Escola da Vila Nova Esperança em Tomé-Açu (PA), onde atua o Sistema de Organização Modular de Ensino (Some). Foto: Blog do Riba/http://ribaprasempre.blogspot.com.br

Professora adota currículo da ONU sobre igualdade de gênero em áreas rurais do Pará

A professora paraense Danielle Figueiredo, de 33 anos, dá aulas para alunos do ensino médio em áreas rurais do Pará por meio de um sistema denominado modular. Nele, as aulas são concentradas em apenas uma disciplina durante 50 dias, em locais de melhor acesso para estudantes que vivem longe dos centros urbanos.

Isso significa que Danielle, professora de sociologia pós-graduada na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), passa 50 dias em diferentes municípios da região nordeste do estado, já tendo lecionado em comunidades rurais de Capitão Poço, Garrafão do Norte, Nova Esperança do Piriá, entre outras.

Desde 2015, a professora da rede estadual de ensino passou a aplicar em sala de aula, por iniciativa própria, “O Valente não é Violento”, currículo interdisciplinar disponível na Internet que tem como objetivo abordar questões de sexualidade e de gênero para combater e prevenir a violência contra mulheres e meninas.

2017: um novo secretário-geral chega às Nações Unidas. Em todo o mundo, a lista de desafios continua crescendo. Crises em Mianmar, Iêmen, Sudão do Sul, Síria, Somália, Nigéria, Líbia e outros lugares. Migrantes e refugiados continuam pagando um alto preço em meio aos conflitos e o extremismo em curso – inclusive com suas próprias vidas. O fim da exploração sexual e o compromisso com a igualdade de gênero continuam no topo da agenda global, com 130 milhões de meninas ainda fora da escola. O bem-sucedido processo de paz na Colômbia e a justiça funcionando no tribunal da ONU para a ex-Iugoslávia trazem esperança para um turbulento mundo. A defesa dos oceanos e os esforços contra as mudanças climáticas também marcaram 2017, em meio à destruição provocada no Caribe por desastres naturais. Confira nesse vídeo a Retrospectiva da ONU 2017.

VÍDEO: Retrospectiva da ONU 2017

2017: um novo secretário-geral chega às Nações Unidas. Em todo o mundo, a lista de desafios continua crescendo. Crises em Mianmar, Iêmen, Sudão do Sul, Síria, Somália, Nigéria, Líbia e outros lugares. Migrantes e refugiados continuam pagando um alto preço em meio aos conflitos e o extremismo em curso – inclusive com suas próprias vidas.

O fim da exploração sexual e o compromisso com a igualdade de gênero continuam no topo da agenda global, com 130 milhões de meninas ainda fora da escola. O bem-sucedido processo de paz na Colômbia e a justiça funcionando no tribunal da ONU para a ex-Iugoslávia trazem esperança para um turbulento mundo. A defesa dos oceanos e os esforços contra as mudanças climáticas também marcaram 2017, em meio à destruição provocada no Caribe por desastres naturais.

Confira nesse vídeo a Retrospectiva da ONU 2017.

Erradicação da pobreza é o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 1. Foto: EBC

Entre 22 países, Brasil lidera concentração de riqueza nas mãos do 1% mais rico

Entre 22 países desenvolvidos e emergentes analisados, o Brasil lidera a concentração de riqueza nas mãos do 1% mais rico da população, segundo relatório “Panorama Social da América Latina 2017”, divulgado na quarta-feira (20) pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

No Brasil, o 1% mais rico fica com 27% da renda nacional. A CEPAL citou dados da rede internacional de pesquisadores World Wealth and Income Database, que reúne informações tributárias para estimar a desigualdade de renda nos países.

Jaqueline Lobo, pesquisadora do CEDPIR, da Fundação Casa de Rui Barbosa. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Com festival de cinema, agência da ONU alerta para violações dos direitos de migrantes

Em cine-debate no Rio de Janeiro, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) alertou na quarta-feira (13) para as múltiplas violações de direitos contra estrangeiros vivendo no Brasil. Agência da ONU levou para a Fundação Casa de Rui Barbosa o filme “Era o Hotel Cambridge”, de Eliane Caffé, exibido como parte da programação do Festival Global de Cinema sobre Migração da OIM.

Organismo das Nações Unidas comentou decreto que regulamenta a implementação da nova Lei de Migração do Brasil. De 2010 a 2015, país registrou aumento de 20% no número de migrantes.

A ONU reviu para cima a projeção de crescimento da economia brasileira, e agora estima expansão de 2% em 2018. Foto: EBC

ONU prevê crescimento de 2% para economia brasileira em 2018

As Nações Unidas projetam crescimento de 2% para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no ano que vem, com previsão de avanço de 0,7% este ano, segundo o relatório Situação Econômica Mundial e Perspectivas (WESP, na sigla em inglês) lançado na segunda-feira (11) em Nova Iorque.

Em 2019, a projeção é de avanço de 2,5%. A retomada ocorre após forte queda de 3,8% e 3,6% em 2015 e 2016, respectivamente. “Enquanto o crescimento médio na região deve se fortalecer gradualmente, permanecerá bem abaixo das taxas observadas durante o boom das commodities dos anos 2000”, disse o documento.

‘O documento mais importante do mundo’, diz autora de livro sobre Declaração dos Direitos Humanos

Para a escritora Ruth Rocha, falar mal dos direitos humanos é um atestado de desinformação. Em 1986, em coautoria com o ilustrador Otavio Roth, ela lançou o livro voltado para crianças “Declaração Universal dos Direitos Humanos”, adaptação do documento que completou 69 anos no último domingo (10) e que Rocha considera como um “alicerce da humanidade”. Obra já está na 11a edição.

Governo federal solicitou em 2015 ao Banco Mundial relatório sobre gastos públicos. Foto: Sesc SP/Julia Parpulov

Banco Mundial: adiar reforma da previdência só aumentaria ajuste a ser feito no futuro

O aumento do gasto previdenciário no Brasil é motor de um forte desequilíbrio fiscal. Diante disso, mesmo o país enfrentando uma dura crise econômica, é necessário resolver esse problema estrutural uma vez que adiá-lo só aumentaria o tamanho do ajuste a ser feito no futuro, na opinião do diretor do Banco Mundial para o Brasil, Martin Raiser.

Para ele, a reforma tributária também deve ser prioridade, uma vez que a alta carga recai principalmente sobre os mais pobres, com baixa tributação sobre a renda, particularmente grandes fortunas.

No campo de Moria, na ilha de Lesvos, no norte da Grécia, uma frase expressa o desejo de milhões de refugiados e migrantes pelo mundo: ‘Movimento de Liberdade’. Foto: Gustavo Barreto (2016)

Reunião sobre futuro pacto de migração termina com compromisso em prol da dignidade humana

“O que é certo, acima de tudo, são as exigências legítimas de todos os migrantes de que as palavras da Declaração Universal dos Direitos Humanos se aplicam a eles como a todos os outros: todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos”, disse a representante especial do secretário-geral da ONU para a Migração Internacional, Louise Arbour.

Encontro de três dias no México preparou caminho para adoção de novo pacto global das Nações Unidas para a migração segura, ordenada e regular.

Cena do filme "Era o Hotel Cambridge" - Foto: divulgação

ONU promove debate sobre migração com exibição gratuita do filme “Era o Hotel Cambridge”

O Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio), a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Fundação Casa de Rui Barbosa promovem na próxima terça-feira (12), no Rio de Janeiro, um cine-debate com a exibição do filme “Era o Hotel Cambridge”.

A sessão integra o Festival Global de Cinema sobre Migração, iniciativa da OIM que ocorre em diversos países do mundo com o objetivo de provocar o debate sobre migração. A entrada é franca.

Jean-Pierre Lacroix, subsecretário-geral da ONU para operações de paz, em visita ao Brasil. Foto: UNIC Rio/Luise Martins

Chefe de operações de paz diz que ONU precisará de contribuições do Brasil

Em visita oficial ao Brasil, o subsecretário-geral da ONU para as operações de paz, Jean-Pierre Lacroix, afirmou estar convencido de que as Nações Unidas precisarão de contribuições do Brasil em missões do organismo internacional. Dirigente participou no Rio de Janeiro de seminário da ONU e do governo sobre os 13 anos da participação brasileira na MINUSTAH, a Missão de Estabilização no Haiti.

Foto de capa do vídeo: crianças durante atividades recreativas realizadas por militares brasileiros da missão da ONU no Haiti, em Porto Príncipe. Foto: ONU/Marco Dormino (2010)

ESPECIAL: Brasil no Haiti – um país mais seguro e estável

A Missão da ONU no Haiti – conhecida pela sigla MINUSTAH – foi estabelecida em abril de 2004 para garantir um ambiente seguro e estável ao país caribenho. Inicialmente, a missão foi autorizada a mobilizar até 6,7 mil militares, com seu braço militar sempre sob o comando do Brasil.

No total, 37.500 militares brasileiros — sendo 213 mulheres — atuaram no Haiti. No âmbito da Marinha, ao longo dos 13 anos da missão, foi enviado um total de 6.135 militares, divididos por 26 contingentes. Confira os detalhes nesse vídeo especial realizado pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) e pela Marinha do Brasil.

Soldados brasileiros durante patrulha em uma das zonas de risco de Porto Príncipe em suas funções na Missão da ONU no Haiti. Foto: MINUSTAH/Jesús Serrano Redondo

ONU convida Brasil a participar de missão de paz na República Centro-Africana

O secretário-geral da ONU, António Guterres, convidou oficialmente o Brasil na quarta-feira (22) a participar da missão de paz na República Centro-Africana (RCA) com 750 militares, afirmou o último comandante das forças militares das Nações Unidas no Haiti, o general brasileiro Ajax Porto Pinheiro.

Em evento realizado nesta quinta-feira (23) no Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), na capital fluminense, o general disse esperar que o Brasil aplique na República Centro-Africana as lições aprendidas em 13 anos de liderança militar da Missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti (MINUSTAH).

General Ajax Porto Pinheiro. Foto: MINUSTAH/Igor Rugwiza

No Rio, último comandante da MINUSTAH fala sobre experiência brasileira no Haiti

O Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio) recebe nesta quinta-feira (23) o último comandante da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), o general Ajax Porto Pinheiro. No encontro, realizado em conjunto com o Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica (IRI-PUC Rio), o Instituto Igarapé e o Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), o oficial falará sobre a experiência das tropas brasileiras na ilha caribenha. O evento é aberto à imprensa.

Cristo Redentor no Rio de Janeiro será iluminado de laranja no próximo 25 de novembro. Foto: UNIC Rio/Célio Durães

ONU ilumina cartões-postais brasileiros em campanha pelo fim da violência contra mulheres

Cristo Redentor, Elevador Lacerda e Palácio Buriti – cartões-postais do Brasil – se somam à iluminação laranja da campanha global das Nações Unidas dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

Pelo quarto ano consecutivo, a iluminação — programada para o dia 24 de novembro em Brasília e 25 no Rio de Janeiro e em Salvador — deixa as marcas em diferentes pontos do mundo em favor dos direitos de mulheres e meninas viverem sem violência.

Representantes e especialistas no tema do setor privado, governo, organizações não governamentais e instituições de pesquisa marcaram presença em apresentações e mesas de debate com foco no cumprimento da Agenda 2030. Foto: Centro RIO+/Brenda Hada

No Rio, ONU discute papel da ciência e da tecnologia para a saúde e o bem-estar

O Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, o Mecanismo de Facilitação de Tecnologia da ONU, o Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+) e a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) promoveram na semana passada uma consulta internacional sobre o papel da ciência, da tecnologia e da inovação no cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, especialmente no que se refere à saúde e ao bem-estar.

Representantes e especialistas de setor privado, governo, organizações não governamentais e instituições de pesquisa estiveram presentes em apresentações e debates cujo foco foi o cumprimento da Agenda 2030 por meio da ciência, da tecnologia e da inovação. Discutiu-se também oportunidades de avanço na saúde e experiências de uso de plataformas online.

(Imagem: divulgação/Marinha do Brasil)

ONU e Marinha promovem evento no Rio sobre participação brasileira na MINUSTAH

A Marinha do Brasil, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) e outras instituições promovem nos dias 28 e 29 de novembro no Rio de Janeiro evento para analisar os 13 anos de participação brasileira na Missão da ONU para Estabilização do Haiti (MINUSTAH).

Entre os palestrantes, estarão presentes o subsecretário-geral da ONU para Operações de Paz, Jean-Pierre Lacroix, e autoridades nacionais e internacionais.

Seminário no Rio discutiu acúmulo de lixo nos mares e oceanos. Foto: EBC

No Rio, especialistas buscam soluções para problema sistêmico do lixo nos oceanos

A responsabilidade sobre as toneladas de lixo jogadas todos os anos nos oceanos do mundo é compartilhada. Trata-se de um problema sistêmico cuja solução poderá vir da ação de empresas e do poder público, mas também de indivíduos e da sociedade civil. A conclusão é de especialistas que participaram de seminário esta semana no Rio de Janeiro sobre o tema.

Organizado pela ONU Meio Ambiente e parceiros, o I Seminário Nacional sobre Combate ao Lixo no Mar foi concluído nesta quarta-feira (8) após debates, compartilhamento de dados e detalhamento de práticas bem-sucedidas.

O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, cobrou uma resposta da sociedade e do poder público à dura realidade enfrentada pela juventude afrodescendente. Foto: UNFPA/Agnes Sofia Guimarães

‘O racismo mata e não podemos ser indiferentes’, diz ONU Brasil em lançamento da campanha #VidasNegras

A ONU Brasil lançou na terça-feira (7) a campanha #VidasNegras, iniciativa de conscientização nacional pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Em cerimônia que reuniu em Brasília cerca de cem autoridades públicas e representantes da sociedade civil e do corpo diplomático, dirigentes das Nações Unidas alertaram que cinco jovens negros morrem a cada duas horas no país. Por ano, o número chega a 23 mil.

O organismo internacional fez um apelo à sociedade brasileira e ao poder público por repostas ao racismo e à discriminação. Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no Brasil.

O jornalista Vladimir Herzog. Foto: EBC

Entrega do Prêmio Vladimir Herzog ocorre nesta terça-feira (31) em São Paulo

A entrega do 39º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos será realizada nesta terça-feira (31), às 20h, no Tucarena, em São Paulo. A premiação tem apoio do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio) e de outras organizações.

Das 14h às 18h, haverá um bate-papo no qual jornalistas poderão compartilhar os bastidores e o processo de construção das reportagens premiadas. A conversa será mediada pelos jornalistas Aldo Quiroga, Paulo Oliveira e Angelina Nunes, com coordenação de Sergio Gomes e transmissão ao vivo pela TV PUC-SP.

Evento reuniu mais de cem jovens no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Jovens devem participar da criação e monitoramento de políticas públicas, defende UNICEF

Em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) apresentou na sexta-feira (27), na capital fluminense, o #PartiuMudar, projeto para estimular a participação de adolescentes do Ensino Médio nas eleições. Em encontro de especialistas e ativistas, a agência da ONU reuniu mais de cem jovens para debates sobre direitos e democracia. Integrantes dos movimentos negro, LGBTI e indígena alertaram para obstáculos à cidadania plena.

Equipe do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) esteve presente no show de aniversário de 72 anos da ONU no Rio. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário dá visibilidade ao trabalho da ONU no Brasil

O show para comemorar o aniversário das Nações Unidas, realizado na terça-feira (24) na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, contribuiu para divulgar o trabalho da ONU localmente e para integrar a Organização à vida cultural da cidade, na avaliação das agências que contribuíram para que o evento acontecesse.

O encontro reuniu cerca de 200 pessoas e contou com a apresentação musical da banda Bomoko, formada por refugiados de Angola e da República Democrática do Congo, e de representantes do coletivo Baixada Nunca se Rende, composto por mais de 100 artistas da Baixada Fluminense.

THE MEMORY ALIVE - Júlia Cristofi

Duas mulheres representam Brasil em competição de pôsteres sobre Holocausto

Duas mulheres representarão o Brasil na Competição Internacional de Pôsteres sobre o Holocausto: Barbara Nudelman e Júlia Cristofi. A etapa brasileira foi promovida pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) em conjunto com representantes do Yad Vashem no Brasil.

Os quatro pôsteres selecionados foram encaminhados para o comitê internacional para a próxima etapa do concurso, da qual participam artistas do mundo todo. O concurso é uma parceria do Yad Vashem – memorial oficial de Israel para as vítimas do Holocausto – e o Programa das Nações Unidas para Divulgação do Holocausto.

Comemoração do Dia da ONU na casa do diretor do Centro de Informação das Nações Unidas, Maurizio Giuliano

Diplomatas, autoridades e sociedade civil celebram Dia da ONU em recepção no Rio

As comemorações do Dia da ONU (24) reuniram mais de 50 convidados na casa do diretor do Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio), Maurizio Giuliano. Representantes do corpo consular e de agências do Sistema ONU sediados no Rio de Janeiro, das comunidades católica e judaica e autoridades do Ministério das Relações Exteriores, dos governos do Estado e da Prefeitura do Rio de Janeiro participaram da recepção na noite da última quarta-feira (25).

Grupo Bomoko. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário da ONU reúne 200 pessoas no Rio de Janeiro

Cerca de 200 pessoas reuniram-se na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, na terça-feira (24), para o aniversário de 72 anos das Nações Unidas, celebrado com o show de uma banda de refugiados africanos e outra de artistas da Baixada Fluminense. O evento teve como foco a Década Internacional de Afrodescendentes, adotada em 2015 pelos Estados-membros da ONU, entre eles o Brasil, para enfrentar o racismo.

“A grande participação neste evento mostra que a ONU pode ter uma imagem menos formal, menos protocolar”, disse o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano, organizador da festa. “Precisamos estar mais perto dos jovens, das pessoas para as quais trabalhamos, abraçando suas diversidades de opiniões, raças, culturas”.

A foto intitulada "Mulher de COOCASSIS" é a vencedora do do Concurso de Fotografia sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de 2017 organizado pelo UNIC Tóquio. Foto: Luis Gustavo Cavalheiro

Brasileiro vence concurso de fotografia da ONU no Japão sobre desenvolvimento sustentável

Uma catadora de materiais recicláveis da cidade de Assis, no interior de São Paulo, protagonizou a foto vencedora de um concurso universitário mundial de fotografia promovido pelas Nações Unidas no Japão. O clique é do brasileiro Luis Gustavo Cavalheiro, de 21 anos, primeiro colocado no Concurso de Fotografia sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de 2017, lançado pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Japão (UNIC Tóquio) e pela Universidade de Sophia. A foto disputou com outras 1 mil imagens de 73 países.

VÍDEO: México um mês após os terremotos

Há um mês, no dia 19 de setembro de 2017, um terremoto de de magnitude 7.1 sacudiu o centro do México, 12 dias depois após outro movimento telúrico ter atingido o sudeste do país, especialmente as regiões de Oaxaca e Chiapas – e exatos 32 anos depois do terrível terremoto de 1985.

Os terremotos recentes deixaram um saldo de pelo menos 400 pessoas mortas, danos a mais de 150 mil habitações, 12 escolas e 1,5 mil monumentos históricos. Os tremores foram seguidos de um imenso impulso de solidariedade – por parte da população, da comunidade internacional e das Nações Unidas. Confira nesse vídeo do Centro de Informação da ONU na região.