A possibilidade de infecção por COVID-19 é um risco para a conservação de primatas. Foto: Pierre Aden/Visual Hunt

COVID-19 ameaça a conservação de primatas, diz especialista da ONU

Patologias infecciosas como a COVID-19 – causada pelo vírus SARS CoV-2 – são uma grande preocupação para a conservação das espécies de chimpanzés, bonobos, gorilas e orangotangos, de acordo com um especialista da ONU.

Tanto os seres humanos quanto os grandes primatas são suscetíveis a doenças infecciosas, e a introdução de patógenos humanos nessas populações pode resultar em perdas catastróficas. Leia entrevista concedida ao Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

O gerenciamento correto de resíduo biomédico e de serviços hospitalares requer identificação, coleta, separação, armazenamento, transporte, tratamento e descarte apropriados. Foto: pixabay/leo2014

Gestão adequada de resíduos é vital no combate ao novo coronavírus, diz PNUMA

Diante da pandemia de COVID-19, muitos tipos de resíduos perigosos e hospitalares estão sendo gerados no mundo todo, como máscaras, luvas e outros equipamentos infectados, juntamente com um grande volume de itens não infectados de mesma natureza.

A gestão inadequada desses resíduos pode causar efeitos imprevisíveis na saúde humana e no meio ambiente. Por isso, o manuseio seguro e o descarte final desses materiais são vitais para uma resposta de emergência eficaz, disse o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

O III Seminário Internacional de Soluções Baseadas na Natureza (SbN) reuniu 250 participantes, entre técnicos e secretários municipais, representantes de ministérios, acadêmicos, ativistas e sociedade civil. Foto: PNUMA

Evento em Brasília discute soluções baseadas na natureza para enfrentar desafios urbanos

Especialistas nacionais e internacionais debateram esta semana (10 e 11) em Brasília (DF) como se inspirar na natureza para criar soluções que enfrentem os grandes desafios urbanos e forneçam melhor qualidade de vida e resiliência climática.

O III Seminário Internacional de Soluções Baseadas na Natureza (SbN) reuniu 250 participantes, entre técnicos, secretários municipais, representantes de ministérios, sociedade civil, acadêmicos e ativistas.

No Brasil, as ações estimularão mudanças no processo produtivo do setor de café, rumo a uma economia de baixo carbono. Foto: Negative Space/Pexels

Projeto de PNUMA e Ministério da Economia estimula uso do selo ecológico pelo setor cafeeiro

O rótulo dos alimentos é uma importante ferramenta de informação na hora de escolher o produto a ser consumido. Uma forma de torná-lo ainda mais útil aos consumidores é a rotulagem ambiental. Nela, são apresentadas as características e o ciclo de vida dos produtos, permitindo a comparação com outros similares e, consequentemente, uma escolha mais consciente por aquele que possui menor impacto ambiental.

Para incentivar a produção e o consumo responsável, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) lançou na quarta-feira (11), em Brasília (DF), um projeto que capacitará produtores nacionais de café a cumprirem os requisitos de obtenção de selos ecológicos. A iniciativa conta com a parceria do Ministério da Economia, do International Climate Initiative (IKI) e do One Planet Network.

Usinas elétricas ou pecuária? Quando se trata de mudanças climáticas, a principal causa do aumento das emissões dos gases de efeito estufa é a criação de animais para alimentação. Nos Estados Unidos, 80% de toda a área agricultável é reservada ao pasto ou ao cultivo de ração para alimentar os animais que serão abatidos e transformados em carne. Para atender ao aumento da demanda global por carne, áreas de florestas tropicais são destruídas para o cultivo de espécies como boi, galinha e porco. Todos podem contribuir em nível individual para o reequilíbrio do clima. Junte-se às Nações Unidas no combate às mudanças climáticas!

VÍDEO: Seus hábitos alimentares podem influenciar o clima global?

Usinas elétricas ou pecuária? Quando se trata de mudanças climáticas, a principal causa do aumento das emissões dos gases de efeito estufa é a criação de animais para alimentação.

Nos Estados Unidos, 80% de toda a área agricultável é reservada ao pasto ou ao cultivo de ração para alimentar os animais que serão abatidos e transformados em carne.

Para atender ao aumento da demanda global por carne, áreas de florestas tropicais são destruídas para o cultivo de espécies como boi, galinha e porco.

Todos podem contribuir em nível individual para o reequilíbrio do clima. Junte-se às Nações Unidas no combate às mudanças climáticas!

Em março de 2019, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou uma resolução declarando o período de 2021-2030 como a Década de Restauração de Ecossistemas da ONU. Foto: PNUMA

ONU recebe sugestões para planejamento da Década de Restauração de Ecossistemas

Em março de 2019, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou uma resolução declarando o período de 2021-2030 como a Década de Restauração de Ecossistemas da ONU. A coordenação da Década é co-liderada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Para cumprir essa missão e os dois objetivos que a acompanham será necessária ajuda de toda a comunidade global. O documento com a estratégia está aberto para revisão, comentários e sugestões até 30 de abril de 2020 e qualquer pessoa interessada em contribuir com o planejamento da Década e das atividades a ela relacionadas pode participar.

Foto: Wikimedia Commons

PNUMA cita sete conexões entre você e os recifes de coral

O Dia Mundial da Vida Selvagem, celebrado nesta terça-feira (3), é uma chance para apreciarmos tudo o que a natureza oferece. O tema deste ano, “Sustentando toda a vida na Terra”, celebra a natureza que permite que animais selvagens, plantas e seres humanos prosperem em harmonia.

Entre os elementos mais valiosos da natureza estão os recifes de coral. Eles abrigam a maior variedade de espécies dos oceanos. Você pode pensar neles como florestas tropicais subaquáticas — cheias de componentes vivos e não vivos que, juntos, criam um dos ecossistemas mais exclusivos e importantes do mundo. Leia relato do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Dez espécies migratórias foram adicionadas ao acordo global sobre vida selvagem, como o elefante asiático, a onça-pintada e a grande abetarda indiana. Foto: Pixabay

Conferência na Índia é concluída com ações de conservação das espécies migratórias

A 13ª reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias de Animais Silvestres foi realizada em Gandhinagar, na Índia, com a adoção de resoluções e decisões significativas para tratar das necessidades e ameaças à conservação das espécies migratórias em todo o mundo.

A COP13 foi a primeira de uma série de reuniões internacionais relacionadas à natureza que serão realizadas em 2020. Leia o relato do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

As cidades deverão produzir mais de 70% das emissões de gás carbônico globais e consumirão 80% da energia do mundo em 2030. Foto: UNsplash

Seminário internacional em Brasília discute soluções urbanas baseadas na natureza

Brasília (DF) sediará o 3º Seminário Internacional de Soluções Baseadas na Natureza com o tema “O Desafio da Água e as Cidades”.

O objetivo é promover discussões sobre como enfrentar desafios urbanos por meio de soluções vindas da natureza, favorecendo a qualidade de vida e a resiliência climática.

O evento acontece nos dias 10 e 11 de março, será aberto ao público e conta com a parceria do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Participantes do Fórum Urbano Mundial em Abu Dhabi. Foto: PNUMA

ARTIGO: Fórum Urbano Mundial destaca ação das cidades contra mudanças climáticas

Em artigo, a diretora-executiva adjunta do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Joyce Msuya, falou sobre os temas debatidos no Fórum Urbano Mundial, realizado este mês em Abu Dhabi, entre os quais o papel das cidades no combate às mudanças do clima.

“Há uma liderança incrível de cidades alcançando a neutralidade de carbono e cidades assumindo compromissos ambiciosos em elementos críticos nessa direção, de edifícios de neutralidade de emissões líquida até compromissos de energia 100% renovável ​​e similares.” Leia o artigo completo.

Foto: Flickr

Fórum global sobre cidades destaca necessidade de desenvolvimento urbano sustentável

Atualmente, as cidades são responsáveis ​​por cerca de 70% das emissões de gases de efeito estufa e consomem 75% da energia e dos recursos do mundo.

À medida que a população humana continua crescendo e o planeta enfrenta graves ameaças por conta das mudanças climáticas, a necessidade de planejamento urbano sustentável torna-se evidente.

Leia reportagem do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Segundo dados das Nações Unidas, menos de 30% dos pesquisadores científicos em todo o mundo são mulheres. Foto: PNUMA

Mulheres do PNUMA contam como lideranças femininas as inspiraram a seguir carreira na ciência

Durante séculos, o papel das mulheres na ciência foi subestimado. Raios-X, movimentos ambientalistas e até a descoberta de matéria escura, todos ocorreram graças ao trabalho de mulheres na ciência. No entanto, na maioria dos casos, as mulheres receberam pouco reconhecimento e foram discriminadas por seus colegas.

Para lembrar o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) conversou com cinco mulheres que trabalham para a organização sobre as lideranças femininas que as inspiraram a seguir um caminho na ciência, na tecnologia, na engenharia e na matemática.

Impunidade contra crimes de tortura no México preocupa especilistas da ONU. Foto: WikiCommons / Flickr / schlaeger

Cidade do México prepara-se para banir plástico descartável até 2021

A Cidade do México, uma das capitais mais populosas do Ocidente, aprovou uma nova lei proibindo o uso de sacolas de plástico. A medida, que entrou em vigor em 1º de janeiro, inaugura a intenção do país de banir plásticos descartáveis até 2021, de forma gradual.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) estima que 10 milhões de bolsas plásticas sejam consumidas, a cada minuto, em todo o mundo.

Estudo traz novas descobertas sobre impacto da ação humana nos ambientes de água doce

Um novo estudo global lança luz sobre o impacto da poluição na diversidade das plantas aquáticas e nos ambientes de água doce de forma geral.

A fotossíntese em muitas plantas aquáticas depende de bicarbonato (HCO3−) além de dióxido de carbono (CO2). O estudo investiga a ligação entre os dois e seu impacto na distribuição das plantas.

“As mudanças antropogênicas estão afetando as concentrações de bicarbonato e de CO2, e isso pode alterar a composição das espécies das comunidades de plantas de água doce”, diz o coautor do estudo, Ole Vestergaard, especialista em ecossistemas marinhos e de água doce do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

O setor dos transportes é o principal consumidor de combustíveis fósseis na região latino-americana e a principal fonte de poluição atmosférica. Foto: PEXELS(CC)/Joey Lu

Fórum Urbano em Abu Dhabi lança plataforma global de medição da qualidade do ar

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) e a empresa suíça IQAir lançaram na segunda-feira (10) em Abu Dhabi a maior plataforma de dados de qualidade do ar do mundo.

A ferramenta reúne dados sobre poluição do ar fornecidos em tempo real por mais de 4 mil colaboradores, incluindo cidadãos, comunidades, governos e setor privado, com o objetivo de tornar as cidades mais saudáveis ​​e sustentáveis.

Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente lança prêmio Jovens Campeões da Terra 2020. Foto: Pixabay

ONU abre inscrições de maior prêmio global para jovens empreendedores e ambientalistas

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) abriu nesta segunda-feira (10) as inscrições para o prêmio Jovens Campeões da Terra 2020. A competição global é um dos prêmios de maior prestígio da ONU para jovens empreendedores que têm grandes ideias para solucionar os principais desafios ambientais do planeta.

O concurso é voltado para empreendedores ambientais com idade entre 18 e 30 anos. As inscrições estão abertas até 10 de abril.

Os legumes são as sementes comestíveis de plantas leguminosas cultivadas para alimentação. Feijões secos, lentilhas e ervilhas são algumas das mais conhecidas e consumidas. Foto: PNUMA

Em Dia dos Legumes, PNUMA destaca benefícios climáticos e comunitários do plantio do feijão

Em comemoração ao Dia Mundial dos Legumes (10 de fevereiro), o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) destaca seu valor e seus benefícios para a saúde humana e lembra como seu consumo pode ajudar a alcançar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Os legumes são altamente nutritivos, ricos em fibras solúveis e têm baixo teor de gordura. Assim, podem diminuir o colesterol e ajudar a controlar o açúcar no sangue. Devido a essas qualidades, elas são recomendadas pelas organizações de saúde para o tratamento de doenças como diabetes e problemas cardíacos. Também foi demonstrado que os legumes ajudam a combater a obesidade.

Manguezal no parque nacional Los Haitises, na República Dominicana. Foto: WkiMedia (CC)/Anton Bielousov

Fundo apoiará ações de adaptação às mudanças climáticas baseadas em ecossistemas

A adaptação baseada em ecossistemas (EbA, na sigla em inglês) refere-se ao conjunto de abordagens que envolvem o gerenciamento de ecossistemas para reduzir a vulnerabilidade das comunidades humanas às mudanças climáticas.

A restauração de manguezais e recifes de coral, por exemplo, protege as áreas costeiras dos impactos do aumento do nível do mar, enquanto o plantio e a restauração de vegetação nas encostas e montanhas impedem a erosão e deslizamentos de terra durante chuvas extremas.

Considerado um dos países mais ambientalmente diverso do mundo, Colômbia sustenta perto de 10% da biodiversidade de todo o planeta. Foto: IPBES.

PNUMA participa de encontro sobre biodiversidade em São Paulo

Especialistas em biodiversidade estão reunidos até sexta-feira (6) em São Paulo, em encontro preparatório para a COP15 da Convenção de Diversidade Biológica, que acontece na China em outubro.

Os resultados das discussões serão utilizados para elaborar a Carta de São Paulo. Participam do encontro todas as esferas de governo, com destaque para estados e municípios, representantes do setor público, privado, acadêmico e sociedade civil.

Foto: Fabrício Macedo FGMsp / Pixabay

Resoluções de ano-novo para um estilo de vida #MaresLimpos

No início desta década, pessoas em todo o mundo fizeram resoluções de ano-novo com a esperança de se tornarem melhores – fazer mais exercícios, economizar dinheiro, adotar um hobby.

Existe uma atitude, porém, que precisa mudar este ano: em relação aos plásticos descartáveis. Para Heidi Savelli, que trabalha para o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), 2020 é um ano-chave para o planeta.

“Precisamos agir agora para ter alguma chance de proteger nossa biodiversidade. Nossa atitude em relação aos plásticos descartáveis e de uso único é um bom ponto de partida. Todos os anos, estamos produzindo e consumindo cada vez mais plástico, mas não estamos intensificando os esforços para gerenciá-lo”.

A Campanha #MaresLimpos apresenta cinco sugestões que podem mudar sua vida e melhorar a saúde dos oceanos.

A edição deste ano será dedicada à biodiversidade, tema do Dia Mundial do Meio Ambiente 2020, 5 de junho. Imagem: ONU Meio Ambiente

Perda de biodiversidade é tema de concurso global de cartazes

Aproveitando a força da arte para ampliar a conscientização ambiental e inspirar ações diretas, a 16ª edição da Bienal Internacional de Cartazes recebe inscrições até 15 de maio, convidando artistas a apresentar obras em seis categorias.

Nos últimos 30 anos, cerca de 70 mil pôsteres de cinco continentes foram submetidos para a exposição, que acontece na Cidade do México. O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) é parceiro da Bienal desde 1990, patrocinando a categoria ambiental.

O meio ambiente fundamenta cada um dos 17 objetivos, de eliminar a fome até reduzir as desigualdades e construir comunidades sustentáveis ​​em todo o mundo. Foto: PNUMA

PNUMA renova compromisso com Década de Ação para atingir objetivos globais

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são conhecidos como um modelo mundial para conquistarmos um futuro melhor e mais sustentável para todos. Eles abordam os desafios globais que enfrentamos, incluindo aqueles relacionados a pobreza, desigualdade, mudança climática, degradação ambiental, paz e justiça. Os 17 objetivos são todos interconectados e, para não deixar ninguém de fora, é importante que todos sejam alcançados até 2030.

Cinco anos após a inauguração desse empreendimento ambicioso, a Década de Ação sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável renova o compromisso da comunidade internacional de acelerar as ações para alcançar os objetivos globais. Saiba quais são as contribuições do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Fundado em 2005, o prêmio celebra pioneirismo em quatro categorias: liderança política; Inspiração e ação; Visão empreendedora e Ciência e inovação. Foto: PNUMA

Prêmio Campeões da Terra recebe inscrições para edição de 2020

As indicações para o prêmio Campeões da Terra 2020, o maior prêmio ambiental da ONU, foram abertas na segunda-feira (20), com o objetivo de reconhecer a contribuição de líderes destacados de governo, sociedade civil e setor privado cujas ações tiveram um impacto positivo sobre o ambiente. As candidaturas permanecerão abertas até 20 de março de 2020.

Fundado em 2005, o prêmio celebra pioneirismo em quatro categorias: liderança política; inspiração e ação; visão empreendedora e ciência e inovação.

Plataforma ajuda a dar mais sustentabilidade à frota de micro-ônibus no Nepal

A descarbonização do transporte, com foco na mobilidade elétrica, é uma das principais ações para limitar o aquecimento global a menos de 2°C até o final deste século, de acordo com o Relatório sobre a Lacuna de Emissões de 2019 do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Viagens curtas são responsáveis ​​por dois terços das emissões de transporte nas áreas urbanas, e veículos elétricos podem ajudar a reduzir os níveis de poluição.

No início de 2020, grandes incêndios florestais, como os da Austrália, foram noticiados. Foto: UN-REDD

Crise climática provoca incêndios, ondas de calor e perda de biodiversidade

Dois mil e vinte é um ano decisivo para os tomadores de decisão que lidam com as emergências climáticas e seus efeitos sobre a biodiversidade, assim como para a humanidade como um todo, que precisa prestar atenção nos impactos do aquecimento global sobre os sistemas planetários.

O ano terá dois grandes eventos, conhecidos como “conferências das partes”, sobre a biodiversidade e o clima. Na conferência sobre biodiversidade, as partes chegarão a um acordo e apresentarão um novo conjunto de metas de proteção da natureza para a próxima década.

Loja vende produtos de mangue na Nigéria. Foto: ONU-REDD

Comunidades nigerianas recuperam ecossistemas de manguezais

A necessidade de restaurar os manguezais inspirou comunidades nigerianas a se envolver em um projeto REDD+ para plantar mais de 10 mil mudas. REDD+ é um incentivo desenvolvido no âmbito da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) para recompensar financeiramente países em desenvolvimento pela redução das emissões de gases de efeito estufa provenientes do desmatamento e da degradação florestal.

Vista aérea da Floresta Amazônica, próximo a Manaus (AM). Foto: Flickr (CC)/CIAT/Neil Palmer

Iniciativa inter-religiosa visa conservar e restaurar florestas tropicais do mundo

A Fé Pelas Florestas é uma campanha global lançada em setembro de 2019 pela Iniciativa Inter-Religiosa pelas Florestas Tropicais, que trabalha com parceiros de todo o mundo para conservar e restaurar as florestas tropicais. O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) ocupa o secretariado da iniciativa, que tem nove parceiros.

No Brasil, um Conselho Executivo de líderes religiosos realizou no ano passado evento de educação e planejamento em São Paulo (SP), com a participação de mais de 90 líderes religiosos. Eventos semelhantes estão previstos em outras quatro cidades brasileiras — Belém (PA), Manaus (AM), Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF), em fevereiro e março.

Crianças fabricam instrumentos musicais com materiais recicláveis no Egito

O músico egípcio Shady Rabab, de 26 anos, criou um projeto na cidade de Luxor que ajuda crianças em situação de rua a fabricar instrumentos musicais a partir de materiais recicláveis. Vencedor do prêmio Jovem Campeão da Terra para a África em 2018, Rabab lançou a iniciativa Garbage Music, que usa arte e expressão criativa para combater a poluição plástica.

O Prêmio Jovens Campeões da Terra é a principal iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) para engajar os jovens nos desafios ambientais mais prementes do mundo.

O uso de lenha como combustível nas residências é uma fonte de poluição do ar em ambientes fechados. Foto: Unsplash

PNUMA apoia projetos de bioenergia sustentável no continente africano

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) alertou para a necessidade de ações urgentes para reduzir o uso da lenha como combustível no continente africano. De acordo com a agência da ONU, apenas 25% da população africana tem acesso a combustíveis e energia limpos para cozinhar.

Na Etiópia e no Quênia, o PNUMA apoia projeto que fornece assistência técnica a funcionários e especialistas governamentais para avaliar a sustentabilidade de seus setores de bioenergia e desenvolver capacidades de monitoramento.

Megaincêndios são aqueles que cobrem mais de 400 quilômetros quadrados, acelerados pela combinação de secas e temperaturas altas. Foto: Unsplash/Matt Howard

Os ‘megaincêndios’ são o novo normal?

Os enormes incêndios florestais na Austrália, na Amazônia, na Califórnia, na bacia do Congo e na Indonésia chamaram a atenção do mundo para os riscos de longos períodos de clima excepcionalmente quente e seco — um dos efeitos das mudanças climáticas.

A temperatura média global está agora 1,1°C mais alta do que no início do século passado. Temperaturas mais altas criam, em algumas partes do mundo, condições mais secas, aumentando a probabilidade e a intensidade de incêndios florestais e megaincêndios.

As borboletas são polinizadoras e, portanto, muito importantes para os ecossistemas. Foto do Programa UN-REDD

De borboleta em borboleta: conservando a floresta e gerando renda no Quênia

A criação de borboletas foi introduzida na floresta queniana de Arabuko Sokoke em 1993 como um projeto da comunidade local para gerar renda, a fim de melhorar a conservação dos recursos florestais ameaçados pela exploração excessiva. Hoje, o projeto Kipepeo tem uma receita anual de cerca de 100 mil dólares.

“Ajudar a fornecer meios de subsistência alternativos para as comunidades que vivem perto das florestas pode não apenas reduzir a pobreza, mas também ajudar a conservá-las e a combater as mudanças climáticas”, diz Judith Walcott, do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). Leia a reportagem.

Milhares de jovens de 18 a 30 anos inscrevem-se no prêmio Jovens Campeões da Terra todo ano. Foto: PNUMA

Três razões para ser um Jovem Campeão da Terra em 2020

Se você é apaixonado ou apaixonada pelo meio ambiente e deseja levar suas ideias adiante em 2020, esta pode ser sua chance. Todos os anos, milhares de jovens de 18 a 30 anos inscrevem-se no prêmio Jovens Campeões da Terra.

Lançado em 2017 pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e apoiado pela Covestro, o prêmio celebra e apoia indivíduos com um potencial excepcional de criar um impacto ambiental positivo. As inscrições serão abertas em janeiro.

Foto: Los Planes de Renderos, San Salvador, El Salvador

Gestão adequada de químicos e resíduos é fortalecida em El Salvador

A gestão de resíduos é um problema persistente em El Salvador, onde cerca de um quarto dos resíduos é descartado em rios ou em outras áreas naturais. Essa é uma questão particularmente problemática para produtos químicos perigosos, como o mercúrio, que muitas vezes acaba em lixões ilegais, causando problemas de saúde para a população local e afetando o meio ambiente.

Para resolver o problema, El Salvador passará os próximos três anos fortalecendo sua estrutura reguladora nacional, atualizando substâncias proibidas e proibindo o uso de equipamentos e materiais contendo mercúrio, além de melhorar o gerenciamento de resíduos e impedir a exposição a poluentes.

Foto: Ruben Rodrigues Olivares/EBD-CSIC

PNUMA: manejo integrado de pragas minimiza uso de pesticidas nas lavouras

O manejo integrado de pragas é uma abordagem ecossistêmica que combina diferentes estratégias e práticas de manejo para o cultivo saudável, minimizando o uso de pesticidas. Evitar substâncias venenosas ao lidar com pragas não apenas protege o meio ambiente, mas também os polinizadores, inimigos naturais das pragas, os organismos benéficos e as pessoas e os animais que dependem das plantas. O relato é do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Foto: UNSPLASH

Bolívia cria unidade para melhorar gerenciamento de produtos químicos e resíduos

Com terrenos que variam da densa floresta amazônica a vastos desertos e montanhas, a Bolívia é frequentemente aclamada como um dos países mais biodiversos do mundo. Nos últimos dez anos, o governo boliviano tomou medidas para proteger suas ricas paisagens naturais e fortalecer as práticas ambientais, incluindo o gerenciamento de produtos químicos e resíduos.

O país está criando agora uma Unidade de Produtos Químicos e Resíduos, responsável por diagnosticar a implementação de tratados internacionais sobre produtos químicos e gerenciamento de resíduos, a fim de entender as lacunas e fraquezas que precisam ser abordadas. Isso apoiará o desenvolvimento de metodologias para processar dados sobre resíduos perigosos, bem como a conscientização e a capacitação em gestão de resíduos.

Foto: Tompkins Foundation

Recuperando uma espécie rara de pássaro na Patagônia chilena

Um pássaro parecido com o avestruz, o nandu-de-darwin (Rhea pennata), parente da ema, é um dos moradores mais distintos, lendários e ameaçados de extinção da estepe chilena.

As emas não voam, mas graças às suas asas incomumente grandes, elas podem correr a velocidades acima de 50 km/h. Duas espécies de ema, a Rhea penntata e a Rhea americana, ocupam áreas na Patagônia, abrangendo a Argentina e o Chile.

Um programa de conservação inovador da Tompkins Conservation está ajudando a recuperar este pássaro icônico na Patagônia chilena.

Foto: Geoffroy Mauvais/IUCN

2020: um ano decisivo para a biodiversidade e as emergências climáticas

Nos últimos meses, a comunidade científica repetidamente disparou o alarme sobre a crise na biodiversidade e a emergência climática. Os cientistas e a maioria dos governos concordam que o mundo está enfrentando uma crise ambiental sem precedentes, com um grande número de espécies à beira da extinção enquanto as temperaturas globais continuam aumentando.

Os seres humanos dependem, para sua própria sobrevivência, de ecossistemas estáveis ​​e saudáveis, e são necessárias ações urgentes em 2020 para colocar o mundo no caminho de um futuro mais sustentável. Este é um “grande ano” para o meio ambiente – um ano em que os principais encontros internacionais definirão o tom e a agenda da ação ambiental da próxima década.