Marlova Noleto (quarta da esquerda para a direita), diretora e representante da UNESCO no Brasil, e Ann Vehulst (quinta da esquerda para a direita), presidente da L'Oreal Brasil, com as vencedoras do Prêmio Para Mulheres na Ciência. Foto: UNESCO

L’Oréal, UNESCO e ABC premiam sete cientistas brasileiras no Rio de Janeiro

Na noite da última quinta-feira (10), a Casa FIRJAN foi palco da 14ª edição do programa Para Mulheres na Ciência, uma parceria entre a fabricante de cosméticos L’Oréal Brasil com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC).

A premiação reconheceu sete cientistas brasileiras com a entrega de bolsas-auxílio de 50 mil reais cada para que possam dar continuidade aos estudos nas áreas de Ciências da Vida, Química, Física e Matemática. Os trabalhos das pesquisadoras foram escolhidos entre mais de 500 projetos inscritos de todo o Brasil.

Os estudantes aprendem sobre conservação ambiental, qualidade de vida e rendas geradas pela floresta. Foto: FAS/Rodolfo Pongelupe

Fundação Amazonas Sustentável vence prêmio UNESCO-Japão em educação

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, nomeou os três vencedores deste ano do Prêmio UNESCO-Japão em Educação para o Desenvolvimento Sustentável (ESD).

Os projetos Fundação Amazonas Sustentável (Brasil), Camphill Community Trust (Botsuana) e a cidade de Hamburgo (Alemanha) foram os vencedores. Cada um dos premiados receberá 50 mil dólares, em uma cerimônia que ocorrerá na sede da UNESCO em 15 de novembro, durante a Conferência Geral da Organização.

A Fundação Amazônia Sustentável venceu o prêmio por seu projeto “Educação Relevante para o Desenvolvimento Sustentável em Comunidades Remotas da Amazônia”, cujo foco é a geração de renda baseada em florestas, conservação ambiental e qualidade de vida.

As atividades incluíram debates, exercícios técnicos e a apresentação de casos. Foto: Conexões Éticas do Terceiro Setor

UNESCO e parceiros promovem capacitação sobre transparência no terceiro setor

As aulas de capacitação do projeto Conexões Éticas do Terceiro Setor foram encerradas na sexta-feira (11), em Brasília (DF). Durante cinco dias, representantes de 20 Organizações da Sociedade Civil (OSCs) participaram de uma programação voltada para a construção de um modelo de gestão mais participativa e transparente em suas áreas de atuação.

As atividades incluíram debates, exercícios técnicos e a apresentação de casos sobre temas como ambiente regulatório, princípios de compliance, gestão de risco no terceiro setor e dinâmicas de trocas comerciais, assistenciais e socioambientais. O evento foi uma parceria entre Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, Petrobras e Universidade Federal Fluminense.

Organizado no Panamá, o Fórum de Parceiros Regionais para a América Latina teve conferências, painéis de discussão e reuniões de networking para troca de experiências. Foto: UNESCO

UNESCO e parceiros reafirmam compromisso de trabalhar para atingir objetivos globais

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) realizou seu primeiro Fórum de Parceiros Regionais para a América Latina e o Caribe, na Cidade do Panamá, de 3 a 4 de outubro de 2019.

O evento foi um convite para parceiros atuais e potenciais se engajarem com a Organização para construir uma agenda que promova a paz universal e para alcançar os objetivos dos programas de Educação, Cultura, Ciência e Comunicação e Informação.

A atriz mexicana Yalitza Aparicio recebeu o título de Embaixadora da Boa Vontade da Unesco para Povos Indígenas. Foto: Unesco | Christelle Alix.

Protagonista do filme Roma recebe título de Embaixadora da Boa Vontade da UNESCO

Primeira indígena mexicana indicada ao prêmio Oscar, Yalitza Aparicio, quer apoiar indígenas e promover os direitos da mulher. Roma foi o primeiro trabalho da jovem atriz, considerada pela revista norte-americana Time uma das 100 pessoas mais influentes do mundo em 2019.

Yalitza Aparicio recebeu na sexta-feira (4) o título de Embaixadora da Boa Vontade da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) para Povos Indígenas.

Com o título, a atriz ajudará a garantir a integração dos povos indígenas em todo o mundo, a concretização de seus direitos, e a proteção e a celebração do patrimônio cultural.

Mensagens homenageando “Meu Professor Inesquecível” podem ser enviadas até 10 de outubro de 2019. Foto: IPC-IG

UNESCO lança campanha para celebrar Dia Nacional do Professor

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil lançou uma campanha para homenagear professoras e professores de todo o Brasil.

Até 10 de outubro, os interessados podem enviar uma mensagem de texto de até 280 caracteres (com espaço), contando um pouco sobre um professor que tenha tido papel importante em sua trajetória profissional e pessoal.

As cinco mensagens selecionadas ganharão um kit de publicações da UNESCO. O resultado será divulgado em 15 de outubro, Dia Nacional do Professor.

Alunos produzem seu próprio conteúdo em meios de comunicação para engajamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Flickr/ ilouque (CC)

Prefeitura de São Paulo e UNESCO apresentam projeto de alfabetização midiática na Suécia

A Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME-SP) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil levaram uma experiência de sucesso para Gotemburgo, na Suécia, durante a Global MIL Week 2019 Feature Conference, na última semana de setembro.

Representantes de 55 países conheceram o modelo pedagógico desenvolvido pela Secretaria sobre a temática da Alfabetização Midiática e Informacional (AMI), que reforça o movimento pela educação para a cidadania, incorporando professores e estudantes como agentes de mudança.

Famílias de venezuelanos participam do programa de interiorização do Governo Federal. Iniciativa tem o apoio de diferentes agências da ONU. Foto: ACNUR

Acordo incentiva municípios brasileiros a acolherem pessoas venezuelanas

A Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil assinou, na quarta-feira (2), em conjunto com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e o governo federal, um protocolo de intenções para incentivar municípios brasileiros a acolherem pessoas refugiadas e migrantes da Venezuela. O objetivo é ampliar a assistência humanitária com foco na integração à sociedade e à economia brasileiras.

“A parceria com a Confederação Nacional dos Municípios é uma conquista nesse processo, por sua capacidade única de sensibilizar e mobilizar os municípios brasileiros para a recepção de pessoas refugiadas e migrantes. Esses municípios terão a oportunidade de integrar à sua população pessoas que aportam capacidades, formações e experiências profissionais variadas”, afirmou o coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic.

Cidade do Panamá. Foto: Flickr (CC)/Matthew Straubmuller

Fórum da UNESCO no Panamá discute formas de fortalecer cooperação com parceiros

O Fórum de Parceiros Regionais da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) para a América Latina e o Caribe tem o objetivo de identificar desafios e soluções para fortalecer a cooperação com governos, setor privado e parceiros não governamentais. O objetivo final é a promoção da paz e do desenvolvimento sustentável por meio de educação, ciência, cultura, comunicação e informação.

O evento, que acontece em 3 e 4 de outubro na Cidade do Panamá, apresentará o Programa da UNESCO na região e permitirá que diferentes entidades se reúnam para discutir oportunidades e estratégias de colaboração.

O tema do Dia Internacional do Acesso Universal à Informação deste ano é "não deixar ninguém para trás", missão na qual a tecnologia digital é recurso inestimável, segundo a UNESCO. Foto: ITU/V. Martin

Acesso universal à informação é direito humano fundamental, lembra UNESCO

O acesso universal à informação é um direito humano fundamental que desempenha papel central no empoderamento dos cidadãos, facilitando o debate justo e dando oportunidades iguais a todos. A avaliação é da diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, em mensagem para o Dia Internacional do Acesso Universal à Informação, lembrado em 28 de setembro.

“Em tempos de crescente desinformação e discurso de ódio, o direito de acessar informações de interesse público mantidas por governos e atores privados é mais importante do que nunca. Neste dia, portanto, vamos promover esse direito que é essencial para o nosso progresso no desenvolvimento sustentável”, declarou.

Luanda, Angola. Foto: maxbrotto/Flickr

Diretora-geral da UNESCO participa de abertura da Bienal de Luanda

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, realizará a abertura da Bienal de Luanda, que acontece entre 18 e 22 de setembro na capital de Angola, com a participação de representantes de governos, da sociedade civil e de organizações internacionais, bem como de artistas e cientistas do continente africano e da diáspora.

A diretora-geral participará da abertura da Bienal juntamente com o presidente de Angola, João Manuel Gonçalves Lourenco, o presidente do Mali, Ibrahim Boubacar Keïta, o presidente da Comissão da União Africana (UA) e o ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 2018, Denis Mukwege.

Participante do Fórum Permanente sobre Assuntos Indígenas, na sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU/Loey Felipe

UNESCO: diversidade linguística na educação é essencial para sociedades inclusivas

Em mensagem para o Dia Internacional da Alfabetização, lembrado no domingo (8), a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, disse que abraçar a diversidade linguística na educação e nos processos de alfabetização é parte essencial de sociedades inclusivas.

“Nosso mundo é rico e diverso, com cerca de 7 mil línguas vivas. Essas línguas são instrumentos para a comunicação, o envolvimento com a aprendizagem ao longo da vida e a participação na sociedade e no mundo do trabalho”, disse Azoulay.

“Elas também são intimamente ligadas a identidades, culturas, visões de mundo e sistemas de conhecimento distintos. Portanto, abraçar a diversidade linguística na educação e nos processos de alfabetização é uma parte essencial de sociedades inclusivas e em desenvolvimento que respeitam a ‘diversidade’ e a ‘diferença’, de modo a apoiar a dignidade humana.”

Evento para comunicadores no Rio enfatiza oceanos como pulmões do mundo

As algas marinhas são responsáveis pela produção de 54% do oxigênio do mundo e os mares atuam como reguladores do clima no planeta, segundo dados do Instituto Brasileiro de Florestas (IBF). Sem os serviços prestados pelo oceano, a temperatura poderia ultrapassar 100°C e inviabilizar a vida na Terra. Além disso, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), peixes e frutos do mar são a principal fonte de proteína para uma em cada quatro pessoas no mundo.

Diante da importância de um oceano saudável para a vida, cerca de 350 pessoas reuniram-se na terça-feira (3), no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, para participar do Conexão Oceano. O evento, que teve a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) entre os organizadores, foi o primeiro no Brasil a se voltar para comunicadores, influenciadores e pesquisadores com o objetivo de estruturar diretrizes para engajar a sociedade sobre a importância do oceano.

Cerca de 20 milhões de toneladas de plásticos acabam nos oceanos a cada ano. Foto: Flickr/ National Ocean Service Image Gallery (CC)

UNESCO lança guia online para conscientização de estudantes sobre importância dos oceanos

A Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançou seu programa de Cultura Oceânica, que inclui um site para promover a conscientização e o intercâmbio de conhecimentos e um guia e kit de ferramentas para integrar a cultura oceânica nas escolas do mundo todo.

Nesta semana, por meio de uma parceria entre o Programa Maré de Ciência da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e a Secretaria de Meio Ambiente do Município de Santos, será lançada durante evento na cidade uma versão em português da publicação. O guia poderá ser usado em escolas públicas e privadas brasileiras. O evento terá transmissão ao vivo pela Internet.

Mateus Solano e Sônia Bridi participam de evento sobre conservação dos oceanos no Rio

O ator Mateus Solano, defensor da Campanha Mares Limpos e da implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), e a jornalista ambiental Sônia Bridi farão parte da programação do Conexão Oceano. Voltado a comunicadores, trata-se do primeiro evento no Brasil com o objetivo de estruturar diretrizes para comunicar, engajar e sensibilizar a sociedade sobre a importância da conservação dos mares para áreas como economia, bem-estar, turismo e pesquisa, entre outras.

Aberto ao público e com participação gratuita, o workshop ocorre na terça-feira (3), no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. O evento é promovido conjuntamente pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da UNESCO, pela UNESCO no Brasil e pelo Museu do Amanhã. As inscrições estão abertas e podem ser feitas no site do Museu do Amanhã. As vagas são limitadas.

Durante o mês de agosto são realizadas atividades que buscam reconhecimento e valorização de mulheres lésbicas em diversas esferas da sociedade. Ilustração: Ani Ganzala

Mulheres lésbicas falam sobre mobilização por direitos e desafios para cidadania

Agosto é o mês da mobilização de mulheres lésbicas por direitos. Duas datas – 29 de agosto, Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, e 19 de agosto, Dia do Orgulho Lésbico – movimentam o calendário de atividades de coletivas, grupos e organizações em defesa dos direitos das mulheres lésbicas em todo o Brasil.

De acordo com ativistas lésbicas entrevistadas pela ONU Mulheres, os últimos dois anos têm sido marcados pela intensificação da mobilização por direitos. Elas avaliam que, desde 2017, há uma organização maior e agenda ainda mais unificada para a realização de atividades políticas e culturais durante todo o mês de agosto.

Apesar dos avanços em termos de representatividade, mobilização e união, as ativistas ressaltam o atraso em políticas públicas direcionadas a este grupo, principalmente em questão de saúde e segurança. Leia a reportagem completa.

Evento de lavagem do Cais do Valongo, em 2015. Foto: Milton Guran

Em dia internacional, UNESCO lembra que luta contra escravidão é universal e contínua

Em mensagem para o Dia Internacional para Relembrar o Tráfico de Escravos e sua Abolição, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, disse honrar a memória de homens e mulheres que revoltaram-se no atual Haiti em 1791 e abriram caminho para o fim da escravidão. “Honramos a memória deles e a de todas as outras vítimas da escravidão, as quais eles representam”, declarou.

“A luta contra o tráfico e a escravidão é universal e contínua. É a razão pela qual a UNESCO liderou os esforços para lançar o Dia Internacional para Relembrar o Tráfico de Escravos e sua Abolição. Este dia especial reconhece a luta decisiva daqueles que, submetidos à negação de sua própria humanidade, triunfaram sobre o sistema escravista e afirmaram a natureza universal dos princípios da dignidade humana, liberdade e igualdade.”

Atualmente, existem 1,8 bilhão de jovens entre 10 e 24 anos no mundo. A maior população de jovens de todos os tempos. Foto: UNFPA

Transformando as Nações Unidas em um espaço mais inclusivo para os jovens

Vinte jovens representando dez organismos do Sistema das Nações Unidas no Brasil participaram na sexta-feira (16) das celebrações do Dia Internacional da Juventude, no escritório da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), em Brasília (DF).

Com o tema “A ONU que vemos, a ONU que queremos”, os participantes tiveram a oportunidade de apresentar suas visões e ideias inovadoras para promoção da mudança, principalmente nos assuntos que envolvem diretamente seu futuro e sobre o papel das Nações Unidas para garantir que os jovens não sejam deixados para trás.

O relato é do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Centro de Porto Alegre visto do rio Guaíba. Foto: Wikimedia Commons/Ricardo André Frantz (CC)

UNESCO e Porto Alegre criam fundo para captar recursos privados à educação

Uma nova proposta de captação de recursos junto ao empresariado foi lançada nesta quinta-feira (15). A iniciativa, denominada Fundo Cidadania pela Educação, contará com a parceria da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil e da Prefeitura de Porto Alegre (RS). O objetivo é captar recursos para impulsionar o setor de educação na capital gaúcha.

O fundo tem como meta arrecadar 10 milhões de reais. O valor captado será investido em obras e reformas de escolas comunitárias, além de promover a capacitação de gestores e a melhoria de equipamentos. O objetivo é reduzir a distância existente entre as escolas da periferia e as de bairros com maior poder aquisitivo.

Mulheres e meninas continuam extremamente sub-representadas nas ciências exatas. Foto: ONU Mulheres Vietnã

UNESCO e parceiros divulgam vencedoras do programa ‘Para Mulheres na Ciência’ 2019

Procurar soluções para doenças que afetam a produção de laranja no Brasil, investigar por que as estrelas param de ser produzidas em algumas galáxias e estimular a comercialização de plantas alimentícias são alguns objetivos dos trabalhos vencedores da 14ª edição do Programa “Para Mulheres na Ciência” dedicado a jovens cientistas brasileiras.

Desenvolvido pela L’Oréal Brasil em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil e a Academia Brasileira de Ciências (ABC), o programa tem o objetivo de transformar o cenário científico nacional, contribuindo para o equilíbrio de gêneros na área.

Rio de Janeiro sediará encontro inédito sobre comunicação e preservação dos oceanos - Foto: Pixabay (CC)

Evento inédito no Brasil mostra como sociedade e comunicação podem ajudar a preservar os oceanos

A relação do oceano com a sociedade e como a comunicação consegue envolver as pessoas para que elas compreendam essa ligação e protejam os ecossistemas marinhos serão os fios condutores do Conexão Oceano, o primeiro evento de comunicação para a Década do Oceano.

Aberto ao público e com participação gratuita, o workshop será realizado no dia 3 de setembro, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Há 34 anos, o Criança Esperança cria oportunidades, empodera pessoas e transforma vidas de crianças, adolescentes e jovens. Foto: UNESCO/Criança Esperança

Criança Esperança abre campanha 2019 para doações por telefone e site

O Criança Esperança chega a sua 34ª edição em 2019 com a transparência e a credibilidade que o consolidou como uma das campanhas de mobilização social mais longevas e importantes do país, criando oportunidades e ajudando a transformar a realidade de milhares de crianças, adolescentes e jovens brasileiros.

Até 25 de agosto, a campanha recebe doações por telefone que irão beneficiar 91 instituições sociais de todo o país. Elas trabalham para melhorar a qualidade de vida e oferecer oportunidades a crianças, adolescentes e jovens, sobretudo em situação de vulnerabilidade.

O Criança Esperança é um projeto da Rede Globo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) em parceria com milhões de brasileiros.

Membro do povo Tariana na Amazônia brasileira. Imagem de 2008. Foto: Banco Mundial/Julio Pantoja

Em dia mundial, ONU defende direito dos povos indígenas a definir estratégias de desenvolvimento

Em mensagem para o Dia Internacional dos Povos Indígenas, celebrado nesta sexta-feira (9), o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu que países garantam a essas populações o direito a determinar o seu próprio modelo de desenvolvimento, por meio de políticas que sejam inclusivas e igualitárias. De acordo com as Nações Unidas, existem em torno de 370 milhões de indígenas no mundo.

Indígena da etnia Bororo Boé durante os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

Em Manaus, UNESCO promove seminário sobre conhecimentos indígenas de gestão da água

No marco das celebrações do Dia Internacional dos Povos Indígenas, lembrado em 9 de agosto, a UNESCO promove na sexta-feira, em Manaus (AM), o seminário ‘Conhecimento Indígena para a gestão integrada da água na América Latina e Caribe’.

Encontro discute os aspectos técnicos, jurídicos, socioculturais, econômicos e políticos das práticas de gestão hídrica dos povos originários da região.

Colégio Pedro II (federal), localizado no centro do Rio de Janeiro. Foto: Wikimedia Commons/Halley Pacheco de Oliveira (CC)

Escolas federais e particulares têm infraestrutura melhor que estaduais e municipais

A infraestrutura escolar é um dos fatores determinantes para a qualidade da educação. É sob essa prerrogativa que a representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) decidiu encomendar à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) a pesquisa que deu origem à publicação “Qualidade da Infraestrutura das Escolas Públicas do Ensino Fundamental no Brasil”.

Segundo o estudo, as escolas federais e particulares apresentam médias mais altas do que as estaduais e municipais no que se refere à infraestrutura. Porém, de 2013 para 2017, houve evolução em todas as redes, sobretudo nas escolas municipais, exatamente as que mais precisam melhorar, de acordo com o relatório.

Tendo como foco os estabelecimentos de ensino públicos estaduais e municipais, observa-se que as escolas em áreas urbanas têm médias de infraestrutura superiores às das áreas rurais. Porém, mesmo entre as escolas urbanas, merece atenção o baixo valor do indicador Atendimento Educacional Especializado (AEE), que mensura a existência de recursos para inclusão. Leia a reportagem completa.

Manguezal no parque nacional Los Haitises, na República Dominicana. Foto: WkiMedia (CC)/Anton Bielousov

UNESCO afirma que manguezais são aliados do ser humano na luta contra as mudanças climáticas

Em mensagem para o Dia Internacional de Conservação do Ecossistema de Mangue, celebrado nesta sexta-feira (26), a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, lembrou que esses ecossistemas são fundamentais tanto para comunidades de regiões costeiras — onde os manguezais são fonte de subsistência e proteção contra desastres naturais — quanto para o resto do mundo, que tem nos mangues um aliado contra o aquecimento global.

Mahatma Gandhi, ativista que liderou mobilizações nacionais pela independência da Índia do Reino Unido. Foto: Wikimedia

UNESCO na Índia convida jovens do mundo a participar de conferência sobre legado de Gandhi

O Instituto Mahatma Gandhi de Educação para a Paz e o Desenvolvimento Sustentável da UNESCO (MGIEP, na sigla em inglês) sediará a Conferência Mundial da Juventude sobre Bondade (World Youth Conference on Kindness – WYC 2019) em Nova Déli, Índia, de 20 a 23 de agosto de 2019.

Essa conferência está sendo organizada com o tema “Vasudhaiva Kutumbakam: Gandhi para o mundo contemporâneo — comemorando o 150º aniversário de nascimento de Mahatma Gandhi”, o evento contará com a participação de 100 jovens líderes convidados de todas as partes do mundo.

Como as inscrições para o evento encerraram-se em 30 de junho, o UNESCO MGIEP convida os jovens à participação virtual (online no site oficial e nas mídias sociais do evento).

Estudantes numa escola primária em Bingerville, um distrito de Abidjan, capital da Costa do Marfim. No país, menos de 70% das crianças frequentam o ensino primário. Foto: UNICEF/Dejongh

UNESCO alerta que países estão fora do caminho para atingir metas de educação até 2030

Quase cinco anos desde que a ONU adotou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para serem cumpridos até 2030, as projeções da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) mostram que os países falharão em atingir as metas educacionais da agenda, o ODS número 4, se importantes progressos não ocorrerem ao longo da próxima década.

As projeções da UNESCO para o Fórum Político de Alto Nível da ONU em Nova Iorque, destinado a examinar o processo para atingir os ODS, mostram que, enquanto todas as crianças deveriam estar na escola, uma em cada seis crianças de 6 a 17 anos será excluída do sistema educacional até 2030.

As projeções também mostram que 40% das crianças do mundo não conseguirão concluir o ensino secundário nesse período, um percentual que deve atingir 50% na África Subsaariana, onde a proporção de professores treinados tem caído desde 2000.

Representantes da UNESCO e Fundação Renova durante reunião para formalizar a parceria em projeto de desenvolvimento sustentável em Mariana (MG) e outros 38 municípios. Foto: UNESCO

UNESCO firma parceria com fundação responsável por reparar impactos da tragédia de Mariana

A Fundação Renova e a Representação da UNESCO no Brasil firmaram na quinta-feira (4), em Brasília (DF), um projeto de cooperação técnica internacional para promover o desenvolvimento sustentável de comunidades de Mariana (MG) e de outros 38 municípios atingidos pelo rompimento da barragem do Fundão em novembro de 2015.

A falta de água potável, a perda de casas, empresas, animais e plantações, bem como a suspensão da pesca, estão entre os principais danos diretos causados pelo rompimento da barragem de rejeitos de minério do Fundão. O desastre deixou impactos ao longo dos 670 quilômetros que o rio Doce e seus afluentes percorrem até alcançar o mar.

A ideia é fomentar a participação do público lusófono nos cursos oferecidos pelo UNESCO-IIPE, a fim de intercambiar experiências entre os profissionais brasileiros e os da América Latina e conectá-los a outros projetos da região. Foto: EBC

Instituto da UNESCO lança programas virtuais de formação para profissionais da educação

O escritório para a América Latina do Instituto Internacional de Planejamento Educacional da UNESCO (UNESCO-IIPE) oferece cursos de formação, pesquisa e cooperação técnica em planejamento e gestão educacionais destinados ao público de língua portuguesa e direcionados ao Brasil.

Agora, o instituto lança as novas edições em língua portuguesa de três de seus Programas Virtuais de Formação, que terão início em 17 de julho. As inscrições já estão abertas. Serão oferecidas bolsas de estudo a alguns profissionais de educação em todos os estados brasileiros para os programas de Políticas Digitais em Educação, Políticas de Avaliação em Educação e Políticas Docentes.

O IIPE é um instituto especializado da UNESCO que tem como mandato fortalecer as capacidades dos Estados-membros no planejamento e na gestão de seus sistemas educacionais.

Com a decisão nesta sexta-feira do Comitê do Patrimônio Mundial da UNESCO, Paraty se torna o primeiro sítio misto — reconhecido por suas riquezas naturais e culturais — do patrimônio mundial localizado no Brasil. Imagem: UNESCO/IPHAN/Oscar Liberal

Paraty e Ilha Grande se tornam patrimônio mundial da UNESCO por sua cultura e natureza

Com a decisão nesta sexta-feira (5) do Comitê do Patrimônio Mundial da UNESCO, Paraty e Ilha Grande se tornam o primeiro sítio misto — reconhecido por suas riquezas naturais e culturais — do patrimônio mundial localizado no Brasil.

Região engloba o Parque Nacional da Serra da Bocaina, o Parque Estadual da Ilha Grande, a Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul, a Área de Proteção Ambiental de Cairuçu e o Centro Histórico de Paraty e Morro da Vila Velha.

A Basílica da Natividade, em Belém, na Palestina. Foto: UNESCO/Ko Hon Chiu Vincent

UNESCO remove local de nascimento de Jesus da lista de patrimônios em perigo

A agência cultural das Nações Unidas anunciou na terça-feira (2) a remoção do espaço oficialmente reconhecido como o local de nascimento de Jesus de sua Lista de Patrimônios da Humanidade em Perigo, graças a extensos trabalhos de restauração na Basílica da Natividade, em Belém, na Palestina.

Os evangelhos do Novo Testamento da Bíblia afirmam que Cristo nasceu em uma manjedoura em Belém, durante o reinado do rei Herodes. A natividade é a base das celebrações cristãs do Natal.

UNESCO denuncia assassinato de jornalista em Maricá (RJ) e pede fim da impunidade

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, condenou o assassinato do jornalista Romário da Silva Barros, ocorrido na cidade de Maricá (RJ), em 18 de junho.

“A Declaração Universal dos Direitos Humanos reconhece a liberdade de expressão como um direito humano fundamental, e é imperativo que as pessoas que usam a violência para enfraquecer esse direito sejam levadas à Justiça. Não se deve permitir que a impunidade prevaleça, uma vez que ela autoriza a continuidade de ataques violentos à mídia”, disse Azoulay.

Romário da Silva Barros, fundador e diretor do site de notícias Lei Seca Maricá, que cobre política, criminalidade e cultura locais, foi morto em seu carro.

Paraty. Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão

Comitê reúne-se para examinar Lista do Patrimônio Mundial; Paraty é candidata

O Comitê do Patrimônio Mundial irá examinar 36 indicações para inscrição na Lista do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) durante sua 43ª sessão, que acontece em Baku, capital do Azerbaijão, de 30 de junho a 10 de julho, sob a presidência de Abulfas Garayey, Ministro da Cultura do país.

O Comitê também irá examinar o estado de conservação de 166 sítios que já estão inscritos na Lista do Patrimônio Mundial, 54 dos quais também se encontram na Lista do Patrimônio Mundial em Perigo.

As novas inscrições na Lista estão agendadas para começar em 5 de julho. Entre as candidaturas, está uma do Brasil: Paraty – Cultura e Biodiversidade.