Após cessar-fogo, agência da ONU que apoia refugiados palestinos avalia danos em Gaza e reabre escolas

A UNRWA já começou a avaliar os danos nos abrigos de refugiados e agora vai começar a fornecer dinheiro para o aluguel, se essas casas estiverem destruídas.

Um grupo de homens caminha através de um edifício danificado em Gaza. Cerca de 1.500 edifícios foram danificados, e 213 casas completamente destruídas, segundo o OCHA. (Crédito da foto: cortesia da AFP)

Poucas horas após o cessar-fogo entre o Hamas e Israel ter sido anunciado, a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos (UNRWA) voltou a trabalhar na Faixa de Gaza. As escolas da UNRWA, onde cerca de 10 mil pessoas deslocadas pela violência se refugiaram, estão agora praticamente vazias, já que as famílias retornaram para suas casas para fazer um balanço dos danos.

A Agência anunciou que todas as 245 escolas que mantem irão abrir no sábado (24) e que as aulas para cerca de 225 mil estudantes serão retomadas. A UNRWA, que atualmente tem um conselheiro na maioria de suas escolas, vai ainda reforçar o apoio psicossocial, na esteira dos conflitos, oferecendo serviços para crianças traumatizadas.

“Eu gostaria de prestar homenagem à equipe da UNRWA de 12 mil pessoas em Gaza por sua coragem e compromisso e prestação de assistência — em alguns casos, literalmente debaixo de fogo — durante os últimos oito dias”, disse o Diretor de Operações da UNRWA em Gaza, Robert Turner. “E, claro, quero oferecer novamente minhas condolências às famílias dos funcionários e refugiados que perderam seus entes queridos”.

A UNRWA já começou a avaliar os danos nos abrigos de refugiados e agora vai começar a fornecer dinheiro para o aluguel, se essas casas estiverem destruídas, ou apoiará o reparo dos edifícios danificados. Durante os últimos combates, a UNRWA foi capaz de manter os cuidados de saúde em 19 centros, distribuição de alimentos para 800 mil refugiados e prestação de serviços de saneamento essenciais.

“À medida que continuamos com a nossa emergência imediata e trabalho de recuperação, não devemos esquecer que quase todos os indicadores humanitários e econômicos mostram um panorama muito sombrio”, disse o Comissário-Geral da UNRWA, Filippo Grandi, comentando sobre as perspectivas de longo prazo para Gaza.

Ainda ontem (21), Grandi se juntou ao Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em sua delegação nas negociações em Ramallah, que fez parte da diplomacia que levou ao cessar-fogo. Ele e Turner informaram o Secretário-Geral, colocando no centro do palco o sofrimento do povo de Gaza e da necessidade urgente de soluções de longo prazo.

“Assim como aconteceu durante a última guerra em Gaza, a UNRWA tem mostrado seu compromisso, coragem e ingenuidade de pé, ombro a ombro com os refugiados da Palestina. Este último conflito sublinha mais uma vez a necessidade de uma solução justa e duradoura para a sua situação”, concluiu Grandi.