Foto: Companhia Paranaense de Energia

Programa Viva Voluntário lança relatório de atividades de 2018

O programa Viva Voluntário, resultado de parceria da Casa Civil com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), deu início em agosto de 2018 à missão de criar ferramentas tecnológicas e de sensibilização nacional e regional para promover o voluntariado no Brasil.

Para sumarizar as atividades realizadas em seu primeiro semestre de atuação, o projeto lançou seu relatório de atividades de 2018. No documento, é possível acompanhar o desenvolvimento da iniciativa nas cinco cidades brasileiras em que há equipe atuante (Boa Vista, Brasília, Salvador, São Paulo e Porto Alegre), bem como observar a evolução de sua plataforma virtual e de outras atividades de sensibilização.

Campanha da Rede Brasil do Pacto Global alcança 4,5 milhões nas redes sociais

Uma campanha da Rede Brasil do Pacto Global nas redes sociais sobre a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável alcançou 4,5 milhões de usuários nas redes sociais, informou a organização esta semana.

A campanha ODS e o Setor Empresarial é uma iniciativa da Comissão de Engajamento e Comunicação (CEC) da Rede Brasil. A ação buscou sensibilizar usuários das redes sociais para a importância dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O ator Mateus Solano em campanha sobre os ODS na TV Globo. Foto: Divulgação/TV Globo

Parceria com TV Globo é destaque em relatório internacional do PNUD

A parceria entre a TV Globo e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil foi selecionada para fazer parte de um relatório global da Organização sobre iniciativas de sucesso no engajamento com a mídia. A ação se refere a uma campanha de conscientização sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

De setembro de 2017 a setembro de 2018, a parceria resultou na produção de duas campanhas de TV: a Geração do Amanhã, que já teve duas edições para apresentar as principais ideias por trás dos ODS, e a Menos é Mais, que destaca a importância da conservação de recursos naturais e os desafios que o Brasil enfrenta na área ambiental, a qual teve o apoio também da ONU Meio Ambiente.

A REMS foi fundada em 2007 por um grupo de organizações da sociedade civil, em parceria com a Nike e o PNUD. Foto: PNUD

Fórum em SC debate políticas públicas de esporte para o desenvolvimento humano

A Rede Esporte pela Mudança Social (REMS), em parceria com a fabricante de artigos esportivos Nike e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), realiza na quinta-feira (23) o fórum “O Esporte que Queremos”, em Florianópolis (SC).

O evento integra a programação do 23º Encontro Nacional de Membros da REMS. Participam representantes do governo, acadêmicos, organizações não governamentais e setor privado. A ideia é debater políticas públicas voltadas ao esporte para a mudança social.

A REMS foi fundada em 2007 por um grupo de organizações da sociedade civil, em parceria com a Nike e o PNUD, e reúne atualmente 116 instituições que utilizam o esporte como fator de desenvolvimento humano. A rede é formada por mais de 10 mil funcionários e voluntários, que levam o esporte e a atividade física a mais de 400 mil pessoas por ano em 20 estados.

A crescente e disseminada crença de que os países são governados em benefício de poucos sugere que a legitimidade das instituições pode estar em declínio na região da América Latina e do Caribe, segundo diretor regional do PNUD. Foto: PNUD

ARTIGO: Falta de legitimidade de instituições e políticas pode prejudicar coesão social

Em artigo, o diretor regional do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para a América Latina e o Caribe, Luis Felipe López-Calva, afirma que quando falta legitimidade ou apoio da sociedade a instituições, leis e políticas, a coesão social nos países pode ser prejudicada.

Segundo o oficial da ONU, é necessário considerar a legitimidade de resultados, quando um governo é confiável no cumprimento de seus compromissos; legitimidade processual, derivada de percepções de justiça pela forma como decisões, políticas ou leis são implementadas; e relacional, pela qual indivíduos reconhecem a autoridade encorajados por um conjunto compartilhado de valores e normas.

“Se os cidadãos não acreditarem que as instituições atendem às necessidades de todos, podem escolher não cooperar. Podemos pensar nisso como uma ‘auto-exclusão’ do contrato social.” Leia o artigo completo.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi estabelecida pelos países-membros da ONU no fim de 2015. Foto: ONU

Conheça os vencedores do Prêmio ODS Pacto Global 2019

Foram anunciados na quinta-feira (16) os vencedores de todas as categorias e eixos do Prêmio ODS Pacto Global, iniciativa da Rede Brasil do Pacto Global para sensibilizar mais empresas, profissionais e a academia a atuar em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Dos 800 projetos inscritos e 36 finalistas, 13 — cinco grandes empresas, quatro pequenas e médias empresas (PME), três instituições de ensino e um jovem profissional — receberam o prêmio em cerimônia na Casa Natura, em São Paulo.

Foto: Mathias Wasik/Flickr/CC

Agências da ONU pedem que países promulguem leis para proteger pessoas LGBTI

Na ocasião do Dia Internacional contra Homofobia, Transfobia e Bifobia (IDAHOT), o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) pede que todos os países removam leis discriminatórias contra pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexuais (LGBTI).

“Todos nós temos a obrigação moral e legal de remover leis discriminatórias e promulgar leis que protejam as pessoas da discriminação”, disse Gunilla Carlsson, diretora-executiva interina do UNAIDS. “Para acabar com a epidemia de AIDS, as pessoas precisam ser protegidas. Precisamos de justiça e igualdade para todos.”

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) e o administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) também se manifestaram sobre o tema. O IDAHOT, uma celebração mundial da diversidade sexual e de gênero, é comemorado anualmente em 17 de maio.

O que são os Princípios de Empoderamento das Mulheres?

VÍDEO: O que são os Princípios de Empoderamento das Mulheres?

Pense no impacto de uma assinatura. Pense na magnitude de um movimento global. Pense na diferença que você pode fazer e no poder da mudança transformadora. Assinando os Princípios de Empoderamento das Mulheres, você pode estimular seus acionistas a impulsionar a mudança no local de trabalho, no mercado e na comunidade, por meio de uma estrutura de trabalho de sete princípios.

Promovido pela ONU Mulheres e pelo Pacto Global da ONU, os Princípios de Empoderamento das Mulheres são um roteiro para a sustentabilidade, inovação e produtividade das empresas.

Não perca a oportunidade de causar um impacto duradouro nos seus funcionários, fornecedores, clientes e investidores. Una-se a empresas líderes que já estão na jornada para criar sustentabilidade e crescimento. Comprometa-se com os Princípios de Empoderamento das Mulheres e aproveite o momento para sua organização aderir.

Projeto busca reduzir emissões de gases de efeito estufa na produção de ferro-gusa, aço e ferroligas, e promover a adoção de boas práticas produtivas na siderurgia para se alcançar sustentabilidade ambiental, social e também econômica. Foto: Rooseveelt Almado (CC)

PNUD oferece cursos sobre produção de carvão vegetal para a siderurgia brasileira

Em Belo Horizonte (MG), o projeto Siderurgia Sustentável, implementado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), promove na sexta-feira (17) uma série de minicursos sobre a produção sustentável de carvão vegetal para a siderurgia.

Mesmo que a maioria das pessoas não consiga identificar, no dia a dia, produtos da siderurgia, como o aço, o ferro-gusa e as ferroligas, esses materiais são utilizados na produção de carros, aviões, eletrodomésticos e até celulares. Na fabricação desses insumos, o carvão é indispensável.

Produtor rural no semiárido. Foto: EBC

Centro da ONU promove seminário em Brasília sobre economia rural sustentável

O Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), o Instituto Brasileiro de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e o Environmental Defense Fund (EDF) promovem esta semana (14 e 15) em Brasília (DF) seminário sobre oportunidades de negócios para uma economia rural sustentável. O evento reunirá especialistas internacionais, representantes do governo brasileiro e do setor privado.

O “Seminário Internacional Oportunidades de Negócios para uma Economia Rural Sustentável:a contribuição das florestas e da agricultura” tem como objetivo explorar novas oportunidades de negócios sustentáveis ​​para o setor rural brasileiro, bem como identificar desafios e estratégias para desenvolvê-las.

Sonia Favaretto durante Cúpula de Líderes do Pacto Global da ONU. Foto: Pacto Global da ONU

ARTIGO: O que é ser pioneira?

O Pacto Global das Nações Unidas lançou mais uma edição da premiação voltada para os pioneiros no caminho da sustentabilidade corporativa mundial. O SDG Pioneers reconhece líderes empresariais de companhias signatárias que contribuíram com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) por meio de projetos no setor privado.

Em artigo, a vice-presidente da Rede Brasil do Pacto Global, Sonia Favaretto, contou como foi a experiência de ter recebido o prêmio em 2016. Leia o artigo completo.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi estabelecida pelos países-membros da ONU no fim de 2015. Foto: ONU

Cerimônia em SP premiará melhores práticas para conquista de objetivos globais

A Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas realiza na próxima quinta-feira (16) a cerimônia de entrega do Prêmio ODS Pacto Global, a partir das 13h30, na Casa Natura, em São Paulo (SP).

Serão reconhecidas as melhores práticas de empresas (pequenas, médias e grandes), academia e jovens profissionais do país. A premiação contou com mais de 800 inscritos, com 36 finalistas.

Esta é a primeira edição do prêmio, que foi criado para valorizar o que já vem sendo desenvolvido no Brasil, sensibilizar mais empresas para atuar em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e contribuir para acelerar ações alinhadas à agenda global de sustentabilidade.

A jogadora brasileira Marta. Foto: ONU Mulheres/Ryan Brown

Secretário-geral da ONU nomeia jogadora Marta como defensora dos objetivos globais

O secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou na quinta-feira (9) a nomeação da jogadora de futebol Marta Vieira da Silva como uma das novas defensoras dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para 2019-2020.

A jogadora brasileira está entre as 17 personalidades públicas encarregadas pelo secretário-geral das Nações Unidas de promover os ODS, aumentar a conscientização com novos públicos, manter o compromisso global e pedir maior ambição e ação em escala para alcançar os objetivos globais até 2030.

Derretimento das calotas polares está acelerando na Groenlândia. Foto: ONU/Mark Garten

ARTIGO: Mudanças do clima e o setor privado

Em artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo, Rodolfo Sirol, vice-presidente da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas, e Luiz Carlos Xavier, coordenador do Grupo Temático de Energia e Clima da Rede Brasil do Pacto Global, chamam a atenção para a importância do engajamento do setor privado no combate às mudanças climáticas.

Levantamento da consultoria EY aponta que apenas 4% das empresas integram as práticas de sustentabilidade à gestão de riscos corporativos. “Ao desconsiderar potenciais ameaças, a empresa ingressa em uma seara perigosa, que ameaça a perenidade de sua operação e o ambiente de negócios como um todo”, disseram. Leia o artigo completo.

Trabalho de restauração realizado em área afetada pelo desastre de Chernobyl, 33 anos depois. Foto: PNUD Belarus/Siarhei Hapon

Chernobyl 33 anos depois: áreas afetadas por desastre renascem

Mais de três décadas após a devastadora explosão da usina nuclear ucraniana de Chernobyl, em 1986, partes das regiões vizinhas de Belarus voltaram à vida. A maior delas, Homiel, se tornou um grande destino para investidores nacionais e internacionais.

Sessenta por cento da produção de Homiel – carnes, laticínios e artesanatos – são exportados para regiões e países vizinhos. A região de Homiel atraiu 17,7 bilhões de dólares em investimentos internos e estrangeiros entre 2011 e 2017, representando pouco mais de 15% dos investimentos diretos totais do país durante o período.

Foto: UNIC Rio/Paulo Portilho

Papel da inovação e do direito à propriedade intelectual nos esportes é tema de debate no Rio

O papel da inovação e do direito à propriedade intelectual (PI) no estímulo, proteção e suporte às práticas esportivas foi tema do ciclo de debates que a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) realizou em parceria com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

O evento, que aconteceu no final de abril no Rio de Janeiro, marcou o Dia Mundial da Propriedade Intelectual (26 de abril). O encontro teve como objetivo dar visibilidade às estratégias de PI no benefício às práticas de esportes com fins lucrativos, promovendo o desenvolvimento.

Distribuição de contraceptivos e materiais de informação sobre HIV e Aids. Foto: UNFPA/UNFPA Brasil/Solange Souza

Agenda traça estratégia para ampliar acesso de populações-chave a tratamento para HIV

O Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde lançou a “Agenda estratégica para ampliação do acesso e cuidado integral das populações-chave em HIV, hepatites virais e outras infecções sexualmente transmissíveis”.

A agenda reúne um conjunto de estratégias para ampliar e qualificar as ações de saúde destinadas às populações consideradas chave e centrais para o enfrentamento das epidemias de HIV, hepatites virais e sífilis no Brasil — pessoas que usam álcool e outras drogas, travestis e pessoas trans, gays e outros homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo e pessoas privadas de liberdade. Tais grupos ainda enfrentam grandes obstáculos para obter acesso a cuidado integral e aos programas e serviços de prevenção, diagnóstico e tratamento em HIV e outras ISTs.

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) apoia a iniciativa.

Ilha do Meio, Território da Cidadania Marajó. Foto: Ana Euler

Agroextrativistas do Marajó participam de diagnóstico sobre bem-estar e desenvolvimento

Cerca de 300 agroextrativistas que atuam no manejo de açaizais, em ilhas do estuário amazônico – ponto de encontro entre o rio e o mar, na divisa dos estados Amapá e Pará –, foram convidados a participar do diagnóstico que resultará em indicadores de bem-estar e desenvolvimento da região.

A proposição dos indicadores se dá por meio de oficinas realizadas pela equipe do projeto Bem Diverso, fruto de parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com recursos do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês).

Canhão na cidade antiga de Dubrovnik, na Croácia. Foto: UNESCO/Silvan Rehfeld

Como tesouros culturais da ONU ajudaram a construir o cenário de Game of Thrones

De Porto Real ao Banco de Ferro de Braavos, muitos cenários de tirar o fôlego vistos na série Game of Thrones estão disponíveis para o prazer de futuras gerações graças ao essencial, mas pouco conhecido, papel desempenhado pela agência cultural das Nações Unidas.

Criada em 1945, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) trabalha para melhorar diálogos e entendimentos entre civilizações, culturas e povos. Um dos métodos da UNESCO para fazer isto é designar e preservar Patrimônios da Humanidade, definidos por valor universal excepcional à humanidade.

Até hoje, há 1.092 locais naturais e culturais inscritos na lista de Patrimônios. Os tesouros diversos e únicos variam da Grande Barreira de Coral, na Austrália, às Pirâmides do Egito e ao Taj Mahal, na Índia. O Brasil possui 21 sítios do Patrimônio Mundial.

Conheça aqui alguns dos locais onde foram feitas as filmagens de Game of Thrones.

Raquel sofre de hidrocefalia, uma condição médica rara caracterizada pelo acúmulo de líquidos nas cavidades internas do cérebro. Foto: Jéssica Chiareli

Programa do governo federal apoia criança com hidrocefalia em município do RN

Lançado em 2016 pelo governo federal, o Programa Criança Feliz tem o objetivo de ampliar a rede de atenção à primeira infância no país, atendendo às especificações do Marco Legal da Primeira Infância (Lei 13.257/2016).

Quatro organismos das Nações Unidas no Brasil apoiam o programa desde sua concepção: Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Leia a história de Raquel, de 4 anos, que foi atendida pelo projeto no município de Parnamirim (RN).

Foto: Carlos Vera/CEPAL

Em fórum internacional, delegação brasileira apresenta relatório nacional sobre Agenda 2030

Representantes de todos os países da América Latina e do Caribe se reuniram, na semana passada, na sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), para o III Fórum sobre o Desenvolvimento Sustentável.

Pelo Brasil, representantes do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), da Secretaria de Governo da Presidência da República, do Ministério das Relações Exteriores, da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e da Fundação ABRINQ participaram do encontro para debater os avanços nacionais na implementação da Agenda 2030.

Durante o evento, a delegação brasileira apresentou o relatório “Agenda 2030 – Metas Nacionais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.

Imagem: Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas

Iniciativa empresarial da ONU cresce em 2018 e consolida-se como referência em ODS no setor

A Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas – a principal iniciativa empresarial da organização – expandiu em 6% o número de integrantes durante o ano de 2018. A iniciativa passou a exigir pagamento das contrapartidas pelos integrantes e, com expectativa de assistir à redução do quadro de membros, testemunhou o contrário.

Desse modo, a rede brasileira consolidou-se como a terceira maior do mundo, atrás apenas da espanhola e francesa. Sua intensa agenda de atividades e novos projetos pode ser vista no Relatório Anual 2018 da Rede Brasil do Pacto Global. A iniciativa brasileira se tornou, dessa forma, uma das líderes globais no apoio à promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os ODS. Saiba como sua organização pode participar.

Foto: PG Alves/Assessoria de Imprensa do MP/RS

PNUD visita iniciativas de Justiça Restaurativa e estratégias de acompanhamento escolar na região Sul

Uma comitiva do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) esteve no início de abril nas cidades de Porto Alegre, Caxias do Sul e Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, para conhecer a experiência local no âmbito da Justiça Restaurativa e estratégias em prol da permanência dos alunos nas escolas.

Há cerca de 15 anos, o PNUD apoiou o início da aplicação da metodologia de Justiça Restaurativa no Brasil. Na ocasião, foram feitos pilotos de introdução do tema nas cidades de Porto Alegre, São Paulo e Brasília.

A Justiça Restaurativa é uma metodologia de resolução de conflitos que privilegia o diálogo e a responsabilização do praticante do delito. Ela valoriza a construção de soluções a partir de conversas com as partes envolvidas, tanto para ouvir e atender as necessidades da vítima, como para responsabilizar o agressor, resolvendo questões de forma colaborativa.

Comitiva brasileira foi formada por 20 pessoas de empresas e instituições. Foto: ONU Mulheres

Na ONU, empresas brasileiras discutem desafios e oportunidades para mulheres no mercado de trabalho

Grupo brasileiro foi formado por executivas e executivos diversas companhias e compartilhou experiência de empresas com políticas de igualdade de gênero durante os Fóruns dos Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs) e WeEmpower/Ganha-Ganha, voltados a profissionais de negócios.

Encontros e debates foram promovidos pela ONU Mulheres e pelo Pacto Global das Nações Unidas na Comissão da ONU sobre a Situação das Mulheres (CSW), maior fórum intergovernamental sobre igualdade de gênero no mundo.

Produtos feitos a partir de espécies da biodiversidade da Caatinga brasileira, como o umbu. Foto: PNUD

Com apoio do PNUD, agricultores do sertão baiano investem na produção sustentável do umbu

Na Bahia, o prolongado período de chuvas de 2019 explica os pés carregados de umbu em propriedades do sertão. Símbolo da Caatinga, a fruta terá a maior safra dos últimos três anos. Estima-se que até 80 toneladas poderão ser colhidas até o final desse mês.

Agricultores familiares que investem no fruto e enriquecem o umbu em cooperativas têm o apoio do Projeto Bem Diverso, uma iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Neste Dia Mundial contra a AIDS, programa da ONU destaca a importância do direito à saúde e os desafios que as pessoas vivendo com HIV enfrentam no exercício deste direito. Foto: Imprensa MG/Adair Gomes

Programas da ONU avaliam estigma associado ao HIV no Brasil

Pela primeira vez, o Brasil fará parte de uma pesquisa da ONU para avaliar o estigma associado ao vírus da AIDS. Programas das Nações Unidas começaram neste mês (15) a aplicar questionários do Índice de Estigma em Relação às Pessoas Vivendo com HIV, uma metodologia já utilizada em mais de cem países. Até o fim de maio, mais de 2 mil brasileiros soropositivos terão sido entrevistados no Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife, Porto Alegre, Manaus e Brasília.

Mesa-redonda inédita reuniu CEOs de diferentes ramos do setor privado brasileiro para discutir políticas corporativas de direitos humanos. Foto: Rede Brasil do Pacto Global da ONU

CEOs brasileiros debatem papel do setor privado na promoção dos direitos humanos

Pensar em direitos humanos na hora de traçar as estratégias de negócios não é apenas um passo rumo à agenda sustentável, mas também uma forma de acessar mercados e atrair investimentos. A conclusão é de dirigentes de grandes empresas que se reuniram neste mês (18), em São Paulo (SP), para o primeiro CEO Roundtable em Direitos Humanos realizado no Brasil. Encontro foi promovido pela Rede Brasil do Pacto Global da ONU.

Projeto leva capacitação em artesanato local e empoderamento feminino para indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Acervo pessoal/Janir Gonçalves Leite

Projeto voluntário fortalece artesanato e cultura local entre indígenas do Mato Grosso do Sul

Um projeto de confecção de joias sustentáveis com mulheres indígenas do Mato Grosso do Sul não para de crescer. Idealizada pela servidora pública Janir Gonçalves Leite, a iniciativa foi uma das vencedoras do Prêmio Viva Voluntário 2018, promovido pelo governo federal em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O reconhecimento injetou 50 mil reais nas atividades, que puderam ser ampliadas em 2019.

Favela na periferia de Salvador, Bahia. Foto: Scott Wallace/Banco Mundial

Apesar de queda na renda, IDH municipal teve alta no Brasil em 2016-2017

Entre 2016 e 2017, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do Brasil apresentou crescimento leve, de 0,776 para 0,778, mesmo com a diminuição da renda per capita no biênio. É o que revelam os novos dados do Radar IDHM, divulgados nesta terça-feira (16).

Levantamento detalha os indicadores do desenvolvimento humano no Brasil, nas unidades federativas e em regiões metropolitanas. O índice geral é calculado a partir de três dimensões — renda, educação e longevidade.

A redução da pobreza rural é urgente e necessária para que as sociedades atinjam os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), segundo publicação do IPC-IG. Foto: EBC

Redução da pobreza rural é essencial para atingir objetivos globais, diz publicação

A redução da pobreza rural é urgente e necessária para que as sociedades atinjam os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), pois ela está interligada aos desafios globais — desde os efeitos das mudanças do clima até o fornecimento global de alimentos e a igualdade de gênero.

Esta é uma das principais conclusões da nova edição da revista Policy in Focus: intitulada em inglês “Rural poverty reduction in the 21st century” (“Redução da pobreza rural no século 21”). A publicação é do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo, vinculado ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (IPC-IG/PNUD).

Embora a pobreza global tenha diminuído nas últimas décadas, inclusive nas áreas rurais, ela continua sendo uma característica persistente nas sociedades: cerca de 80% das pessoas extremamente pobres no mundo vivem em áreas rurais. Ao estabelecer o ODS 1 – acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares – a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas também expressa a urgência por esforços de desenvolvimento mais eficientes e eficazes nas áreas rurais.

Foto: Fundação Telefônica Vivo

Fundação Telefônica Vivo é uma das vencedoras de prêmio de impulso ao voluntariado

Com a proposta de promover a cidadania de maneira integrada e colaborativa, a Fundação Telefônica Vivo criou, em 2005, seu programa de voluntariado empresarial.

O alcance entre os funcionários foi expressivo: entre 2017 e 2018, a Fundação registrou 15 mil funcionários engajados em gerar impacto positivo no entorno das sedes da empresa. Esse número representa quase metade do quadro de trabalhadores da companhia no país.

Como reconhecimento, a iniciativa venceu em 2018 o Prêmio Viva Voluntário, promovido pela Casa Civil em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), na categoria Voluntariado Empresarial.

Projeto Transdiálogos leva conhecimento e sensibilização sobre os desafios da população LGBT para profissionais de saúde de Porto Alegre. Foto: UNAIDS

Com apoio da ONU, Porto Alegre torna serviços de saúde inclusivos para população LGBT

Em Porto Alegre (RS), o projeto Transdiálogos capacita profissionais de saúde para melhorar o atendimento à população LGBT. Iniciativa faz parte da resposta do município à epidemia de HIV. A cidade é a capital brasileira com a maior taxa de detecção do vírus — eram 65,9 casos para cada 100 mil habitantes em 2018, segundo o governo. Entre gays, lésbicas, pessoas trans e bissexuais, a vulnerabilidade à infecção por HIV aumenta.

O Transdiálogos é fruto de uma parceria entre o Executivo municipal, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).