Agências da ONU e AVSI aguardam chegada de comitiva interministerial no abrigo Rondon 2, o centro de trânsito para famílias venezuelanas que serão interiorizadas. Foto: ANUCR/Victoria Hugueney

Governo federal visita venezuelanos atendidos pela ONU em Roraima e prorroga ajuda até 2020

Uma comitiva com cinco ministros do governo federal visitou nesta quinta-feira (17) as instalações de acolhimento e recepção a venezuelanos da Operação Acolhida em Boa Vista, Roraima, e anunciou a prorrogação do programa até março de 2020.

Durante a visita, as autoridades conheceram o trabalho humanitário conjunto desenvolvido por agências do Sistema ONU no Brasil, o Exército brasileiro e organizações da sociedade civil. A comitiva incluiu o governador de Roraima, Antonio Denarium, a Secretária Nacional de Justiça, Maria Hilda Marsiaj, além membros do Exército, de outros órgãos federais e de organizações internacionais.

Distribuição de contraceptivos e materiais de informação sobre HIV e Aids. Foto: UNFPA/UNFPA Brasil/Solange Souza

Em Roraima, Fundo de População da ONU apoia reinauguração de centro para acolher pessoas com HIV

Em Boa Vista (RR), a Associação de Bem com a Vida, por meio de parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), reinaugura a Casa Viver para pessoas vivendo com HIV, brasileiras e venezuelanas.

A iniciativa é um espaço seguro que abriga pessoas que precisam realizar exames laboratoriais e receber acompanhamento médico, psicológico, nutricional, assistência social e medicamentos disponíveis na capital roraimense.

Quando sua amiga ficou grávida inesperadamente, ainda bem jovem, Azlifa buscou um jeito de compartilhar informações sobre saúde sexual e reprodutiva com outros jovens. Foto: UNFPA Maldivas/Tatiana Almeida

Ativista quebra tabus sobre planejamento familiar nas Maldivas

Azlifa tinha 11 anos quando sua amiga teve de deixar a escola por ter engravidado. O fato marcou sua juventude e impulsionou seu ativismo em prol da divulgação de informações sobre saúde sexual e reprodutiva.

Nas Maldivas, o sexo fora do casamento é criminalizado, e o acesso ao planejamento familiar acaba ficando restrito a pessoas casadas. Azlifa teve de dar um Google na palavra “menstruação” quando ouviu pela primeira vez. O relato é do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

A marroquina Nuzha tinha 6 anos quando seu pai a forçou a trabalhar em casa para sustentar seus irmãos. "Eu era responsável por alimentar toda a família", disse ao UNFPA. Foto: UNFPA Marrocos

Centro apoiado pela ONU no Marrocos ajuda mulheres vítimas de violência de gênero

A violência contra mulheres e meninas é uma das violações de direitos humanos mais frequentes no mundo. No Marrocos, estima-se que 63% das mulheres entre 18 e 64 anos tenham sofrido alguma forma de violência baseada em gênero.

Nesse cenário, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) apoia no Marrocos o Centro Al-Bathaa, destinado a fornecer aconselhamento psicológico e legal para sobreviventes desse tipo de violência, dando a elas importantes ferramentas para recomeçar. Leia o relato completo.

Crianças venezuelanas cantam músicas tradicionais de seu país. Foto: ACNUR/Allana Ferreira

Crianças venezuelanas participam de coral em abrigos de Boa Vista

Na semana que antecedeu o Natal, os Canarinhos da Amazônia, coral formado por 50 crianças e adolescentes venezuelanos, se apresentaram em seis dos dez abrigos de Boa Vista que acolhem refugiados e migrantes em situação de vulnerabilidade.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) apoia os Canarinhos da Amazônia desde 2017, quando estabeleceu seu escritório em Boa Vista para responder mais adequadamente ao fluxo de venezuelanos na região.

Desde julho de 2018, o ACNUR e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) têm aportado recursos adicionais no projeto em parceria com a União Europeia, por meio do seu Instrumento de Contribuição para a Estabilidade e a Paz (IcSP, da sigla em inglês).

Em 2017, o número total de casos notificados no Brasil foi de pouco menos de 120 mil. Foto: UNFPA Brasil/Erick Dau

Aumentam casos de sífilis no Brasil, diz Ministério da Saúde

No Brasil, a população mais afetada pela sífilis são as mulheres, principalmente as negras e jovens, na faixa etária de 20 a 29 anos.

Somente esse grupo representa 14,4% de todos os casos de sífilis adquirida e em gestantes notificados. Na comparação por sexo, as mulheres de 20 a 29 anos alcançam 26,2% do total de casos notificados, enquanto os homens nessa mesma faixa etária representam apenas 13,6%.

O relato é do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Mãe e filha em centro de saúde apoiado pelo UNFPA. Agência presta serviços de saúde reprodutiva, sexual, materna e neo-natal. Foto: UNFPA Namíbia/Emma Mbekele

Negar direitos sexuais e reprodutivos prejudica progresso socioeconômico dos países, diz relatório

Negar o direito de mulheres, casais ou indivíduos escolherem quando e quantos filhos desejam ter pode prejudicar o progresso socioeconômico dos países, uma vez que, com esses direitos negados, as pessoas não desenvolvem plenamente seus potenciais.

A conclusão é do relatório “O poder de escolha: direitos reprodutivos e a transição demográfica”, divulgado em outubro pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Steven Jose participou da oficina e pôde resgatar um hobby que há muito não praticava: a pintura. Foto: ADRA/Fernando Borges

ONU, venezuelanos e brasileiros inauguram centro de assistência para refugiados em Manaus

Famílias venezuelanas participaram no último domingo (16), em Manaus (AM), da abertura do Centro de Apoio e Referência a Refugiados e Migrantes (CARE). Inauguração arrecadou quase quatro toneladas de alimentos para os estrangeiros, que receberam atendimento de saúde e odontológico e puderam cortar o cabelo gratuitamente durante o evento. Programação também promoveu oficinas de arte e doações de roupas e livros.

Para o oficial do UNFPA Vinícius Monteiro, o projeto contribui para a implementação e o monitoramento do alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, além das metas da "Agenda 2063: A África que queremos". Foto: PNUD

Brasil apoia países africanos na coleta de dados para a realização de censos

O projeto de cooperação técnica “Centros de Referência em Censos com Coleta Eletrônica de Dados” está entre as cinco melhores ações de Cooperação Sul-Sul do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em todo o mundo.

O objetivo da ação é capacitar os institutos de estatística de Cabo Verde e Senegal, por meio da troca de experiências e conhecimento com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e o UNFPA.

Gravidez na adolescência preocupa Fundo de População da ONU e Itaipu Binacional. Foto: UNFPA/Solange Souza

UNFPA e Itaipu defendem políticas de saúde e educação para prevenir gravidez na adolescência

Em Foz do Iguaçu (PR), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Itaipu Binacional reafirmaram na terça-feira (11) seu compromisso em desenvolver políticas públicas para prevenir a gravidez entre adolescentes.

Instituições promovem seminário sobre o tema, com a participação de gestores do Oeste do Paraná, de outras partes do Brasil e também da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai.

Adolescente brasileira grávida. Foto: Marcello Casal Jr/Abr.

Fundo de População da ONU defende educação sexual para evitar gravidez na adolescência

No Brasil, um em cada cinco bebês nasce de uma mãe com idade entre dez e 19 anos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A cada três mulheres casadas com idades entre 20 e 24 anos, uma se casou antes de completar a maioridade.

Para discutir esses e outros desafios brasileiros em saúde sexual e reprodutiva, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participou na sexta-feira (7), em São Paulo, de um simpósio sobre planejamento familiar.

A Casa Miga em Manaus oferece um espaço seguro para que migrantes e refugiadas venezuelanas possam recomeçar a vida no Brasil. Foto: ACNUR/João Machado

Documento padroniza proteção de mulheres, LGBTI e refugiados em Manaus

Agências do Sistema ONU no Brasil e a Rede de Proteção de Manaus assinaram documento na capital amazonense com o objetivo de garantir a integralidade do cuidado e da proteção de pessoas vítimas de violência, especialmente mulheres, crianças, adolescentes, LGBTIs e refugiados.

O documento servirá para orientar e informar servidores públicos, técnicos e população em geral sobre serviços especializados de atendimento existentes em Manaus. Será um guia para garantir uma resposta rápida, precisa e adequada às pessoas vítimas de violência.

Pelo Sistema ONU no Brasil, o documento foi assinado por Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Países do Cone Sul tem taxa maior de gravidez na adolescência quando comparada à taxa global e de outros países em desenvolvimento. Foto: Solange Souza/UNFPA Brasil

Fundo de População da ONU e Itaipu Binacional promovem seminário sobre gravidez na adolescência

Nas próximas terça (11) e quarta-feira (12), a cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, recebe o I Seminário Internacional para a Prevenção e Redução da Gravidez não Intencional na Adolescência.

Com o envolvimento da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP), o encontro reúne gestores públicos, técnicos, especialistas e a sociedade civil do Brasil e outros países da América Latina.

Representantes do setor privado e do UNFPA discutiram ações em saúde sexual e reprodutiva para 2019. Foto: UNFPA/Paola Bello

Fundo de População da ONU e setor privado discutem projetos de saúde sexual e reprodutiva para 2019

Em São Paulo, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) encontrou-se com parceiros do setor privado para discutir o atual cenário da saúde e dos direitos sexuais e reprodutivos no Brasil. Diálogo reuniu empresas que integram uma coligação do UNFPA em prol de uma sexualidade segura, com gestações desejadas e decisões informadas sobre ter filhos ou não. Instituições debateram ainda parcerias e ações para 2019.

Tudo o que foi produzido durante a oficina ficou no espaço dedicado para acolhimento de mulheres, adolescentes, população LGBTI, idosos e pessoas com deficiência. Foto: UNFPA Brasil/Yare Perdomo

Fundo de População da ONU promove espaço seguro para mulheres e meninas em Roraima

Para marcar os 16 dias de ativismo contra a violência de gênero, jovens brasileiras e venezuelanas se uniram na tarefa de construir um espaço seguro para mulheres, adolescentes e pessoas em vulnerabilidade que chegam aos postos de triagem para migrantes e refugiados de Boa Vista e Pacaraima (RR). A iniciativa é do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), em parceria com o Projeto Crescer, ação social da Prefeitura Municipal de Boa Vista.

A jornalista Ângela Bastos, repórter especial do Diário Catarinense, foi uma das convidadas do workshop. Foto: UNFPA Brasil/Yare Perdomo

Em Roraima, ONU discute cobertura jornalística de situações de refúgio e migração

“O papel do jornalista local é o papel de qualquer jornalista no mundo, que é um olhar focado nas pessoas”, defendeu em Roraima a repórter Ângela Bastos, do Diário Catarinense, de Florianópolis (SC). A jornalista esteve em Boa Vista para o workshop “Jornalismo Além das Fronteiras”, promovido pela ONU para discutir o papel da imprensa em contextos de migração e refúgio. Encontro abordou xenofobia e desafios das mulheres e crianças deslocadas.

Profissionais de saúde do DF exibem o certificado do selo Chega Mais, para serviços de atendimento voltados à população adolescente. Foto: UNFPA/Thais Rodrigues

Fundo de População da ONU reconhece 19 unidades de saúde do DF

Um serviço de saúde inclusivo, que se preocupa com as questões sexuais e reprodutivas dos jovens, é acessível e livre de discriminação. Essas são características comuns às 19 iniciativas e unidades de atendimento certificadas na quinta-feira (29), em Brasília, pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Agência da ONU reconheceu centros clínicos do Distrito Federal que oferecem serviços adequados para os adolescentes, considerando as peculiaridades dessa população.

Oficiais do UNFPA e da ONU Mulheres participaram de atividade em Brasília (DF) para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher. Foto: UNFPA/Thais Rodrigues

Agências da ONU se reúnem no DF pelo fim da violência contra mulheres no Brasil

Estimativas globais da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que aproximadamente 35% das mulheres em todo o mundo sofreram violência física ou sexual por parte de parceiro ou terceiros durante a vida.

Diante desse cenário, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a ONU Mulheres participaram na segunda-feira (26) de atividade em Brasília (DF) para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher, lembrado no dia 25 de novembro.

Organizado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), o evento também lembrou os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres que, no Brasil, se inicia em 20 de novembro com o Dia da Consciência Negra.

O UNFPA e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) estão recebendo apoio da União Europeia para intensificar e aprimorar os esforços de apoio a venezuelanos. Foto: UNFPA/Yare Perdomo

União Europeia apoia esforços da ONU no atendimento a venezuelanos no Brasil

Desde 2015, mais de 85 mil venezuelanos e venezuelanas procuraram a Polícia Federal para solicitar refúgio ou residência no Brasil. A maior parte dessas pessoas chega ao país por via terrestre, cruzando a fronteira em Roraima. Para oferecer atendimento humanitário a essa população, várias agências da ONU têm trabalhado na região junto ao governo federal. Desde julho, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) estão recebendo apoio da União Europeia para intensificar e aprimorar esses esforços.

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic (direita) e o vice-governador eleito de Roraima, Frutuoso Lins. Foto: PNUD

Vice-governador eleito de Roraima reúne-se com representantes da ONU no Brasil

O vice-governador eleito de Roraima, Frutuoso Lins, visitou na quinta-feira (22) a Casa da ONU em Brasília (DF) para reunião com representantes do Sistema das Nações Unidas no Brasil.

Na ocasião, ele mencionou uma série de desafios enfrentados pelo estado, entre eles o alto fluxo de entrada de migrantes e solicitantes de refúgio da Venezuela e a pobreza extrema.

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, ofereceu ajuda das agências das Nações Unidas para enfrentar os desafios mencionados, e propôs nova reunião para março ou abril do ano que vem, a ser realizada em Roraima.

Marcha em Montevidéu, Uruguai, reuniu sociedade civil e representantes da ONU em 2017 para pedir o fim da violência contra as mulheres. Foto: ONU Mulheres/Sahand Minae

Em dia mundial, ONU pede solidariedade a mulheres sobreviventes de violência

Em mensagem para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher, lembrado em 25 de novembro, agências da ONU pediram solidariedade a mulheres sobreviventes de agressões e violações de direitos.

Organismos celebraram a força de movimentos sociais, como o #MeToo (#EuTambém), que expuseram a dimensão dos abusos baseados em gênero — quando a mulher é atacada ou intimidada apenas por ser mulher.

Anna Cunha, oficial de programa do UNFPA no Brasil. Foto: UNFPA/Webert da Cruz

Seminário em Brasília chama a atenção para pessoas em situação de rua

A autonomia e a transformação social de pessoas que vivem em situação de rua foram tema de seminário realizado esta semana, em Brasília (DF). Promovido por Revista Traços, Universidade de Brasília (UnB) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o evento contou com o apoio e participação do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

No evento, o UNFPA levou para o debate a campanha da ONU Brasil Vidas Negras, que defende o fim da violência contra a juventude negra no país e lembra a importância do enfrentamento ao racismo.

Da esquerda para a direita, Florence Bauer (UNICEF), José Egas (ACNUR), Stéphane Rostiaux (OIM) e Irina Bacci (UNFPA). Foto: ACNUR/Victoria Hugueney

Agências da ONU recebem prêmio por resposta humanitária à crise venezuelana

Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Organização Internacional para as Migrações (OIM), Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), junto ao Exército Brasileiro, foram reconhecidos pelo Ministério dos Direitos Humanos brasileiro pelas ações conjuntas de atendimento a pessoas vindas da Venezuela. A premiação foi concedida nesta quarta-feira (21), em Brasília (DF).

Selo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) reconhece qualidade nos serviços de saúde oferecidos a adolescentes no DF. Foto: EBC

Selo de qualidade para atendimento de saúde a adolescentes certifica 19 iniciativas

O processo de certificação do selo de qualidade Chega Mais encerrou-se nesta segunda-feira (19). A iniciativa do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) buscou reconhecer profissionais e serviços públicos de saúde que trabalham no cuidado e atenção de adolescentes em Brasília (DF).

Ao final, 19 ações foram certificadas, entre serviços e equipes que demonstraram contemplar dimensões como acessibilidade, equidade, educação permanente, gestão participativa e intersetorialidade.