António Guterres pede solidariedade no Dia Internacional dos Migrantes

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em mensagem para o Dia Internacional dos Migrantes (18), o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu mais solidariedade com os 258 milhões de migrantes de todo o mundo.

Guterres lamentou que, apesar das evidências mostrarem que os migrantes geram benefícios econômicos, sociais e culturais para todas as sociedades, as hostilidades crescem em todo o mundo. “A solidariedade com migrantes nunca foi mais urgente. A migração sempre esteve conosco. Desde tempos remotos, as pessoas se movem em busca de novas oportunidades e vidas melhores.”

Em 2014, Maria cruzou a fronteira do México com os Estados Unidos no trem de carga conhecido como “La Bestia” (A Besta), torcendo para não ser pega. Foto: Keith Dannemiller/OIM 2014

Em 2014, Maria cruzou a fronteira do México com os Estados Unidos no trem de carga conhecido como “La Bestia” (A Besta), torcendo para não ser pega. Foto: Keith Dannemiller/OIM (2014)

Em mensagem para o Dia Internacional dos Migrantes, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu mais solidariedade com os 258 milhões de migrantes de todo o mundo. A data é lembrada em 18 de dezembro.

Guterres lamentou que, apesar das evidências mostrarem que os migrantes geram benefícios econômicos, sociais e culturais para todas as sociedades, as hostilidades crescem em todo o mundo. “A solidariedade com migrantes nunca foi mais urgente. A migração sempre esteve conosco. Desde tempos remotos, as pessoas se movem em busca de novas oportunidades e vidas melhores”, lembrou o secretário-geral.

Mudanças climáticas, demográficas, instabilidade, desigualdades crescentes e aspirações para uma vida melhor, além de desafios nos mercados de trabalho, vieram para ficar, avalia Guterres.

Para ele, é necessária efetiva cooperação internacional no gerenciamento da migração para garantir os direitos humanos de todos, como é reconhecido pela Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e como está previsto no Pacto Global para Migração Segura, Ordenada e Regular, a ser adotado no próximo ano.

Migração é negada a milhares de pessoas mais pobres

O diretor-geral da agência da ONU para o tema, a Organização Internacional para as Migrações (OIM), William Lacy Swing, lembrou que o próprio Guterres, também migrante, afirmou que não precisou arriscar a vida num bote ou pagar traficantes.

“Enquanto uma elite privilegiada considera que mobilidade global é virtualmente um direito nato, ela é negada a milhares de pessoas aprisionadas a irremediáveis más condições econômicas ou circunstâncias de conflito”, afirmou.

O dirigente da OIM recordou que centenas de milhares de pessoas que não fazem parte do mercado de trabalho global, olhando para um mundo que podem apenas desejar. “Elas enfrentam enormes disparidades e adversidades, sem chance de conseguir um visto ou permissão de trabalho.”

Ao mencionar o episódio dos migrantes africanos vendidos como escravos, ele disse que esta realidade chocante precisa mudar.

“Tenho esperança no Pacto Global para a Migração, que deve ser adotado no fim de 2018. Ele será negociado pelos Estados-membros sob os auspícios das Nações Unidas e pretende tratar da migração internacional de uma maneira compreensiva”, disse William Lacy Swing.

“Precisamos oferecer esperança a quem enfrenta o desespero econômico, prover caminho legal para mais migrantes ou opções de migração circular para aqueles que querem trabalhar e retornar para casa. Se não encontrarmos soluções, os contrabandistas farão isto por nós, com um grande custo de vidas humanas e para a estrutura das nossas sociedades”, declarou o diretor da OIM.

Canais seguros de migração diminuirão crimes

O diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC), Yury Fedotov, afirmou em mensagem para a data que migrantes e refugiados enfrentam exploração e abuso ao fugir de áreas de conflito e de crises econômicas, com muitos tão desesperados que arriscam suas vidas cruzando oceanos perigosos e desertos em chamas.

“Nestas malfadadas rotas, criminosos esperam. Tortura, violência, extorsão e sequestro são apenas alguns dos crimes enfrentados pelos vulneráveis de movimentos de massa que estão em busca de refúgio”, alertou.

Fedotov afirmou que é necessário proteger e garantir os direitos de todos os migrantes e refugiados e garantir canais seguros para a migração. “A Declaração de Nova Iorque tem uma poderosa plataforma para assistência aos migrantes e será fortalecida pelo Pacto Global”, afirmou.

O dirigente reforçou que o UNODC encoraja que todos os países adotem e implementem completamente a Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional, assim como os protocolos de contrabando de migrantes e tráfico de pessoas.

“No Dia Internacional dos Migrantes, peço que cada nação se junte ao Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime na busca pela justiça ao adotar ações necessárias para acabar com a violência e o abuso contra migrantes e refugiados”.


Mais notícias de:

Comente

comentários