Alto funcionário da ONU faz dura crítica a Israel após anuncio de mais construções ilegais em Jerusalém Oriental

Coordenador Especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio, Robert Serry, chama de “ação provocativa” os novos planos de ocupação anunciados pelo governo israelense nesta quinta-feira (11/08).

Coordenador Especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio, Robert SerryO Coordenador Especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio, Robert Serry, classificou como “ação provocativa” o plano anunciado hoje (11/08) por Israel para a construção de 1600 unidades residenciais em Jerusalém, cidade reivindicada pela Palestina para ser a capital de seu futuro Estado. “Se confirmada, esta ação provocativa enfraquece os esforços da comunidade internacional para que as partes retornem às negociações”.

Serry disse também que o anúncio ocorre uma semana após Israel ter decidido, unilateralmente, construir 900 unidades habitacionais adicionais em outro assentamento na Jerusalém Oriental, ação já condenada e considerada contrária ao direito internacional.

Em setembro do ano passado, Israel se recusou a estender por dez meses o congelamento das atividades de assentamento no território palestino e fez com que a Palestina abandonasse as negociações diretas. Desde então, o processo de paz entrou em um impasse apesar dos repetidos apelos da comunidade internacional.

O Quarteto para o Oriente Médio, grupo diplomático composto pelas Nações Unidas, União Européia, Rússia e Estados Unidos com o objetivo de conseguir a paz entre Israel e Palestina – visando a existência de dois países vivendo lado a lado – já havia condenando os planos de Israel quando do primeiro anúncio, em 2010.

Jerusalém Oriental foi capturada por Israel durante a Guerra dos Seis Dias, em 1967, quando também ocupou a Cisjordânia e Gaza, territórios reivindicados pelos palestinos como partes integrantes de seu futuro Estado.