Após 50 anos de ocupação israelense, este é o momento de criar Estado palestino, diz chefe da ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

“Agora é hora de acabar com o conflito, estabelecendo um Estado palestino independente, vivendo lado a lado em paz e segurança com o Estado de Israel”, disse António Guterres em sua declaração sobre a ocupação que já dura 50 anos.

Barreiras, bloqueios, pontos de verificação e outros sistemas na Cisjordânia criaram um regime de bloqueio que teve um efeito terrível em todos os aspectos da vida dos refugiados da Palestina. Foto: UNRWA / Isabel de la Cruz

Barreiras, bloqueios, pontos de verificação e outros sistemas na Cisjordânia criaram um regime de bloqueio que teve um efeito terrível em todos os aspectos da vida dos refugiados da Palestina. Foto: UNRWA / Isabel de la Cruz

Marcando 50 anos desde o início da guerra árabe-israelense de 1967, que resultou na ocupação israelense do território da Palestina, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, reiterou nessa semana (5) seu apelo pela criação de um Estado palestino independente.

“Agora é hora de acabar com o conflito, estabelecendo um Estado palestino independente, vivendo lado a lado em paz e segurança com o Estado de Israel”, disse Guterres em sua declaração sobre a ocupação de 50 anos.

A ocupação da Cisjordânia, de Jerusalém Oriental, de Gaza e do Golã sírio, que deslocou centenas de milhares de palestinos e sírios, impôs um pesado fardo humanitário e de desenvolvimento ao povo palestino, disse Guterres.

Guterres citou as seguidas gerações de palestinos que foram obrigados a crescer e a viver em campos de refugiados cada vez mais lotados, muitos na “pobreza abjeta” e com pouca ou nenhuma perspectiva de uma vida melhor para seus filhos.

Acabar com a ocupação que começou em 1967 e alcançar um resultado negociado de dois Estados é a única maneira de lançar as bases para uma paz duradoura que satisfaça as necessidades de segurança israelenses e as aspirações palestinas de Estado e soberania, ressaltou.

“Agora não é hora de desistir desse objetivo, e sim o momento de retornar às negociações diretas para resolver todas as questões de status final com base nas resoluções, acordos e leis internacionais relevantes da ONU”, disse Guterres.

Ele alertou que a continuação da construção e expansão de assentamentos, a violência e o incitamento, bem como a acumulação de armas ilícitas e atividades militantes em Gaza arriscam criar uma realidade de um estado que é incompatível com a realização das legítimas aspirações nacionais e históricas de ambos os povos.

Ele lembrou que, em 1947, o mundo reconheceu a solução de dois Estados e pediu o surgimento de “Estados árabe e judeu independentes” com base na resolução 181 da Assembleia Geral da ONU.

Em 14 de maio de 1948, o Estado de Israel nasceu, mas quase sete décadas depois “o mundo ainda aguarda o nascimento de um estado palestino independente”, disse ele, oferecendo mais uma vez trabalhar com todas as partes interessadas para apoiar um processo de paz genuíno.


Comente

comentários