Após prisão de blogueiro, ONU pede que Egito preserve liberdade de expressão

O escritório de direitos humanos das Nações Unidas manifestou hoje (11/11) preocupação com os recentes eventos no Egito. Segundo o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH),  o país precisa respeitar plenamente as liberdades fundamentais, incluindo o caso do julgamento militar e da prisão de um blogueiro e ativista.

O porta-voz Rupert Colville disse a repórteres, em Geneva, que o ACNUDH está preocupado com “a diminuição da liberdade de expressão e associação”. O Escritório pediu a libertação de Abdel-Fatah e todos aqueles presos pelo exercício do direito a liberdade de expressão. “É decepcionante notar que nenhum desses casos foram atendidos. As autoridades devem responder sem mais demora”, disse Colville.

Para o ACNUDH, o julgamento militar e prisão do blogueiro e ativista Alaa Abdel-Fatah, depois de sua crítica às forças de segurança em meio aos protestos no mês passado, foi um exemplo de violação do direitos à liberdade de expressão.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, e outros funcionários da ONU pediram a todos os egípcios que preservem o espírito das mudanças históricas que ocorreram no início deste ano, ressaltando que as autoridades de transição devem garantir os direitos humanos e as liberdades civis de seus cidadãos.