Alto Comissário faz apelo por ajuda a refugiados iraquianos

GENEBRA, 26 de janeiro (ACNUR) – O Alto Comissário da ONU para Refugiados, António Guterres, anunciou esta semana um apelo interagencial de US$ 280 milhões para ajudar a refugiados iraquianos.

GENEBRA, 26 de janeiro (ACNUR) – O Alto Comissário da ONU para Refugiados, António Guterres, anunciou esta semana um apelo interagencial de US$ 280 milhões para ajudar a refugiados iraquianos. O Plano Regional de Resposta para Refugiados Iraquianos reúne os planos de 40 organizações internacionais e ONGs que estão auxiliando refugiados iraquianos em 12 países incluindo Síria, Jordânia, Líbano, Egito, Turquia, Irã e os seis estados do Golfo.

“Eu peço aos governos doadores que reconheçam as necessidades críticas dos refugiados iraquianos”, disse Guterres. “Particularmente aqueles que estão se tornando mais vulneráveis a cada dia”, acrescentou.

Este novo apelo evidencia as necessidades de mais de 190 mil refugiados iraquianos registrados com o ACNUR na região; a maioria vive na Síria e Jordânia. Isso ainda inclui um número de programas que ajudem os sistemas de educação e saúde destes países de acolhida.

Anunciando o apelo dois dias após retornar do Iraque, ele ressalta que “o novo governo representa uma ótima oportunidade não só para o Iraque mas também para o ACNUR. Eu espero que hoje estejamos marcando o começo do fim do capítulo sobre deslocamento em Iraque”.

A maioria dos refugiados iraquianos na Síria e Jordânia fugiu há mais de três anos. Muitos enfrentaram dificuldades para encontrar emprego, fazendo com que se tornassem dependentes de pequenas poupanças e da ajuda oferecida por organizações internacionais e ONGs locais. Uma das piores consequências desta pobreza é a quantidade de crianças iraquianas que deixaram a escola para encontrar trabalho casual para ajudar no sustento de suas famílias. Ressaltando a importância da ajuda aos
refugiados Guterres disse, “quando uma criança iraquiana vai para escola ao invés de para o trabalho, você esta investindo no futuro do Iraque”.

O banco de dados do ACNUR com registros de refugiados iraquianos mostra que 34% são considerados vulneráveis, incluindo milhares de pessoas com condições críticas de saúde e um significante número de mulheres chefes de família.

Enquanto mais de 89 mil refugiados iraquianos retornaram para o Iraque nos últimos três anos, a taxa de retornos tem diminuído recentemente e novos solicitantes de refúgio continuam sendo registrados com o ACNUR em países vizinhos.

Destacando a contínua amizade e solidariedade oferecida pelos governos que recebem refugiados iraquianos, Guterres alertou que “o peso sobre comunidades e governos de acolhida na região é enorme. É essencial que a comunidade internacional ajude nos esforços humanitários para auxiliar os refugiados mais vulneráveis”.

Guterres ainda agradeceu aos países que têm oferecido reassentamento para mais de 60 mil refugiados iraquianos que já partiram rumo às suas novas casas desde 2007. O ACNUR estima que outros 60 mil ainda precisem ser reassentados.

Mais informações

ACNUR Brasil
Assessoria de Comunicação
Fone: (61) 3044.5744
Fax: (61) 3044.5705
e-mail: informacao@unhcr.org

Visite: http://www.acnur.org/t3/portugues/

Acnur Brasil no Twitter: http://www.twitter.com/acnurbrasil

Página ACNUR Américas no Facebook:
http://www.facebook.com/pages/AcnurUnhcr-Americas/149421481734737