Especialistas discutem povos indígenas no contexto da COVID-19

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Associação Brasileira de Estudos Populacionais realizarão amanhã (20), às 15h, a quarta edição da série de webinários “População e Desenvolvimento em Debate”, com o tema “Povos Indígenas e a pandemia da COVID-19”.

O debate acontecerá no canal do UNFPA Brasil no youtube e contará com a participação de Tsitsina Xavante, pesquisadora e defensora dos direitos dos povos indígenas, juventude e mulheres; Ailton Krenak, líder indígena, ambientalista e escritor; Marta Antunes do IBGE, Andrey Cardoso da Fiocruz, e com a facilitação da Marta Azevedo da Unicamp.

ARTIGO: Quebre o silêncio!

No 30º aniversário do Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia, 17 de maio, a diretora-executiva do Fundo de População da ONU (UNFPA), dra. Natalia Kanem, enfatizou a importância de quebrar o silêncio e mencionou o artigo 1º da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que fala que “todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos”.

“Pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans, travestis, queer e intersexuais (LGBTQI) são consideradas as mais vulneráveis e marginalizadas em muitas sociedades, sofrendo discriminação que afeta negativamente todos os aspectos de suas vidas. Devido à pandemia da COVID-19, no momento, as pessoas LGBTQI estão entre as que correm maior risco”. Leia o artigo na íntegra.

ONU quer saber como jovens da América Latina e Caribe sobre estão enfrentando a pandemia

As Nações Unidas convidam adolescentes e jovens entre 15 e 29 anos dos países da América Latina e do Caribe a participar de uma pesquisa para saber como estão enfrentando a pandemia de COVID-19, bem como suas preocupações atuais e futuras. A pesquisa estará aberta até 26 de maio.

Os resultados guiarão a resposta das Nações Unidas na América Latina e no Caribe para interromper a propagação da doença e mitigar as repercussões da pandemia. É essencial que a ONU reconheça os múltiplos e diversos impactos que a pandemia da COVID-19 já tem e terá na população jovem e em seus direitos humanos.

Vídeo foi produzido em parceria com a Rede Globo. Foto: Reprodução

Campanha discute necessidade de eliminar expressões racistas do vocabulário popular

Nesta semana, o Brasil lembra os 132 anos da abolição da escravatura, ocorrida em 13 de maio de 1888. A data é uma oportunidade de revisitar as cicatrizes deixadas pela escravidão, ainda sentidas na sociedade atual: racismo, discriminação e iniquidades.

A Rede Globo começa a veicular nesta quarta-feira (13) um vídeo produzido em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) que reflete sobre o racismo a partir de frases do cotidiano.

Isolamento social provocado pela pandemia piora desigualdades de gênero. Foto: AGECOM/Ronaldo Silva

COVID-19: especialistas discutem ações efetivas para enfrentamento da violência contra a mulher

Para a representante auxiliar do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Junia Quiroga, a pandemia de COVID-19 acirra as desigualdades de gênero. “Sabemos que os surtos de doenças afetam mulheres e homens de maneiras diferentes, e as pandemias tornam mais agudas as condições que determinam desigualdades desfavoráveis a mulheres e meninas.”

“Com a suspensão de serviços ou maior dificuldade de acesso de estruturas institucionais e comunitárias que protegem mulheres e meninas, medidas de proteção específicas devem ser implementadas”, disse.

Especialistas discutem COVID-19 e a pressão sobre o Sistema Único de Saúde

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Associação Brasileira de Estudos Populacionais realizarão amanhã (13), às 15h, a terceira edição da série de webinários “População e Desenvolvimento em Debate”, com o tema “COVID-19 e a pressão sobre o Sistema Único de Saúde”.

O debate acontecerá no canal do UNFPA Brasil no youtube e contará com a participação de Gilvan Ramalho Guedes da Universidade Federal de Minas Gerais; Nisia Trindade de Lima, Presidente da Fiocruz; Fernando Pigatto, Presidente do Conselho Nacional de Saúde e com a facilitação da Representante do Fundo de População das Nações Unidas no Brasil, Astrid Bant.

Francis (esquerda) e Siliany (direita), acompanhada da mãe, conversam com funcionária do IMDH durante entrega do cartão do programa CBI em Brasília. Foto: Luiz Fernando Godinho/ACNUR

“Sem esse dinheiro eu estaria na rua”, diz venezuelana apoiada pelo ACNUR

As manicures venezuelanas Silany e Francis chegaram ao Brasil há um mês, em plena pandemia do novo coronavírus e não conseguiram colocação profissional por conta das medidas de isolamento social.

Graças a um programa de transferência de renda do ACNUR, elas poderão manter as despesas básicas com moradia, alimentação e medicamentos.

Conheça a história das refugiadas que atualmente moram em Brasília, no Distrito Federal, e saiba como ajudar.

Parteiras e obstetrizes trabalhando em todo o mundo. Fotos: China Maternal and Child Health Association, Ethiopian Midwives Association, UNFPA Honduras, ZHIAN health organization, Vojislav Gushevski, UNFPA Albania

ARTIGO: Parteiras e obstetrizes são heroínas da frente de trabalho na crise de COVID-19

Em declaração para o Dia Internacional das Parteiras, a diretora-executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Natalia Kanem, lembra que, enquanto o mundo enfrenta a COVID-19, mulheres continuam a ficar grávidas e bebês ainda estão nascendo. Partos não param, nem as parteiras e obstetrizes.

“Elas estão trabalhando incansavelmente na frente de trabalho em maternidades, centros de saúde e centros de mulheres no mundo todo, arriscando suas vidas e seu bem-estar para salvar a vida de mulheres e recém-nascidos.” Leia o artigo completo.

O webinário teve a presença de profissionais do IBGE, IBOPE Inteligência e DATASUS do Ministério da Saúde. Foto: Reprodução/Zoom.us

UNFPA: pandemia cria desafios para produção estatística e coleta de dados populacionais

Promover a discussão entre academia, governo e sociedade civil e discutir o desafio da produção de dados e informações frente ao avanço da pandemia no Brasil. Este foi o objetivo do webinário realizado na semana passada (29) por Associação Brasileira de Estudos Populacionais (ABEP) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

“Vários países, dentre eles o Brasil, adiaram a realização dos censos demográficos e adaptaram as pesquisas amostrais para a coleta de dados a distância”, lembrou a representante do UNFPA no Brasil, Astrid Bant.

UNFPA e setor privado discutem gênero diante da COVID-19

Focado na promoção das agendas de direitos humanos e trabalho decente, o Grupo de Trabalho Empresas e Direitos Humanos, liderado pelo Instituto Ethos, realizou na terça-feira (28) uma reunião virtual sobre inovação na gestão da diversidade nas empresas. A convite do Instituto Ethos, o Fundo de População da ONU (UNFPA) apresentou a empresas do setor privado, ações e orientações de gênero baseadas no documento recém-publicado “COVID-19: um olhar para gênero”.

Em meio a surtos de doenças, homens e mulheres podem ser afetados de maneira diferente e as pandemias intensificam as desigualdades existentes. Mulheres representam 70% da força de trabalho em serviços social e de saúde ao redor do mundo. Segundo o documento do UNFPA, “deve ser dada atenção especial à maneira como o ambiente de trabalho de mulheres pode expô-las à discriminação”.

Quarentena pode fazer com que 47 milhões de mulheres em 114 países fiquem sem acesso a contraceptivos, resultando em 7 milhões de gestações não intencionais. Foto: EBC

Pandemia pode prejudicar acesso de mulheres a contraceptivos, alerta UNFPA

O isolamento social provocado pela pandemia de COVID-19 pode prejudicar o acesso de mulheres do mundo todo ao planejamento reprodutivo, o que deve ocasionar gestações não intencionais, alertou o Fundo de População da ONU (UNFPA) nesta quarta-feira (29).

O organismo das Nações Unidas também alertou para um aumento nos próximos meses dos casos de violência de gênero e de outras práticas nocivas contra mulheres.

UNFPA e Itaipu realizam atividades online com adolescentes do oeste do Paraná

O projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná, uma ação do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil em parceria com a Itaipu Binacional, iniciou na quarta-feira (22) uma série de encontros virtuais com adolescentes.

Os encontros têm por objetivo promover debates sobre a promoção de direitos e fornecer informações adequadas às expectativas e dúvidas dos e das jovens durante a pandemia de COVID-19.

Hayam leva cinco minutos para confeccionar uma máscara - Foto: Arquivo pessoal

Refugees make and distribute COVID-19 masks in Sao Paulo

Refugees and migrants are making and distributing masks designed to protect against the coronavirus to residents living in public housing in Sao Paulo, Brazil. Get to know the story of the Syrian designer and journalist who are working in collaboration with the Ministry of Labour and the University of Campinas with support from United Nations Refugee Agency (UNHCR) and the United Nations Population Fund (UNFPA) on the project that is called “Deslocamento Criativo”.

O webinário será transmitido no canal do UNFPA Brasil no Youtube. Arte: UNFPA

Seminário online debate desafios da produção de dados populacionais no contexto da COVID-19

A pandemia do novo coronavírus vem trazendo alterações no cotidiano social e na vida da população, desafiando a produção de dados populacionais e informações. No Brasil, e em diferentes países, ocorreu o adiamento da realização dos censos demográficos e as metodologias para a realização de pesquisas vêm sendo atualizadas para a nova realidade.

Diante deste cenário, na próxima quarta-feira (29), às 15h, a Associação Brasileira de Estudos Populacionais e o Fundo de População da ONU (UNFPA) realizam a primeira edição da série de webinários População e Desenvolvimento em Debate, com o tema “O desafio dos dados populacionais no contexto da COVID-19”. 

Serão priorizadas mulheres gestantes, lactantes e sobreviventes de violência doméstica, além de pessoas idosas. Ao todo, serão distribuídos 1 mil kits de higiene pessoal e limpeza. Foto: UNFPA

UNFPA distribui kits de higiene e limpeza para pessoas refugiadas e migrantes em Roraima

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) começa a distribuir nesta quarta-feira (22) 1 mil kits de higiene pessoal e limpeza a pessoas refugiadas e migrantes em Roraima, para que possam se proteger da pandemia da COVID-19.

Nesse primeiro momento, serão priorizadas mulheres grávidas e lactantes, sobreviventes de violência de gênero, pessoas idosas e crianças. A entrega ocorre em Boa Vista e Pacaraima.

UNFPA faz 7 recomendações para enfrentar a pandemia da COVID-19

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) está trabalhando ativamente durante a pandemia da COVID-19, articulando junto a parceiros, governos e sociedade civil a proteção de pessoas em situação de vulnerabilidade e apoiando a manutenção de serviços de saúde sexual e reprodutiva e prevenção da violência baseada em gênero.

As principais recomendações da agência para esse período foram reunidas em um vídeo rápido e destacam não apenas a manutenção de serviços, como o fornecimento de contraceptivos, proteção de grávidas, pessoas idosas e mulheres que podem ser vítimas de violência doméstica, além de mostrar o papel da juventude nesta pandemia.

Fundo de População da ONU lança podcast sobre saúde sexual e igualdade de gênero

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) lança nesta sexta-feira (17) o podcast “Fala, UNFPA”, uma iniciativa criada para dar visibilidade às ações da organização no Brasil.

O objetivo é discutir questões fundamentais sobre saúde sexual e reprodutiva, equidade de gênero, raça e etnia, população e desenvolvimento, juventude, cooperação entre países do Hemisfério Sul e assistência humanitária, assuntos abordados a partir de uma perspectiva de direitos humanos.

O primeiro episódio, já disponível nas principais plataformas de streaming, aborda a violência contra a mulher em contextos de crise, como a pandemia da COVID-19.

Elayne Sartori, assistente de campo do Fundo de População da ONU, foi uma das mediadoras da sessão. Foto: UNFPA Brasil/Igo Martini

UNFPA e ACNUR realizam primeiro treinamento online sobre prevenção ao abuso e à exploração sexual

Em razão da pandemia de COVID 19, foi realizada na segunda-feira (13) a primeira sessão remota da Oficina Proteção Contra a Exploração, Abuso Sexual e Assédio, com mediação de oficiais da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

A oficina teve como objetivo sensibilizar os trabalhadores e trabalhadoras da assistência humanitária sobre como os atos de exploração e abuso sexual afetam indivíduos e comunidades inteiras e o que fazer a respeito por meio de mecanismos de denúncia.

Representante do UNFPA no Brasil, Astrid Bant, em recente visita a Manaus para conhecer trabalho de assistência humanitária a pessoas refugiadas e migrantes. Foto: UNFPA

Fundo de População da ONU mobiliza R$467 mil para enfrentamento da COVID-19 no Brasil

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil está mobilizando 90,3 mil dólares, ou aproximadamente 467,2 mil reais, de recursos próprios em ações de curto e médio prazo para enfrentamento à pandemia de COVID-19.

O foco é nas populações mais vulneráveis, no apoio aos serviços de saúde sexual e reprodutiva e prevenção da violência contra a mulher. Os recursos também serão direcionados a fomentar análises do impacto da doença em termos populacionais.

Imagem microscópica do coronavírus MERS-CoV, produzida pelo Instituto Nacional de Doenças Infecciosas e Alérgicas - CDC/Unsplash

UNFPA apresenta perguntas e respostas sobre a COVID-19

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) preparou uma série de perguntas e respostas sobre as ações que a agência está tomando em várias partes do mundo por conta da pandemia da COVID-19. O material também inclui explicações para dúvidas relacionadas ao coronavírus e temas tratados pela agência, como mulheres grávidas, enfermeiras, parteiras, violência doméstica, saúde e direitos sexuais reprodutivos, jovens e pessoas idosas.

ARTIGO: Protegendo parteiras para manter mulheres e bebês seguros em meio à pandemia da COVID-19

Em artigo, a diretora executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Dra. Natália Kanem, afirma que parteiras e enfermeiras obstétricas desempenham um papel fundamental na resposta a emergências de saúde públicas como a COVID-19.

“Elas são essenciais para que os sistemas de saúde estejam fortes e resilientes para sobreviver ao coronavírus. É imperativo não comprometer serviços de saúde sexual e reprodutiva ao desviar parteiras para servir como pessoal de emergência”. Leia o artigo na íntegra.

Abida Dawud, sobrevivente da mutilação genital feminina, caminha no deserto Afar, no norte da Etiópia. Foto: UNFPA

“Nunca entregarei meu coração”, diz vítima de mutilação genital feminina

“Minha carne foi roubada, mas nunca entregarei meu coração”. Estas são as poderosas palavras de Abida Dawud, uma das três mulheres sobreviventes do processo de mutilação genital feminina da Etiópia, que conversaram com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) sobre seus traumas.

As três mulheres, todas da região Afar, do país do chifre da África, contam suas histórias na esperança de conseguir empoderar outras mulheres em suas comunidades para pôr um fim à mutilação genital feminina.

Mulher segura sua filha mais nova no Wisdom Center, na área de Gurei, em Juba, no Sudão do Sul, depois de ser espancada pelo marido. Foto: UNICEF

Chefe da ONU alerta para aumento da violência doméstica em meio à pandemia do coronavírus

Para prevenir e combater a violência de gênero durante a pandemia, a ONU recomenda aos países aumentar o investimento em serviços online e em organizações da sociedade civil; garantir que os sistemas judiciais continuem processando os agressores; estabelecer sistemas de alerta de emergência em farmácias e mercados.

Também recomenda declarar abrigos para vítimas de violência de gênero como serviços essenciais; criar maneiras seguras para as mulheres procurarem apoio, sem alertar seus agressores; evitar libertar prisioneiros condenados por violência contra mulheres; ampliar campanhas de conscientização pública, principalmente as voltadas para homens e meninos.

Acabar com as mortes maternas evitáveis é uma das ações do UNFPA em resposta ao coronavírus. Foto: UNFPA

UNFPA: ações em resposta à pandemia da COVID-19

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) está trabalhando com governos e parceiros para priorizar as necessidades particulares de mulheres e meninas, alinhado com os objetivos de acabar com a necessidade não satisfeita de planejamento reprodutivo e contracepção, acabar com as mortes maternas evitáveis e acabar com a violência de gênero e práticas nocivas contra mulheres e meninas até 2030.

Segundo a diretora executiva do UNFPA, Dra. Natalia Kanem, o medo e a incerteza são respostas naturais ao coronavírus. “Mas nós precisamos ser guiados por fatos e informações sólidas”, afirmou a diretora.

Diretora executiva do UNFPA, dra. Natália Kanem. Foto: Lauren Anders Brown/UNFPA

ARTIGO: Precisamos garantir as necessidades de mulheres e meninas enquanto lutamos contra a COVID-19

Em artigo, a diretora-executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Dra. Natalia Kanem, afirma que a cada dia que passa, a escalada da crise da COVID-19 e suas consequências vão ficando ainda mais aparentes e alarmantes.

“Nós não devemos esquecer que há pessoas que estão sobre grande risco em consequência da crise: As mulheres grávidas, que precisam de atendimento pré-natal, mas estão incertas se é ou não seguro ir à clínica. As mulheres em relacionamentos abusivos presas em casa por não conseguir vislumbrar um futuro e temendo por sua segurança. As dez milhares de pessoas em campos refugiados, que estão contando os dias até a chegada do coronavírus, e aquelas para as quais o distanciamento social simplesmente não é uma opção. As pessoas idosas, muitas das quais estão presas no isolamento, estão famintas por interação social e estão particularmente vulneráveis a ficarem seriamente doentes”.

Mulheres estão na linha de frente do combate ao COVID-19 ao redor do mundo. Foto: UNFPA

Mulheres podem sofrer mais violência durante pandemias, alerta UNFPA

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) publicou o documento “Um olhar para gênero” para alertar sobre a necessidade de proteger meninas e mulheres durante a pandemia da COVID-19, através de um olhar segmentado.

Como os sistemas que protegem mulheres e meninas, incluindo estruturas comunitárias, podem enfraquecer ou quebrar, medidas específicas devem ser implementadas para proteger mulheres e meninas do risco de violência por parceiro íntimo com a dinâmica imposta pela COVID-19.

Saúde, direitos sexuais e reprodutivos são questões significativas de saúde pública que requerem muita atenção durante pandemias.

Mulheres podem sofrer mais durante pandemias, como a do novo coronavírus - Foto: Tam Wai/UNSPLASH

Fundo de População da ONU alerta que COVID-19 pede cuidado diferenciado para meninas e mulheres

As medidas tomadas por governos de todo o mundo para limitar o avanço do novo coronavírus não devem perder de vista as vulnerabilidades de mulheres e meninas. O alerta foi feito em nota do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), já que, entre outros fatores, 70% das equipes de trabalho em saúde e serviço social são formadas por mulheres.

Segundo o documento do Fundo de População, ainda são necessários mais dados para entender se mulheres e homens experimentam a COVID-19 de maneira diferente e se possuem complicações e riscos de morte diferentes. Apesar disso, sabe-se que os surtos de doenças afetam mulheres e homens de maneira diversa.

Adolescente brasileira grávida. Foto: Marcello Casal Jr/Abr.

COVID-19: agências da ONU divulgam informações para mulheres grávidas; pedem recursos para crianças

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) divulgou nesta quarta-feira (18) informações para mulheres em idade reprodutiva e grávidas sobre riscos e precauções durante a epidemia provocada pelo novo coronavírus, e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) reforçou o apelo para doadores num momento em que milhares de crianças em todo o mundo precisam de atendimento.

De acordo com o UNFPA, as mulheres grávidas devem tomar as mesmas precauções recomendadas para todos os adultos para evitar infecções, como evitar contato próximo com qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando; lavar as mãos com frequência com sabão e água ou utilizar álcool em gel, cobrindo a boca e o nariz com um lenço ou o cotovelo quando tossir ou espirrar; e cozinhar completamente carnes e ovos.

Yenni com sua filha Branyelis, de sete dias, e seu filho Moises, de três anos, em Boa Vista, Roraima. Foto: ACNUR/Victor Moriyama

Luxemburgo apoia projeto para empoderamento de mulheres venezuelanas em Roraima

Em crises humanitárias, as populações notadamente mais afetadas são de mulheres e crianças. O grau de vulnerabilidade dessas pessoas venezuelanas em Roraima é alto, pois elas acabam expostas a riscos maiores de violência.

Diante deste cenário, o Ministério da Cooperação de Luxemburgo firmou o seu apoio ao programa conjunto “Liderança, empoderamento, acesso e proteção para mulheres migrantes, solicitantes de refúgio e refugiadas no Brasil”, que é implementado por ONU Mulheres, Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) no estado.

Totem da atriz Juliana Alves no SESC Ceilândia. Foto: UNFPA

Campanha sobre saúde sexual e reprodutiva Ela Decide chega a cidades do DF

Chamando atenção do público para a importância do empoderamento de jovens mulheres para que tomem decisões informadas sobre a vida sexual e reprodutiva, a campanha Ela Decide chega ao SESC Ceilândia e Taguatinga e ao Instituto Federal de Brasília (IFB), no Recanto das Emas. A ação é liderada pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e pela Aliança pela Saúde e pelos Direitos Sexuais e Reprodutivos no Brasil.

A iniciativa tem por objetivo discutir o poder de as mulheres ou jovens escolherem quantos filhos ter, se querem ou não ter filhos e o melhor método de prevenção. Além disso, leva à luz questões sobre igualdade de gênero, assédio sexual, como aceitar o próprio corpo e cuidados com a saúde.

A representante do Fundo de População da ONU, Astrid Bant, assinou acordo de parceria com o presidente do Clube Bahia, Guilherme Bellintani. Foto: UNFPA/Midiã Noelle

UNFPA e Esporte Clube Bahia formalizam parceria #ZeroViolência contra Mulher

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Esporte Clube Bahia lançaram oficialmente na tarde do último sábado (7), na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), a campanha #ZeroViolência contra Mulher.

Os jogadores vestiram a camisa da ação e entraram em campo com uniforme personalizado #ZeroViolência contra Mulheres. Meninas acompanharam os atletas na entrada em campo e um vídeo da campanha foi exibido no telão. A parceria conta com oficinas sobre violência de gênero, organizadas pelo UNFPA, para os meninos da divisão de base e os sócios do clube.

Em Foz do Iguaçu, na noite do dia 23 de novembro de 2019, foi exibido o filme "Fala sério, mãe". Foto: Trópico/Vino Carvalho

Em março e abril, Caravana Tá no Rumo movimenta oeste paranaense

Todos os anos no Brasil, cerca de 500 mil bebês nascem de mães com idade entre 10 e 19 anos. No geral, são gestações que não foram planejadas para aquele momento, acontecendo em decorrência da falta de informações, dificuldade de acesso a métodos contraceptivos ou até mesmo de situações de abuso e violência.

Para tentar mudar essa realidade, a ITAIPU Binacional e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) lançaram a Campanha Tá no Rumo. Além de conteúdos para redes sociais, a campanha conta com a caravana que vem percorrendo a região Oeste do Paraná, levando informação de qualidade por meio de exposição interativa e cinedebate.

As frases estarão expostas em todos os portões das salas de embarque do Aeroporto de Brasília até 31 de março de 2020. Foto: UNFPA

Com apoio do UNFPA, Aeroporto de Brasília exibe frases para o Dia Internacional da Mulher

Ao longo do mês de março, o Aeroporto de Brasília (DF) exibe na entrada dos portões de embarque para voos domésticos frases em homenagem ao mês das mulheres e em prol da igualdade de gênero.

“Aviação também é coisa de mulher”; “Ela não é um avião, ela é a comandante”; “Seja uma mulher que decole outras mulheres”; “Voe como uma garota”; “Mulheres podem ir para onde quiserem” são algumas das frases exibidas.

Participaram do encontro, representantes do Instituto Ethos, MSD e Semina. Foto: UNFPA Brasil/Juliana Soares

UNFPA e setor privado planejam ações de saúde sexual e reprodutiva para 2020

Discutir o atual cenário da saúde e dos direitos sexuais e reprodutivos no país e pensar em estratégias e ações para 2020. Estes foram os principais assuntos que guiaram o Comitê Diretivo da Aliança pela Saúde e pelos Direitos Sexuais e Reprodutivos no Brasil em reunião realizada na quinta-feira (5), em São Paulo (SP).

A aliança formada por empresas e organizações filantrópicas tem o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em seu secretariado executivo. 

Jogadores entrarão em campo com meninas e estamparão na camisa logomarca da campanha. Foto: Felipe Oliveira/Clube Bahia

UNFPA e Esporte Clube Bahia lançam campanha #ZeroViolência contra Mulher

Na Semana da Mulher, o Esporte Clube Bahia e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) entrarão em campo. No jogo de sábado (7), pela Copa do Nordeste, as camisas tricolores lançarão a campanha #ZeroViolência contra Mulher, com a logomarca da organização.

O Fundo de População da ONU tem em seu mandato a meta de alcançar três zeros até 2030: zero violências ou práticas nocivas contra mulheres e meninas, zero mortes maternas evitáveis e zero necessidades insatisfeitas de contracepção (planejamento familiar). A união com o Bahia aproveita o Dia Internacional da Mulher, celebrado no domingo (8), para dar início a uma série de medidas conjuntas.

A Administração Regional de Samambaia foi o primeiro local a ser visitado. Foto: UNFPA Brasil/Giselle Cintra

UNFPA: é preciso fortalecer serviços de proteção às mulheres frente à violência de gênero

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a Secretaria da Mulher do Distrito Federal e líderes comunitários da região administrativa de Samambaia (DF) visitaram, na terça-feira (3), equipamentos públicos de denúncia e apoio às vítimas de violência doméstica.

Representando o UNFPA no evento, a oficial de programa para Equidade de Gênero, Raça e Etnia, Rachel Quintiliano, afirmou que, para acabar com a violência contra mulheres e meninas, é necessário buscar o fortalecimento das instituições e serviços.

No município de Capitão Leônidas Marques (PR), prática do ioga é usada como canal para aproximar famílias e promover o debate sobre relacionamentos e conhecimento do próprio corpo. Foto: UNFPA

Saúde sexual e reprodutiva é discutida em aulas de ioga com adolescentes no Paraná

Em Capitão Leônidas Marques, município no oeste do Paraná, adolescentes estão tendo contato com o ioga como uma forma não apenas de exercício da mente e do corpo, mas também como uma ferramenta de promoção do debate sobre saúde e sexualidade.

Durante a prática, são abordados os temas trabalhados pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) nas capacitações dentro do projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná, em parceria com a ITAIPU Binacional.