Cerimônia de abertura do I JMPI. Foto: PNUD Brasil/Tiago Zenero

ONU e Brasil lançam publicação sobre competição mundial de esportes indígenas

Em 2015, o Brasil promoveu a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI), competição que reuniu em Palmas, no Tocantins, mais de 2 mil atletas de 30 nacionalidades e 24 etnias. A história do torneio virou livro, lançado neste mês pelo Ministério do Esporte, o Comitê Intertribal, o Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD) e a UNESCO. Documento está disponível em meio online gratuitamente.

Seca no semiárido brasileiro. Foto: Agência Brasil/Marcello Casal Jr

Publicação destaca importância da Cooperação Sul-Sul para cumprimento do Acordo de Paris

Publicação apoiada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançada em Bonn, na Alemanha, durante a Conferência do Clima (COP23) dá um panorama sobre a multiplicidade de iniciativas relacionadas com a Cooperação Sul-Sul na área de mudança do clima, realizadas por países em desenvolvimento e organismos internacionais, com o apoio das Nações Unidas.

O documento destaca que países em desenvolvimento podem se beneficiar de parcerias que combatem os efeitos adversos da mudança do clima e colaboram com o alcance da Agenda 2030.

Uma avô cuida da neta em Moçambique. Foto: ONU

Organismos da ONU planejam projeto de conscientização sobre saúde em Moçambique

Para melhorar a nutrição das crianças de Moçambique, o Programa Mundial de Alimentos (PMA) resolveu apostar na comunicação. A agência da ONU criará comitês locais de saúde em 90 comunidades da província de Manica, onde atividades divulgarão informações que podem melhorar o bem-estar da população. O organismo também investirá na sensibilização por meio de transmissões em rádios locais. Público alcançado pelas ações deve chegar a quase 424 mil moçambicanos.

Menino de sete anos observa destruição promovida pelo furacão Irma na República Dominicana. Foto: UNICEF

ARTIGO: Gênero, gestão de desastres e mudança

Em artigo, a coordenadora para o Caribe do programa de preparação para desastres do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) afirma que mulheres, meninos e meninas são 14 vezes mais propensos que os homens a morrer durante um desastre.

Por isso, é vital levar em conta a diferença de impacto em homens e mulheres, e o mesmo vale para grupos vulneráveis, como crianças, jovens ou idosos que tendem a ser desproporcionalmente afetados, completou a especialista. Leia o artigo completo.

Divulgação/ONU

Campanha Vidas Negras é apresentada ao Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial, em Brasília

Conselheiras e conselheiros de promoção da igualdade racial puderam conhecer mais a fundo na segunda-feira (13), durante reunião em Brasília (DF), o conteúdo e a estratégia da Vidas Negras, campanha nacional das Nações Unidas pelo fim da violência contra a juventude negra.

A ONU foi representada no encontro por Ismália Afonso, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e Lázaro Silva, do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), que apresentaram propostas e materiais da iniciativa e buscaram, sobretudo, ouvir as expectativas de representantes da sociedade civil e do governo federal.

Representantes e especialistas no tema do setor privado, governo, organizações não governamentais e instituições de pesquisa marcaram presença em apresentações e mesas de debate com foco no cumprimento da Agenda 2030. Foto: Centro RIO+/Brenda Hada

No Rio, ONU discute papel da ciência e da tecnologia para a saúde e o bem-estar

O Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, o Mecanismo de Facilitação de Tecnologia da ONU, o Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+) e a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) promoveram na semana passada uma consulta internacional sobre o papel da ciência, da tecnologia e da inovação no cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, especialmente no que se refere à saúde e ao bem-estar.

Representantes e especialistas de setor privado, governo, organizações não governamentais e instituições de pesquisa estiveram presentes em apresentações e debates cujo foco foi o cumprimento da Agenda 2030 por meio da ciência, da tecnologia e da inovação. Discutiu-se também oportunidades de avanço na saúde e experiências de uso de plataformas online.

Vista de Florianópolis, Santa Catarina. Foto: EBC

Região metropolitana de Florianópolis ocupa 1º lugar em ranking de desenvolvimento humano

A Fundação João Pinheiro (FJP), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) acabam de lançar novos dados para o Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras.

Nesta nova fase, o site do Atlas (www.atlasbrasil.org.br) recebeu indicadores de quatro regiões metropolitanas: Florianópolis (SC), Grande Teresina (PI), Juazeiro-Petrolina (BA/PE) e Sorocaba (SP). As quatro novas regiões somam-se a outras 20 cujos indicadores foram divulgados entre 2014 e 2015.

Guia foi lançado em Bonn, na Alemanha, por Ministério do Meio Ambiente e PNUD. Foto: Guilherme Larsen/PNUD Brasil.

Governo brasileiro e PNUD lançam na Alemanha publicação sobre créditos de carbono

Representantes do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançaram nesta semana em Bonn, na Alemanha, o Guia sobre Mecanismos Voluntários de Compensação Individual de Emissões de Gases de Efeito Estufa.

A publicação é resultado de um esforço conjunto entre as instituições para incentivar organizações e indivíduos a promover o mecanismo de cancelamento voluntário das emissões de gases de efeito estufa, por meio de Reduções Certificadas de Emissões (RCEs), também chamadas de “créditos de carbono”.

Segundo os especialistas, a mudança do clima precisa entrar nas discussões gerenciais das empresas para que bancos e investidores possam direcionar seus recursos de forma sustentável Foto: FIESP

Debate em SP discute papel do mercado financeiro no combate às mudanças climáticas

Os mercados financeiros vêm incorporando cada vez mais elementos socioambientais em seus índices, o que, consequentemente, influencia na escolha de projetos para investimento. Por esse motivo, empresas precisam monitorar, relatar e mitigar a emissão de carbono que geram em suas atividades.

Este foi um dos principais pontos debatidos no 4° Workshop “Diálogos de Financiamento Climático”, promovido pelo Grupo de Trabalho de Energia e Clima da Rede Brasil do Pacto Global no fim de outubro (17) na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), na capital paulista.

Ar-condicionado regularizado traz economia de energia elétrica e maior conforto para os usuários. Foto: Flickr /Jan Tik

Projeto do PNUD promove maior eficiência energética em edifícios brasileiros

Resultados de estudos sobre eficiência energética em edificações, promovidos pelo Ministério do Meio Ambiente e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), foram apresentados no fim de outubro a cerca de 30 síndicos reunidos no Rio de Janeiro.

A iniciativa foi realizada no âmbito do Protocolo de Montreal, um tratado internacional para proteger a Camada de Ozônio. “Percebemos que, com a implementação dos resultados obtidos no estudo, temos maior eficiência energética e deixamos o edifício mais atrativo para o mercado, nos preocupando também com a questão da sustentabilidade”, disse um dos síndicos presentes no evento.

Seminário discutirá a importância dos jardins botânicos, papel dos setores público e privado, soluções locais e interface entre ciência e tecnologia. Foto: Instituto Inhotim.

BID e Inhotim realizam seminário internacional sobre mudança do clima e biodiversidade

O Instituto Inhotim e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) realizam entre 29 de novembro e 1º de dezembro em Brumadinho (MG) o seminário internacional “Mudança Climática e Biodiversidade: Ideias e Atitudes que Fazem Diferença”. O evento reunirá especialistas brasileiros e estrangeiros, e as palestras terão transmissão ao vivo pela Internet.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) participará do evento, moderando a mesa de debate “Interface entre ciência, tecnologia e tomada de decisão pública e privada para o combate à mudança climática”.

O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, cobrou uma resposta da sociedade e do poder público à dura realidade enfrentada pela juventude afrodescendente. Foto: UNFPA/Agnes Sofia Guimarães

‘O racismo mata e não podemos ser indiferentes’, diz ONU Brasil em lançamento da campanha #VidasNegras

A ONU Brasil lançou na terça-feira (7) a campanha #VidasNegras, iniciativa de conscientização nacional pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Em cerimônia que reuniu em Brasília cerca de cem autoridades públicas e representantes da sociedade civil e do corpo diplomático, dirigentes das Nações Unidas alertaram que cinco jovens negros morrem a cada duas horas no país. Por ano, o número chega a 23 mil.

O organismo internacional fez um apelo à sociedade brasileira e ao poder público por repostas ao racismo e à discriminação. Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no Brasil.

Todd Cort ressaltou o potencial da sustentabilidade para investimentos, uma vez que o mercado exigirá num futuro próximo que as empresas calculem, por exemplo, o risco climático de suas operações Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Luísa Monteiro

Mercado exigirá que empresas calculem risco climático, diz especialista da Universidade de Yale

As pessoas que falam de sustentabilidade não são as mesmas que falam de finanças. Foi assim que Todd Cort, professor da Escola de Administração de Yale, nos Estados Unidos, resumiu o desafio que a sustentabilidade corporativa encontra na tradução de seus valores aos investidores financeiros, durante palestra na Fundação Getulio Vargas (FGV), em São Paulo, no fim de outubro (19).

De acordo com o especialista, os últimos relatórios da força-tarefa global para encorajar empresários a divulgar voluntariamente dados sobre riscos ambientais apontam que, no futuro próximo, o mercado exigirá que as empresas calculem o risco climático. O relato é da Rede Brasil do Pacto Global.

Oficina reuniu cerca de 70 executivos do Ceará e de outros estados do Nordeste. Foto: UNIMED Fortaleza

Pacto Global da ONU discute corrupção no setor privado em seminário no Ceará

A Rede Brasil do Pacto Global da ONU levou ao Nordeste, pela primeira vez, uma capacitação sobre combate à corrupção no setor privado. O workshop “Avaliação de riscos de corrupção” reuniu em Fortaleza, em outubro (25), cerca de 70 empresários do Ceará e de outros estados da região. Durante o encontro, especialistas da área de compliance frisaram que a integridade das companhias interessa a clientes e consumidores.

Foto: ONU

Conferência da ONU na Alemanha discute implementação do Acordo de Paris para o clima

Até 17 de novembro, negociadores de diversos países se reúnem em Bonn, na Alemanha, para a Conferência da ONU sobre Mudança do Clima (COP23) com o objetivo de discutir a implementação do Acordo de Paris e as Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs, na sigla em inglês) para limitar o aumento da temperatura global do planeta.

Na programação, eventos paralelos mobilizarão representantes da sociedade civil e do setor privado, da academia e de organismos internacionais, para discutir políticas de desenvolvimento sustentável, com base no combate à mudança global do clima. A expectativa é que mais de 20 mil pessoas participem da conferência, ao longo dos 12 dias de evento.

Imagem: Pixabay

Evento lançará plataforma e aplicativo para Agenda 2030

Fiocruz, Centro RIO+ do PNUD e Departamento das Nações Unidas para Assuntos Econômicos e Sociais realizam evento para discutir ciência tecnologia e inovação para implementação de metas de saúde dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Evento contará com lançamento de plataforma sobre o tema e aplicativo ‘We App Heroes’, que permitirá reunir e localizar usuários com iniciativas de desenvolvimento sustentável.

Campanha abordará estratégias para proteger a camada de ozônio. Imagem: Divulgação/PNUD

Brasil lança campanha nacional de conscientização sobre a camada de ozônio em parceria com trens e metrôs

Os usuários de trens e metrôs do Brasil terão contato, a partir da próxima segunda-feira (6), com os resultados e benefícios de 30 anos de implementação do Protocolo de Montreal. A iniciativa faz parte da campanha comemorativa dos 30 anos do Protocolo de Montreal e visa disseminar informações sobre as ações realizadas para eliminar as substâncias destruidoras da camada de ozônio.

A campanha visa atingir um público de cerca de 4,2 milhões de pessoas por dia em nove cidades de quatro regiões do país: Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Salvador (BA), Maceió (AL), Recife (PE), João Pessoa (PB) e Natal (RN).

Evento na Casa da ONU em Brasília discutiu impactos das mudanças do clima para o desenvolvimento dos países. Foto: FAO/L. Dematteis

Mudança do clima afeta diretamente o desenvolvimento dos países, diz ONU no Brasil

A mudança do clima afeta diretamente a capacidade de desenvolvimento dos países, alertou na quinta-feira (26) o coordenador-residente interino da ONU no Brasil, Didier Trebucq, durante seminário em Brasília (DF) sobre o tema.

“Desastres naturais levam 24 milhões de pessoas por ano à pobreza e estão diretamente ligados à mudança do clima”, disse Trebucq, durante o evento realizado pelo Sistema ONU no Brasil com apoio de Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL), ONU Meio Ambiente, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Equipe do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) esteve presente no show de aniversário de 72 anos da ONU no Rio. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário dá visibilidade ao trabalho da ONU no Brasil

O show para comemorar o aniversário das Nações Unidas, realizado na terça-feira (24) na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, contribuiu para divulgar o trabalho da ONU localmente e para integrar a Organização à vida cultural da cidade, na avaliação das agências que contribuíram para que o evento acontecesse.

O encontro reuniu cerca de 200 pessoas e contou com a apresentação musical da banda Bomoko, formada por refugiados de Angola e da República Democrática do Congo, e de representantes do coletivo Baixada Nunca se Rende, composto por mais de 100 artistas da Baixada Fluminense.

Foto: Social Good Brasil/ Instagram

Festival em Florianópolis discute impactos sociais das novas tecnologias

Qual será o futuro da tecnologia? De que forma o uso de dados públicos, inteligência artificial, Internet das Coisas e novos modelos organizacionais podem gerar impacto social e estimular novos empreendedores? Essas serão algumas questões que palestrantes nacionais e internacionais discutirão durante o 6º Festival Social Good Brasil, no Centro de Inovação ACATE Primavera, em Florianópolis, nesta sexta (27) e sábado (28).

Como as inscrições presenciais já estão esgotadas, os organizadores dão a opção de acompanhar o festival pela Internet. Parceiro internacional do Social Good, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apoia o evento.

Protocolo de Montreal quer eliminar produção e consumo de HCFCs no mundo até 2040. Foto: Flickr / Observatório da Terra da Nasa (CC)

Brasil é um dos maiores beneficiados pelo Protocolo de Montreal, afirma especialista

O Brasil é um dos países que mais recebe incidência de radiação solar do mundo, por conta de suas dimensões continentais e por ter seu território quase inteiramente localizado entre o Equador e trópico, afirmou a doutora em geofísica espacial pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Damaris Kirsch Pinheiro.

Nesse contexto, o país aparece como um dos principais beneficiados do Protocolo de Montreal, tratado internacional em que os países signatários comprometem-se a substituir as substâncias responsáveis pela destruição da Camada de Ozônio. O relato é do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Seminário abordará os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Imagem: PNUD

Seminário discute mudança do clima, erradicação da pobreza e desenvolvimento humano

A mudança do clima, caso não seja controlada, reverterá os ganhos de desenvolvimento alcançados nas últimas décadas e tornará impossível a obtenção de ganhos adicionais. Esta será a base de discussão do Seminário “Diálogo Estratégico sobre Mudança do Clima, Erradicação da Pobreza e Desenvolvimento Humano”, na Casa da ONU, em Brasília, que ocorre nesta quinta-feira (26), das 14h às 18h. O evento será transmitido ao vivo pela Internet.

O seminário é uma iniciativa do Sistema ONU no Brasil, organizado pela Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), ONU Meio Ambiente e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Grupo Bomoko. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário da ONU reúne 200 pessoas no Rio de Janeiro

Cerca de 200 pessoas reuniram-se na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, na terça-feira (24), para o aniversário de 72 anos das Nações Unidas, celebrado com o show de uma banda de refugiados africanos e outra de artistas da Baixada Fluminense. O evento teve como foco a Década Internacional de Afrodescendentes, adotada em 2015 pelos Estados-membros da ONU, entre eles o Brasil, para enfrentar o racismo.

“A grande participação neste evento mostra que a ONU pode ter uma imagem menos formal, menos protocolar”, disse o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano, organizador da festa. “Precisamos estar mais perto dos jovens, das pessoas para as quais trabalhamos, abraçando suas diversidades de opiniões, raças, culturas”.

A Rede Brasil do Pacto Global reforça a importância, por parte das empresas e organizações signatárias, do combate a práticas que violem direitos trabalhistas e os direitos humanos. Foto: EBC

Rede Brasil do Pacto Global reitera importância do respeito aos direitos dos trabalhadores

A Rede Brasil do Pacto Global reforçou na sexta-feira (20) a importância de empresas e organizações signatárias combaterem práticas que violem os direitos trabalhistas e os direitos humanos no ambiente laboral ou na cadeia produtiva, como é o caso do trabalho análogo à escravidão.

“Faz-se importante lembrar que, entre os Dez Princípios do Pacto Global está o quarto princípio, (que trata da) eliminação de todas as formas de trabalho forçado ou compulsório”, um dos pilares da área de atuação da iniciativa, lembrou a organização em comunicado.

Estatísticas serão fundamentais para monitorar cumprimento da Agenda 2030. Foto: PEXELS

Brasil deve aproveitar dados de programas sociais para monitorar objetivos da ONU, defendem especialistas

Para monitorar o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), nações terão de definir indicadores adequados, capazes de fornecer dados precisos sobre erradicação da pobreza, igualdade de gênero, mudanças climáticas e outros desafios visados pela ONU. Para especialistas do IPEA e do IBGE, Brasil precisa garantir periodicidade na divulgação de estatísticas e aproveitar registros administrativos de programas de proteção social.

VÍDEO: México um mês após os terremotos

Há um mês, no dia 19 de setembro de 2017, um terremoto de de magnitude 7.1 sacudiu o centro do México, 12 dias depois após outro movimento telúrico ter atingido o sudeste do país, especialmente as regiões de Oaxaca e Chiapas – e exatos 32 anos depois do terrível terremoto de 1985.

Os terremotos recentes deixaram um saldo de pelo menos 400 pessoas mortas, danos a mais de 150 mil habitações, 12 escolas e 1,5 mil monumentos históricos. Os tremores foram seguidos de um imenso impulso de solidariedade – por parte da população, da comunidade internacional e das Nações Unidas. Confira nesse vídeo do Centro de Informação da ONU na região.

Escombros de edifício danificado por carro-bomba em Modadishu, capital da Somália. Foto: ONU/Tobin Jones

ONU toma ações humanitárias coordenadas em resposta a ataque na Somália

O conjunto de agências e programas das Nações Unidas, num esforço coletivo e coordenado, continua trabalhando para dar suporte à recuperação de Mogadíscio, capital da Somália, após o pior atentado da história do país, que matou ao menos 300 pessoas e feriu um número ainda maior no último sábado (14).

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) estão entre as entidades da organização atuando em campo.

Oficina de Trabalho sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e Direitos Humanos, na Casa das Nações Unidas, em Brasília. Foto: PNUD Brasil/Guilherme Larsen

Objetivos da ONU dependem da garantia dos direitos humanos, dizem especialistas

Como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) — um conjunto de metas para erradicar a pobreza, promover a igualdade de gênero e combater as mudanças climáticas — podem levar países a cumprir com suas obrigações de direitos humanos, e vice-versa? A pergunta foi tema de oficina realizada nesta semana, em Brasília, pela ONU e pelo Instituto de Desenvolvimento e Direitos Humanos (IDDH). Para especialistas, pautas dependem umas das outras.

Brasília lembra 30 anos de inscrição em Patrimônio Mundial da UNESCO. Foto: EBC

Parlamentares enfrentam dificuldades para fiscalizar Executivo, aponta PNUD

Parlamentares de todo o mundo estão comprometidos em fiscalizar o Poder Executivo de seus respectivos países, mas, na prática, enfrentam severas dificuldades para fazê-lo. É o que revela um relatório conjunto do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e da União Interparlamentar, divulgado nesta semana (16). Documento cita manobras de obstrução e interesses conflitantes entre poderes como obstáculos à transparência.

Coletivo Baixada Nunca se Rende participa de projeto da ONU para divulgação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Foto: PNUD/Centro RIO+/Brenda Hada

Documentário sobre músicos da Baixada Fluminense será exibido na sede da ONU, em Nova Iorque

Vivendo em Mesquita, uma das 13 cidades que compõem a região metropolitana do Rio, Iolanda está se preparando para sua primeira viagem internacional. Iolly, como a cantora é carinhosamente conhecida, vai representar o coletivo de músicos “Baixada Nunca se Rende”, durante a apresentação do filme que leva o nome do grupo em Nova Iorque. Produzido com o apoio do Centro RIO+, documentário será exibido nesta semana no Chelsea Film Festival e na sede da ONU.

Menina de sete anos em meio à devastação deixada pelo furacão Irma nas ilhas do Caribe. Foto: UNICEF/Moreno

Desastres naturais levam 24 milhões de pessoas por ano a situações de pobreza

Catástrofes naturais fazem com que, anualmente, 24 milhões de indivíduos sejam levadas à miséria, alertou na semana passada o secretário-geral da ONU, António Guterres. Dirigente pediu mais compromisso com marcos globais para combater a ameaça dos desastres. Segundo novo relatório do Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres (UNISDR), fenômenos extremos deslocam cerca de 14 milhões de pessoas por ano.