecuária.

Ao final da visita de estudos, a delegação do Sudão preparou um plano de ação, que será validado junto ao governo sudanês e contará com o apoio do Centro de Excelência para implementação.

Para ver mais fotos da visita de estudos do Sudão, clique aqui.