O relatório observa que os pangolins, que foram identificados como uma fonte potencial de coronavírus, são os mamíferos selvagens mais traficados no mundo, com as apreensões de escamas de pangolins aumentando dez vezes entre 2014 e 2018. Foto: Flickr/David Brossard

UNODC: pandemia mostra que crime envolvendo animais silvestres é ameaça à saúde humana

O Relatório Mundial sobre Crimes da Vida Selvagem 2020, lançado nesta sexta-feira (10) pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), enfatiza a ameaça que o tráfico de animais silvestres representa para a natureza e a biodiversidade do planeta.

O documento destaca o tráfico de algumas espécies selvagens – pangolins, pássaros, tartarugas, tigres, ursos e muito mais. Quando os animais selvagens são retirados de seu habitat natural, abatidos e vendidos ilegalmente, aumenta o potencial de transmissão de doenças zoonóticas – causadas por patógenos que se espalham de animais para humanos.

Vista de Recife. Foto: MTUR/Bruno Lima

Agências da ONU prestam apoio técnico a programa de prevenção ao crime em Pernambuco

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) firmou parceria com a Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas de Pernambuco e com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para prestar apoio técnico na implementação e no monitoramento de parte do programa de prevenção ao crime e à violência no estado.

A iniciativa conta ainda com a parceria do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat).

Relatório mundial aponta aumento do consumo de drogas e impactos da COVID-19 neste mercado

Relatório do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) divulgado nesta quinta-feira (25) analisou o impacto da COVID-19 nos mercados de drogas e, embora seus efeitos ainda não sejam totalmente conhecidos, o fechamento de fronteiras e outras restrições relacionadas à pandemia já causaram escassez de drogas nas ruas, levando ao aumento de preços e à redução da pureza.

O documento mostrou ainda que cerca de 269 milhões de pessoas usaram drogas no mundo em 2018 – aumento de 30% em comparação com 2009. Mais de 35 milhões de pessoas sofrem de transtornos associados ao uso de drogas.

Evento online marca 25 anos do grupo especial de fiscalização móvel, órgão que combate o trabalho escravo

A iniciativa TRACK4TIP, implementada pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), apoiou o evento online de comemoração dos 25 Anos do Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM), órgão que é referência na luta contra o trabalho escravo.

O evento reuniu diferentes especialistas, que recordaram marcos e obstáculos enfrentados pelo GFEM ao longo de sua trajetória. O GEFM trabalha para garantir os direitos trabalhistas, combatendo o trabalho escravo e degradante. Desde sua criação, em 1995, já libertou mais de 54 mil trabalhadores.

UNODC e PNUD firmam parceria para criação do centro de excelência para redução da oferta de drogas

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) firmou uma nova parceria com a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) do Ministério da Justiça e Segurança Pública e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para a concepção e implantação do Centro de Excelência para a Redução da Oferta de Drogas Ilícitas e fortalecimento da cooperação regional.

O objetivo do Centro é a elaboração de estudos e análises sobre tendências e ameaças representadas pelos diferentes tipos de tráficos de ilícitos e o crime organizado transnacional, possibilitando à Secretaria traçar estratégias para o enfrentamento da oferta de drogas, elemento essencial da dinâmica criminal no Brasil e na América do Sul.

A Convenção contra a Corrupção, com 186 Estados Partes, é o único instrumento anticorrupção universal juridicamente vinculativo. Foto: PNUD

UNODC: flexibilização de processos administrativos na pandemia pode ampliar risco de corrupção

Documento publicado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) reconhece a necessidade de os países tomarem medidas urgentes para prestar apoio financeiro, médico e social a indivíduos e empresas em meio à pandemia.

Entretanto, alerta que a flexibilização de mecanismos de responsabilização administrativa e de supervisão na alocação de recursos e aquisição de materiais pode aumentar o risco de corrupção e fraude, o que poderia enfraquecer o impacto das medidas em curso e resultar na falta de ajuda aos mais vulneráveis.

Desaceleração econômica mundial, que se traduz em um aumento acentuado do desemprego, pode aumentar o tráfico transfronteiriço de pessoas provenientes de países que registram quedas duradouras das taxas de emprego. Foto: ONU

Pandemia pode provocar aumento do tráfico de pessoas no mundo, alerta relatório do UNODC

O fechamento das fronteiras terrestres, marítimas e aéreas pode resultar em um aumento do tráfico de pessoas no mundo, segundo relatório publicado este mês (14) pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

Isso ocorre porque migrantes passam a ter uma necessidade ainda maior de serviços de contrabandistas para atravessar fronteiras. Os fechamentos e restrições também resultam no uso de rotas e condições mais arriscadas e a preços mais altos, expondo refugiados e migrantes a abusos e exploração.

Além disso, é provável que a desaceleração econômica global amplie o tráfico transfronteiriço de pessoas fugindo de países que sofrem quedas duradouras no emprego, de acordo com o documento.

Horário de visita na prisão de Ngaragba, em Bangui, República Centro-Africana, durante a pandemia de COVID-19. Foto: MINUSCA

ONU: governos devem tomar todas as medidas para proteger saúde de pessoas privadas de liberdade

Chefes de agências da ONU destacaram na quarta-feira (13) a maior vulnerabilidade à COVID-19 de pessoas privadas de liberdade, pedindo aos governos que tomem “todas as medidas adequadas de saúde pública” para mantê-las protegidas de doenças mortais.

Eles também pressionaram pela libertação de detentos não violentos, bem como daqueles com doenças pré-existentes e idosos, e advogaram por maior higiene para impedir ou limitar a disseminação do novo coronavírus nas prisões.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, durante reunião no Conselho de Segurança. Foto: ONU

UNODC abre chamada para Modelo Nações Unidas online em português

Diante da pandemia global da COVID-19 e do consequente distanciamento social recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e autoridades locais, a iniciativa Educação para a Justiça (E4J), do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), abre processo de candidatura para o I UNODC e-MUN– primeiro Modelo das Nações Unidas virtual e de alcance internacional. As inscrições podem ser feitas até o dia 13 de maio.

As medidas dos governos para combater a pandemia da COVID-19 afetaram todos os aspectos dos mercados de drogas ilegais, da produção e do tráfico ao consumo. Foto: UNODC/ Ioulia Kondratovitch

Medidas contra COVID-19 provocam alta dos preços de drogas ilícitas no mundo

Medidas dos governos no mundo todo para conter a pandemia da COVID-19 levaram à interrupção generalizada das rotas de tráfico de drogas ilegais, principalmente por via aérea e terrestre, elevando alguns preços, de acordo com um novo relatório da ONU publicado na quinta-feira (7).

O relatório do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) disse haver indicações de escassez de cocaína fora dos países produtores. Dados dos Estados Unidos indicaram escassez de cocaína nas ruas e informações do Brasil indicaram aumentos nos preços no atacado devido à falta de produtos traficados da Colômbia ou do Peru, segundo o documento.

COVID-19: UNODC alerta sobre maiores riscos para as vítimas de tráfico de pessoas

As medidas para conter a propagação do coronavírus estão expondo as vítimas de tráfico de pessoas a uma maior exploração e limitando seu acesso a serviços essenciais.

Nova análise feita pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) mostra como os bloqueios, restrições de viagem, limitações de trabalho e cortes de recursos estão tendo um impacto negativo e muitas vezes perigoso na vida dessas pessoas já vulneráveis.

Foto: Marcello Casal Jr./ABr

Tribunais debatem enfrentamento da COVID-19 em contextos de privação de liberdade

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realiza este mês, em parceria com agências das Nações Unidas, uma série de reuniões virtuais com magistrados da área carcerária e do sistema socioeducativo do Judiciário.

Os representantes dos tribunais discutem ações coordenadas para um posicionamento efetivo e uniforme do Judiciário diante do desafio do novo coronavírus para o sistema prisional e socioeducativo.

Uma das propostas da reunião será o fortalecimento dos fluxos de coleta de informação no Judiciário para o acompanhamento e fiscalização de medidas e monitoramento de casos de COVID-19 no sistema prisional.

COVID-19: Combate ao crime relacionado a produtos médicos falsificados

A falsificação de produtos médicos é um crime que afeta todas as regiões do mundo e são uma ameaça à vida das pessoas. Durante a crise da COVID-19, os grupos de crime organizado se envolvem em crimes relacionados a produtos médicos falsificados, utilizando as mesmas técnicas empregadas no tráfico de outras mercadorias ilícitas. Eles se aproveitam do desejo das pessoas de encontrar uma cura para a COVID-19 e praticam a venda on-line destes produtos.

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) apoia a integridade do sistema de fornecimento de produtos médicos, prevenindo e combatendo crimes relacionados a produtos médicos falsificados.

COVID-19: UNODC e DEPEN discutem cooperação no sistema prisional

Representantes do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) realizaram uma vídeoconferência para discutir sobre o trabalho em parceria que precisará ser realizado no sistema prisional durante e após a pandemia da COVID-19.

Foram identificadas áreas de interesse comum como capacitação, ensino à distância em diferentes áreas da gestão penitenciária, enfrentamento ao crime organizado, trabalho no sistema prisional e fortalecimento das ações de inteligência.

Um jovem de 19 anos senta-se em sua cama em um abrigo para crianças que vivem ou trabalham nas ruas em Odessa, Ucrânia. Ele é usuário de drogas e HIV positivo, mas não tem acesso a medicamentos antirretrovirais. Foto: UNICEF/Giacomo Pirozzi

COVID-19: UNODC lembra importância de tratar pessoas com transtornos associados ao uso de drogas

À medida que o mundo tenta combater a pandemia de COVID-19, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) lançou um chamado aos países ao publicar recentemente a nota “Sugestões sobre tratamento, cuidados e reabilitação de pessoas com transtornos associados ao uso de drogas no contexto da pandemia da COVID-19”.

O documento tem o objetivo de alertar os países-membros sobre os transtornos associados ao uso de drogas, que são frequentemente acompanhados por agravos em saúde, tais como HIV/AIDS, hepatites B e/ou C, tuberculose, doenças pulmonares ou cardiovasculares, acidente vascular cerebral, câncer e lesões e traumas, entre outros.

UNODC discute com governo iniciativas para combate a crimes cibernéticos - Foto: PxHere

Especialistas da ONU e governo brasileiro discutem ações contra crimes cibernéticos

Governos, iniciativa privada e organismos internacionais precisam trabalhar juntos para combater crimes cibernéticos.

Este foi um dos temas debatidos na videoconferência realizada no início de abril com especialistas do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e o Grupo de Trabalho de Crimes Cibernéticos, coordenado pela Secretaria de Operações Integradas, e a Assessoria Especial Internacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Michelle Bachelet discursa como presidente do Chile em sessão especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU em março de 2017. Foto: ONU/Jean-Marc Ferre

ONU pede ações urgentes para prevenir avanço da COVID-19 em locais de detenção

A alta-comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, pediu nesta quarta-feira (25) aos governos que tomem medidas urgentes para proteger a saúde e a segurança das pessoas em detenção e outras instalações fechadas, como parte dos esforços gerais para conter a pandemia da COVID-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

“A COVID-19 começou a entrar em prisões e centros de detenção de imigração, bem como casas de repouso e hospitais psiquiátricos, e corre o risco de se espalhar pelas populações extremamente vulneráveis dessas instituições”, disse Bachelet.

Foto: ONU/Martine Perret

ONU divulga recomendação do CNJ sobre prevenção do coronavírus em prisões

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) está divulgando internacionalmente as recomendações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para prevenir a propagação do novo coronavírus no sistema de justiça penal e socioeducativo brasileiro.

A recomendação traz orientações ao Judiciário em cinco pontos principais: redução do fluxo de ingresso no sistema prisional e socioeducativo; medidas de prevenção na realização de audiências judiciais nos fóruns; suspensão excepcional da audiência de custódia, mantida a análise de todas as prisões em flagrante realizadas; entre outros pontos.

SP recebe 5ª edição do Embaixadores da Juventude, curso da ONU para jovens líderes

Estão abertas inscrições para a quinta edição do curso de formação do Programa Embaixadores da Juventude, que ocorrerá de 25 a 29 de março deste ano, em São Paulo (SP).

O curso é promovido pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) e pelo Instituto Caixa Seguradora, em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da cidade de São Paulo (SMDHC).

Podem se inscrever jovens entre 18 e 24 anos, com Ensino Superior ou Técnico Profissionalizante (concluído, em andamento ou suspenso) e, sobretudo, que tenham espírito de liderança e papel transformador em suas comunidades. As inscrições vão até 10 de março.

Foto: upslon/Flickr

Embaixadores da Juventude debatem em Lisboa combate à violência contra mulher

Em Lisboa, a rede de Embaixadores da Juventude foi convidada para compartilhar a perspectiva brasileira de prevenção à violência orientada por questões de gênero a partir de uma perspectiva da juventude masculina.

O jovem embaixador Ronan Firmino, selecionado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e pelo Instituto Caixa Seguradora, destacou a importância de incluir diferentes setores da sociedade no debate sobre formas de prevenir e combater a violência contra mulheres.

Magistrados se reúnem para discutir audiências de custódia no UNODC - Foto: divulgação

Magistrados e UNODC discutem critérios para audiências de custódia

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) reuniu no fim de janeiro magistrados de todas as regiões do país para um encontro que discutiu parâmetros nacionais para tomada de decisão judicial em audiências de custódia.

O fortalecimento do instituto conforme padrões internacionais é uma das principais ações do Justiça Presente, parceria do CNJ com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública. As ações de audiência de custódia contam com parceria estratégica do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

Nestas audiências, o preso em flagrante é apresentado a um juiz no prazo de 24 horas. Após a audiência, o magistrado decide se a pessoa deve responder ao processo presa ou em liberdade, podendo ainda decidir pela anulação da prisão em caso de ilegalidade.

A abordagem racial do Justiça Presente busca incidir em todo o ciclo penal, desde o momento do encarceramento até a saída do sistema. Foto: Agência CNJ/Gláucio Dettmar

Programa impulsiona audiências de custódia no sistema de Justiça brasileiro

As audiências de custódia consistem na apresentação do preso em flagrante a um juiz no prazo de 24 horas. Após a audiência, o magistrado decide se o custodiado deve responder ao processo preso ou em liberdade, podendo ainda decidir pela anulação da prisão em caso de ilegalidade.

Além de reduzir a superlotação do sistema carcerário — mais de um terço da população carcerária do país é de presos provisórios —, a medida busca evitar a exposição de pessoas não violentas que sequer foram condenadas a presos condenados por crimes mais graves, incluindo integrantes de facções criminosas.

O programa Justiça Presente é uma parceria entre CNJ e PNUD, com apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública. As ações em audiência de custódia são coordenadas em conjunto com o UNODC.

Elena Abbati é nova diretora do UNODC no Brasil. Foto: UNODC

Italiana Elena Abbati é a nova diretora do UNODC no Brasil

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) no Brasil anunciou nesta terça-feira (7) que sua nova diretora, a italiana Elena Abbati, assumirá suas funções em 8 de janeiro.

Abbati enfatizou que, a partir de 2020, o UNODC pretende avançar nas suas principais áreas de atuação no país.

“O mandato do UNODC tem grande sinergia com o Brasil. O UNODC tem ajudado a tornar o mundo mais seguro contra drogas, crime organizado, corrupção e terrorismo”, declarou.

A Convenção contra a Corrupção, com 186 Estados Partes, é o único instrumento anticorrupção universal juridicamente vinculativo. Foto: PNUD

Conferência em Abu Dhabi amplia esforços de combate à corrupção no mundo

A principal conferência anticorrupção do mundo foi realizada em dezembro em Abu Dhabi com um apelo para se avançar nos esforços para prevenir e combater esse crime de forma a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“Ao entrarmos na Década de Ação para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, devemos nos unir contra a corrupção para impedir o esgotamento de recursos causado por fluxos financeiros ilícitos”, disse o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

A Convenção contra a Corrupção, com 186 Estados Partes, é o único instrumento anticorrupção universal juridicamente vinculativo. Foto: PNUD

ONU reforça importância da luta contra corrupção em dia internacional

Em sua declaração para o Dia Internacional de Combate à Corrupção, celebrado anualmente em 9 de dezembro, o diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Yury Fedotov, lembrou que “a corrupção afeta as pessoas no seu dia a dia”.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, também se pronunciou: “as pessoas têm razão em ficar com raiva. A corrupção ameaça o bem-estar de nossas sociedades, o futuro de nossos filhos e a saúde de nosso planeta. Deve ser combatida por todos, para todos”.

Participantes de edições anteriores do programa Embaixadores da Juventude. Foto: UNODC

Prefeitura de São Paulo assina acordo para implementar Programa Embaixadores da Juventude

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania do Município de São Paulo assinaram na sexta-feira (29) acordo de financiamento para implementar o Programa Embaixadores da Juventude no ano que vem.

A iniciativa tem o objetivo principal de aperfeiçoar capacidades de liderança, engajamento social e relacionamento interpessoal para garantir a melhor representação da juventude brasileira em espaços nacionais e internacionais de diálogo e tomada de decisão.

Fazem parte do Programa Paraná Seguro as cidades de Curitiba e Região Metropolitana, além de cidades do eixo Londrina e Maringá e da região de fronteira do estado. Foto: Augusto Janiscki Junior/CC.

UNODC participa do primeiro Workshop do Programa Paraná Seguro

Realizado em 30 de outubro na sede da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária em Curitiba (PR), primeiro workshop do Programa Paraná Seguro reuniu representantes da Secretaria da Segurança Pública; da Guarda Municipal de São José dos Pinhais; da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho; do 6º Comando Regional da Polícia Militar; e das corregedorias das polícias Civil e Militar.

O Programa Paraná Seguro é executado pelo estado com o apoio técnico do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A iniciativa tem como objetivo contribuir para a redução dos índices de criminalidade violenta de jovens entre 15 a 24 anos, localizados em 27 municípios paranaenses.

Evento foi o primeiro dos cinco workshops que o Paraná vai realizar para discutir resultados. Segundo o analista de programa do UNODC, Eduardo Pazinato, iniciativa também está em fase de implantação no estado do Espírito Santo.

O guia procura preencher a lacuna da falta de compreensão entre os profissionais da educação sobre como desempenhar melhor o papel da educação na construção de sociedades justas e pacíficas. Foto: Edward Lich/CC.

UNESCO e UNODC lançam guia sobre o papel da educação na construção de sociedades justas e pacíficas

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) lançaram, nesta quinta-feira (7), o guia “Fortalecimento do Estado de Direito por meio da educação” para formuladores de políticas.

A publicação apresenta orientações para gestores e educadores que queiram trabalhar temas de justiça, direitos humanos e combate à corrupção com estudantes dos ensinos fundamental e médio.

Programa de Controle de Contêineres do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) celebra 15 anos de comércio global mais seguro. Foto: Alexander Kliem/CC.

ONU comemora comércio global mais seguro nos 15 anos do Programa de Controle de Contêineres

O Programa de Controle de Contêineres (CCP, na sigla em inglês), implementado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e pela Organização Mundial de Aduanas (OMA), comemora 15 anos de combate ao movimento transfronteiriço de mercadorias ilícitas.

O programa auxilia os governos na construção das capacidades de seus órgãos localizados na fronteira em detectar mercadorias ilícitas; apoia na arrecadação justa de impostos, por meio da detecção de um grande número de bens comerciais não declarados ou declarados falsamente; e assegura a aplicação dos instrumentos da ONU, incluindo as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Desde sua criação, em 2004, as mais de 100 unidades do CCP em todo o mundo apreenderam uma grande variedade de bens ilegais, incluindo carregamentos relacionados à pesca, à floresta, à vida selvagem e a outros crimes ambientais. Neste ano, o programa foi vencedor do prestigiado prêmio “Prémio Bureau International des Containers (BIC)”.

Elizabeth Saenz, coordenadora de Programas Globais de Tratamento para Dependentes Químicos do UNODC - Foto: Divulgação

UNODC realiza treinamento sobre prevenção e tratamento do uso de drogas

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) realiza nesta semana, em Brasília, uma capacitação sobre natureza, prevenção e tratamento de transtornos relacionados ao uso de drogas. O encontro reúne representantes dos governos federal, estaduais e do Distrito Federal envolvidos na prevenção, tratamento e reinserção social de usuários e no combate ao tráfico.

A capacitação foi organizada em parceria com o Ministério da Cidadania e a Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (Senapred), com apoio da Embaixada dos Estados Unidos, por meio do Bureau Internacional de Narcóticos e Aplicação da Lei (INL, na sua sigla em inglês).

Segundo estimativas, os fluxos financeiros ilícitos de países em desenvolvimento relacionados a evasão fiscal, crime, corrupção e outras atividades somaram 1,1 trilhão de dólares em 2013. Foto: ONU

UNODC organiza debates para revisão de convenção da ONU contra crime organizado

Cerca de 40 representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs), academia e setor privado de 18 países se reuniram em Viena, na semana passada, para um workshop sobre o engajamento das partes interessadas no processo de revisão da Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional (UNTOC).

O workshop, organizado pela equipe da sociedade civil do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) em conjunto com a Iniciativa Global contra o Crime Organizado Transnacional, analisou os atuais papéis e desafios dos atores não estatais na abordagem das questões do crime organizado relacionados à Convenção.

A premiação envolveu soluções inovadoras para a criação de novos produtos ou serviços que contribuam para o desenvolvimento do estado do Pará. Foto: UNODC

Embaixadoras da juventude do UNODC recebem prêmio de empreendedorismo universitário em Belém

Nomeadas embaixadoras da juventude pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Aryane Parra, de 24 anos, e Karla Braga, de 22, foram premiadas na terça-feira (24) no Desafio Inove+, realizado na cidade de Belém (PA). Trata-se do mais importante prêmio de empreendedorismo universitário da região Norte do país.

As vencedoras criaram a plataforma de rastreio de produtos verdes “LAMAZÔNIAS”, startup que busca fortalecer cadeias produtivas sustentáveis na Amazônia.

Foto: Fotos Públicas/Rafael Neddermeyer

Escritório da ONU discute em Brasília combate aos mercados de apostas ilegais

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) participou na quarta-feira (2) em Brasília (DF) da Cúpula sobre Integridade nos Esportes, evento organizado pelo Instituto Internacional de Governança e Risco (GovRisk) e pela empresa de dados e tecnologia de esportes Genius Sports.

Cinco painéis com especialistas discutiram a importância da integridade no esporte profissional; a relevância crescente da tecnologia na identificação de atividades suspeitas de apostas, assim como os perigos dos mercados de apostas ilegais.