Crianças trabalhando em um aterro sanitário na Ásia, premiada em concurso de fotografia de trabalho infantil da OIT em 2012. Foto: OIT/Truong Huu Hung

ONU discute papel de empresas brasileiras no combate ao trabalho forçado e infantil

Em São Paulo, a Rede Brasil do Pacto Global e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) promoveram neste mês (5) uma conferência sobre combate ao trabalho forçado e infantil. Encontro discutiu papel das empresas em combater esses crimes não apenas nas suas operações, mas em toda a cadeia de valor na qual estão inseridas. Atualmente, 40 milhões de pessoas são vítimas de escravidão moderna em todo o mundo, segundo a OIT.

O evento de encerramento ocorreu no Museu de Imagem e Som (MIS) em São Paulo. Foto: Léu Britto.

Como as empresas brasileiras podem apoiar a agenda LGBTI?

“Parem de nos matar e comecem a nos contratar” é o lema do filme TRAN$RICO, do diretor Ariel Nobre, exibido durante o encerramento da Mostra TransDocumenta na segunda-feira (9), em São Paulo. Ao trazer à tona o universo trans e seus desafios, o evento mostrou a importância de estimular a inclusão de pessoas LGBTI no mercado de trabalho do país que mais mata pessoas trans no mundo em números absolutos.

A Rede Brasil do Pacto Global da ONU lembra que as empresas brasileiras podem ajudar a agenda LGBTI apoiando e participando de iniciativas que traçam como meta o fim da discriminação. São a partir de ações simples e conscientes que pessoas trans podem se sentir menos marginalizadas, tanto social quanto profissionalmente.

Durante evento em Brasília, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, oficializou a adesão da pasta à Rede Brasil do Pacto Global. Foto: Rede Brasil do Pacto Global

Ministério da Indústria oficializa adesão à Rede Brasil do Pacto Global

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) é o primeiro órgão federal brasileiro a se comprometer com o Pacto Global para o alcance dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

Em evento na quarta-feira (20) em Brasília, o ministro Marcos Jorge de Lima oficializou a adesão da pasta à Rede Brasil do Pacto Global.

O ministério e a secretaria-executiva da iniciativa da ONU já contam com um plano de trabalho para prover mais serviços ao setor privado, a exemplo de oficinas de capacitação para pequenas e médias empresas sobre a implantação dos ODS.

Secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, Carlo Pereira, um dos dois brasileiros nomeados para o conselho global da iniciativa. O outro é o fundador e copresidente do Conselho de Administração da empresa brasileira Natura, Guilherme Peirão Leal. Foto: Rede Brasil do Pacto Global

Brasileiros são nomeados para conselho do Pacto Global, iniciativa empresarial da ONU

Foram anunciados nesta quarta-feira (20), em Nova Iorque, os novos membros do conselho do Pacto Global da ONU, instância máxima responsável por definir as estratégias e políticas da iniciativa empresarial das Nações Unidas.

Entre eles estão o secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global, Carlo Pereira, e o fundador e copresidente do Conselho de Administração da empresa brasileira Natura, Guilherme Peirão Leal.

Rede Brasil realiza treinamento para empresas da federação. Foto: Firjan

Pacto Global e Firjan ajudam empresas brasileiras a colocar objetivos globais em prática

A Rede Brasil do Pacto Global anunciou sua adesão ao Grupo Empresarial Firjan ODS, formado pelas empresas Coca-Cola, Enel, Rede Globo e Vale. A parceria foi oficializada na segunda-feira (11), durante evento na capital fluminense. A iniciativa é da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que na ocasião também divulgou sua adesão ao Pacto Global da ONU.

“A parceria da Rede Brasil do Pacto Global com a Firjan é mais um passo no avanço da agenda dos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) dentro do setor privado brasileiro. São estas parcerias que tornam possíveis ações coletivas em torno das agendas globais que impactam diretamente o âmbito nacional e o meio corporativo”, disse no evento o secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global, Carlo Pereira.

Grupo de Trabalho de Direitos Humanos promove treinamento de due dilligence para empresas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Pacto Global é referência na promoção dos direitos humanos no setor privado, diz relatório

A Rede Brasil do Pacto Global é referência na conscientização do setor corporativo sobre a proteção dos direitos humanos. É o que aponta um novo relatório da Conectas, que avalia a implementação no Brasil das 28 recomendações feitas em 2016 pelo Grupo de Trabalho da ONU sobre Empresas e Direitos Humanos. Segundo levantamento divulgado em maio (22), quase 40% das medidas tomadas por empresas e governo para cumprir as orientações são insatisfatórias.

Desperdício de água no Brasil e gestão sustentável dos recursos hídricos são preocupação da Rede Brasil do Pacto Global. Foto: Agência Brasil / Tânia Rêgo

Brasil perde R$10,5 bilhões em desperdício de água na distribuição, revela Pacto Global

Volume de água doce jogado fora equivale a 7 mil piscinas olímpicas por dia. É o que revela um estudo sobre o desperdício na distribuição em 2016. Pesquisa foi encomendada pelo movimento Menos Perda, Mais Água, da Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Realizada pelo Instituto Trata Brasil, em parceria com a GO Associados, pesquisa será apresentada amanhã (7), em São Paulo, para a Semana Mundial do Meio Ambiente.

Museu Afro Brasil, em São Paulo. Foto: Agência Brasil

Pacto Global e governo de SP lembram 130 anos de lei que aboliu escravidão no Brasil

A Rede Brasil do Pacto Global foi uma das realizadoras do seminário “Abolição 130 anos depois: A Lei e o exercício da lei” que ocorreu no início de maio (10) no Museu Afro Brasil, em São Paulo.

O evento promoveu um um bate-papo com estudantes da rede pública e demais inscritos sobre negritude, políticas afirmativas, racismo e violência contra a população negra.

O encontro fez parte da agenda “O Mundo que Queremos”, em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Rede de distribuição de energia elétrica. Foto: EBC

No Rio, PNUD e Furnas realizam encontro sobre geração de energia e desenvolvimento sustentável

No Dia Mundial da Energia, celebrado em 29 de maio, FURNAS receberá em sua sede, no Rio de Janeiro, um evento gratuito e aberto ao público sobre geração de energia e desenvolvimento sustentável. Atividades serão realizadas em conjunto com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que lança o Glossário do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nº 7 — Energia Limpa e Acessível. Publicação foi patrocinada por Furnas.

Da esquerda para a direita: Javier Cortés, Tim Mohin e Carlo Pereira, secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global, durante o lançamento do documento “Estratégia ODS nas Empresas: Soluções e Oportunidades”. Foto: Fellipe Abreu

Pacto Global lança publicações para empresas brasileiras cumprir metas da ONU e combater corrupção

Em São Paulo, a Rede Brasil do Pacto Global lançou nesta semana (16) um guia para orientar empresas a cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Em fórum que reuniu cerca de 400 representantes do setor privado, iniciativa também divulgou publicações sobre combate à corrupção e sobre o engajamento do setor elétrico na promoção da sustentabilidade.

Representantes de empresas contribuíram para o debate sobre anticorrupção. Foto: Pacto Global/Ricardo Jayme

Pacto Global debate papel de empresas, governos, ONGs e universidades no combate à corrupção

O combate à corrupção é uma responsabilidade da sociedade como um todo e, por isso, governos, empresas, universidades e ONGs devem se unir para buscar soluções ao problema. Essa foi a tônica do painel “Combate à Corrupção nas Empresas”, que reuniu representantes desses setores durante o Fórum Pacto Global – 15 anos da Rede Brasil, realizado na quarta-feira (16) no Museu de Arte de São Paulo (MASP).

Casos de boas práticas de empresas como Fundação Renova, MRV, Unimed BH, Localiza e Siemens foram apresentados durante o workshop. Foto: FIEMG

Rede Brasil do Pacto Global promove workshop em MG sobre avaliação de riscos de corrupção

O combate à corrupção em todas suas formas está entre as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Para engajar o setor privado em torno do tema, a Rede Brasil do Pacto Global, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), promoveu no início de abril (4), em Belo Horizonte, um workshop sobre avaliação de riscos de corrupção.

O treinamento é realizado com base no “Guia de avaliação de risco de corrupção”, produzido pelo Pacto Global da ONU e traduzido para o português pela Rede Brasil.

O secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global, Carlo Pereira. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Número de signatários da Rede Brasil do Pacto Global sobe 8% em 2017

As principais atividades da Rede Brasil do Pacto Global no ano passado estão disponíveis no Relatório Anual 2017, divulgado no fim de abril (25). A publicação mostrou que a rede passou de 695 para 751 signatários no ano passado, um aumento de 8% frente a 2016.

O Pacto Global é uma iniciativa desenvolvida pelo ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan com o objetivo de mobilizar a comunidade empresarial internacional para a adoção, em suas práticas de negócios, de valores fundamentais e internacionalmente aceitos nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção.

Cerimônia de nomeação dos representantes dos Conselhos Regionais das Redes Locais. Foto: Rede Brasil do Pacto Global

Rede Brasil é eleita representante da América Latina em conselho do Pacto Global da ONU

A Rede Brasil foi nomeada representante da América Latina no Conselho Global das Redes Locais, uma das instâncias que compõem a nova estrutura de governança do Pacto Global da ONU.

O Pacto Global é uma iniciativa desenvolvida pelo ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan com o objetivo de mobilizar a comunidade empresarial internacional para a adoção, em suas práticas de negócios, de valores fundamentais e internacionalmente aceitos nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção.

Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Felipe Abreu

Rede Brasil do Pacto Global reúne construtoras em SP para discutir ações anticorrupção

A Rede Brasil do Pacto Global da ONU reuniu representantes de 15 construtoras de diversos estados brasileiros no início de abril (9) em São Paulo para discutir ações anticorrupção e formas de identificar comportamentos ilícitos dentro das empresas para prevenir a ocorrência de novos casos.

O encontro foi uma das etapas do Projeto Ações Coletivas, que será concluído com o lançamento, durante o Fórum Pacto Global 2018, em maio, de uma publicação de prevenção e combate à corrupção no setor.

Agências da ONU e empresas brasileiras estarão no Fórum Pacto Global 2018

Novos palestrantes estão com presença confirmada no Fórum Pacto Global – 15 anos da Rede Brasil, que ocorre em 16 de maio no auditório do Museu de Arte de São Paulo (MASP). O evento debaterá o panorama dos avanços e perspectivas da sustentabilidade corporativa desde o início das atividades do Pacto Global da ONU no Brasil, em 2003, até o contexto atual dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Setor têxtil é um dos que registra casos de trabalho análogo à escravidão no Brasil. Foto: EBC

Empresas brasileiras e OIT debatem medidas para combater trabalho forçado e infantil

Cerca de 40 representantes do setor privado reuniram-se em São Paulo, no Consulado Britânico, com o objetivo de debater o que empresas podem fazer para combater o trabalho forçado e infantil. Realizado pela Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas, a missão diplomática do Reino Unido e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), evento discutiu políticas de prevenção e estratégias de reparação para as vítimas de abusos.

Também participou do evento Haroldo Machado, assessor sênior do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Elisa Badziack

Evento em SP incentiva empresas a impulsionar objetivos globais em sua estratégia de negócios

A importância dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para o setor privado motivou a realização no fim de março (27) de mais um workshop “SDG Compass: guia de implementação dos ODS para empresas”, que reuniu cerca de 80 representantes de companhias e organizações brasileiras na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), na capital paulista.

O treinamento, desenvolvido pelo Grupo Temático ODS da Rede Brasil do Pacto Global, em parceria com o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) e o Global Reporting Initiative (GRI), aborda os cinco passos contemplados na publicação homônima por meio de conteúdos, cases e dinâmicas.

Foto: ONU-Água

Empresas pedem marco regulatório para água envolvendo governos, setor privado e sociedade civil

A criação de um marco regulatório brasileiro para a água envolvendo governos, setor privado e sociedade civil é a principal recomendação do relatório final do Water Business Day, que condensa as discussões do evento realizado em março (18) durante as atividades do Fórum Mundial da Água, em Brasília (DF).

O documento defende que o escopo legal seja construído de forma coletiva e aumente a confiança entre empresas e sociedade, valorizando de forma transversal esse recurso natural e incentivando os investimentos de longo prazo.

Fórum dos Princípios de Empoderamento das Mulheres 2018, na sede da ONU em Nova Iorque. Foto: ONU Mulheres/Ryan Brown

Empresas brasileiras têm destaque em encontro global da ONU sobre empoderamento das mulheres

Seis empresas brasileiras compartilharam suas ações para o empoderamento econômico das mulheres, na semana passada em Nova Iorque, durante o 2º Encontro Anual dos Princípios do Empoderamento das Mulheres em Ação.

Os Princípios de Empoderamento das Mulheres – uma parceria entre a ONU Mulheres e o Pacto Global das Nações Unidas – são um grupo de princípios para o meio empresarial oferecendo orientação sobre como delegar poder às mulheres no ambiente de trabalho, mercado de trabalho e na comunidade.

Lançado em 2015, o Movimento Menos Perda, Mais Água tem o objetivo de combater as perdas de água nos sistemas urbanos de distribuição do Brasil. Foto: Pedro França/Agência Senado

Rede Brasil do Pacto Global discute papel do setor privado na gestão sustentável da água

A Rede Brasil do Pacto Global, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) realiza no domingo (18) evento em Brasília para discutir como as empresas brasileiras vêm trabalhando para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), especialmente o ODS número 6, que trata de assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos.

O Water Business Day antecede o 8º Fórum Mundial da Água, que ocorre até sexta-feira (23) na capital federal. O encontro também abordará o ODS número 17, que trata de parcerias e meios de implementação para viabilizar o alcance da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Bolsa de valores de São Paulo. Foto: EBC

Bolsas de valores do mundo todo lembram importância da igualdade de gênero

As principais bolsas de valores do mundo promovem, neste Dia Internacional da Mulher, a cerimônia Ring the Bell (Toque o Sino) com o objetivo de aumentar a conscientização das empresas sobre o empoderamento econômico das mulheres e a importância do setor privado para a igualdade de gênero e o desenvolvimento sustentável.

Neste ano, 61 bolsas de valores fazem parte da mobilização – em 2017, foram 43. Como parte dos eventos, os participantes são encorajados a assumir compromissos para melhorar a igualdade de gênero em seus mercados, tais como a assinatura dos Princípios de Empoderamento das Mulheres, a melhoria da diversidade de gênero na alta administração e nos conselhos de administração das empresas.

A presidente e diretora-executiva do Pacto Global da ONU, Lise Kingo. Foto: Pacto Global da ONU

Pacto Global da ONU enfatiza papel das empresas para crescimento inclusivo

A presidente e diretora-executiva do Pacto Global da ONU, Lise Kingo, enfatizou a importância das empresas para um crescimento global mais inclusivo e com menos desigualdade, em carta enviada anualmente às companhias signatárias.

“Vamos explorar como tornar o crescimento mais inclusivo, gerando prosperidade geral e atacando a desigualdade de renda. O mundo tem os recursos financeiros de que precisamos para melhorar a vida dos mais vulneráveis, além de criar mercados financeiros mais estáveis e mais resilientes”, declarou no documento enviado no fim de fevereiro (23).

Adriana Carvalho, gerente dos Princípios de Empoderamento das Mulheres, fala da necessidade de investimentos em meninas nas áreas de ciência e tecnologia. Foto: ONU Mulheres/Amanda Talamonte

ONU defende aumentar participação de mulheres em ciência e tecnologia

A ONU Mulheres, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e a empresa de análise para decisões de crédito Serasa Experian promoveram no início de fevereiro (5) evento em São Paulo para discutir formas de aumentar a participação das mulheres e meninas na ciência e na tecnologia.

Em 2017, a ONU Mulheres fez o alerta global de que as mulheres estão fora dos principais postos de trabalho gerados pela revolução digital. Elas têm somente 18% dos títulos de graduação em Ciências da Computação e são, atualmente, apenas 25% da força de trabalho da indústria digital.

Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

ONU e Brasil lançam cartilha sobre direitos das pessoas com deficiência no mundo do trabalho

Em parceria com o governo brasileiro, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Rede Brasil do Pacto Global lançaram a tradução em português de uma cartilha sobre os direitos das pessoas com deficiência. Voltada para empresas, publicação tem por objetivo instruir gestores do setor privado sobre como respeitar e apoiar esse público de trabalhadores, clientes e fornecedores.

Publicação da ONU Meio Ambiente orienta empresas a abordar sustentabilidade com consumidores. Imagem: ONU Meio Ambiente

Em São Paulo, ONU treinará empresas para abordar sustentabilidade de produtos com consumidores

Em parceria com a Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas e com o apoio do Instituto Akatu, a ONU Meio Ambiente realiza na quinta-feira (7), em São Paulo, o workshop “Comunicando a Sustentabilidade dos Produtos”. Treinamento acontece às 10h, no escritório da ONU em São Paulo. Durante a formação, participantes conhecerão recomendações da agência ambiental das Nações Unidas sobre o tema.

A 150ª adesão aos princípios de empoderamento das mulheres da ONU aconteceu durante o Fórum Mulheres de Destaque, no final de novembro, em São Paulo. Foto: ONU Mulheres

Princípios de empoderamento das mulheres da ONU alcançam 150 empresas signatárias no Brasil

“Igualdade significa negócios”. É sob esta afirmação que a ONU Mulheres e o Pacto Global da ONU vêm trabalhando para promover os Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs, da sigla em inglês) no Brasil e no mundo.

Baseados em práticas empresariais bem-sucedidas, tais princípios orientam corporações a adaptar as políticas existentes ou criar novas práticas para trabalhar a promoção da igualdade entre homens e mulheres no local de trabalho, no mercado, em sua cadeia de valor e na sociedade.

O treinamento, desenvolvido pelo Grupo Temático ODS da Rede Brasil do Pacto Global, aborda os cinco passos contemplados na publicação por meio de conteúdos expositivos, cases e dinâmicas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Rede Brasil do Pacto Global promove inserção dos ODS nas práticas corporativas

Na medida em que as empresas assumem mais compromissos com a sustentabilidade, a busca por ferramentas e treinamentos que auxiliam na inserção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nas práticas corporativas é crescente. Um exemplo foi o workshop sobre o Guia de Implementação dos ODS para empresas (SDG Compass), realizado desde o ano passado pela Rede Brasil do Pacto Global e parceiros em cinco estados brasileiros.