Ajuda chega a cidades sitiadas na Síria e beneficia cerca de 87 mil pessoas

Comboios humanitários chegaram às cidades de Afrin e Al-Waer levando alimentos, suprimentos médicos e materiais para educação. Um segundo comboio já está planejado e depende de aprovação das autoridades.

Farinha de trigo descarregada em Hammourieh, um dos quatro locais em Kafr Batna/East Ghouta, Síria, alcançado por um comboio da ONU e do Crescente Vermelho Árabe Sírio. A entrega de alimentos, serviços de nutrição, saúde, proteção e educação, entre outros, chegou a 50 mil pessoas em necessidade. Foto: OCHA/Ghalia Seifo

Farinha de trigo descarregada em Hammourieh, um dos quatro locais em Kafr Batna/East Ghouta, Síria, alcançado por um comboio da ONU e do Crescente Vermelho Árabe Sírio. A entrega de alimentos, serviços de nutrição, saúde, proteção e educação, entre outros, chegou a 50 mil pessoas em necessidade. Foto: OCHA/Ghalia Seifo

Nos últimos dias, comboios humanitários entregaram ajuda a milhares de beneficiários em diversas áreas sitiadas na Síria, incluindo cerca de 50 mil beneficiários em Afrin, no norte do país, e um número estimado de 37,5 mil moradores de Al-Waer, perto de Homs, de acordo com a agência humanitária das Nações Unidas.

O Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) informou que um segundo comboio para Al-Waer, planejado para os próximos dias e que ainda necessita de aprovação do governo, poderá alcançar mais 75 mil pessoas.

Os comboios levam suprimentos de saúde, incluindo insulina, kits de saúde de emergência, kits para queimaduras, medicamentos para doenças não transmissíveis e materiais para diálise, assim como alimentação, materiais para educação e outros suprimentos de emergência.

No dia 9 de junho, o comboio para Darayya entregou comida para cerca de 2,4 mil pessoas. A remessa alimentará seus beneficiários por um mês.

Em Genebra, o porta-voz da OCHA, Jens Laerke, disse que um terceiro comboio planejado para Kafr Batna teve complicações logísticas de última hora, e que iria prosseguir nos próximos dias. Ele acrescentou que a ONU está buscando permissão para voltar a Darayya e para ir a todos os locais sitiados na Síria.

Tarik Jasarevic, um porta-voz da Organização Mundial da Saúde (OMS), informou que não houve remoções relatadas de suprimentos médicos em 16 de junho, após os relatos de problemas na semana anterior.