Segundo os especialistas, a mudança do clima precisa entrar nas discussões gerenciais das empresas para que bancos e investidores possam direcionar seus recursos de forma sustentável Foto: FIESP

Debate em SP discute papel do mercado financeiro no combate às mudanças climáticas

Os mercados financeiros vêm incorporando cada vez mais elementos socioambientais em seus índices, o que, consequentemente, influencia na escolha de projetos para investimento. Por esse motivo, empresas precisam monitorar, relatar e mitigar a emissão de carbono que geram em suas atividades.

Este foi um dos principais pontos debatidos no 4° Workshop “Diálogos de Financiamento Climático”, promovido pelo Grupo de Trabalho de Energia e Clima da Rede Brasil do Pacto Global no fim de outubro (17) na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), na capital paulista.

Todd Cort ressaltou o potencial da sustentabilidade para investimentos, uma vez que o mercado exigirá num futuro próximo que as empresas calculem, por exemplo, o risco climático de suas operações Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Luísa Monteiro

Mercado exigirá que empresas calculem risco climático, diz especialista da Universidade de Yale

As pessoas que falam de sustentabilidade não são as mesmas que falam de finanças. Foi assim que Todd Cort, professor da Escola de Administração de Yale, nos Estados Unidos, resumiu o desafio que a sustentabilidade corporativa encontra na tradução de seus valores aos investidores financeiros, durante palestra na Fundação Getulio Vargas (FGV), em São Paulo, no fim de outubro (19).

De acordo com o especialista, os últimos relatórios da força-tarefa global para encorajar empresários a divulgar voluntariamente dados sobre riscos ambientais apontam que, no futuro próximo, o mercado exigirá que as empresas calculem o risco climático. O relato é da Rede Brasil do Pacto Global.

Oficina reuniu cerca de 70 executivos do Ceará e de outros estados do Nordeste. Foto: UNIMED Fortaleza

Pacto Global da ONU discute corrupção no setor privado em seminário no Ceará

A Rede Brasil do Pacto Global da ONU levou ao Nordeste, pela primeira vez, uma capacitação sobre combate à corrupção no setor privado. O workshop “Avaliação de riscos de corrupção” reuniu em Fortaleza, em outubro (25), cerca de 70 empresários do Ceará e de outros estados da região. Durante o encontro, especialistas da área de compliance frisaram que a integridade das companhias interessa a clientes e consumidores.

A Rede Brasil do Pacto Global reforça a importância, por parte das empresas e organizações signatárias, do combate a práticas que violem direitos trabalhistas e os direitos humanos. Foto: EBC

Rede Brasil do Pacto Global reitera importância do respeito aos direitos dos trabalhadores

A Rede Brasil do Pacto Global reforçou na sexta-feira (20) a importância de empresas e organizações signatárias combaterem práticas que violem os direitos trabalhistas e os direitos humanos no ambiente laboral ou na cadeia produtiva, como é o caso do trabalho análogo à escravidão.

“Faz-se importante lembrar que, entre os Dez Princípios do Pacto Global está o quarto princípio, (que trata da) eliminação de todas as formas de trabalho forçado ou compulsório”, um dos pilares da área de atuação da iniciativa, lembrou a organização em comunicado.

Seis dos dez eleitos para o Prêmio SDG Pioneers 2017 foram homenageados no evento, entre eles a brasileira Tânia Cosentino, presidente para a América do Sul da empresa de gestão de energia Schneider Electric (no centro, vestida de branco). Foto: Pacto Global/Zef Nikolla

Executivos de 70 países reúnem-se em Nova Iorque para discutir objetivos globais da ONU

Cerca de 800 líderes empresariais de mais de 70 países reuniram-se em Nova Iorque no fim de setembro (21) com representantes de organizações da sociedade civil, governos e das Nações Unidas para a cúpula do Pacto Global da ONU.

Convocada durante o 72ª Assembleia Geral, o encontro teve como objetivo impulsionar ações e parcerias empresariais para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e do Acordo de Paris para o clima.

VÍDEO: O que é desenvolvimento sustentável?

Há dois anos, Rede Brasil do Pacto Global integra objetivos globais às empresas

Há dois anos, em 25 de setembro de 2015, o mundo passou a conhecer novos parâmetros para um futuro mais sustentável e resiliente, baseados em um plano de ação para as pessoas, o planeta e a prosperidade: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Desde então, o Pacto Global da ONU vem engajando o setor privado em prol dos objetivos globais em quase 170 países, estabelecendo-se como a iniciativa interlocutora entre os ODS e as empresas. No Brasil, a Rede Brasil do Pacto Global promove diversas ações para impulsionar a participação corporativa na construção de um mundo mais sustentável e justo até 2030.

Tânia Cosentino foi reconhecida por seu trabalho focado no gerenciamento de energia e sustentabilidade. Foto: Divulgação/Schneider Electric

Brasileira está entre vencedores de concurso da ONU para executivos que promovem objetivos globais

A executiva brasileira Tânia Cosentino, presidente para a América do Sul da empresa de gestão de energia Schneider Electric, é uma das vencedoras do prêmio SDG Pioneers 2017, que será entregue pelo Pacto Global das Nações Unidas na sede da ONU em Nova Iorque no dia 21 de setembro.

O concurso homenageia lideranças empresariais que mobilizam suas empresas e o ambiente de negócios para a conquista dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Expositores apresentaram recursos financeiros voltados a projetos de mitigação dos gases de efeito estufa. Foto: Rede Brasil do Pacto Global

Pacto Global discute financiamento verde de projetos de infraestrutura

O Grupo Temático de Energia e Clima da Rede Brasil do Pacto Global promoveu o 3° Workshop da série “Diálogos de Financiamento Climático”, para discutir diferentes modalidades de financiamento de projetos para enfrentar as mudanças climáticas.

Participaram do evento especialistas e representantes de empresas signatárias e não signatárias do Pacto Global, que procura facilitar o diálogo sobre o acesso a recursos financeiros voltados a projetos de mitigação dos gases de efeito estufa e adaptação às mudanças climáticas.

Implementado desde novembro de 2015, o projeto trouxe impactos positivos para a vida das 80 refugiadas que se envolveram nas duas últimas edições. Foto: Fellipe Abreu

Projeto ‘Empoderando Refugiadas’ encerra segunda edição com 21 contratações

Em uma sala de cinema e diante de plateia atenta, dez refugiadas de diferentes nacionalidades e que hoje vivem em São Paulo se emocionaram. Retratadas pelo documentário “Recomeços — sobre mulheres, refúgio e trabalho”, elas dialogaram com o público sobre suas trajetórias e conquistas.

Coordenado pela Rede Brasil do Pacto Global e realizado em conjunto com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a ONU Mulheres, o projeto “Empoderando Refugiadas” encerrou sua segunda edição com 21 refugiadas contratadas por empresas no Brasil, e dezenas de outras treinadas e aconselhadas profissionalmente.

Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Rede Brasil do Pacto Global reúne executivos em SP para discutir combate à corrupção

A Rede Brasil do Pacto Global promoveu na semana passada (16) o workshop “Collaboration Lab – Ações coletivas de combate à corrupção”, na sede do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), em São Paulo.

O secretário-executivo da Rede Brasil, Carlo Pereira, ressaltou a urgência de discutir a questão no país. “Por razões óbvias, é um tema que está entre as nossas principais ações. E procuramos trabalhar com a prevenção, pois é assim que podemos gerar maior impacto”, disse.

Planejamento da carreira e empreendedorismo são alguns dos temas abordados no projeto Empoderando Refugiadas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Pacto Global da ONU no Brasil lança documentário sobre projeto Empoderando Refugiadas

A Rede Brasil do Pacto Global da ONU, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a ONU Mulheres e outros parceiros do projeto Empoderando Refugiadas promovem na semana que vem (29) em São Paulo evento de encerramento de sua segunda edição. A atividade será gratuita.

Na ocasião, os resultados do projeto serão compartilhados e será lançado um minidocumentário com as histórias de algumas de suas participantes. O filme apresenta as diversas trajetórias, estratégias e desafios de dez mulheres em busca de uma oportunidade de recomeçar a vida em outro país.

Os símbolos dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Imagem: PNUD Brasil

Brasil é único país latino-americano a ter comissão paritária para os objetivos globais

O Brasil é o único país da América Latina a ter uma Comissão Nacional para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) paritária entre governo e sociedade civil, lembrou o secretário-adjunto da Secretaria Nacional de Articulação Social, Cláudio Ribeiro, durante apresentação às empresas do comitê gestor da Rede Brasil do Pacto Global, no escritório da ONU em São Paulo.

A comissão deve acompanhar a evolução dos ODS no país, elaborar relatórios periódicos, subsidiar discussões sobre o desenvolvimento sustentável em fóruns nacionais e internacionais, além de identificar, sistematizar e divulgar boas práticas.

Denise Hills é vice-presidente e coordenadora do grupo de trabalho para os objetivos globais da Rede Brasil do Pacto Global e superintendente de sustentabilidade e negócios inclusivos do Itaú Unibanco. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Denise Hills, do Itaú Unibanco, assume a presidência da Rede Brasil do Pacto Global

A superintendente de sustentabilidade e negócios inclusivos do Itaú Unibanco, Denise Hills, assumiu na semana passada (9) a presidência da Rede Brasil do Pacto Global da ONU no lugar do diretor comercial da BASF América do Sul, André Oliveira.

Denise tem quase 30 anos de experiência no mercado financeiro. Em 2010, assumiu a liderança da área de Sustentabilidade no Itaú Unibanco e, mais recentemente, a área de Negócios Inclusivos, onde estão os programas de Microcrédito e Itaú Mulher Empreendedora. Ela está diretamente envolvida com iniciativas da ONU relacionadas ao setor financeiro.

Publicações em inglês darão visibilidade internacional para as atividades da Rede Brasil do Pacto Global. Imagem: Rede Brasil do Pacto Global

Pacto Global da ONU no Brasil lança publicações em diferentes idiomas para divulgar boas práticas

Para disseminar internacionalmente as experiências de empresas brasileiras na promoção dos direitos humanos e do desenvolvimento sustentável, a Rede Brasil do Pacto Global lançou neste mês (1º) traduções para o inglês de quatro publicações. Documentos contemplam temas diversos — a integração da Agenda 2030 da ONU a estratégias corporativas, diretrizes para o setor de alimentação, entre outros assuntos.

Publicação sobre imigração e corrupção no mercado internacional ganhou versões em inglês, espanhol, francês, alemão e mandarim.

Grupo de Trabalho de Direitos Humanos promove treinamento de due dilligence para empresas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Rede Brasil do Pacto Global promove treinamento em direitos humanos para empresas

Os direitos humanos são uma agenda cada vez mais presente nas empresas brasileiras. Nesse cenário, o Grupo Temático de Direitos Humanos e Trabalho da Rede Brasil do Pacto Global promoveu em meados de julho (19) a segunda edição do treinamento de due dilligence em direitos humanos na sede do Conselho Regional de Administração, em São Paulo. O evento reuniu representantes de 56 empresas e instituições para explicar, discutir e viabilizar a implantação da devida diligência nesse tema dentro das companhias.

Cidades são fonte de riqueza, mas também de desafios de habitação e infraestrutura. Foto: ONU-HABITAT

Centro da ONU analisa mais de 50 iniciativas sobre desenvolvimento urbano sustentável

O Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável do PNUD (Centro RIO+) lançou nesta semana (17), em Cabo Verde, uma publicação sobre estratégias de planejamento para a sustentabilidade urbana. Documento apresenta um panorama com mais de 50 iniciativas criadas por cidades, coalizações de municípios, universidades, ONGs e setor privado para fomentar o crescimento e o planejamento responsáveis dos centros urbanos a nível municipal.

Fórum sobre os Princípios de Empoderamento das Mulheres foi promovido, no Rio de Janeiro, pela ONU Mulheres e Pacto Global com apoio da White Martins. Foto: Erik Barros Pinto

No Rio, empresas e ONU debatem igualdade de gênero no setor privado

No início de julho (3), a primeira edição do Fórum sobre os Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs) no Rio de Janeiro reuniu cerca de 150 gestores, especialistas e representantes de companhias e das Nações Unidas para debater a promoção da igualdade de gênero no mercado de trabalho. Presença feminina na chefia de corporações foi um dos destaques das discussões. Encontro foi promovido pela ONU Mulheres e pela Rede Brasil do Pacto Global.

Rede Brasil do Pacto Global anuncia Carlo Pereira como novo secretário-executivo

A Rede Brasil do Pacto Global anunciou na segunda-feira (3) a nomeação do químico e mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) Carlo Pereira como novo secretário-executivo da organização.

Pereira tem mais de 15 anos de experiência em temas relacionados à sustentabilidade corporativa, tais como mudanças do clima, energia renovável e investimento social privado, com passagem por diversas empresas brasileiras.

Rio Piracicaba. Foto: fotospúblicas/Paulo Pinto

Pacto Global da ONU lança relatório sobre desperdício de água em redes de distribuição do Brasil

Em 2015, 182 bilhões de litros de água foram perdidos em vazamentos, fraudes, roubos ou problemas de medição nos 74 municípios banhados pelas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. O número é de um levantamento divulgado nesta semana (7) pelo Movimento Menos Perdas, Mais Água – iniciativa criada pela Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Volume desperdiçado seria suficiente para abastecer 2,7 milhões de pessoas.

Refugiadas receberam informações sobre acesso a ensino superior, técnico e profissionalização no Brasil. Foto: Rede Brasil Pacto Global/Fellipe Abreu

Refugiadas vivendo em São Paulo recebem orientações para ingressar no ensino superior e técnico

Na semana passada, em São Paulo, refugiadas da Síria, República Democrática do Congo, Colômbia, Nigéria e Moçambique participaram de mais uma rodada do projeto “Empoderando Refugiadas”, coordenado pela ONU.

Foi o terceiro encontro da iniciativa em 2017. No evento, realizado na sede da consultoria jurídica EMDOC, estrangeiras conheceram oportunidades de capacitação em universidades brasileiras e outras instituições.

A mudança climática é uma prioridade urgente para a Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA), o fundo do Banco Mundial para os mais pobres. Sem um desenvolvimento rápido, inclusivo e adaptado ao clima, as mudanças climáticas poderão resultar em mais de 100 milhões de pessoas a mais na pobreza até 2030.

Financiamento de iniciativas contra as mudanças climáticas é tema de encontro de empresas do Pacto Global

Como o setor privado pode participar da luta contra as mudanças climáticas? Para responder à pergunta, a Rede Brasil do Pacto Global da ONU reuniu especialistas e representantes de empresas na sede da Schneider Electric, em São Paulo, para o primeiro workshop “Diálogos de Financiamento Climático”. Realizado em 25 de abri, encontro discutiu métodos para angariar fundos e investi-los em meios de produção sustentáveis.

Refugiadas receberam orientações sobre direitos, inserção no mercado de trabalho e aspectos da cultura brasileira. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Refugiadas vivendo no Brasil aprendem sobre cultura local e direitos das mulheres

Violência de gênero, participação no mercado de trabalho e particularidades da cultura brasileira foram alguns dos temas abordados por empresas do Pacto Global da ONU no segundo workshop do projeto Empoderando Refugiadas, iniciativa que reúne estrangeira vítimas de deslocamento forçado para ajudá-las a conseguir um emprego no Brasil. Encontro aconteceu na semana passada (10), no Instituto Carrefour, em São Paulo, e reuniu cerca de 30 pessoas, entre palestrantes e refugiadas.

André Oliveira, presidente do Pacto Global da ONU no Brasil, destacou importância do combate à corrupção. Foto: Pacto Global/Fellipe Abreu

Pacto Global da ONU mapeia desafios do setor privado para enfrentar corrupção no Brasil

“O problema do Brasil não é a construção civil, não são os trens, não é a carne. O problema do Brasil é a corrupção”. Foi assim que o presidente do Pacto Global da ONU no Brasil, André Oliveira, descreveu a atual crise por que passa o país. Para combater crimes no âmbito corporativo, a rede de empresas reuniu 60 representantes do setor privado, governo e academia na semana passada (21), em São Paulo, para um workshop sobre como coibir ações corruptas.

Integrantes do Sistema ONU no Brasil, do governo federal e de entidades da sociedade civil prestigiaram premiação de direitos humanos do Ministério da Justiça e Cidadania. Foto: ACNUR / Flavia Faria

Iniciativa da ONU com empresas e populações vulneráveis recebe prêmio do Ministério da Justiça

Por promover o envolvimento do setor privado com a defesa dos direitos humanos, incluindo a preparação de mulheres refugiadas para sua inserção no mercado de trabalho brasileiro, a Rede Brasil do Pacto Global recebeu na quarta-feira (14), em Brasília, o Prêmio Direitos Humanos 2016, concedido pelo Ministério da Justiça e Cidadania. Iniciativa da ONU foi reconhecida na categoria “Empresas e Direitos Humanos”.

Expatriação de funcionários de empresas envolve riscos de corrupção, alerta a Rede Brasil do Pacto Global. Foto: Pexels

Pacto Global lança guia para combater corrupção em processos migratórios

Desde a solicitação de um visto até a chegada em um novo país, práticas que não sejam transparentes ou que gerem algum favorecimento fora das legislações previstas podem criar problemas para empresas e executivos que transitam de uma nação para outra. Para coibir condutas criminosas, a Rede Brasil do Pacto Global lançou nesta sexta-feira (9), Dia Internacional contra a Corrupção, um guia de boas práticas sobre o combate à corrupção no mercado de trabalho internacional.