O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) é um centro científico da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) localizado em Duque de Caxias, Rio de Janeiro. Foto: PANAFTOSA

Centro da ONU recebe visita de especialistas de instituto de informação científica da FIOCRUZ

O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) recebeu em meados de outubro (16) a visita de especialistas do Instituto de Informação Científica e Tecnológica da Fundação Oswaldo Cruz (ICICT/FIOCRUZ), no Rio de Janeiro, para divulgar as atividades de seu Centro de Gestão do Conhecimento (CGC) e impulsionar a cooperação técnica com o centro da ONU.

O encontro também foi a chance de divulgar o trabalho desenvolvido pela sede da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) com o propósito de preservar a memória científica e técnica da organização, seus centros especializados e representações nos países.

O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) é um centro científico da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) localizado em Duque de Caxias, Rio de Janeiro. Foto: PANAFTOSA

Centro da ONU realiza reunião no Rio sobre diagnósticos diferenciais de febre aftosa

O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) realizou em sua sede no Rio de Janeiro em outubro (de 15 a 17) uma reunião sobre diagnósticos diferenciais da doença e sobre o Sistema Continental de Vigilância Epidemiológica (SIVCONT).

A reunião teve a participação de profissionais de 11 países-membros da Comissão Sul-Americana para a Luta contra a Febre Aftosa (COSALFA) — Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Peru, Paraguai, Panamá, Uruguai e Venezuela.

Cobra venenosa, a Surucucu é uma espécie que habita a Amazônia e é encontrada em vários países da América Latina. Foto: Flickr (CC)/Wayne W G

Centro da ONU e Instituto Butantan avaliam produção regional de remédios para envenenamento

O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA), vinculado às Nações Unidas, participou neste mês de um encontro de especialistas latino-americanos sobre o fornecimento regional de soros para tratar envenenamento.

Realizado no Instituto Butantan, em São Paulo, o evento reuniu representantes de laboratórios da Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Peru e Venezuela.

Raiva canina é doença endêmica na Guatemala. Foto: PEXELS

Raiva canina ainda está ativa em quatro países latino-americanos, afirma OPAS/OMS

Quatro países da América Latina e do Caribe são os únicos na região onde a raiva canina ainda está ativa, segundo dados da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) divulgados na quinta-feira (27), às vésperas do Dia Mundial contra a Raiva, 28 de setembro.

Estima-se que em 2017 ao menos 1 mil cães contraíram raiva e 19 pessoas morreram da doença na região. Noventa por cento dos casos em cães e 100% em humanos foram registrados em Bolívia, Guatemala, Haiti e República Dominicana. Na Guatemala, não houve mortes devido à doença.

Projeto do Equador visa combater a resistência de bactérias a antibióticos na cadeia de produção do frango. Foto: FAO/CC

Nas Américas, 77 milhões de pessoas adoecem anualmente por causa de alimentos contaminados

Em visita ao Equador para avaliar o uso de antibióticos na produção agrícola, especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) alertaram em agosto para os riscos da resistência crescente de bactérias aos remédios.

Com agentes infecciosos mais fortes, as doenças transmitidas por comida contaminada podem ter impacto ainda maior sobre a população. Nas Américas, essas enfermidades acometem mais de 77 milhões de pessoas por ano.

Reunião ocorreu no fim de agosto, no Rio de Janeiro. Foto: PANAFTOSA

Rede interamericana de análises de alimentos visita instituto de controle de qualidade no Rio

Dois membros da Rede Interamericana de Laboratórios de Análises de Alimentos (RIILA) visitaram no fim de agosto (28) o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), localizado em Manguinhos, zona norte do Rio de Janeiro.

Entre os temas discutidos, estão a apresentação do novo portal da RILAA, a participação do INCQS na 9ª Assembleia Ordinária da Rede — que ocorrerá entre 5 e 9 de novembro em Santo Domingo, República Dominicana — e alianças futuras, sobretudo nas áreas de teste de proficiência e ensino.

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) ofereceu apoio técnico à Bolívia no processo de controle da transmissão da raiva. Foto: PANAFTOSA

Bolívia mobiliza 60 mil profissionais para campanha de vacinação antirrábica

Com a mobilização de quase 60 mil profissionais de vacinação e de 3 milhões de doses de vacinas adquiridas com recursos públicos, a Bolívia realizou entre 18 e 19 de agosto uma campanha de vacinação gratuita antirrábica em praticamente todo seu território. A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) ofereceram apoio técnico ao país.

A Bolívia, ao lado do Haiti, tem a maior incidência de casos de raiva canina na região das Américas. Em 2017, foram registrados 965 casos positivos de raiva canina e oito mortes por raiva humana no país. As autoridades nacionais lançaram em setembro de 2017 um alerta sanitário por epizootia canina e, desde então, os esforços foram contínuos para o controle da transmissão.

A ONU Brasil realiza até setembro exposição no Rio com obras do artista paulistano Otávio Roth, que em 1978 criou e imprimiu xilogravuras que ilustram os trinta artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Exposição no Rio reafirma importância da Declaração dos Direitos Humanos 70 anos após adoção

Ao completar 70 anos, a Declaração Universal dos Direitos Humanos permanece necessária e atual em um mundo marcado por crescentes conflitos, desigualdades sociais, racismo, deslocamento forçado e violência, especialmente contra ativistas.

A avaliação é de diplomatas, representantes do Sistema ONU e de organizações da sociedade civil presentes na abertura da exposição de xilogravuras do artista plástico brasileiro Otávio Roth, na quarta-feira (8), no Rio de Janeiro. A exposição fica no Centro Cultural Correios até 9 de setembro.

Artigo 1 da Declaração Universal dos Direitos Humanos / Acervo Otávio Roth

ONU inaugura no Rio exposição inédita com obras da Declaração Universal dos Direitos Humanos

A Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil, com apoio do Acervo Otávio Roth e o Centro Cultural Correios, inaugura nesta quarta-feira (8) a exposição 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, com obras de Otávio Roth.

Realizada pela primeira vez no Rio de Janeiro, a mostra apresenta 30 xilogravuras que traduzem os ideais de paz e igualdade defendidos nos artigos do documento. A entrada é franca.

A exposição fica em cartaz até 9 de setembro, das 12h às 19h.

A brucelose bovina é uma doença transmissível que ataca bovinos, outras espécies animais e o homem. Foto: EBC

Mais de 60% dos organismos causadores de doenças chegam aos humanos por animais vertebrados

Você sabe o que são zoonoses? O nome é estranho, mas a ideia é bem clara: são doenças que os animais vertebrados, como o boi ou o cachorro, podem transmitir naturalmente para o homem. A AIDS, a gripe suína H1N1, a influenza aviária H5N1 e o ebola são exemplos dessas patologias.

Para alertar sobre os riscos trazidos por essas enfermidades, instituições internacionais lembram o Dia Mundial das Zoonoses, observado em 6 de julho.

A brucelose bovina é uma doença transmissível que ataca bovinos, outras espécies animais e o homem. Foto: EBC

Técnicos da ONU visitam Equador para tratar do controle de doença bovina

A Coordenação de Saúde Animal de Agroqualidade do Equador recebeu a visita no início de abril (de 2 a 6) de Paulo Duarte e Baldomero Molina, técnicos do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA), com quem realizou uma agenda de trabalho com o objetivo de reestruturar o Plano Nacional de Controle de Brucelose Bovina (PNCBB).

A brucelose bovina é uma doença transmissível que ataca bovinos, outras espécies animais e o homem.

Criação de gado em Caxanga, no Pará, Brasil. Foto: Flickr (CC)/Kelly Sato

ONU participa de celebrações do Brasil pela erradicação da febre aftosa

Teve início na segunda-feira (2) a “Semana Brasil Livre de Febre Aftosa”, organizada pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento e com a participação do Centro Pan-Americano para a doença (PANAFTOSA). Evento celebra a conquista do país sul-americano, que alcançou o status de nação livre da patologia. Reconhecimento oficial será anunciado em maio, na 86º Assembleia da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Foto: Matt Mihaly/Flickr/CC

Centro da ONU desenvolve método de diagnóstico do mormo, doença de equídeos que pode matar humanos

O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA), organismo especializado em saúde pública veterinária, está desenvolvendo um método de diagnóstico do mormo, uma doença comumente encontrado em equídeos – como nos cavalos. O mormo é facilmente transmitido para humanos, podendo ser fatal. Após sua reemergência no Brasil, a doença tem sido notificada em praticamente todo território nacional.

Raiva canina é doença endêmica na Guatemala. Foto: PEXELS

Reunião na Guatemala discute eliminação da raiva transmitida por cães na região das Américas

Os últimos desafios para a eliminação da raiva em humanos transmitida por cães na região das Américas será tema de discussão durante a 16ª Reunião de Diretores dos Programas da Raiva das Américas (REDIPRA), que ocorre na cidade de La Antigua, na Guatemala, na quarta e quinta-feira (29 e 30).

A reunião é promovida pela área de saúde pública veterinária do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, cobrou uma resposta da sociedade e do poder público à dura realidade enfrentada pela juventude afrodescendente. Foto: UNFPA/Agnes Sofia Guimarães

‘O racismo mata e não podemos ser indiferentes’, diz ONU Brasil em lançamento da campanha #VidasNegras

A ONU Brasil lançou na terça-feira (7) a campanha #VidasNegras, iniciativa de conscientização nacional pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Em cerimônia que reuniu em Brasília cerca de cem autoridades públicas e representantes da sociedade civil e do corpo diplomático, dirigentes das Nações Unidas alertaram que cinco jovens negros morrem a cada duas horas no país. Por ano, o número chega a 23 mil.

O organismo internacional fez um apelo à sociedade brasileira e ao poder público por repostas ao racismo e à discriminação. Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no Brasil.

Principal doença transmitida por carrapatos no Brasil é tema de simpósio no Rio

A Secretaria de Vigilância em Saúde do Brasil (SVS) e a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), com apoio do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA), realizaram em outubro (16 e 17) no Rio de Janeiro o 2º Simpósio Nacional de Doenças Transmitidas por Carrapatos.

O simpósio possibilitou a troca de experiências entre profissionais da saúde que trabalham nos serviços de vigilância epidemiológica e na assistência médica em áreas endêmicas da febre maculosa (principal doença transmitida por carrapatos no Brasil) e nas universidades colaboradoras.

Equipe do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) esteve presente no show de aniversário de 72 anos da ONU no Rio. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário dá visibilidade ao trabalho da ONU no Brasil

O show para comemorar o aniversário das Nações Unidas, realizado na terça-feira (24) na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, contribuiu para divulgar o trabalho da ONU localmente e para integrar a Organização à vida cultural da cidade, na avaliação das agências que contribuíram para que o evento acontecesse.

O encontro reuniu cerca de 200 pessoas e contou com a apresentação musical da banda Bomoko, formada por refugiados de Angola e da República Democrática do Congo, e de representantes do coletivo Baixada Nunca se Rende, composto por mais de 100 artistas da Baixada Fluminense.

Grupo Bomoko. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário da ONU reúne 200 pessoas no Rio de Janeiro

Cerca de 200 pessoas reuniram-se na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, na terça-feira (24), para o aniversário de 72 anos das Nações Unidas, celebrado com o show de uma banda de refugiados africanos e outra de artistas da Baixada Fluminense. O evento teve como foco a Década Internacional de Afrodescendentes, adotada em 2015 pelos Estados-membros da ONU, entre eles o Brasil, para enfrentar o racismo.

“A grande participação neste evento mostra que a ONU pode ter uma imagem menos formal, menos protocolar”, disse o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano, organizador da festa. “Precisamos estar mais perto dos jovens, das pessoas para as quais trabalhamos, abraçando suas diversidades de opiniões, raças, culturas”.

Banda Bomoko reúne refugiados de Angola e da RD Congo. Foto: divulgação

No Rio, ONU comemora aniversário com banda de refugiados e coletivo da Baixada Fluminense

A Década Internacional de Afrodescendentes será celebrada com música e festa no dia da ONU, em 24 de outubro. O Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio) realiza evento cultural com apresentação de uma banda de refugiados africanos e um grupo musical da Baixada Fluminense. As apresentações acontecem na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, com entrada franca.

Participam da apresentação a banda de congoleses e angolanos Bomoko, que significa união em lingala. O coletivo Baixada Nunca se Rende reunirá 13 artistas que tocarão reggae, rock e rap e inclui nomes conhecidos como Renato Biguli (Monobloco e Cabeça de Nego) e Eddi Mc (Nocaute).

A raiva transmitida por cães aos humanos continua representando um problema na região das Américas, particularmente na ilha de La Española (Haiti e República Dominicana). Foto: Chefjancris/Flickr (CC)

Haiti e República Dominicana ampliam esforços para eliminação da raiva transmitida por cães

A raiva transmitida por cães aos humanos continua representando um problema na região das Américas, particularmente na ilha de La Española (Haiti e República Dominicana), onde continuam sendo notificados casos de raiva humana.

As representações da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) desses dois países, em coordenação com o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa e Saúde Pública Veterinária (PANAFTOSA), organizaram no início de setembro reunião binacional para discutir projeto para a eliminação da raiva transmitida por cães aos humanos na ilha.

OPAS/OMS lança publicação sobre uso racional de medicamentos em Congresso Brasileiro de Ciências Farmacêuticas. Foto: ONU

Especialistas e agências da ONU reúnem-se no Rio para discutir resistência a antibióticos

Representantes de agências da ONU e outros organismos internacionais reuniram-se em meados de agosto (17 e 18) no Rio de Janeiro para trocar informações, unir esforços e alinhar atividades de apoio aos países das Américas na implementação de seus Planos de Ação Nacionais para a contenção da resistência antimicrobiana (RAM).

A reunião teve a presença de representantes do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA-OPS/OMS), da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), entre outros especialistas.

Evento foi concebido para reunir profissionais de serviços de vigilância epidemiológica e das universidades para discutir avanços no conhecimento científico. Foto: EBC

Centro da ONU apoia simpósio no Rio sobre doenças transmitidas por carrapatos

A Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) e a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) promovem nos dias 16 e 17 de outubro o 2º Simpósio Nacional de Doenças Transmitidas por Carrapatos. O evento ocorre no Rio de Janeiro, as inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site do evento. O prazo para envio de trabalhos científicos é 20 de setembro.

O simpósio tem o apoio do Centro Pan-americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA).

Crianças haitianas brincam em frente a iniciativas realizadas pela Missão de Paz da ONU no país. Foto: UNIC Rio / Mariana Nis

Haiti avança rumo à eliminação da raiva com fortalecimento de vacinações

Nos últimos quatro anos, o Haiti avançou de forma importante no combate à raiva em humanos, deixando para trás uma série de atitudes e práticas comunitárias e de profissionais da saúde que contribuíam para manter esse país como um dos poucos do Ocidente a ainda registrar mortes de pessoas pela mordida de cães infectados.

Atualmente, o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA-OPS/OMS) discute com a OPAS e os ministérios da Saúde e Agricultura haitianos e dominicanos uma proposta para eliminar a raiva de toda a ilha de La Española, que abriga Haiti e República Dominicana, em três anos por meio de vacinações caninas massivas.

Foto: Roosewelt Pinheiro/Abr

Paraguai, Bolívia e Brasil discutem projeto transfronteiriço para erradicação da febre aftosa

No Rio de Janeiro, representantes da indústria pecuária da Bolívia, Paraguai e Brasil se reuniram no início do mês (3) com o diretor e especialistas do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA). Encontro discutiu projeto transfronteiriço entre os três países para eliminar a doença. Iniciativa será financiada pelo Grupo Interamericano para a Erradicação da Febre Aftosa (GIEFA), que também participou dos diálogos na capital fluminense.

Escola em Les Cayes, no Haiti. Foto: UNICEF / Roger LeMoyne

Brasil doa vacinas contra raiva humana ao Haiti com apoio do PANAFTOSA e OPAS

O governo brasileiro doou 15 mil doses de vacinas contra raiva humana ao Haiti para proteger pessoas que foram expostas à doença. A iniciativa contou com o apoio do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa da Organização Pan-Americana da Saúde (PANAFTOSA/OPAS).

O ministro da Saúde do Brasil, Ricardo Barros, entregou a doação pessoalmente à sua contraparte, Marie Greta Roy Clément, ministra de Saúde Pública e População do Haiti, durante cerimônia com a participação do representante da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no país, Luis Codina, e do diretor da PANAFTOSA, Ottorino Cosivi. As vacinas chegaram na última semana à capital haitiana, Porto Príncipe.