Após golpe de estado em Burkina Faso, chefe da ONU parabeniza volta do presidente ao poder

Após tentativa frustrada de golpe de Estado, secretário-geral da ONU pede retomada imediata da transição política no país.

Cena da capital de Burkina Faso, Uagadugu, em março de 2005. Foto: Helge Fahrnberger (Creative Commons)

Cena da capital de Burkina Faso, Uagadugu, em março de 2005. Foto: Wikicommons/Helge Fahrnberger (Creative Commons)

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, parabenizou o restabelecimento do presidente Michel Kafando no poder após o fracasso do golpe de estado em Burkina Faso e os esforços de mediação de atores regionais para pôr fim à crise política.

O país passou por um golpe de estado realizado pelos soldados do Regimento de Segurança Presidencial (RSP), um corpo de elite do exército do ex-presidente deposto, Compaoré. Eles invadiram o palácio presidencial e tomaram como reféns o presidente interino, Michel Kafando, o primeiro-ministro, Isaac Zida, e outros membros do governo, prometendo realizar eleições. Segundo informações da imprensa, o golpe levou a uma onda de violência que deixou ao menos 10 mortos e 100 feridos.

Depois de acordo, o presidente de transição, Michel Kafando, foi solto no dia 17 de setembro e voltou ao poder nesta quarta-feira (23) em cerimônia pública.

Ban Ki-moon reiterou a necessidade de uma “retomada imediata do processo de transição para possibilitar o retorno da ordem constitucional na espera das eleições presidenciais e legislativas”. O secretário-geral acompanha a mediação dos conflitos. O Representante Especial da ONU para a África Ocidental, Mohamed Ibn Chambas, está trabalhando com a Comunidade Econômica de Estados da África Ocidental, a União Africana e outras organizações parceiras para apoiar a transição política segura do país.