5ª Semana do Bebê tem o apoio do UNICEF e aborda direitos de gestantes, mães e seus bebês no sistema prisional do Rio de Janeiro. Foto: Renata Caldeira / Ponte.

Evento para debater maternidade no sistema prisional do Rio de Janeiro conta com apoio do UNICEF

Entre 5 e 7 de dezembro, a Unidade Materno Infantil (UMI), no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu (RJ), recebe a 5ª Semana do Bebê.

Evento é promovido pelo governo do estado do Rio de Janeiro por meio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e conta com o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), órgãos públicos e organizações da sociedade civil.

Objetivo é discutir o bem-estar e os direitos das gestantes, mães e bebês no sistema prisional do estado, com o tema “Ser mãe é transformar a vida em um novo começo”. Edição deste ano conta com rodas de conversa sobre direitos sexuais e reprodutivos; oficinas; atividades com familiares; e momentos de cuidados de beleza, incluindo desfile das mães e gestantes no último dia do evento.

Voluntários do Projeto Viva Melhor Sabendo Jovem em Salvador. Foto: UNAIDS/UNFPA

UNICEF e parceiros promovem ações de testagem e prevenção ao HIV entre jovens de Vitória (ES)

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Associação Gold, em parceria com a Prefeitura de Vitória (ES), realizam na sexta-feira (6) a primeira ação nas ruas da cidade do projeto Viva Melhor Sabendo Jovem, que busca identificar adolescentes e jovens vivendo com HIV por meio da testagem rápida e gratuita.

A iniciativa também busca prevenir HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). A ação ocorrerá a partir das 19h, na rua da Lama, no Jardim da Penha.

UNICEF pede urgência na investigação das mortes de adolescentes e jovens em Paraisópolis

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) pediu na quarta-feira (4) a apuração das circunstâncias e da responsabilidade pelas mortes de nove adolescentes e jovens durante baile na favela de Paraisópolis, em São Paulo (SP), na madrugada de domingo (1º).

“Diante da morte brutal de nove adolescentes e jovens na favela de Paraisópolis, em São Paulo, é necessário reafirmar: nenhuma vida vale menos”, disse o UNICEF em comunicado.

“Uma vida sem medo, sem racismo, sem violência é direito de cada criança, adolescente e jovem, independente do local onde more. Uma cidade que vem reduzindo os homicídios entre a sua população não pode aceitar a morte violenta de seus meninos e meninas. É urgente prevenir novas mortes”, disse o UNICEF.

A 2ª edição do Circuito Urbano terá como tema geral “Cidades Inovadoras e Inclusivas” e como pergunta inspiradora “Como a inovação pode aprimorar serviços e políticas urbanas de maneira inclusiva e sustentável?”. Foto: ONU-Habitat/Lucille Kanzawa

UNICEF alerta para alto número de homicídios de adolescentes no Brasil

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) reuniu lideranças empresariais em São Paulo (SP) na quinta-feira (28) para discutir a importância de se garantir os direitos de crianças e adolescentes no país. Na ocasião, a representante da agência no Brasil, Florence Bauer, alertou sobre o alto número de assassinatos de adolescentes.

“São 32 adolescentes assassinados por dia. Nenhum país em guerra tem esses números. O Brasil é o país com mais homicídios de adolescentes no mundo”, alertou Bauer, defendendo políticas públicas que garantam a igualdade de direitos.

A oficina é parte das ações desenvolvidas pelas agências das Nações Unidas visando acelerar a resposta humanitária e garantir direitos de todos os venezuelanos que buscam refúgio no Brasil. Foto: ACNUR

Santarém (PA) promove oficinas de saúde para lembrar dois anos do acolhimento de venezuelanos

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Prefeitura de Santarém (PA) realizam até sexta-feira (29) o evento Santarém Acolhedora, lembrando o aniversário de dois anos da Casa de Acolhimento para Adultos e Famílias (CAAF), que abriga famílias venezuelanas.

A programação prevê oficina para aceleração da resposta no cuidado à atenção à saúde integral da população venezuelana abrigada em Santarém.

A iniciativa é parte das ações desenvolvidas pelas agências das Nações Unidas visando acelerar a resposta humanitária e garantir direitos de todos os venezuelanos que buscam refúgio no Brasil.

Campanha de UNAIDS e parceiros incentiva diálogo sobre HIV entre jovens e profissionais de saúde

Sob o lema “Fale comigo abertamente”, a campanha para o Dia Mundial contra a Aids deste ano busca mobilizar profissionais de saúde para que conversem abertamente com jovens sobre HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST) sem preconceitos, sem estigma e sem discriminação.

A campanha é uma iniciativa de Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Rede Latino Americana de Jovens vivendo com HIV (J+LAC).

O governo de Uganda implementou uma série de intervenções para crianças expostas ao HIV, incluindo assistência médica para o diagnóstico precoce. Foto: UNICEF

UNICEF: 300 crianças e adolescentes morrem por dia de causas relacionadas à Aids no mundo

Em 2018, cerca de 320 crianças e adolescentes morreram a cada dia, 13 por hora, em decorrência de causas relacionados à Aids, de acordo com um panorama global sobre crianças, HIV e Aids divulgado na terça-feira (26) pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

O baixo acesso ao tratamento antirretroviral, somado aos esforços limitados de prevenção, é uma das principais causas dessas mortes. No ano passado, apenas 54% das crianças de até 14 anos que viviam com HIV – ou 790 mil – estavam recebendo a terapia antirretroviral.

UNICEF Brasil promove encontro em São Paulo para discutir os 30 anos da CDC. Foto: UNICEF | Bindra.

UNICEF e parceiros promovem evento em SP sobre direitos da criança

Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros promovem na próxima quarta-feira (27) evento na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Encontro visa discutir com a sociedade paulista os avanços e desafios locais e nacionais no cenário dos direitos das meninas e meninos em marco aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC).

Evento acontece entre 9h e 13h no Auditório Paulo Kobayashi da Alesp, e conta com a participação da representante do UNICEF Brasil, Florence Bauer; representantes das secretarias do Desenvolvimento Social do estado e do município de São Paulo; presidente do Comitê Paulista pela Prevenção de Homicídios na Adolescência; grupos de adolescentes de diferentes regiões da cidade; escritores de literatura infantil; sociedade civil; dentre outros.

Encontro é gratuito, aberto ao público, e não é necessário realizar inscrições prévias.

Evento no Rio de Janeiro comemorou os 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança. Foto: UNICEF/Byron Prujansky

Evento no Rio debate desafios e avanços dos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança

Trinta e duas meninas e meninos são mortos todos os dias no Brasil. Isso significa que mais de 11 mil jovens são vítimas de homicídio por ano, número que, em 2015, superou as estatísticas de crianças assassinadas na Síria (7,6 mil) – país que há oito anos vive em estado de guerra civil.

Estes dados, coletados entre 1990 e 2017, fazem parte do relatório apresentado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) na última quinta-feira (21), no Rio de Janeiro (RJ), durante o evento que comemorou os 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança.

Durantes três dias na capital federal, de 11 a 13 de novembro, os adolescentes com idades entre 13 e 20 anos redigiram a Carta de Brasília. Foto: UNICEF

Crianças e adolescentes reúnem-se em Brasília para exigir efetivação de direitos

Em comemoração aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, adolescentes de todo o Brasil uniram suas vozes, na capital do país, para construir a Carta de Brasília, exigindo a efetivação de seus direitos.

“Somos adolescentes em busca de um país melhor, somos de vários lugares: das cidades, do campo, da floresta, das favelas, dos quilombos, das aldeias, das fronteiras”, disse a carta. Leia a reportagem completa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Menina espera para receber água na República Democrática do Congo. Foto: UNICEF / Olivier Asselin

UNICEF: crianças pobres do mundo estão sendo deixadas para trás

Houve ganhos históricos em geral para as crianças do mundo desde que a Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC) foi adotada há 30 anos. No entanto, muitas das crianças mais pobres ainda não sentiram o impacto desses avanços, de acordo com novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), lançado na segunda-feira (18).

“Houve ganhos impressionantes para as crianças nas últimas três décadas, à medida que mais e mais meninas e meninos estão vivendo mais, melhor e com mais saúde. No entanto, as adversidades continuam pesando para os mais pobres e vulneráveis”, disse Henrietta Fore, diretora executiva do UNICEF.

A atriz Millie Bobby Brown foi nomeada nesta terça-feira (20) nova embaixadora da Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). Foto: UNICEF

Millie Bobby Brown e David Beckham lideram cúpula da ONU sobre direitos da criança

A atriz britânica Millie Bobby Brown e o ex-jogador de futebol britânico David Beckham, embaixadores do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), vão liderar nesta quarta-feira (20) uma cúpula global na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, onde se juntarão a crianças e jovens para exigir proteção e promoção de seus direitos.

A cúpula do UNICEF faz parte das comemorações do Dia Mundial da Criança. No mesmo dia, celebra-se o trigésimo aniversário da adoção da Convenção sobre os Direitos da Criança, tratado de direitos humanos mais amplamente ratificado da história.

UNICEF apresentará no evento um panorama sobre avanços e desafios para a garantia dos direitos de crianças e adolescente no Brasil e no estado do Rio de Janeiro. Foto: Fora do Eixo (CC)

Evento no Rio reafirma compromissos com direitos de crianças e adolescentes no Brasil

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em parceria com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), realiza na quinta-feira (21) o evento “30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança: Reafirmando Compromisso”.

Tratado mais ratificado da história, por 196 países, a Convenção sobre os Direitos da Criança colocou crianças e adolescentes como sujeitos de direitos. No Brasil, ela inspirou o Artigo 227 da Constituição Federal de 1988 e o Estatuto da Criança e do Adolescente (lei 8.069/90).

Menino trabalha no Nepal - Foto: David Longstreath/Irin

ONU aponta que crianças respondem por 26% da mão de obra no início das cadeias produtivas na América Latina

Um novo relatório da ONU aponta uma contribuição significativa do trabalho infantil e do tráfico de pessoas nos patamares iniciais das cadeias produtivas, em atividades extrativistas e de agricultura, fazendo com que a visibilidade, diligência e identificação de tais atividades seja desafiadora. A América Latina lidera a estimativa de trabalho infantil neste setor, com 26%.

O relatório “Fim do trabalho infantil, trabalho forçado e tráfico humano nas cadeias produtivas” foi produzido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Organização Internacional para Migração (OIM) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

O documento fornece, pela primeira vez, estimativas de trabalho infantil associadas ao setor em várias regiões: 26% na América Latina e Caribe; 12% no sul e centro da Ásia e outros 12% na África Subsaariana, além de 9% no Norte da África e Ásia Ocidental.

Novo relatório do UNICEF faz um balanço do impacto da Convenção sobre os Direitos da Criança no Brasil em relação à legislação, programas e políticas. Foto: UNICEF | Tremeau.

Novo relatório do UNICEF destaca progressos e desafios sobre direitos da criança no Brasil

Em marco aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou na terça-feira (12) um relatório com um balanço do impacto da CDC no Brasil em relação à legislação, programas e políticas.

O documento também analisa as principais conquistas e desafios do país para os próximos anos. Segundo dados do relatório, há ainda quase dois milhões de meninas e meninos fora da escola; 32 meninas e meninos de 10 a 19 anos são assassinados diariamente no país; e se por um lado a desnutrição crônica caiu maciçamente – com a exceção das crianças indígenas, uma em cada três crianças brasileiras de cinco a nove anos está com sobrepeso.

Segundo o UNICEF, há uma tendência de redução do orçamento voltado aos temas da infância e adolescência no Brasil que precisa ser revertida. Nesse sentido, o Fundo reforça a importância de reafirmar os compromissos do Brasil com a Convenção sobre os Direitos da Criança; colocar crianças e adolescentes como prioridade absoluta; engajar toda a sociedade; consolidar os avanços alcançados até aqui; e investir na infância e na adolescência com um foco naqueles mais vulneráveis.

“Na América Latina e no Caribe, muitas crianças comem pouca comida saudável e muita comida processada”, Bernt Aasen, diretor regional do UNICEF para a América Latina e o Caribe. Foto: Kwanchai.c | Shutterstock.

ONU pede ações urgentes para frear o aumento da fome e da obesidade na América Latina e no Caribe

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) pediram ações urgentes aos países da América Latina e do Caribe para combater o aumento da má nutrição na região.

As quatro agências das Nações Unidas que trabalham com o tema da Alimentação lançaram hoje (12) o Panorama de Segurança Alimentar e Nutricional 2019. O relatório apresenta dados do cenário alimentar da América Latina e do Caribe, e destaca que a região está pior que o resto do mundo na maioria dos indicadores de má nutrição relacionados ao consumo excessivo de calorias – enquanto que a fome voltou a crescer: 11%, ou 4,5 milhões de pessoas, desde 2014.

Segundo a diretora da OPAS/OMS, Carissa F. Etienne, “precisamos do compromisso de toda a sociedade e de políticas públicas que regulem produtos alimentares pouco saudáveis, criem ambientes propícios à atividade física e promovam uma alimentação saudável na escola e na mesa das famílias”.

30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança. Foto: UNICEF | Dejongh.

UNICEF lança relatório sobre os 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança

Em marco aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lança amanhã (12), em Brasília, um relatório com dados sobre os avanços e os desafios dos direitos da criança e do adolescente no contexto brasileiro desde a ratificação do documento.

Segundo o UNICEF, em 30 anos, Brasil alcançou uma redução histórica da mortalidade infantil e efetivou outros diretos, mas perdeu milhares de crianças para a violência e possui outros desafios pela frente.

A Convenção, adotada por 196 países, é o tratado de direitos humanos mais ratificado da história. No Brasil, ela inspirou o Artigo 227 da Constituição Federal de 1988 e o Estatuto da Criança e do Adolescente, de 1990.

UNICEF: O que você vai fazer pelos direitos das crianças?

Em comemoração aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lança campanha convidando o público a contar o que faz ou pretende fazer pelos direitos de meninas e meninos.

“Queremos gerar uma corrente de boas histórias e depoimentos, mostrando como os brasileiros atuam, no seu dia a dia, para efetivar os direitos de meninas e meninos”, Michael Klaus, chefe de Comunicação e Parcerias do UNICEF no Brasil.

A Convenção é o tratado de direitos humanos mais amplamente ratificado da história. A partir dela, existem salvaguardas mais fortes para proteger as crianças e os adolescentes contra a violência e a exploração. O documento também permitiu que mais crianças e adolescentes tivessem suas vozes ouvidas e participassem de suas sociedades.

A venezuelana Almeris, de 20 anos, viajou com seu filho de apenas dois anos e o marido por cerca de 40 horas em um ônibus até Boa Vista. Foto: ACNUR | Alexandre Pereira.

Operação Acolhida em Manaus inaugura espaço com serviços de documentação e interiorização para refugiados e migrantes venezuelanos

Inaugurado na última terça-feira (5), em Manaus, novo Posto de Interiorização e Triagem (PITRIG) da Operação Acolhida visa fornecer, em um único espaço, assistência para milhares de venezuelanos que passam pela cidade devido ao alto fluxo migratório de seu país.

“Quando decidimos deixar a Venezuela, nossa esperança era encontrar apoio aqui para vivermos e termos trabalho. Desde então não tínhamos documentos para isso, como CPF e Carteira de Trabalho. Foi quando soubemos que este posto seria aberto e poderia nos ajudar”, Almeris (20), venezuelana em Manaus.

O posto foi idealizado pelo Comitê Federal de Assistência Emergencial do governo federal e conta com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR); Organização Internacional para Migrações (OIM); Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF); Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA); entidades da sociedade civil e atores municipais e estaduais. Espaço funciona de segunda a sexta-feira, das 08h às 17h, na região Centro-Sul de Manaus.

Chama na Solução é uma iniciativa do UNICEF Brasil que apoia mudanças positivas que possam potencialmente impactar a vida das crianças dos adolescentes do país. Foto: Generation Unlimited.

Iniciativa do UNICEF convida jovens cariocas a enviarem soluções para problemas locais

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria técnica com o Centro de Promoção da Saúde (CEDAPS) abre inscrições para a iniciativa Chama na Solução.

O objetivo da iniciativa é envolver os jovens na criação de soluções para problemas que os afetam, e nesse processo proporcionar seu desenvolvimento como cidadãos, potencializando habilidades e competências para a vida.

Meninas e meninos que possuem entre 14 e 24 anos e moram na periferia da cidade do Rio de Janeiro podem inscrever suas ideias. O edital segue aberto até 10 de novembro.

Foto: Raoni Libório/UNICEF

UNICEF: 3,5 milhões de estudantes brasileiros foram reprovados ou abandonaram a escola em 2018

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o Instituto Claro apresentaram nesta quinta-feira (31), uma análise atualizada e inédita de dados nacionais sobre abandono, reprovação e atraso escolar, baseados no Censo Escolar. O documento revela que 3,5 milhões de estudantes brasileiros de escolas públicas municipais e estaduais foram reprovados ou abandonaram a escola em 2018.

Para contribuir com as escolas no enfrentamento do fracasso escolar, as duas organizações lançaram o curso online Trajetórias de Sucesso Escolar, estratégia que tem por objetivo inspirar e orientar redes de ensino e escolas a desenvolver projetos e políticas curriculares, alinhadas à Base Nacional Comum, que garantam o direito de aprender para crianças com atraso escolar.

Criança ianomami. Foto: Flickr/Sam valadi (CC)

UNICEF alerta para desnutrição crônica de crianças ianomâmis

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros realizam nesta segunda e terça-feira (28 e 29) em Brasília (DF) o Seminário Nacional sobre os Determinantes Sociais da Desnutrição de Crianças Yanomami – e apresentam uma pesquisa sobre o tema.

A pesquisa teve como foco o Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Yanomami e foi realizada nas aldeias do Polo Base de Auaris, em Roraima, e do Polo Base de Maturacá, no Amazonas. Os dados mostram que 81,2% das crianças menores de 5 anos pesquisadas têm baixa estatura para a idade (desnutrição crônica), 48,5% têm baixo peso para a idade (desnutrição aguda) e 67,8% estão anêmicas.

Vista panorâmica do Salão da Assembleia Geral da ONU durante as deliberações e a adoção da Convenção sobre os Direitos da Criança em 20 de novembro de 1989. Foto: UNICEF

UNICEF abre exposição ’30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança’ no Congresso Nacional

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) inaugura na semana que vem (30) uma exposição no Congresso Nacional sobre os 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC). O público é convidado a conhecer a história da Convenção mais ratificada no mundo, assinada por 196 países, e como ela vem impactando a vida de meninas e meninos no Brasil.

Os 100 metros de exposição — localizada no corredor de acesso ao Plenário da Câmara dos Deputados — estampam depoimentos de crianças e adolescentes do Brasil e do mundo que lutam ativamente por seus direitos. O expectador é convidado a reviver os eventos históricos que levaram à assinatura da Convenção, se familiarizar com os princípios que regem a CDC, conhecer todos os direitos nela expressos e interagir com painéis de som para ouvir histórias reais de meninos e meninas.

Com o objetivo de trabalhar o tema das plantas e pensando no público jovem, engajado em redes sociais, o grupo criou uma rede social para aprender Biologia. Foto: Divulgação Samsung.

Estudantes do Mato Grosso do Sul criam rede social para aprender Biologia

Estudantes do Mato Grosso do Sul criaram o APPlanta, uma rede social para que professores e alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental possam compartilhar conhecimentos sobre Biologia.

O projeto foi desenvolvido por uma das equipes vencedoras da edição 2018 da ‘Maratona UNICEF SAMSUNG’, uma iniciativa que reúne estudantes de escolas públicas, professores, designers e programadores para desenvolver aplicativos voltados para turmas do Ensino Fundamental.

As inscrições para a Edição 2019 Maratona UNICEF SAMSUNG seguem abertas até o dia 27 de outubro de 2018.

Gelson Henrique, de 20 anos, é estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Foto: UNICEF/Rafael Duarte

‘Quero uma cidade que garanta nosso direito de viver’

Morador da periferia do Rio de Janeiro, Gelson Henrique, de 20 anos, percebeu na adolescência que não estava exercendo seu direito de aproveitar plenamente a cidade em que morava. Não conhecia, por exemplo, os museus, inacessíveis para famílias pobres que moram longe das regiões centrais. “Descobri que há toda uma estrutura que não quer que a gente ascenda. Mas também percebi que não existo sozinho. A pele preta traz toda uma ancestralidade”, declara.

A convite do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Gelson participou este mês da Conferência sobre as Cidades Amigas da Criança, realizada em Colônia, na Alemanha. Junto a outros jovens e adolescentes do mundo, ele discutiu formas de as cidades garantirem o pleno desenvolvimento de cada criança e adolescente.

“Para mim, cidade amiga da criança é uma cidade que não viole nossos direitos, começando pelo direito à vida, que hoje está ameaçado para um jovem negro”, afirma Gelson.

Busca Ativa Escolar na Prática atende à demanda de formação de gestores municipais, colaborando para a identificação e (re)matrícula de meninas e meninos. Foto: Agência Brasil

UNICEF e parceiros lançam curso que ajuda a enfrentar a exclusão escolar

Qualificar o trabalho de gestores e de técnicos municipais visando à garantia dos direitos de crianças e adolescentes. Esse é o objetivo do curso a distância Busca Ativa Escolar na Prática, que será lançado na quarta-feira (23), às 16 horas, por meio de uma transmissão ao vivo no canal do YouTube do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no Brasil.

O curso contribui para a implementação da estratégia Busca Ativa Escolar, que tem como objetivo apoiar estados e municípios no enfrentamento da exclusão escolar, fenômeno que atinge, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (PNADC/IBGE), cerca de 1,9 milhão de meninas e meninos brasileiros entre 4 e 17 anos.

Crianças em frente à sua nova escola, feita de tijolos de plástico reciclado em Sakassou, no centro da Costa do Marfim. Foto: UNICEF/Frank Dejongh

Fim da pobreza extrema é crucial para um futuro sustentável, diz chefe da ONU

Um futuro sustentável para todos é improvável, a menos que a globalização beneficie todas as crianças, suas famílias e comunidades, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, em sua mensagem para o Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza, nesta quinta-feira (17).

Observado a cada 17 de outubro, a data reconhece o esforço e a luta de mais de 700 milhões de pessoas em todo o mundo que vivem com menos de 1,90 dólar por dia.

“O fim da pobreza extrema está no centro dos esforços do mundo para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e construir um futuro sustentável para todos. Mas o sucesso em não deixar ninguém para trás permanecerá ilusório se não atingirmos as pessoas que estão mais atrás primeiro”, afirmou o secretário-geral.

O projeto segue o calendário de festas e festivais de rua tradicionais, especialmente aqueles que atraem grande concentração de jovens. Foto: UNICEF

Projeto liderado pelo UNICEF capacita jovens para conversar sobre HIV

As novas infecções por HIV no Brasil aumentaram mais de 20% entre 2010 e 2018. Por isso, é essencial que os jovens brasileiros comecem a falar sobre o HIV e aprendam a se proteger. Esse é o objetivo de um projeto liderado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Mais de 30 jovens foram treinados para trabalhar como voluntários no projeto Viva Melhor Sabendo Jovem (VMSJ) em Salvador (BA). O objetivo é aumentar a conscientização sobre a importância do teste e prevenção do HIV.

O projeto tem o apoio do escritório do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) no Brasil.

Segundo OPAS/OMS, é essencial evitar alimentos ultraprocessados, que estão fortemente associados a sobrepeso, obesidade e doenças crônicas não transmissíveis. Foto: EBC

UNICEF defende inclusão de alertas em produtos alimentícios ultraprocessados

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), juntamente com outras organizações, tem liderado a discussão para a inclusão de alertas na parte frontal dos produtos alimentícios ultraprocessados para quando há excesso de nutrientes como açúcar, sódio e gorduras saturadas.

Na sexta-feira (11), Dia Mundial da Prevenção da Obesidade, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), instituição que também defende tal proposta, anunciou o apoio às ações do IDEC para informar a sociedade sobre os benefícios da rotulagem frontal.

A aliança acontece no momento em que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) está recebendo contribuições e opiniões dos consumidores, por meio de uma consulta pública, sobre qual o modelo de rotulagem nutricional deve ser adotado no país. O processo de participação popular termina em 6 de novembro.

Foto: UNICEF/Kent Page

Gestores superam distâncias na Amazônia para participar de capacitações do UNICEF

Maria Bethânia Barbosa iniciou sua jornada no Selo UNICEF de forma mais intensa no primeiro semestre de 2019, quando assumiu a articulação da iniciativa no município de Chaves, localizado na Ilha do Marajó (PA). Assim como ela, dezenas de articuladores e gestores municipais saem com muita antecedência de suas regiões para participar do 5º Ciclo de Capacitações do Selo UNICEF, em um dos 15 polos nos nove estados da Amazônia Legal.

Indígenas são uns dos grupos da população brasileira que mais sofrem com pobreza e discriminação. Foto: Daniel Caron/FAS

Quase 30% das crianças indígenas com menos de 5 anos sofrem de desnutrição

Nas últimas décadas, o Brasil reduziu significativamente a taxa de desnutrição crônica entre menores de 5 anos (de 19,6% em 1990 para 7% em 2006), atingindo, antes do prazo, a meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Entretanto, a desnutrição crônica ainda é um problema em grupos mais vulneráveis, como indígenas, quilombolas e ribeirinhos.

De acordo com o Ministério da Saúde, em 2018, a prevalência de desnutrição crônica entre crianças indígenas menores de 5 anos era de 28,6%. Os números variam entre etnias, alcançando 79,3% das crianças ianomâmis. O relato é do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Menina interage com colegas de classe em Uganda. Foto: UNICEF/Zahara Abdul

Dia Internacional das Meninas lembra 25 anos de progressos e desafios no horizonte

As mais de 1 bilhão de meninas do mundo estão sendo celebradas nesta sexta-feira (11) como uma força de mudança “sem roteiro e irrefreável” para a humanidade.

Todos os dias, meninas com menos de 18 anos desafiam estereótipos, quebram barreiras e lideram movimentos para lidar com problemas que as afetam e afetam outras pessoas, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem para o Dia Internacional das Meninas.

Em uma tentativa de garantir um ambiente de trabalho saudável para seus funcionários, as Nações Unidas implementaram em 2018 uma estrutura de boas práticas de saúde mental para seus milhares de funcionários. Foto: OMS

No Dia Mundial da Saúde Mental, ONU pede mais esforços de prevenção ao suicídio

Em todo o mundo, 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano — uma a cada 40 segundos —, sendo esta a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). A prevenção do suicídio é o tema do Dia Mundial da Saúde Mental deste ano, lembrado nesta quinta-feira (10).

“A saúde mental foi negligenciada por muito tempo”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem de vídeo. Segundo ele, o tema precisa ser abordado com urgência, já que é uma questão “que diz respeito a todos nós”.

“Precisamos de mais investimentos em serviços. E não devemos permitir que o estigma afaste as pessoas da ajuda de que precisam”, disse. “Não há saúde sem saúde mental”.

O aplicativo RealSolids ensina sobre os sólidos geométricos (figuras geométricas em três dimensões) a partir de locais reais. Foto: Divulgação | UNICEF.

Aplicativo criado em iniciativa do UNICEF ensina História por meio da Matemática

Idealizado por uma professora e quatro estudantes do Instituto Federal do Paraná (IFPR), aplicativo educativo permite que alunos do ensino fundamental aprendam geometria ao mesmo tempo em que conhecem monumentos históricos do Brasil e do mundo.

O aplicativo RealSolids ensina sobre os sólidos geométricos (figuras geométricas em três dimensões) a partir de locais reais, apresentando a localização geográfica e dados históricos da região em que estão.

O projeto foi desenvolvido por uma das equipes vencedoras da edição 2018 da ‘Maratona UNICEF SAMSUNG’, uma iniciativa que reúne estudantes de escolas públicas, professores, designers e programadores para desenvolver aplicativos voltados para turmas do ensino fundamental.

As inscrições para a Edição 2019 da Maratona UNICEF SAMSUNG seguem abertas até o dia 27 de outubro de 2019.

Criança caminha no campo de Al Hol, nordeste da Síria. O campo abriga mais de 70 mil pessoas, das quais mais de 90% são mulheres e crianças. Foto: OCHA/Hedinn Halldorsson

Civis ‘não podem ser um alvo’, diz ACNUR após escalada militar no norte da Síria

O aumento das operações militares no nordeste da Síria obrigou dezenas de milhares de civis a procurar abrigo, disse a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) nesta quinta-feira (10), um dia depois de a Turquia ter lançado ataques aéreos e uma ofensiva terrestre na fronteira entre os dois países.

A chefe do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) também manifestou preocupação com os últimos desenvolvimentos no país devastado pela guerra, decorrentes da decisão anunciada no domingo (6) pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de retirar as tropas norte-americanas da região.

Famílias de venezuelanos participam do programa de interiorização do Governo Federal. Iniciativa tem o apoio de diferentes agências da ONU. Foto: ACNUR

Acordo incentiva municípios brasileiros a acolherem pessoas venezuelanas

A Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil assinou, na quarta-feira (2), em conjunto com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e o governo federal, um protocolo de intenções para incentivar municípios brasileiros a acolherem pessoas refugiadas e migrantes da Venezuela. O objetivo é ampliar a assistência humanitária com foco na integração à sociedade e à economia brasileiras.

“A parceria com a Confederação Nacional dos Municípios é uma conquista nesse processo, por sua capacidade única de sensibilizar e mobilizar os municípios brasileiros para a recepção de pessoas refugiadas e migrantes. Esses municípios terão a oportunidade de integrar à sua população pessoas que aportam capacidades, formações e experiências profissionais variadas”, afirmou o coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic.

Ogrismar Del Valle (19) chegou ao Brasil em 24 de setembro, acompanhada da filha Glorismar (2) e de seu companheiro. Foto: UNICEF | Inaê Brandão.

Venezuelana warao conta que veio para o Brasil salvar a vida da filha

Ogrismar Del Valle, de 19 anos, viu a comunidade indígena em que vivia desde que nasceu, na Venezuela, esvaziar. Viu amigos, familiares, colegas, todos seguirem pelo curso do rio Delta Amacuro, fugindo da fome e das necessidades que se instalaram no local que abrigava parte da população warao de seu país de origem.

No fim de setembro, ela chegou ao Brasil com a filha de dois anos e o companheiro. Encontraram refúgio na ocupação Ka’ubanoko (que significa “meu lar” na língua Warao), localizada em Boa Vista, Roraima.

Lá, Ogrismar participou de evento realizado pela organização Médicos Sem Fronteiras com apoio da equipe técnica de Saúde & Nutrição do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em Roraima. Ela recebeu materiais de higiene, comida e roupas, e sua filha, Glorismar Del Valle, passou por uma avaliação nutricional, recebeu remédio antiparasitário e atualizou a carteira de vacinação.

Aplicativo mapeia dificuldades de estudantes e ajuda escolas a saná-las

Imagine um jogo de perguntas e repostas em que estudantes de todo o Brasil podem testar seus conhecimentos e compartilhar aprendizagens. Esse é o MapaEdu, um dos projetos vencedores da edição 2018 da Maratona UNICEF Samsung.

A proposta – desenvolvida por três estudantes do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) e uma aluna e uma professora do ensino médio público do estado – tem como objetivos promover a interação, identificar os temas em que os alunos têm mais dificuldades e ajudar a escola a saná-las.