Campanha no oeste do Paraná visa prevenir gravidez não planejada na adolescência

Todos os anos, cerca de 500 mil bebês nascem de mães com idade entre 10 e 19 anos no Brasil. O Paraná respondeu no ano passado por 22,3 mil desses nascimentos. Em geral, são gestações que não foram planejadas e acontecem em decorrência da falta de informação, de acesso a métodos contraceptivos ou até mesmo de situações de abuso e violência.

Para tentar reverter esse quadro, a Itaipu Binacional e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) lançam na quinta-feira (21) a Campanha Tá no Rumo. Voltada ao público adolescente, a iniciativa leva informação de qualidade por meio de exposição interativa e cinedebate.

A vice-secretária geral da ONU, Amina Mohammed encontra estudantes em Nairóbi, no Quênia. Foto: Goergina Sane Smith/PNUMA

Conferência de Nairobi: mulheres precisam decidir sobre concepção para alcançar igualdade de gênero

Para alcançar igualdade de gênero, as mulheres precisam ter o poder de tomar suas próprias decisões sobre concepção. A declaração foi feita pela vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, durante a abertura da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, em Nairobi.

No encontro, a diretora exectuva do UNAIDS, Winnie Byanyima, fez uma declaração de compromisso para intensificar as ações e o compromisso de acabar com a AIDS, eliminar a injustiça social e alcançar as mulheres e meninas que estão sendo deixadas para trás.

O Fundo de População da ONU (UNFPA) organiza o encontro em parceria com os governos do Quênia e da Dinamarca.

Brasil participa da Cúpula de Nairóbi para discutir direitos sexuais e reprodutivos

Ações para salvar vidas de mães, atender a demanda mundial de contracepção e combater a violência baseada em gênero contra mulheres e meninas até 2030. Estes são os principais objetivos da Cúpula de Nairóbi CPID25, que começa nesta terça-feira (12).

O evento tem lugar 25 anos depois da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CPID). Em 1994, 179 países fizeram um chamado ao empoderamento de mulheres e meninas em todas as esferas de suas vidas, incluindo a saúde sexual e reprodutiva.

XI Seminário Internacional do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras, em Manaus, contou com a participação do Fundo de População das Nações Unidas - Foto: divulgação

Fundo de População da ONU participa de seminário internacional de universidades

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participou, na última semana, do XI Seminário Internacional do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras, em Manaus, para explicar o papel da agência na assistência humanitária e no apoio a migrantes e refugiados. Com foco na internacionalização universitária, o Grupo Coimbra reúne 88 instituições.

Realizado em parceria com a Universidade Federal do Amazonas (UFAM), o evento contou com a presença de representantes universitários de 28 países, entre eles Colômbia, Costa Rica, Equador, Argentina, Cuba, Estados Unidos, Itália, Japão, Angola, Moçambique, Nicarágua e Suíça.

A venezuelana Almeris, de 20 anos, viajou com seu filho de apenas dois anos e o marido por cerca de 40 horas em um ônibus até Boa Vista. Foto: ACNUR | Alexandre Pereira.

Operação Acolhida em Manaus inaugura espaço com serviços de documentação e interiorização para refugiados e migrantes venezuelanos

Inaugurado na última terça-feira (5), em Manaus, novo Posto de Interiorização e Triagem (PITRIG) da Operação Acolhida visa fornecer, em um único espaço, assistência para milhares de venezuelanos que passam pela cidade devido ao alto fluxo migratório de seu país.

“Quando decidimos deixar a Venezuela, nossa esperança era encontrar apoio aqui para vivermos e termos trabalho. Desde então não tínhamos documentos para isso, como CPF e Carteira de Trabalho. Foi quando soubemos que este posto seria aberto e poderia nos ajudar”, Almeris (20), venezuelana em Manaus.

O posto foi idealizado pelo Comitê Federal de Assistência Emergencial do governo federal e conta com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR); Organização Internacional para Migrações (OIM); Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF); Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA); entidades da sociedade civil e atores municipais e estaduais. Espaço funciona de segunda a sexta-feira, das 08h às 17h, na região Centro-Sul de Manaus.

Exposição “Ojidu – Árvore da Vida Warao” em cartaz no museu A CASA com abertura no dia 7 de novembro e visitação até 20 de dezembro. Foto: Benjamin Mast.

São Paulo recebe exposição com artesanato de indígenas venezuelanas Warao vivendo no Brasil

Realizada pelo museu A CASA em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR); Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA); Fraternidade – Federação Humanitária Internacional (FFHI); União Europeia e governo federal, a exposição “Ojidu – Árvore da Vida Warao” reúne artesanato indígena venezuelano produzido pelas mulheres Warao vivendo no Brasil.

Entre 7 de novembro e 20 de novembro, museu A CASA exibe as peças feitas em palha de buriti, árvore nativa da Amazônia brasileira e venezuelana de importância central na vida dos Warao. As peças estarão à venda no museu e o dinheiro arrecadado apoiará novas ações de geração de renda para essa população.

Desde 2016, venezuelanos Warao chegam ao Brasil em busca de proteção e refúgio. Atualmente, estima-se que pelo menos 4.500 indígenas dessa etnia vindos da Venezuela encontram-se refugiados no Brasil.

Saúde. Foto: Rawpixel/CC.

Consultor do UNFPA visita unidades de saúde da rede pública para conhecer acesso a contraceptivos

Entre 29 de outubro e 1º de novembro, Carlos Anigstein, médico e consultor internacional, visitou unidades de saúde do Distrito Federal (DF) para conhecer mais sobre as rotinas de acesso a contraceptivos na rede pública de saúde, principalmente o Dispositivo Intrauterino (DIU).

A visita aconteceu a convite do escritório regional da América Latina e o Caribe do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA/LACRO) com o objetivo criar um material de boas práticas em saúde a ser compartilhado entre os países da região.

Foto: Bokskapet/Pixabay

Em Cuiabá, estudantes reproduzem workshop do Fundo de População da ONU

Três universidades se reuniram em Cuiabá para realizar um workshop sobre saúde sexual e reprodutiva. A iniciativa foi feita por estudantes de medicina que reproduziram a atividade aprendida com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), em agosto.

O I Simpósio de Ginecologia e Obstetrícia de Mato Grosso foi inspirado no workshop do UNFPA e tratou de temas como infecções sexualmente transmissíveis, métodos contraceptivos, reprodução assistida, saúde da mulher, entre outros.

Análise de Laboratório. Foto: Michal Jarmoluk/CC.

Com apoio do UNAIDS, UNFPA promove capacitação em testagem rápida em Porto Alegre

Cidade gaúcha apresenta taxa de detecção de 60,8 casos de AIDS por 100.000 habitantes—o dobro da taxa para o Rio Grande do Sul e 3,3 vezes maior que a taxa do Brasil.

Como uma das ações do projeto #BoraSaber, implementado pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a oficina “Testagem rápida por amostra de fluido oral no âmbito das ações de prevenção combinada” foi oferecida a jovens da organização local SOMOS – Comunicação, Saúde e Sexualidade.

O encontro contou com a parceria do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS); do Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde; da Secretaria Estadual de Saúde; e da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre.

A Casa Miga em Manaus oferece um espaço seguro para que migrantes e refugiadas venezuelanas possam recomeçar a vida no Brasil. Foto: ACNUR/João Machado

Embaixador da Irlanda visita projeto da ONU que acolhe migrantes em Manaus

O Embaixador da Irlanda no Brasil, Sean Hoy, visitou a Casa Miga em Manaus e disse que levará o exemplo do projeto da Operação Acolhida para outros integrantes da comunidade diplomática.

A Casa Miga abriu as portas em agosto de 2018, coordenada pela organização não-governamental Manifesta LGBTQ+, com apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e da União Europeia.

Com capacidade para 16 pessoas, o local é o abrigo de referência para o acolhimento de pessoas da comunidade LGBTI em Manaus.

Evento na Fiocruz em Brasília contou com apoio da OPAS/OMS e reuniu representantes do UNFPA e ACNUR. Foto: UNFPA Brasil | Thais Rodrigues.

ONU participa de debate sobre políticas de saúde em contexto de migração

Organizado pelo Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde, da Fiocruz Brasília, com apoio da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, o 10º Ciclo de Debates sobre Sustentabilidade de Políticas para Migrantes reuniu representantes do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

O evento aconteceu na última quinta-feira (24), na Fiocruz em Brasília, e discutiu o quadro das migrações, a resposta brasileira ao fluxo migratório de venezuelanos no norte do país e a importância da atenção à saúde nas fronteiras – em especial da população em situação de maior vulnerabilidade, como mulheres, crianças, idosos, indígenas e pessoas LGBTI+.

“Conversei pela primeira vez com meu companheiro sobre sexualidade”, conta migrante venezuelana depois de participar de formação do UNFPA em Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Em Roraima, UNFPA promove formação em saúde sexual e reprodutiva a mulheres venezuelanas

Keibelin Yanez, 27, migrou da Venezuela para o Brasil em 2017 e participa das formações em saúde sexual, reprodutiva e direitos promovidas pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Roraima.

Ela e o esposo decidiram sair da Venezuela quando Keibelin descobriu estar grávida do terceiro filho. Segundo ela, o que ganhavam em seu país de origem mal dava para cuidar das duas crianças que já tinham.

A participação nas formações oferecidas pela ONU ofereceu à Keibelin a possibilidade de cuidar melhor de sua saúde e da saúde de sua família. A reportagem é do UNFPA Brasil.

O grupo Dá uma moral aí reúne adolescentes de diferentes idades para um acompanhamento psicológico realizado pela Secretaria de Saúde. Foto: Pexels/CC.

No oeste do Paraná, iniciativa da ONU inspira novos projetos de atenção à adolescência

O projeto Dá uma moral aí, desenvolvido pela Secretaria de Saúde de Santa Terezinha de Itaipu, município localizado no oeste do Paraná, reúne adolescentes, pais e profissionais da saúde, educação e assistência social para debater sexualidade e outros temas pertinentes à adolescência.

A iniciativa foi inspirada no projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná, do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil em parceria com a ITAIPU Binacional.

Juntos, os projetos têm possibilitado que adolescentes e jovens ajudem na construção de serviços acolhedores de saúde e tenham também garantidas as condições de ampliar suas habilidades para a vida e suas competências socioemocionais.

Atividade de escuta promovida pelo UNFPA Brasil está inserida em um contexto global de debates acerca do tema nos meses que antecedem a Conferência de Alto Nível a ser realizada em Nairóbi, em comemoração aos 25 anos da CIPD. Foto: UNFPA Brasil | Giselle Cintra.

Casa da ONU recebe pessoas indígenas, negras e LGBTI+ para debater avanços desde Conferência Internacional

Em marco aos 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), ocorrida em 1994 no Cairo, capital do Egito, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil promoveu um encontro com representantes das populações negra, indígena e LGBTQI+ para debater o tema.

O intuito do evento, que ocorreu no dia 16 de outubro na Casa da ONU, foi promover a escuta e o diálogo sobre os avanços e os desafios em relação à saúde sexual, reprodutiva e aos direitos dessas comunidades desde a Conferência Internacional de 1994.

Segundo a oficial de programa para a equidade de gênero, raça, etnia e comunicação do UNFPA Brasil, “para os grupos historicamente colocados em situação de maior vulnerabilidade social, os obstáculos para a garantia de direitos e ampliação de liberdades ainda persistem”.

Luciana Collete, de 25 anos, foi selecionada para representar o Brasil. Foto: UNFPA

Brasileira participa de conferência no Egito sobre desenvolvimento e juventude

Com o apoio do presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Ministério da Juventude do Egito lançaram, no dia 16 de outubro, o Modelo para a Juventude da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento.

Durante dois dias, o evento reuniu mais de 200 jovens de 53 países, dando a eles a oportunidade de simular o marco da CIPD que ocorreu no Cairo, em 1994.

Entre as jovens estava a brasileira Luciana Collete, de 25 anos, que trabalha no UNFPA Brasil como assistente de campo em Roraima. Ela foi selecionada para representar o país no Cairo. “Aprendi que nós jovens também temos voz. A nossa participação é importante e podemos fazer muito.”

Fundo de População da ONU em Roraima impulsiona debate sobre saúde sexual, reprodutiva e direitos em abrigo de Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Encontro do UNFPA em Roraima reúne adolescentes migrantes para debater câncer de mama

Em outubro, mês em que no mundo todo acontecem atividades de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil promoveu um encontro para falar do assunto entre adolescentes migrantes vivendo no norte do país.

A atividade aconteceu em Roraima, no abrigo São Vicente, um espaço criado pela Operação Acolhida que é a iniciativa do governo federal responsável por coordenar a resposta e atendimento às pessoas refugiadas e migrantes que chegam ao país oriundas da Venezuela.

Promovido em parceria com a Associação Voluntários para o Serviço Internacional Brasil (AVSI Brasil), o encontro visou sensibilizar as jovens sobre a importância de fazer o autoexame como uma medida preventiva em relação à doença.

Coordenador de juventude do município de Duque de Caxias (RJ), Ewerton Vital entregou a moção "Parceiros da Juventude" em reconhecimento aos trabalhos prestados pelo UNFPA. Foto: Divulgação/Ewerton Vital

Fundo de População da ONU debate parcerias com município de Duque de Caxias (RJ)

O coordenador de juventude de Duque de Caxias (RJ), Ewerton Vital, visitou a sede do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Brasília (DF) no início de outubro (8) para apresentar projetos de investimento em jovens do município e se colocar à disposição para ampliar o debate e estabelecer futuras parcerias.

Na ocasião, o oficial de programa para Juventude e HIV do UNFPA, Caio Oliveira, lembrou que o investimento na juventude é urgente. No Brasil, existem quase 50 milhões de jovens, e ao menos 11 milhões estão fora do mercado de trabalho e das instituições de ensino, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Mãe e filha em centro de saúde apoiado pelo UNFPA. Agência presta serviços de saúde reprodutiva, sexual, materna e neo-natal. Foto: UNFPA Namíbia/Emma Mbekele

UNFPA lança ‘Jornada Zero Violência contra Mulheres e Meninas’ no Distrito Federal

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) tem trabalhado no mundo para alcançar a meta de três zeros até 2030: zero necessidades insatisfeitas de contracepção, zero mortes maternas evitáveis e zero violências ou práticas nocivas contra mulheres e meninas.

Nesse sentido, o UNFPA Brasil, a Secretaria da Mulher e outros órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) lançaram no início de outubro (9) o programa “Jornada Zero Violência contra mulheres e meninas” no Paranoá (DF).

O objetivo é mobilizar a sociedade e articular uma rede de enfrentamento à violência contra a mulher nas regiões administrativas do Distrito Federal.

UNFPA participa de Semana Acadêmica em comemoração aos 25 anos da Conferência do Cairo

A Universidade Federal de Roraima (UFFR) sediará, entre os dias 29 de outubro e 1º de novembro, a 5ª Semana Acadêmica de Relações Internacionais. O evento é fruto da parceria entre o Curso de Relações Internacionais da UFFR e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

O encontro deste ano vai lembrar os 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), realizada no Cairo, Egito, em 1994.

O debate se concentrará nos temas: desenvolvimento sustentável com equidade para todas e todos por meio da promoção dos direitos humanos e da dignidade; igualdade de gênero e empoderamento; juventudes e direitos humanos na agenda global de desenvolvimento; e saúde sexual e reprodutiva.

Os assuntos serão analisados à luz do contexto migratório atual observado no norte do país, sobretudo no estado de Roraima.

“Me ensinaram muito sobre os direitos das pessoas LGBTI+ no Brasil. Eu não tinha ideia porque no meu país isso não existe”, Riri, 22 anos. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Espaço Amigável do UNFPA oferece apoio a migrantes LGBTI+ em Roraima

Depois de ter mantido uma luta constante contra a LGBTIfobia e a discriminação na Venezuela, Riri, de 22 anos, migrou pela segunda vez para o Brasil. Riri relata ter vivido com medo e sofrido “abuso e agressão por ser diferente” em seu país de origem.

“Muitas vezes me perguntam se sou uma mulher transexual, e não sou. Sou uma pessoa que não se identifica com nenhum gênero, e é isso que inquieta as pessoas”, explicou.

Hoje, depois de passar por aquilo que chamou “um turbulento caminho”, fruto da crise econômica da Venezuela, Riri encontrou um lar em Roraima. Logo após ter cruzado a fronteira, conheceu o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que o forneceu apoio e orientação sobre os direitos das pessoas LGBTI+ vivendo no Brasil.

Reunião entre UNFPA, FIOCRUZ e instituições de saúde de países africanos. Foto: FIOCRUZ/Peter Ilicciev

FIOCRUZ e UNFPA reúnem-se para definir prioridades de parceria em direitos da mulher

Representantes da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e de ministérios e institutos de saúde de países africanos reuniram-se na semana passada na sede da fundação, no Rio de Janeiro (RJ), para definir prioridades de temas e estratégias para os próximos cinco anos da parceria.

Na primeira oficina, realizada em agosto, já havia sido definida como prioridade da parceria a redução das mortes maternas evitáveis a zero até 2030 nos países participantes.

Para isso, a estratégia pretende criar um Centro de Referência em Saúde Materna. O propósito é fazer análises e aumentar a capacidade dos países, através da troca de experiências proporcionada pela cooperação triangular entre FIOCRUZ, países de América Latina e Caribe e africanos e UNFPA.

Lucas Rocha, assistente de campo do UNFPA em Paracaima, Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

UNFPA completa dois anos de atuação na resposta humanitária em Roraima

Em setembro de 2019, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) completou dois anos atuando em Roraima, onde presta assistência a grupos com necessidades específicas de proteção.

Neste período, por meio de seu programa de Assistência Humanitária, a agência já atendeu mulheres, gestantes, lactantes, jovens, mães com crianças, população LGBTI, pessoas vivendo com HIV, indígenas, pessoas idosas, com deficiência, entre outros grupos que chegam diariamente ao Brasil, vindos da Venezuela.

O Fundo de População conta, hoje, com uma equipe de 26 pessoas que fazem parte do trabalho humanitário em Brasília, Roraima e, desde setembro de 2019, também em Manaus, capital do Amazonas.

Famílias de venezuelanos participam do programa de interiorização do Governo Federal. Iniciativa tem o apoio de diferentes agências da ONU. Foto: ACNUR

Acordo incentiva municípios brasileiros a acolherem pessoas venezuelanas

A Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil assinou, na quarta-feira (2), em conjunto com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e o governo federal, um protocolo de intenções para incentivar municípios brasileiros a acolherem pessoas refugiadas e migrantes da Venezuela. O objetivo é ampliar a assistência humanitária com foco na integração à sociedade e à economia brasileiras.

“A parceria com a Confederação Nacional dos Municípios é uma conquista nesse processo, por sua capacidade única de sensibilizar e mobilizar os municípios brasileiros para a recepção de pessoas refugiadas e migrantes. Esses municípios terão a oportunidade de integrar à sua população pessoas que aportam capacidades, formações e experiências profissionais variadas”, afirmou o coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic.

O UNFPA lidera a ação de prevenção e resposta à violência baseada em gênero e atua na promoção do acesso à saúde sexual e reprodutiva. Foto: UNFPA Brasil/Thais Rodrigues

UNFPA lembra 25 anos de Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento

Alunos e professores do curso de Relações Internacionais da Universidade Salvador (UNIFACS) tiveram a oportunidade de discutir os avanços e conhecer um pouco mais sobre a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), que neste ano celebra 25 anos.

A conversa contou com a participação da oficial de projetos do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Salvador (BA), Michele Dantas, que explicou que a conferência ocorrida no Cairo em 1994 representou uma mudança de paradigma na forma como os assuntos de população e desenvolvimento passaram a ser abordados no mundo.

Rede Brasileira de População e Desenvolvimento percorre o Brasil em consultas sobre avanços e desafios do tema desde a Conferência Internacional de 1994. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

UNFPA apoia consulta em Roraima sobre o cenário da imigração no Brasil

Como parte de um amplo processo de consulta em várias partes do país sobre os avanços desde a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), realizada no Cairo em 1994, a Rede Brasileira de População e Desenvolvimento visitou Roraima no final de setembro.

O objetivo foi colher demandas, experiências e proposições de imigrantes, profissionais que atuam na resposta ao fluxo migratório e a comunidade acadêmica sobre os desafios atuais da imigração no Brasil, no contexto dos 25 anos da Conferência Internacional no Cairo.

O encontro foi realizado em parceria com o Fundo de População da ONU (UNFPA) e contou com a participação de professores e estudantes da Universidade Federal de Roraima; profissionais do Exército da Salvação; da Associação Voluntários para o Serviço Internacional (AVISI Brasil); do Núcleo de Mulheres de Roraima e pessoas refugiadas e migrantes de diferentes gerações e gêneros.

Ministra Damares visitou o Espaço Amigável do UNFPA em Paracaima, Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Espaço Amigável, do UNFPA, recebe visita de comitiva do governo federal

Como parte da agenda em Roraima, a ministra do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, visitou o Posto de Triagem da Operação Acolhida em Pacaraima.

Durante a passagem, ela conheceu o Espaço Amigável do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) onde se encontravam 19 mulheres gestantes que participavam de uma sessão informativa sobre saúde sexual e reprodutiva.

A comitiva contou também com a presença do governador do estado de Roraima, Antônio Denarium e do prefeito de Pacaraima, Juliano Torquato.

Profissionais de saúde de Foz do Iguaçu têm buscado aprimorar serviços para atender as adolescentes de forma amigável. Foto: UNFPA Brasil.

Foz do Iguaçu aprimora serviços públicos a fim de diminuir gravidez na adolescência

Em Foz do Iguaçu, somente em 2017 nasceram vivos 531 bebês de mães com idade entre 10 e 19 anos. O índice representa 12% dos nascimentos no município, de acordo com o DATASUS.

Na busca por ações que ajudem a reduzir esse índice, assim como evitar que uma segunda gravidez não intencional aconteça na adolescência, profissionais de diferentes setores têm investido na oferta de informações e serviços mais acolhedores.

O município participa do projeto ‘Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná’, iniciativa da ITAIPU Binacional em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas no Brasil.

Acampamento 'Juventude Já', promovido pelo UNFPA e parceiros, oferece espaço para que os jovens incidem sobre as políticas públicas que os afetam. Foto: UNFPA.

Acampamento do UNFPA reúne jovens da América Latina a fim de impulsionar lideranças

Entre 20 e 23 de setembro de 2019 ocorreu o segundo Acampamento Regional ‘Juventudes Já’, uma iniciativa do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) para impulsionar a participação e a liderança juvenil na América Latina e no Caribe.

Durante os quatro dias, 50 jovens ativistas de diferentes países da região se reuniram no México para compartilhar experiências, construir alianças e fortalecer suas capacidades de incidência política, participação e reconhecimento.

Conheça o perfil de alguns desses jovens que já estão produzindo mudanças em seus contextos.

UNFPA e Itaipu coordenam capacitações de profissionais de saúde, educação e assistência social, voltadas aos municípios que aderiram ao projeto de prevenção e redução da gravidez na adolescência. Foto: UNFPA Brasil | Paola Bello.

No Paraná, UNFPA promove oficinas a profissionais da rede pública de saúde e educação

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil e a ITAIPU Binacional realizam em setembro cinco oficinas voltadas para profissionais da rede pública que atendem diretamente adolescentes no Paraná – em especial nas áreas de educação, saúde e assistência social.

As capacitações acontecem na segunda quinzena de setembro e são parte das atividades realizadas no projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná.

Livro “Entre-lugares” recebeu apoio da ONU e retrata a vida de homens e mulheres migrantes que tiveram como destino o Brasil. Foto: Divulgação.

Em Minas, ONU apoia publicação de livro sobre migração, refúgio e apátridas

Livro “Entre-lugares”, lançado na quinta-feira (19) em Belo Horizonte pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-Minas), contou com o apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e apresenta relatos de homens e mulheres migrantes que tiveram como destino o Brasil.

Com narrativas que mesclam literatura e jornalismo, a obra aborda a jornada de pessoas migrantes nascidas no Peru, Palestina, Argentina, Haiti, Bolívia, China, República Democrática do Congo, Líbano e Síria.

Entre as histórias está a de Maha Mamo e Souad Mamo – nascidas no Líbano, porém sem pátria – que se refugiaram no Brasil. As irmãs foram as primeiras pessoas reconhecidas como apátridas na história brasileira, tendo conquistado a nacionalidade brasileira em 2018.

OPAS defende sistemas de saúde baseados numa atenção primária forte. Foto: Flickr/Portal PBH

Relatório da OMS aponta que investimento em saúde universal pode salvar 60 milhões de vidas

Mais de 5 bilhões de pessoas correm o risco de não ter atendimento em saúde em 2030, aponta um relatório divulgado neste domingo (22) pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O estudo “Atenção primária em saúde no caminho para a Cobertura Universal em Saúde” estima que 60 milhões de vidas podem ser salvas se os países de baixa e média renda investirem 200 bilhões de dólares por ano em atendimento em saúde primária.

Os países precisam aumentar o investimento em atenção primária em saúde em pelo menos 1% do PIB e intensificar esforços para expandir os serviços em todo o território. O mundo precisará dobrar a cobertura em saúde até 2030 e assim aumentar a expectativa de vida em 3,7 anos até lá. O estudo foi preparado pela OMS com contribuições do Banco Mundial, Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento, Fundo de População da ONU e UNICEF.

Novo escritório do UNFPA em Manaus funciona dentro da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Fundo de População da ONU leva ações de assistência humanitária a Manaus

A partir de setembro de 2019, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) passa a operar em Manaus, no Amazonas, ampliando o apoio à Operação Acolhida na assistência à população refugiada e migrante, majoritariamente da Venezuela, que chega ao Brasil pela região norte.

O UNFPA Brasil atua desde agosto de 2017 no estado vizinho, Roraima, liderando a prevenção e a resposta à violência de gênero, além de assessor a gestão local na oferta e no acesso aos serviços de saúde materna, parto seguro e planejamento da vida reprodutiva.

A ideia é levar para o novo posto de trabalho atendimentos em assistência humanitária, apoiando conjuntamente o governo do Amazonas, o município de Manaus e atores da sociedade civil da cidade.

Estudantes acompanham aula magna ministrada pela Oficial do Fundo de População da ONU, Irina Bacci. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Oficial do Fundo de População da ONU ministra aula magna na Universidade Federal de Roraima

A Oficial de Programa para Assuntos Humanitários do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Irina Bacci, ministrou em 9 de setembro uma aula magna sobre migração e direitos LGBTI na Universidade Federal de Roraima (UFRR).

A aula magna fez parte da programação comemorativa dos 30 anos da UFRR – que celebra a data com o tema “Unidos Pela Diversidade”, além de marcar o começo do segundo semestre letivo de 2019.

No encontro, Irina Bacci dialogou com a comunidade universitária acerca dos desafios e oportunidades da agenda de População e Desenvolvimento, ressaltando os 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), realizada em 1994.

A venezuelana Yianela e seu filho estão abrigados em Roraima. Foto: UNFPA/Yareidy Perdomo

Com apoio da ONU, venezuelana recebe informações sobre cuidados de pré-natal

Proveniente da cidade venezuelana de Tigre, Yianela Brizuela, de 18 anos, cruzou a fronteira com o Brasil quando estava em seu terceiro mês de gravidez e levava seu filho de 3 anos no colo. Sua principal motivação era ter melhores condições de vida.

Atualmente no oitavo mês de gestação, ela lembra ter tido contato com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) por meio de uma sessão informativa em Roraima sobre saúde sexual e reprodutiva. Na ocasião, estavam sendo discutidos cuidados de pré-natal.

“Não me esqueço desse dia, porque aprendemos muitas coisas novas. Uma mãe pode acreditar que, por já ter tido um filho, sabe tudo, mas me dei conta de que havia muitas coisas a aprender em relação à gravidez”, explica. Leia o relato completo.

Magdali e seus filhos, felizes em solo brasileiro. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Em Roraima, Espaço Amigável acolhe, escuta e encaminha mulheres venezuelanas a serviços públicos

Em 2018, Magdali Bronn e sua família iniciaram uma luta para ter acesso a serviços de saúde na Venezuela. Os empecilhos, no entanto, foram muitos. Seu marido faleceu de malária no fim de 2018, e sua filha mais nova contraiu otite aguda, que agora precisa ser operada.

Magdali chegou ao Brasil em 14 fevereiro de 2019, quando se celebra, na Venezuela, o Dia do Amor e da Amizade. “Fui recebida pelas pessoas do UNFPA no Espaço Amigável, que me trataram muito bem. Expliquei minha situação e da minha filha, e soube que a operação dela seria possível aqui”, contou.

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) dá apoio a mulheres que chegam em situação de extrema vulnerabilidade ao Brasil, oferecendo um espaço de escuta sensível nos ‘Espaços Amigáveis’, em Roraima.

Salvador, Bahia. Foto: Albert Dezetter (Creative Commons).

UNFPA apoia oficina sobre direitos humanos em instituto cultural na Bahia

Para sensibilizar seus funcionários a respeito da diversidade e do combate a todas as formas de discriminação, o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) promoveu em 05 e 06 de setembro, em Salvador, uma oficina de formação e diálogo em direitos humanos.

A atividade “Dialogando sobre Diversidade e Direitos Humanos” foi organizada em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), o Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBTI da Bahia (CPDD) e o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

O encontro discutiu assuntos como sexualidade, orientação sexual, LGBTIFobia, identidade de gênero e garantia de direitos.

1º Mutirão da Saúde em Ka'ubanoko, ocupação de refugiados e migrantes venezuelanos indígenas e não indígenas, em Roraima. Foto: UNFPA | Yareidy Perdomo.

UNFPA apoia venezuelanos indígenas no processo de integração ao território brasileiro

Agências da ONU têm realizado diversas atividades para ampliar o nível de informação e acesso daqueles que estão em situação de maior vulnerabilidade social em Roraima.

Ka’ubanoko, que significa “meu lar” na língua Warao, é uma ocupação que conta com mais de 600 pessoas indígenas e não indígenas vindas da Venezuela.

O local sediou o 1º Mutirão da Saúde – atividade que reuniu comunidade local, agências das Nações Unidas, instituições públicas e outras organizações para tratar de cuidados médicos e sanitários, além de outros eventos e rodas de conversa sobre direitos, liderança e resiliência comunitária.

Representantes de CONASEMS e UNFPA reuniram-se na sede das Nações Unidas, em Brasília (DF). Foto: UNFPA/Thais Rodrigues

UNFPA pretende realizar ações conjuntas com conselho de secretarias municipais de saúde

Representantes de Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) reuniram-se na quinta-feira (5) em Brasília (DF) para identificar convergências em seus trabalhos e apresentar projetos desenvolvidos por cada uma das instituições. A reunião terminou com a proposta de um acordo de cooperação para ações conjuntas.

Tendo como base a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), que aconteceu em Cairo, em 1994, o UNFPA trabalha para que o Brasil consiga zerar, até 2030, as necessidades insatisfeitas de contracepção, as mortes maternas evitáveis e as práticas nocivas contra mulheres e crianças. Dessa maneira, colabora para a conquista dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A cada dez crianças que nascem no Brasil, duas são de mães adolescentes. Foto: Governo do Rio de Janeiro

Seminário na Câmara dos Deputados discute gravidez não intencional na adolescência

Seminário a ser realizado na Câmara dos Deputados na quarta-feira (11) debaterá a gravidez não intencional na adolescência sob uma perspectiva de direitos humanos e desenvolvimento.

A convite da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, com requerimento de autoria da deputada Carmen Zanotto, parlamentares, integrantes do setor público e privado — representado pela Aliança pela Saúde e pelos Direitos Sexuais e Reprodutivos no Brasil — e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) vão discutir os impactos de uma gravidez não planejada na adolescência e o que fazer para garantir o acesso de adolescentes brasileiras aos direitos reprodutivos.

Dados do Ministério da Saúde apontam que cerca de 18% dos nascimentos no Brasil são de mães entre 10 e 19 anos. A cada dez crianças que nascem, duas são de mães adolescentes.

Equipe de estagiários e estagiárias do UNFPA Brasil 2019. Foto: UNFPA/Giselle Cintra

Estágio afirmativo do UNFPA é porta de entrada de jovens para Sistema ONU

Estudante de Geografia na Universidade de Brasília (UnB), Fábio Pereira é o primeiro da sua família a ingressar no ensino superior, uma vez que seus pais, moradores da Cidade Estrutural (DF), se sustentavam por meio da reciclagem de resíduos sólidos de um dos maiores aterros sanitários da América Latina.

Ele é um dos 11 estagiários que ingressaram no Sistema das Nações Unidas por meio do Programa de Estágio Afirmativo do UNFPA no Brasil em 2019. Leia depoimentos dele e de outros estagiários.