Foto: UIT

Fórum internacional identifica oportunidades econômicas de tecnologias emergentes

Oportunidades econômicas de tecnologias inovadoras de informação e comunicação (TIC) – como a Internet das Coisas, computação em nuvem, inteligência artificial e dados para cidades inteligentes e sustentáveis – foram identificadas neste mês de novembro em Hammamet, na Tunísia, durante a 15ª edição do Simpósio Global de Indicatores de TIC e Telecomunicações da União Internacional de Telecomunicações (UIT).

Na aldeia de Takalafiya-Lapai, no estado de Niger, na Nigéria, menino fala ao celular; ele é um dos beneficiários de um projeto do Banco Mundial. Foto: Arne Hoel/Banco Mundial

Brasil ocupa 66o lugar em ranking da ONU de tecnologia de informação e comunicação

Relatório da União Internacional das Telecomunicações (UIT) afirma que Islândia lidera o Índice de Desenvolvimento de Tecnologia da Informação e Comunicação da agência da ONU. Segundo documento, avanços na internet, análise de ‘big data’, computação em nuvem e inteligência artificial vão permitir “enormes inovações” e transformar “de forma fundamental” negócios, governos e sociedades, servindo para melhorar os meios de subsistência em todo o mundo.

Desenvolvimento das TICs é tema de conferência mundial em Buenos Aires. Foto: PEXELS

Jornalistas têm até 3/10 para se inscrever em evento global de telecomunicações

Jornalistas têm até 3 de outubro para realizar o credenciamento de imprensa para a Conferência Mundial de Desenvolvimento das Telecomunicações. Evento acontece dos dias 9 a 20 de outubro em Buenos Aires. Reunindo representantes dos Estados-membros, setor privado, academia e sociedade civil, encontro definirá orientações para o futuro das tecnologias de comunicação e informação (TICs). Tema de 2017 são os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Em um mundo globalizado, o acesso à informação é vital para construir sociedade mais inclusivas e sustentáveis, afirmou a UNESCO. Foto: PEXELS

Lideranças pedem mais esforços para popularizar acesso a internet

Quarenta e oito porcento da população mundial já acessa a internet, mas 3,9 bilhões de pessoas ainda estão desconectadas — e não há perspectiva de melhora nesse cenário até o final do ano. A previsão é da União Internacional de Telecomunicações (UIT). Ao lado de outras agências da ONU, líderes da indústria e de governos, o organismo fez um apelo no final de semana (17) por mais esforços em prol da popularização da rede.

Jovens acessam Internet em Nairóbi, no Quênia. Foto: UNFPA/Roar Bakke Sorensen (arquivo)

ONU recebe até 30/8 inscrições para prêmio global de tecnologias com impacto social

A União Internacional de Telecomunicações (UIT) recebe até 30 de agosto inscrições para a edição deste ano de prêmio mundial para soluções inovadoras de Tecnologia da Informação e Comunicação (TICs) com impacto social.

Lançado pela primeira vez em 2015 como parte dos eventos anuais da UIT, a premiação serve para divulgar melhores práticas e fornecer uma plataforma para a criação de redes, mobilização de investimentos e criação de novas oportunidades de negócios para soluções baseadas em TICs.

Jovens acessam Internet em Nairóbi, no Quênia. Foto: UNFPA/Roar Bakke Sorensen (arquivo)

Mais de 4 bilhões de pessoas terão acesso à Internet móvel até o fim de 2017, diz relatório da ONU

As assinaturas de banda larga móvel devem atingir 4,3 bilhões globalmente até o fim de 2017, após um crescimento anual de 20% desde 2012. Os dados são da União Internacional de Telecomunicações (UIT).

Em países desenvolvidos, 94% dos jovens utilizam a Internet, enquanto nos países em desenvolvimento esse percentual é de 67% e, nos países menos desenvolvidos, de apenas 30%.

Segundo as agências, as habilidades digitais irão conectar os jovens a oportunidades de trabalho sem precedentes. Foto: Flickr/CTEP AmeriCorps (CC)

Agências da ONU lançam campanha para impulsionar habilidades digitais de jovens

A União Internacional de Telecomunicações (UIT) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) lançaram uma campanha para treinar 5 milhões de jovens globalmente até 2030 em habilidades digitais para serem aplicadas no mercado de trabalho.

A campanha “Habilidades Digitais para Empregos Decentes” é parte da iniciativa global da OIT de fomento a trabalhos decentes para a juventude, o primeiro esforço abrangente do Sistema ONU para a promoção do emprego jovem mundialmente.

Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação – 2017 (WSIS na sigla em inglês) acontecerá de 12 a 16 de junho em Genebra, na Suíça. Foto: ONU

ONU convida imprensa para Cúpula Mundial sobre Sociedade da Informação

Meios de comunicação estão convidados a se credenciar para participar da Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação – 2017 (WSIS na sigla em inglês), que acontecerá de 12 a 16 de junho em Genebra, na Suíça.

O fórum é organizado por União Internacional de Telecomunicações (UIT), Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Imagem: UIT

Em dia mundial, agência da ONU encoraja mulheres e meninas a participar do mercado de tecnologia

A desigualdade de gênero também é um obstáculo na hora em que mulheres decidem acessar a rede mundial de computadores ou planejar uma carreira na área de tecnologia. Segundo a União Internacional de Telecomunicações, há 257 milhões a menos de usuárias de internet na comparação com os homens conectados.

Para reverter esse cenário, a agência da ONU lembra, neste 27 de abril, o Dia das Meninas na área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), com atividades de capacitação em diferentes partes do mundo, incluindo no Brasil.

Sede da UIT em Genebra. Foto: UIT

UIT abre competição para escolher arquiteto de novo prédio da sede em Genebra

Até 5 de maio, a União Internacional de Telecomunicações (UIT) recebe inscrições de arquitetos e escritórios para uma competição que vai escolher o projetista de um novo edifício na sede do organismo. Agência da ONU terá matriz renovada em Genebra, cidade onde a instituição já mantém seu principal centro de atuação desde 1962.

A nova construção abrigará 723 espaços de trabalho e deverá ter espaços de última tecnologia para receber fóruns e conferências envolvendo os Estados-membros das Nações Unidas, parceiros do setor privado e da academia.

Novo aplicativo está disponível para celulares com sistema operacional Android e iOS. Foto: EBC

ONU: 5 bilhões de pessoas ainda não têm acesso a banda larga móvel

Novas parcerias entre as esferas pública e privada são essenciais para que a banda larga chegue a todos e ajude a acelerar a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), afirmaram nesta sexta-feira (17) membros da Comissão de Banda Larga das Nações Unidas, realizada em Hong Kong.

De acordo com dados apresentados no encontro, cerca de 5 bilhões de pessoas ainda estão sem acesso a banda larga móvel no mundo.

Em 2015, as economias em desenvolvimento responderam por 70% dos usuários de Internet no mundo. Foto: EBC

UIT: mundo está mais conectado à Internet, mas desigualdades permanecem

O mundo está mais conectado do que nunca, mas muitas pessoas ainda estão sem acesso à Internet e a maioria ainda não se beneficia de seu potencial. A informação é da União Internacional de Telecomunicações (UIT), que divulgou relatório com novos dados sobre conexão no mundo.

O documento também mostrou que o mero acesso à Internet não é suficiente, e sublinhou a necessidade de abordar as desigualdades socioeconômicas mais amplas, a fim de ajudar as pessoas a adquirir as habilidades necessárias para tirar o máximo proveito da conexão, bem como utilizar os serviços mais avançados.

Acesso à internet e à tecnologia pode empoderar meninas e capacitá-las para atividades econômicas. Foto: ACNUR Inovação

Agências da ONU combatem desigualdade de gênero no acesso a tecnologias digitais

União Internacional de Telecomunicações (UIT) e ONU Mulheres lançaram campanha global para mobilizar setor privado, sociedade civil, governos e Sistema ONU para atuar sobre o problema da desigualdade de gênero no acesso a tecnologias digitais e no mercado de trabalho das empresas de tecnologia.

Segundo dados da UIT, a penetração da Internet é maior entre homens em todas as regiões do mundo. Além disso, há 1,7 bilhão de mulheres em países de baixa e média renda sem celular, e há menos mulheres trabalhando no setor tecnológico, em todos os países.

Em 2015, as economias em desenvolvimento responderam por 70% dos usuários de Internet no mundo. Foto: EBC

Mais da metade da população mundial ainda não tem acesso à Internet

Relatório divulgado pela Comissão de Banda Larga da ONU para o Desenvolvimento Sustentável mostrou que 3,9 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso à Internet, o equivalente a 53% da população mundial. O documento mostrou que a China continua sendo o maior mercado de Internet, com 721 milhões de assinantes, seguida pela Índia, que ultrapassou os Estados Unidos no setor e agora ocupa a segunda posição, com 333 milhões de pessoas com acesso online.

Tecnologia pode ajudar a reduzir as desigualdades na África, dizem especialistas. Foto: Ventures Africa

Acesso a tecnologias contribui para segurança alimentar na África Subsaariana

A insegurança alimentar — a falta de acesso confiável a uma quantidade suficiente de alimentos baratos e nutritivos — permanece como uma característica do século 21. Hoje, uma em cada quatro pessoas da África Subsaariana está subnutrida, apesar de a região deter metade das terras férteis do mundo. Nesse cenário, o acesso às novas tecnologias de comunicação e informação (TICs) é essencial para desbloquear esse potencial, disseram especialistas ao site da União Internacional de Telecomunicações (UIT).

União Internacional de Telecomunicações publica relatórios para impulsionar serviços financeiros digitais

Os serviços financeiros digitais são uma forma de permitir que a população mais pobre, frequentemente não bancarizada, tenha acesso a serviços financeiros como transferência de fundos por meio de aplicativos de celular, pagamentos eletrônicos, entre outros.

Grupos de trabalho da União Internacional de Telecomunicações (UIT) analisaram esse mercado e publicaram relatórios para orientar a regulação e as políticas públicas de incentivo a esse tipo de iniciativa globalmente.