Grupo de 174 empresas pede retomada econômica sustentável com atenção ao clima

Empresas comprometidas em reduzir suas emissões de gases de efeito estufa com base em critérios científicos assinaram um manifesto endereçado aos governos, pedindo que a retomada econômica priorize ações contra as mudanças do clima.

Das 174 companhias signatárias, oito são brasileiras – AES Tietê, Baluarte Cultura, EDP Energias do Brasil SA, Grupo Malwee, Lojas Renner SA, Movida Participações SA, Natura e NELM Advogados.

O documento indica a importância da substituição dos combustíveis fósseis e da inovação para a criação de soluções resilientes de baixo carbono, sempre priorizando os empregos mais verdes e o crescimento sustentável. Saiba como participar do movimento.

ONU e empresas globais discutem formas de promover uma recuperação econômica sustentável

Nesta segunda-feira (15), o Pacto Global deu as boas-vindas a milhares de líderes mundiais que se reuniram virtualmente no 20º Leaders Summit. O evento, que celebra os 20 anos do Pacto Global, teve quase 26 horas seguidas de discussões sobre como promover uma recuperação econômica mais sustentável.

Na abertura, o secretário-geral da ONU fez uma chamada às empresas para que cumpram o seu papel em mundo que exige mais responsabilidades: “Enquanto grandes decisões estão sendo tomadas sobre nosso futuro, as empresas precisam lidar com os riscos ambientais, sociais e de governança de forma holística, e ir além da maneira usual de fazer negócios”, afirmou António Guterres.

Rede Brasil do Pacto Global realiza em junho webinars sobre sustentabilidade

A Rede Brasil do Pacto Global reúne especialistas para participarem da série de webinars “Quarentena com o Pacto”. O projeto, que discute sustentabilidade durante a pandemia, tem nova edição em junho e contará com dois encontros.

O primeiro será no dia 4 de junho e apresentará uma visão geral da ferramenta de pegada hídrica e suas aplicações no contexto empresarial. O segundo encontro acontecerá no dia 8 e será sobre o uso da terra no mundo pós-pandemia.

Confira a agenda completa e faça a sua inscrição.

Usina de energia eólica. Foto: Flickr (CC)/Alex Abian

CEPAL apresenta casos de investimentos transformadores para uma economia sustentável

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) das Nações Unidas vem desenvolvendo o Big Push para a Sustentabilidade, uma abordagem renovada para apoiar os países da região na construção de estilos de desenvolvimento mais sustentáveis, baseada na coordenação de políticas para promover investimentos transformadores.

Por meio de chamada aberta, a iniciativa recebeu 131 estudos de casos de investimentos para o desenvolvimento sustentável no país. Houve uma grande diversidade de setores, pluralidade de atores, heterogeneidade de regiões e variedade de iniciativas entre os estudos enviados.

Empresários pedem que líderes de governo planejem uma economia verde na reconstrução pós COVID-19. Foto: Singkham / Pexels

Empresas pedem atenção ao clima nos planos governamentais de recuperação da COVID-19

O Pacto Global da ONU, a iniciativa Science Based Targets (Metas baseadas na ciência), e a coalizão ‘We Mean Business’ reuniram mais de 150 empresas que pedem que os líderes mundiais incluam ações climáticas ousadas no planejamento dos esforços de recuperação da COVID-19.

Juntas, estas empresas empregam 5 milhões de pessoas em 33 países – incluindo o Brasil – e movimentam um mercado de 2,4 trilhões de dólares.

Os dirigentes das empresas assinaram o documento “Unindo Negócios e Governos para se Recuperar Melhor”, onde fazem o apelo aos líderes mundiais, lembrando que “a saúde humana depende da saúde do planeta”. Para eles, uma ação climática ambiciosa é mais necessária do que nunca.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi estabelecida pelos países-membros da ONU no fim de 2015. Foto: ONU

CEPAL e Pacto Global realizam webinar sobre investimentos no desenvolvimento sustentável

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e a Rede Brasil do Pacto Global convidam para webinar Big Push para a Sustentabilidade, que será realizado na terça-feira (26) das 16h às 18h (horário de Brasília).

A CEPAL vem desenvolvendo o Big Push para a Sustentabilidade, que é uma abordagem renovada para apoiar os países da região na construção de estilos de desenvolvimento mais sustentáveis, baseada na coordenação de políticas para promover investimentos transformadores.

Mais de 150 empresas se unem para pedir a líderes mundiais ações climáticas na retomada econômica

No maior esforço de defesa do clima apoiado pelo Pacto Global e liderado por CEOs, 155 empresas, que somam US$ 2,4 trilhões em valor de mercado, e representam mais de 5 milhões de funcionários, assinaram um comunicado pleiteando junto aos governos ao redor do mundo o alinhamento de seus esforços na recuperação econômica frente à crise instaurada pela COVID-19 aos estudos mais atuais em relação às ciências climáticas.

As empresas, que fazem parte da iniciativa Science Based Targets, pedem políticas que aumentem a resistência a choques futuros, apoiando os esforços para manter o aumento da temperatura global até 1,5°C acima dos níveis pré-industriais, em linha com o alcance de emissões líquidas zero antes de 2050. No Brasil, as empresas que já participam da iniciativa são Movida, Grupo Malwee, AES Tietê, Lojas Renner, Natura, NELM Advogados e Baluarte.

Passageiros usam máscaras na estação Pinheiros, em São Paulo (SP). Foto: Agência Brasil/Rovena Rosa

Empresas brasileiras reconhecem que não atuar durante crise pode prejudicar reputação

As empresas brasileiras reconhecem que devem se responsabilizar para encontrar soluções aos desafios que chegam com a pandemia de COVID-19, e dizem estar satisfeitas com o que estão fazendo.

Por outro lado, menos da metade disse estar conduzindo ações educativas e sociais, como doações financeiras e/ou de equipamentos e materiais, e apenas uma em cada dez disse estar atuando em parceria com os órgãos governamentais.

É o que mostra o relatório “COVID-19 – Como as Empresas Estão Enfrentando a Pandemia”, produzido pela Rede Brasil do Pacto Global e pela agência global de comunicação Edelman.

Meninas e mulheres acessam água potável no vilarejo de Woukpokpoe, em Benin. Foto: Banco Mundial/Arne Hoel

Pacto Global discute importância do saneamento básico na luta contra o novo coronavírus

A falta de água e saneamento coloca bilhões de pessoas em risco de contaminação por coronavírus. De acordo com recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a lavagem de mãos é uma defesa básica de primeira linha, sendo a forma mais eficaz de prevenir a propagação da COVID-19. Entretanto, a ONU estima que uma em cada três pessoas no mundo não tem acesso a água potável e sabão.

Para discutir estes desafios, a Rede Brasil do Pacto Global promoveu nesta quinta-feira (23) o webinar COVID-19 e ODS6: A importância do saneamento básico para o combate ao coronavírus.

Rastreio de passageiros no aeroporto internacional Maya Maya, Brazzaville, no Congo. Foto: OMS/D. Elombat

Academia do Pacto Global tem sessões gratuitas sobre COVID-19

A UN Global Compact Academy, maior plataforma de cursos de ensino a distância para empresas sustentáveis, está promovendo sessões gratuitas sobre a COVID-19.

Os webinars convidam especialistas internacionais e representantes da ONU para falar sobre a pandemia no contexto dos Dez Princípios do Pacto Global e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A transmissão é ao vivo, em inglês, e os vídeos são publicados posteriormente no canal do Youtube do Pacto Global.

Enfermeira mede a temperature de menina num Centro de Atenção à Saúde Primária em Beirute, no Líbano, durante a crise da COVID-19. Foto: Fouad Choufany/UNICEF

ONU Mulheres faz chamado ao setor privado por igualdade de gênero na resposta à COVID-19

A pandemia de COVID-19 está afetando as mulheres de várias maneiras, incluindo preocupações com saúde, segurança e renda, responsabilidades adicionais de assistência e maior exposição à violência doméstica.

O setor privado tem um papel importante a desempenhar, não apenas na mitigação do impacto da COVID-19, mas na redução da propagação do vírus, afirmou a ONU Mulheres.

A ação precoce e direcionada do setor privado reduzirá os riscos imediatos à saúde de funcionárias e funcionários, além de reduzir o impacto econômico geral.

Novo SARS-CoV-2 de Coronavírus Micrografia eletrônica de varredura colorida de uma célula mostrando sinais morfológicos de apoptose, infectados com partículas do vírus SARS-COV-2 (laranja), isoladas de uma amostra de paciente. Imagem capturada no NIAID Integrated Research Facility (IRF) em Fort Detrick, Maryland. Crédito: NIAID

Pandemia criará um novo paradigma de sanidade alimentar, diz especialista ouvido pelo Pacto Global

A pandemia de COVID-19 coloca em discussão duas questões importantes para o agronegócio: a segurança alimentar, ou seja, garantir o acesso de todos aos alimentos; e a sanidade alimentar, que visa evitar a transmissão de doenças através da alimentação.

O projeto “Quarentena com o Pacto” recebeu Marcos Jank,  professor do Insper e titular da cátedra Luiz Queiroz da Esalq-USP,  para quem o Brasil tem um papel fundamental tanto na garantia do abastecimento global, quanto na liderança de um novo paradigma de controle de doenças que atingem animais e humanos no mundo.

Webinar debate perspectivas para os recursos hídricos diante dos impactos da COVID-19

A falta de acesso à água e saneamento básico é um dos principais entraves às medidas preventivas de contaminação pelo coronavírus, deixando milhões de brasileiros em risco. Neste sentido, as periferias urbanas, os assentamentos irregulares e as comunidades rurais ficam ainda mais vulneráveis.

Para lidar com estes desafios, a Rede Brasil do Pacto Global realizou o webinar ‘Perspectivas de especialistas da área de recursos hídricos sobre os impactos da COVID-19 no Estado de São Paulo’. Assista o webinar na íntegra.

Aumento extremo na temperatura na terra pode transformar a floresta amazônica em savana e até inviabilizar a vida humana dentro de dois séculos. Imagem do Vale da Morte, nos Estados Unidos. Foto: Pixabay

Mudanças climáticas podem fazer confinamento virar regra, diz cientista

O aumento da temperatura global pode colocar o mundo em estado constante de confinamento.

O alerta foi feito pelo cientista brasileiro Carlos Nobre, em webinar realizado pela Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas para discutir a relação da atual pandemia com o clima.

De acordo com o especialista, uma vez que o corpo humano não consegue suportar determinadas condições de temperatura e umidade, ondas de calor levariam as pessoas a evitar ambientes externos, o que tornaria o confinamento uma regra se não conseguirmos deter as mudanças do clima.

O cientista falou ainda sobre a resposta do novo coronavírus a diferentes tipos de clima. Segundo ele, ainda não há comprovação científica de que o coronavírus gere um impacto menor em climas quentes, hipótese que é contestada pelas altas taxas de infecções em Manaus (AM).

Profissional em trabalho remoto é uma das medidas relatadas pelas empresas do Pacto Global para conter o coronavírus. Foto: Pixabay

Pacto Global identifica iniciativas de empresas brasileiras para demandas da COVID-19

Pelo menos 70 empresas brasileiras do Pacto Global já deram informações sobre as iniciativas adotadas em relação ao novo coronavírus, a maior parte delas em atendimento à saúde de seus trabalhadores. O Pacto Global – iniciativa da ONU que reúne mais de 13 mil organizações em todo o mundo  – está coletando dados num questionário online e identificou desde trabalho remoto e atendimento psicológico a funcionários até produção e doação de álcool em gel para hospitais públicos de cidades mais atingidas.

Foto: LYCS Architecture/Unsplash

Pacto Global sugere respostas das empresas à COVID-19

O surto da COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus, não é apenas uma crise global da saúde, mas afeta também o comércio e a economia globais. Seu impacto está crescendo e será sentido no curto e no longo prazo. Todos os setores da sociedade foram afetados pelo surto – incluindo a comunidade empresarial internacional.

Como a maior iniciativa corporativa de sustentabilidade do mundo, o Pacto Global das Nações Unidas está pedindo aos líderes empresariais de todos os lugares que se unam para apoiar comunidades e empresas afetadas pelo surto.

Carlo Pereira, diretor-executivo da Rede Brasil do Pacto Global. Foto: Rede Brasil do Pacto Global

Plano de ação ajuda empresas a cumprir objetivos globais até 2030

A Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas e a consultoria Falconi apresentaram na terça-feira (10) as diretrizes para que o setor empresarial consiga cumprir, nos próximos dez anos, todos os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O projeto estabelece planos de ação prioritários e métricas para que as empresas brasileiras aumentem seus impactos sociais, ambientais e de governança positivos, inserindo plenamente a sustentabilidade em suas operações.

Em Westminster, no Reino Unido, jovens protestam por ações climáticas urgentes. Foto: Flickr (CC)/Rox

ARTIGO: Na linha de largada da Década da Ação

Em artigo, a presidente-executiva do Pacto Global das Nações Unidas, Lise Kingo, lembra que o mundo entra este ano na “linha de largada da Década da Ação” — faltam dez anos para a comunidade internacional atingir os objetivos propostos na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

“Eu temo estarmos correndo contra o tempo: na linha de largada da Década da Ação, o mundo está perdendo a corrida para evitar a crise climática.” Leia o artigo completo.

Arte: Rede Brasil do Pacto Global

Executivo da CPFL Energia é novo presidente da Rede Brasil do Pacto Global

O diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CPFL Energia, Rodolfo Sirol, é o novo presidente do Conselho de Administração da Rede Brasil do Pacto Global.

Sirol sucede Sonia Favaretto, da B3, que ocupava a presidência da Rede desde junho de 2019. Neste período, Sonia conduziu novo planejamento estratégico que ajudará a guiar o setor empresarial brasileiro a atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Edifícios em Punta Pacifica, na Cidade do Panamá. Foto: Banco Mundial

Iniciativa visa colocar setor financeiro no centro da agenda de desenvolvimento sustentável

O Pacto Global das Nações Unidas lançou uma força-tarefa de diretores financeiros de grandes empresas para criar um programa de dois anos que visa colocar o setor financeiro global no centro da Agenda 2030 e seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Durante o SDG Investment Forum, realizado em Milão, diretores financeiros de empresas globais concordaram em dar a largada ao diálogo com líderes de empresas para que encontrem, juntos, soluções para o desenvolvimento sustentável e para a escalada nos investimentos ligados aos ODS.

Dentre as 26 empresas brasileiras que receberam o Prêmio Empresa Pró-Ética, 18 são signatárias da Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Foto: Adalberto Carvalho/AscomCGU.

Controladoria-Geral da União premia empresas signatárias do Pacto Global por luta anticorrupção

A edição 2018-2019 do Prêmio Empresa Pró-Ética, oferecido pela Controladoria-Geral da União (CGU), condecorou 26 empresas brasileiras comprometidas com a luta anticorrupção em seus negócios. Dentre as iniciativas premiadas, 18 são signatárias da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas.

Premiação aconteceu em Brasília, durante a 1ª Conferência Internacional de Promoção da Integridade promovida pela CGU entre os dias 12 e 13 de dezembro. O Empresa Pró-Ética é uma iniciativa que há nove anos busca promover um ambiente corporativo mais íntegro, ético e transparente no país.

A Rede Brasil trabalha o tema com as empresas signatárias a partir do seu Grupo de Trabalho Anticorrupção, que analisa que a prática impede o crescimento econômico, aumenta os custos de transação e cria um mercado desequilibrado, levando à instabilidade social, alimentando a desconfiança pública e minando o Estado de Direito.

Em Berlim, na Alemanha, a manifestação de jovens 'Fridays for Future' pede ações urgentes contra as mudanças climáticas. Foto: Fridays For Future/Jörg Farys

Quase 180 empresas do mundo assinam compromissos de combate às mudanças climáticas

Cento e setenta e sete empresas já estão trabalhando para atingir um patamar alto de ambição e reduzir a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE), limitando os piores efeitos da mudança do clima. O movimento Business Ambition for 1,5ºC – Our Only Future, do Pacto Global das Nações Unidas, mais que dobrou de tamanho desde que um primeiro grupo de empresas anunciou o compromisso na Cúpula das Nações Unidas de Ação Climática, em setembro deste ano.

Jason Morrison, presidente do CEO Water Mandate, iniciativa do Pacto Global da ONU, lançou um chamado às empresas brasileiras por mais atenção ao tema da eficiência hídrica. Foto: Rede Brasil do Pacto Global.

“Precisamos dobrar nossos esforços relacionados à água”, afirma presidente de iniciativa do Pacto Global

Pela primeira vez realizado no Brasil, evento anual da plataforma CEO Water Mandate, iniciativa do Pacto Global das Nações Unidas, reuniu em São Paulo, na última quinta-feira (11), lideranças do setor privado com projetos na promoção da eficiência hídrica no país. Evento foi organizado pela Rede Brasil do Pacto Global e demais parceiros.

Na ocasião, o presidente da plataforma CEO Water Mandate, Jason Morrison, ressaltou que 9 em cada 10 desastres naturais são relacionados à água, e destacou que as mudanças do clima podem tornar esses eventos mais comuns. “Não temos muito tempo, por isso convido a todos para acelerar suas ações e aumentar sua ambição”, pontuou.

O evento também contou com o lançamento da versão em português do relatório “Fortalecendo o argumento comercial de água, saneamento e higiene” e a premiação das 12 iniciativas contempladadas pela iniciativa “Cases de sucesso em ODS 6”, que reconhece os melhores projetos desenvolvidos por membros da Rede Brasil do Pacto em práticas de sustentabilidade.

Pacto Setorial de Integridade visa prevenir corrupção no setor empresarial de limpeza urbana. Foto: Paweł Czerwiński/CC.

Com apoio da ONU, empresas de limpeza urbana se unem para criação de pacto que previne corrupção no setor

O primeiro Pacto Setorial de Integridade para empresas do setor de limpeza urbana e gestão de resíduos sólidos do país foi lançado na última quarta-feira (4), em evento na Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Elaboração do documento é uma iniciativa conjunta da Rede Brasil do Pacto Global e Instituto Ethos, que visa fortalecer governança das empresas de limpeza urbana e proteger o setor de casos de corrupção. Nove empresas, que representam mais de 50% do mercado nacional, assinam até o momento.

“Mais setores produtivos deveriam se engajar na luta pela integridade, e a Rede Brasil está aberta para acolher e incentivar pactos por uma atuação mais justa e transparente por parte das empresas”, afirmou Carlo Pereira, secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global.

Durante o segundo semestre de 2019, o Empoderando Refugiadas promove workshops temáticos para mulheres refugiadas em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR). Foto: Fellipe Abreu

Empresas e mulheres refugiadas reúnem-se em dinâmica de empregabilidade em SP

De um lado, empresas que buscam diversidade de talentos. De outro, mulheres refugiadas que necessitam de uma colocação no mercado de trabalho brasileiro. Foram estas necessidades que possibilitaram o encontro destes dois grupos para uma dinâmica de empregabilidade em São Paulo, na última segunda-feira (2).

O Empoderando Refugiadas está em sua quarta edição e trabalha a empregabilidade de mulheres em situação de refúgio em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR), além do engajamento de empresas sobre a contratação de refugiadas e migrantes. O projeto é uma parceria entre a Rede Brasil do Pacto Global, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a ONU Mulheres.

Empresas brasileiras se comprometeram a reduzir emissões e apoiar combate às mudanças climáticas. Foto: Sarah Richter/CC.

Empresas brasileiras assinam compromisso para reduzir emissões de gases do efeito estufa

Mais três empresas brasileiras assinaram compromissos com a Rede Brasil do Pacto Global para reduzir suas emissões de gases do efeito estufa e contribuir para limitar o aumento da temperatura global a 1,5 grau Celsius até 2020.

A fabricante de bebidas Ambev, a empresa de reciclagem Ecopanplas e a varejista de moda Renner confirmaram seu apoio à iniciativa Business Ambition for 1.5º.

Elas se somam a cinco outras empresas nacionais empenhadas em limitar a temperatura média global, seguindo metas baseadas na ciência para chegar a um equilíbrio sustentável do clima.

Prêmio homenageia ações da iniciativa privada brasileira que trabalham o tema do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6 (ODS 6), Água potável e Saneamento. Foto: Amritanshu Sikdar/CC.

Rede Brasil do Pacto Global anuncia finalistas do Prêmio Cases de Sucesso em Água e Saneamento 2019

Quinze projetos da iniciativa privada foram anunciados como os finalistas do Prêmio Cases de Sucesso em Água e Saneamento 2019, da Rede Brasil do Pacto Global.

Prêmio teve como objetivo reconhecer os melhores projetos inovadores desenvolvidos por membros do Pacto Global Brasil que privilegiem práticas de sustentabilidade na área de água e saneamento em suas operações e cadeias de abastecimento, em consonância com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6 (ODS 6).

Vencedores serão reconhecidos em uma publicação que será lançada no próximo dia 11 de dezembro, em evento em São Paulo com especialistas em gestão hídrica eficiente; representantes de empresas; do governo; de organizações não-governamentais; e instituições ligados ao setor da água, saneamento básico e higiene no país.

Cerca de 50 mulheres refugiadas participaram da série de workshops do Empoderando Refugiadas em São Paulo no segundo semestre de 2019. Foto: Fellipe Abreu

Empoderando Refugiadas encerra série de workshops sobre educação financeira

Após uma série de treinamentos realizados no segundo semestre de 2019, as mulheres do Empoderando Refugiadas estão capacitadas para a segunda etapa do projeto, que prevê dinâmicas de empregabilidade com representantes de empresas. O último workshop aconteceu na sexta-feira (8) no banco ABN AMRO, em São Paulo, e abordou o tema de educação financeira.

O Empoderando Refugiadas está em sua quarta edição e trabalha a empregabilidade de mulheres em situação de refúgio em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR), além do engajamento de empresas na contratação de migrantes e refugiados. O projeto é uma parceria entre Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres.

ONU e setor privado apresentam boas práticas de contratação de refugiados no Rio de Janeiro

Na 5ª edição do lançamento da plataforma Empresas com Refugiados, 60 pessoas se reuniram no espaço da WeWork no Rio de Janeiro para apresentar boas práticas de contratação, sensibilização e atuação em rede. O evento foi realizado no início de novembro pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em parceria com a Rede Brasil do Pacto Global.

“Somos trabalhadores, temos muitas contribuições para dar. Não queremos só receber assistência, e sim mostrar que temos mãos, mente e coragem para trabalhar, como fazíamos no nosso país”, afirmou a venezelana Victoria Velasquez, de 58 anos.

Agricultores brasileiros estão utilizando técnicas orgânicas envolvendo leguminosas que reduzem os custos e combatem as mudanças climáticas. Foto: EMBRAPA

Saiba como participar da campanha pelo clima da Rede Brasil do Pacto Global

A Rede Brasil do Pacto Global, junto à agência publicitária Almap BBDO, lançou o movimento #AceitaEstaCaneta. A ideia é mobilizar os principais líderes corporativos para que assinem um compromisso público de limitar o aumento da temperatura da Terra a 1,5°C e atingir o objetivo de zero emissão de gases de efeito estufa antes de 2050.

As metas são baseadas na ciência e visam evitar uma catástrofe climática. A iniciativa faz parte da frente de atuação Action4Climate, projeto do Pacto Global que promove ações pelo clima.

Durante o segundo semestre de 2019, o Empoderando Refugiadas promove workshops temáticos para mulheres refugiadas em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR). Foto: Fellipe Abreu

Refugiadas são treinadas em leis trabalhistas e canais de denúncia de violência de gênero em SP

A conscientização sobre o direito trabalhista brasileiro e as possibilidades de enfrentamento da violência contra a mulher no Brasil foram temas de workshop realizado no escritório de advocacia Mattos Filho, em São Paulo (SP), na última terça-feira (22).

O encontro reuniu profissionais do Direito e as participantes da quarta edição do projeto Empoderando Refugiadas – iniciativa de Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres, com foco na empregabilidade de mulheres em situação refúgio no Brasil.

Projetos de energia renovável e de eficiência energética nos países em desenvolvimento pode apoiar o Acordo de Paris, segundo relatório da ONU Meio Ambiente. Foto: EBC

Rede Brasil lança workshops de integração dos ODS no setor elétrico

A Rede Brasil do Pacto Global, a partir do seu Grupo Temático de Energia & Clima, iniciou uma nova fase do plano de fomentar a adesão do setor de energia elétrica aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Por meio de workshops SEBLab que ocorrerão nos meses de outubro e novembro, empresas e organizações encontram um espaço de diálogo e construção coletiva para adaptar a linguagem da Agenda 2030 às demandas e oportunidades da área. A iniciativa tem apoio das empresas AES Tietê, EDP, CPFL, CeleoRedes e MRV.

Relatório mostrou que apenas 21% dos presidentes de empresas do mundo acreditam que os negócios têm um papel importante para a conquista dos objetivos globais. Foto: ONU

Pacto Global prepara ferramenta para ajudar empresas a medir seus impactos nos ODS

O Pacto Global quer ajudar as empresas a medir seus impactos positivos e negativos relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Para isso, está preparando uma ferramenta que permite a avaliação de desempenho na adoção dos ODS e dos Dez Princípios do Pacto Global.

A SDG Action Manager tem o lançamento previsto para o início de 2020, mas as empresas da Rede Brasil já podem testar a versão beta.