Aliança empresarial publica guia sobre sustentabilidade no setor de alimentos e agronegócio

A Rede Brasil do Pacto Global — aliança corporativa alinhada aos valores da ONU — lançou na quarta-feira (31) um guia para que empresas de alimentação e o agronegócio adequem suas atividades produtivas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O chamado Manual do Replicador vai ajudar companhias do setor a buscar modelos mais responsáveis de cultivo e fabricação de alimentos.

Colheita de milho em Sertão Santana (RS). Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini/CC

Colheita de milho em Sertão Santana (RS). Foto: Palácio Piratini (CC)/Pedro Revillion

A Rede Brasil do Pacto Global — aliança corporativa alinhada aos valores da ONU — lançou na quarta-feira (31) um guia para que empresas de alimentação e o agronegócio adequem suas atividades produtivas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O chamado Manual do Replicador vai ajudar companhias do setor a buscar modelos mais responsáveis de cultivo e fabricação de alimentos.

A publicação adapta às necessidades da agropecuária e da indústria alimentícia uma publicação já lançada pela Rede Brasil — o documento SDG Compass, voltado para o mundo corporativo como um todo. Esse primeiro guia recomendava que empresas identificassem os ODS associados à sua cadeia de valor e estabelecessem metas e indicadores de sustentabilidade.

Para elaborar o Manual do Replicador, foram incluídos temas e diretrizes específicos do setor de alimentação e agronegócio, como os Princípios Empresariais para Alimentos e Agricultura (PEAAS), lançados em 2016 pela Rede Brasil.

Um relatório divulgado recentemente pelo Instituto Mundial de Recursos aponta que a agricultura precisará se reinventar para alimentar um número cada vez maior de pessoas e, ao mesmo tempo, diminuir seu impacto ambiental.

Até 2050, de acordo com a pesquisa, a produção de alimentos terá que crescer mais de 50% para atender às necessidades de uma população mundial de quase 10 bilhões de indivíduos. No mesmo período, para contribuir com a meta de limitar o aquecimento global a 2º C até o final do século, a agropecuária deverá reduzir o volume de emissões de gases do efeito estufa — das 15 gigatoneladas previstas atualmente para 2050 para 4 gigatoneladas.

Cerca de 800 empresas compõem a base de signatárias do Pacto Global no Brasil. Entre elas, há gigantes da indústria alimentícia e do agronegócio. A Rede Brasil, como principal porta-voz dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável junto ao mundo corporativo, quer aumentar o engajamento do setor com a agenda das Nações Unidas.

O lançamento da nova publicação sobre os ODS e a produção de alimentos aconteceu em São Paulo (SP) e teve a participação de empresas como BASF, Amaggi, Nestlé e Novozymes, além de representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Para acessar o Manual do Replicador, também chamado SDG Compass para Alimentos e Agricultura, clique aqui.


Comente

comentários