Fábrica da Natex, produtora de preservativos à base de látex natural, receberá visita de equipe do UNFPA. Foto: SECOM

Fundo de População da ONU debate oferta de produtos de saúde sexual e reprodutiva na América Latina

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participa nesta semana de um encontro em Lima para discutir os desafios da América Latina em adquirir métodos contraceptivos e outros produtos de saúde sexual e reprodutiva. Até amanhã (22), a agência da ONU acompanha debates com delegações do Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru. Evento visa capacitar servidores públicos para melhorar processos de compra de materiais médicos.

Agências da ONU promovem ação de Carnaval sobre prevenção, direitos sexuais e reprodutivos

O que #ÉbomSaber para curtir um Carnaval de forma saudável e protegida? Desde quarta-feira (7), diversas dicas sobre prevenção, saúde e direitos sexuais e reprodutivos começam a ser veiculadas nas redes sociais com o objetivo de incentivar a disseminação de informações importantes para foliões e foliãs.

Ao longo de duas semanas, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), com apoio das redes sociais da ONU Brasil, irão divulgar vídeos e conteúdos interativos em forma de quiz e enquetes, como parte da iniciativa #ÉbomSaber.

Latifatou Compaoré , de 14 anos, foi salva da mutilação genital feminina por sua mãe, uma vítima dessa prática que se recusou a deixar sua filhar ser submetida ao procedimento. Foto: UNFPA/Luca Zordan

Cerca de 68 milhões de meninas e mulheres sofrerão mutilação genital até 2030, diz Fundo de População da ONU

Caso nada seja feito, as estimativas atuais de 3,9 milhões de meninas mutiladas por ano subirão para 4,6 milhões. Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) divulgou dados atualizados sobre essa forma de violência nesta terça-feira (6), Dia Internacional de Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina.

Data mobilizou dirigentes da ONU, como o secretário-geral António Guterres, a enviada para Juventude, Jayathma Wickramanayake, e a diretora-executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Henrietta Fore, que condenaram a prática.

Membros do Conselho Consultivo do UNFPA. Foto: UNFPA/Débora Klempous

Fundo de População das Nações Unidas no Brasil empossa Conselho Consultivo

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) empossou oficialmente na semana passada (31) em São Paulo seu Conselho Consultivo, grupo formado por 14 profissionais reconhecidos nacional e internacionalmente nas áreas em que atuam.

O principal objetivo do Conselho é constituir um espaço plural, de incentivo e apoio à identificação, articulação e proposição de estratégias, parcerias e soluções inovadoras para o UNFPA.

Em todo o mundo, mais de 1 bilhão de pessoas deixam seus lares. Grande parte deste contingente são mulheres acompanhadas de filhos e filhas. Em viagens dentro do mesmo país ou em na busca por oportunidades em outras nações, são mulheres que, acima de tudo, buscam por humanidade. Elas somos nós.

ONU lança vídeo sobre maternidade e migração em campanha contra xenofobia em Roraima

As Nações Unidas lançaram nesta quinta-feira (1º) o terceiro vídeo da campanha contra a xenofobia implementada pela ONU em Roraima. A produção audiovisual aborda os desafios da maternidade em situações de migração e refúgio.

De acordo com uma pesquisa da Universidade Federal do estado (UFRR) e da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), 42% das venezuelanas que migraram para o Brasil vieram sozinhas com seus filhos e são responsáveis financeiras pelo lar.

Além de estarem mais expostos ao risco de morte violenta intencional, os negros e negras também integram o grupo de brasileiros que têm, em geral, piores indicadores de saúde. Foto: EBC

Negros têm maior incidência de problemas de saúde evitáveis no Brasil, alerta ONU

Mortalidade de recém-nascidos antes dos seis dias de vida, infecções sexualmente transmissíveis, mortes maternas, hanseníase e tuberculose. Estes são alguns dos problemas de saúde evitáveis mais frequentes entre a população negra, tanto em comparação ao contingente branco quanto em relação às médias nacionais, alertaram as Nações Unidas na segunda-feira (29), com base em dados oficiais.

“A população negra não é uma população doente”, explica Lúcia Xavier, coordenadora da organização de mulheres negras Criola. “O que acontece é que ela vive com menos qualidade. O grupo é mais vulnerável às doenças porque está sob maior influência dos determinantes sociais de saúde, ou seja, as condições em que uma pessoa vive e trabalha, a insalubridade, as baixas condições sanitárias às quais está submetida, por exemplo. E a soma desses diversos indicadores de vulnerabilidade aumenta também o risco de perder a vida”, afirma.

Mãe e filha em centro de saúde apoiado pelo UNFPA. Agência presta serviços de saúde reprodutiva, sexual, materna e neo-natal. Foto: UNFPA Namíbia/Emma Mbekele

Fundo de População das Nações Unidas no Brasil dá posse a Conselho Consultivo

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), agência da ONU especializada em demografia, juventude e saúde sexual e reprodutiva, realiza na próxima quarta-feira (31) evento oficial em São Paulo para dar posse a seus conselheiros e conselheiras. O encontro é fechado ao público.

O Conselho Consultivo é formado por 14 pessoas reconhecidas nacional e internacionalmente nas áreas em que atuam. Seu principal objetivo é constituir um espaço plural, de incentivo e apoio à identificação, articulação e proposição de estratégias, parcerias e soluções inovadoras para o Fundo de População da ONU.

Casa de repouso para idosos financiada pelo governo de Moçambique. Foto: Banco Mundial/Eric Miller

Com apoio do Brasil e ONU, Moçambique avança na proteção dos direitos das mulheres

Moçambique começou 2018 com mais justiça para as mulheres. O país acaba de concluir um projeto de dois anos para combater a violência de gênero. Iniciativa de cooperação Sul-Sul contou com a parceria do Brasil e de organismos das Nações Unidas. Com o programa, a nação africana conseguiu capacitar agentes públicos de saúde, justiça, segurança e assistência social, além de implementar métodos padronizados de atendimento a vítimas de abuso.

Foto: UNESCO

Guia de educação em sexualidade da ONU enfatiza igualdade de gênero e direitos humanos

Perto de completar dez anos, o guia “Orientações Técnicas de Educação em Sexualidade”, voltado para legisladores que trabalham na elaboração de currículos escolares no mundo todo, teve esta semana sua edição atualizada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Com base em uma análise das melhores práticas no mundo, o guia mostra que a educação em sexualidade ajuda os jovens a se tornar mais responsáveis em sua atitude e comportamento no que se refere à saúde sexual e reprodutiva. Também é essencial no combate à evasão escolar de meninas provocada por gravidez ou casamento precoce.

Meninos passam em frente a edifícios destruídos em Maarat al-Numaan, na província de Idlib. Foto: UNICEF/Giovanni Diffidenti

Equipes humanitárias da ONU alertam para situação de civis no norte da Síria

Equipes humanitárias das Nações Unidas e seus parceiros na Síria expressaram na quarta-feira (3) profunda preocupação com a proteção e o bem-estar de dezenas de milhares de civis nas províncias de Hama e Idlib, norte do país, após confrontos deixarem mortos, feridos e deslocados na região.

De acordo com um porta-voz da ONU, na terça-feira (2), sete pessoas foram assassinadas e ao menos 18 ficaram feridas após um ataque aéreo atingir a cidade de Khan Elsobol, sul de Idlib. No mesmo dia, 25 pessoas ficaram feridas e diversas lojas foram danificadas quando bombardeios atingiram o principal mercado da cidade de Jisr-Ash-Shugur, no oeste da mesma província.

Praia de Moçambique. Foto: Iolanda Frostis/Creative Commons

Brasil e Moçambique concluem projeto de Cooperação Sul-Sul sobre igualdade de gênero

As mulheres no centro do desenvolvimento sustentável e da cooperação entre Brasil e Moçambique foi o foco do projeto Brasil-África realizado entre 2015 e 2017 pelos governos brasileiro e moçambicano e apoiado por ONU Mulheres, Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Ao longo de dois anos, o projeto realizou visitas técnicas, cursos de formação de agentes públicos em saúde e segurança e intercâmbio de boas práticas entre governos e sociedade civil para o enfrentamento da violência contra as mulheres e para seu empoderamento econômico.

Acordo, com vigência inicial de dois anos, tem como principal meta fortalecer as políticas públicas voltadas para a adolescência e juventude do Distrito Federal. Foto: PNUD Brasil/Fábio Donato

Fundo de População da ONU e governo do DF impulsionam políticas públicas para juventude

A Secretaria de Estado da Criança do governo do Distrito Federal (DF) assinou na quarta-feira (20) acordo com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) para fortalecer as políticas públicas voltadas para a adolescência e a juventude na capital federal, tendo como base os direitos humanos universais.

De forma geral, o projeto deve contribuir para ampliar as políticas de adolescência e juventude implementadas pela secretaria, por meio de uma nova metodologia para promoção de protagonismo juvenil e fortalecimento de trajetórias.

Em Serra Leoa, o 15º país do mundo com o maior número de casamentos infantis, quase 40% das meninas se casam antes de completar 18 anos. O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) estão implementando no país um programa de aceleração das ações com o objetivo de erradicar o casamento infantil.

Agências da ONU apoiam fim do casamento infantil em Serra Leoa; vídeo

Em Serra Leoa, o 15º país do mundo com o maior número de casamentos infantis, quase 40% das meninas se casam antes de completar 18 anos. O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) estão implementando no país um programa de aceleração das ações com o objetivo de erradicar o casamento infantil.

Na iniciativa, as agências da ONU utilizam uma abordagem que reconhece e busca enfrentar os fatores socioculturais e estruturais como contribuintes para o casamento infantil. Saiba mais nesse vídeo.

Venezuelanos chegam ao Brasil pela cidade de Pacaraima, em Roraima. Foto: EBC

Agências da ONU lançam em Roraima campanha de combate à xenofobia

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Rede Acolher, da Universidade Federal de Roraima (UFRR), lançam na segunda-feira (18), Dia Internacional dos Migrantes, a campanha “E se Fosse Você”, que traz mensagens de empatia, solidariedade e união entre os povos.

A iniciativa é apoiada por Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), escritório regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) e Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Mãe e filha em centro de saúde apoiado pelo UNFPA. Agência presta serviços de saúde reprodutiva, sexual, materna e neo-natal. Foto: UNFPA Namíbia/Emma Mbekele

Fundo de População da ONU firma parceria com governo para impulso à saúde sexual e reprodutiva

O Fundo de População das Nações Unidas (UNPFA) e o Ministério da Saúde anunciaram uma parceria para fortalecer o complexo industrial de saúde nacional e para a segurança dos insumos em saúde, em especial aqueles relacionados à saúde sexual e reprodutiva.

O acordo terá inicialmente dois anos de vigência. A expectativa é de que, neste período, sejam exploradas oportunidades conjuntas para o desenvolvimento de políticas e programas de saúde da mulher, do homem, de jovens e adolescentes, em especial de saúde sexual e reprodutiva.

A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados realizou audiência pública com o tema "Gravidez na adolescência: sonhos interrompidos". Foto: EBC/Marcello Casal Jr

Empoderar adolescentes é essencial para prevenir gravidez precoce, diz Fundo de População da ONU

Além de fornecer informação e acesso a métodos contraceptivos, é necessário trabalhar o empoderamento na vida das adolescentes brasileiras para prevenir a gravidez precoce, na opinião da oficial de programa do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Anna Cunha, durante audiência pública sobre o tema na Câmara dos Deputados em Brasília (DF).

“Não basta ter informação sem ter o empoderamento das meninas. E quando a gravidez ocorrer, ela não pode ser vista como o fim da vida da adolescente. Os serviços de saúde precisam primeiramente acolhê-la de forma humanizada e com qualidade”, disse Anna na terça-feira (12).

Oficial de direitos humanos da missão de paz da ONU no Mali visita presídio de Sevare, no centro do país, para monitorar situação do local. Foto: MINUSMA/Sylvain Liechti

Secretário-geral da ONU pede que todos se manifestem em defesa dos direitos humanos

Altos funcionários das Nações Unidas pediram na segunda-feira (11) que todos se manifestem na defesa dos direitos dos demais, enquanto celebram o lançamento de um ano de comemorações para o aniversário de 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

“Na prática, o reconhecimento da dignidade inerente e dos direitos iguais para os seres humanos ainda está longe de ser universal”, disse, completando que milhões no mundo todo continuam a sofrer violações e abusos. “E defensores dos direitos humanos ainda enfrentam crescente perseguição e represálias, e o espaço para a ação da sociedade civil está cada vez menor em muitas nações”, acrescentou Guterres.

UNFPA, PNUD e ONU Mulheres divulgaram comunicado conjunto pelo fim da violência de gênero. Foto: Mídia Ninja

No Dia dos Direitos Humanos, agências da ONU pedem fim da violência contra mulheres

Na ocasião do Dia dos Direitos Humanos, lembrado globalmente em 10 de dezembro, os diretores-executivos do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), da ONU Mulheres e o administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) pediram em comunicado conjunto o fim da violência contra as mulheres.

No mundo, uma em cada três mulheres foi vítima de violência física ou sexual, principalmente por parte de um parceiro íntimo. Quase 750 milhões de mulheres e meninas se casaram antes de completar 18 anos, e mais de 200 milhões sofreram mutilação genital. Mais de 70% de todas as vítimas do tráfico de pessoas no mundo são mulheres e meninas, e três em cada quatro delas foram estupradas.

Idoso na vila de Nongma, no sudoeste da China. Foto: Banco Mundial/Steve Harris

Países dos BRICS terão 940 milhões de idosos até 2050

Para discutir os desafios sociais trazidos pelo envelhecimento, o Fundo de População da ONU (UNFPA) foi a Pequim com uma delegação brasileira para participar nos dias 6 e 7 de dezembro da primeira Reunião dos BRICS sobre Envelhecimento. Segundo os organizadores do evento, em 2015, Brasil, China, Rússia, Índia e África do Sul eram o lar de mais de 380 milhões de idosos com 60 anos ou mais. Até 2050, contingente chegará a cerca de 940 milhões.

Um em cada cinco bebês que nascem no Brasil é filho de mãe adolescente. Foto: Governo do Rio de Janeiro

Fundo de População da ONU pede políticas de saúde sexual e reprodutiva para adolescentes nas Américas

Em São Paulo para um seminário internacional sobre a saúde de adolescentes nas Américas, a equipe do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) defendeu na terça-feira (5) que os jovens tenham mais acesso a políticas de saúde sexual e reprodutiva. Agência da ONU lembrou que a América Latina tem a segunda taxa mais alta do mundo de gravidez na adolescência — 18% de todos os partos na região são de mulheres com menos de 20 anos de idade.

Quase 80% da população brasileira que depende do SUS se autodeclara negra. Foto: UNFPA Brasil/Solange Souza

Quase 80% da população brasileira que depende do SUS se autodeclara negra

Estudos e estatísticas oficiais de saúde apontam que as mulheres negras com idade entre 10 a 49 anos são bastante afetadas por mortes maternas provocadas por causas evitáveis como hipertensão, hemorragia e infecção puerperal. As mortes na primeira semana de vida também são mais frequentes entre crianças negras quando comparadas às brancas.

Além disso, quase 80% da população brasileira que depende do Sistema Único de Saúde (SUS) se autodeclara negra. Diante desse contexto, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participou nesta semana (4 e 5) de uma oficina promovida pelo Ministério da Saúde para monitoramento e implementação da Política Nacional de Saúde da População Negra.

Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 3 prevê alcançar a cobertura universal de saúde. Foto: Agência Brasil / Marcello Casal Jr.

Gestão em saúde deve priorizar grupos mais vulneráveis, defende Fundo de População da ONU

Governantes e gestores precisam estar atentos às determinantes sociais da saúde, defendeu nesta terça-feira (5) o representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no país, Jaime Nadal. Em participação na abertura da I Mostra de Experiências Inovadoras do SUS no Distrito Federal, no Instituto Serzedello Corrêa, o dirigente ressaltou que governos precisam priorizar grupos mais vulneráveis, entre eles, as mulheres, jovens e adolescentes.

Vista aérea de Boa Vista, Roraima. Foto: EBC

Venezuelanas e brasileiras farão grafite em Boa Vista (RR) pelo fim da violência contra mulheres

No marco dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Secretaria de Estado do Trabalho e Bem-Estar Social de Roraima (SETRABES) promovem na terça e quarta-feira (5 e 6), a partir das 9h, a grafitagem de um muro em Boa Vista (RR), com a participação mulheres venezuelanas e brasileiras.

Neste Dia Mundial contra a AIDS, programa da ONU destaca a importância do direito à saúde e os desafios que as pessoas vivendo com HIV enfrentam no exercício deste direito. Foto: Imprensa MG/Adair Gomes

UNAIDS destaca direito à saúde de pessoas vivendo com HIV no mundo

No Dia Mundial contra a AIDS, lembrado nesta sexta-feira (1), o diretor-executivo do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Michel Sidibé, destacou a importância do direito à saúde e os desafios que as pessoas vivendo com HIV enfrentam no exercício desse direito.

Para a diretora-executiva do Fundo de População da ONU (UNFPA), Natalia Kanem, acabar com o estigma e a discriminação presentes no mundo todo e assegurar conhecimento através da educação são considerados fatores fundamentais para acabar com a AIDS até 2030.

O novo representante do UNFPA no Brasil traz para o cargo mais de 20 anos de experiência no Sistema das Nações Unidas. Foto: UNFPA

Objetivos das Nações Unidas precisam virar realidade concreta para população, diz UNFPA

Em aula na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, o representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, defendeu na terça-feira (28) que os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS) sejam traduzidos em melhorias concretas na vida das pessoas. Dirigente participou da abertura de um curso sobre uso de dados na elaboração de políticas públicas. Apoiada pelo organismo internacional, formação reúne até amanhã (30) servidores e sociedade civil.

Vacinação contra HPV é fundamental para reduzir incidência de câncer de colo de útero, segundo a OMS. Foto: GAVI / Olivier Asselin

No Brasil, 54,6% das pessoas com idade entre 16 a 25 anos têm HPV

Dados preliminares de pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde nas 26 capitais e no Distrito Federal alertam para o alto índice de HPV entre jovens. Das mais de 7,5 mil pessoas participantes da pesquisa, 2.669 realizaram teste de HPV. Destas, 54,6% apresentaram resultado positivo e 38,4% apresentaram HPV de alto risco para o desenvolvimento de câncer. O relato é do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Cerca de 600 mil rohingyas já deixaram Mianmar em busca de segurança em Bangladesh, desde o final de agosto. Crise foi lembrada pela diretora-executiva do UNFPA, Natalia Kanem, em mensagem para 25 de novembro, Dia Internacional pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Foto: UNFPA/Naymuzzaman Prince

Uma em cada três mulheres já foi vítima de violência, alerta Fundo de População da ONU

Em pronunciamento para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher, observado em 25 de novembro, a diretora-executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Natalia Kanem, lembrou a história de Shakila, uma integrante do povo rohingya que fugiu de Mianmar, seu país de origem, em busca de segurança em Bangladesh, nação vizinha. A refugiada conta que foi estuprada depois de ter sido forçada a assistir ao assassinato de seu marido e de sua filha.

Insegurança em campus da UnB já foi motivo de protestos dos alunos, em 2013. Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

Governo do DF e agências da ONU combatem violência contra mulheres na capital brasileira

Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), ONU Mulheres e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) participaram no sábado (25), Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, da assinatura de um protocolo de intenções com o governo do Distrito Federal tendo como objetivo desenvolver uma série de ações de combate a esse problema na capital do país.

A família de Tatiana, na Ucrânia, foi destruída pelos abusos do marido. Ele já se foi, mas ela e as seis crianças ainda tentam reconstruir a vida. Foto: UNFPA/Maks Levin

Fundo de População da ONU reúne relatos de mulheres que viveram situações de violência

Neste sábado (25), começa em todo o mundo a campanha anual de 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Baseada em Gênero. No Brasil, o lançamento aconteceu um pouco mais cedo, na segunda-feira (20), Dia da Consciência Negra, para lembrar que as mulheres negras brasileiras são as principais vítimas deste tipo de agressão. Como parte da iniciativa global, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) reuniu relatos de mulheres de diferentes lugares do mundo sobre o tema.

Grupo coordenado por UNFPA e OPAS/OMS promoveu o debate sobre Estratégia Global para a Saúde das Mulheres, das Crianças e dos Adolescentes 2016-2030. Foto: OMS

ONU e parceiros discutem estratégia nacional para saúde de mulheres, crianças e adolescentes

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) receberam na quinta-feira (23) representantes de outras agências da ONU, do Ministério da Saúde brasileiro, da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL) e da sociedade civil para discutir a implementação da Estratégia Global para a Saúde das Mulheres, das Crianças e dos Adolescentes 2016-2030 no país.

A iniciativa foca no apoio aos países para que as políticas públicas de saúde efetivamente promovam a equidade e sejam voltadas aos mais vulneráveis, sem deixar ninguém para trás.

Neste Dia Mundial contra a AIDS, programa da ONU destaca a importância do direito à saúde e os desafios que as pessoas vivendo com HIV enfrentam no exercício deste direito. Foto: Imprensa MG/Adair Gomes

Fundo de População da ONU alerta para crescimento da epidemia de HIV entre os jovens

Em participação no VIII Encontro Nacional de Adolescentes e Jovens vivendo com HIV/AIDS, em Brasília, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) alertou que a epidemia tem avançado entre os jovens brasileiros. De 2006 a 2015, a taxa de indivíduos com AIDS praticamente triplicou entre homens de 15 a 19 anos — de 2,4 para 6,9 casos por 100 mil habitantes. Entre jovens do sexo masculino de 20 a 24 anos, o índice dobrou — de 15,0 para 33,1 por 100 mil habitantes.

Cerimônia de abertura do curso de capacitação em Cabo Verde. Foto: ABC

Fundo de População da ONU e IBGE apoiam institutos de estatística africanos na coleta eletrônica de dados

Dados estatísticos confiáveis e de qualidade são fundamentais para a identificação da realidade de cada país e para a elaboração de políticas públicas relacionadas à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

A conclusão é de participantes do curso de capacitação de técnicos dos institutos de estatísticas de Senegal e de Cabo Verde, realizada por uma parceria entre a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Agências da ONU manifestaram preocupação com PEC 181/15. Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão.

Agências da ONU divulgam nota sobre PEC 181/15

Agências das Nações Unidas no Brasil manifestaram no domingo (19) preocupação com a eventual aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 181/15 que, segundo as instituições, em seus termos atuais acarretará em maior risco para a saúde de mulheres e meninas.

As agências da ONU lembram que, de acordo com relatores do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, a negação de serviços de abortamento nos casos já previstos em lei pode colocar em risco a saúde física e mental de mulheres e meninas cujo sofrimento pode constituir tortura e/ou tratamento cruel, desumano ou degradante.

A declaração foi divulgada em comunicado assinado por Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), ONU Mulheres, Escritório da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde no Brasil (OPAS/OMS) e o Escritório Regional para a América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

Fundo de População da ONU defende que serviços de saúde incluam perspectiva de direitos humanos

Em encontro na Bahia com mais de 200 gestores, assistentes sociais, enfermeiros e outros profissionais que trabalham na Fundação da Criança e do Adolescente (FUNDAC) — entidade responsável por jovens em cumprimento de medidas socioeducativas —, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) defendeu a promoção dos direitos sexuais e reprodutivos da juventude. Agência da ONU lembrou compromissos do Brasil para incluir perspectiva de direitos humanos nos serviços de saúde.

Países africanos têm buscado cooperação técnica com IBGE. Foto: EBC

IBGE e Fundo de População da ONU ajudam países africanos a adotar coleta eletrônica em censos

Especialistas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foram nesta semana ao Senegal para capacitar 25 técnicos do país africano sobre o uso de aparelhos eletrônicos na coleta de dados para censos populacionais. Realizada em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), iniciativa teve início na segunda-feira (13) e faz parte de projeto que visa à criação de centros de referência em estatística na África.