Brasil e ONU querem promover eliminação da transmissão vertical do HIV em municípios. Foto: EBC

Casos de sífilis congênita dobram na América Latina e Caribe no período 2010-2015, chegando a 22,4 mil

Em levantamento publicado na quinta-feira (25), a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) aponta que, na América Latina e no Caribe, os casos de sífilis congênita dobraram em anos recentes — passando de 10.850 ocorrências em 2010 para a marca alarmante de 22,4 mil bebês nascidos com a doença em 2015. Relatório também aborda oscilações das taxas de transmissão vertical — de mãe para filho — do HIV.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, o novo diretor-geral da OMS. Foto: OMS

Países elegem 1º africano para chefiar Organização Mundial da Saúde

Durante a 70ª Assembleia Mundial da Saúde, em Genebra, os Estados-membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) elegeram nesta terça-feira (23) o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus para o cargo de diretor-geral do organismo internacional. Ghebreyesus será o primeiro africano a liderar a agência de saúde da ONU. Seu mandato terá início em 1º de julho de 2017. Na Etiópia, Ghebreyesus foi ministro das Relações Exteriores, de 2012 a 2016, e ministro da Saúde, de 2005 a 2012.

Da esquerda para direita, Ricardo Barros, Carissa Etienne e Oleg Chestnov. Foto: OMS

Brasil é 1º país a assumir compromissos específicos com a Década de Ação para a Nutrição da ONU

O Brasil se tornou na segunda-feira (22) o primeiro país a assumir metas objetivas e mensuráveis com a Década de Ação das Nações Unidas para a Nutrição. A nação se comprometeu a deter o crescimento da obesidade entre adultos, reduzir o consumo regular de bebidas adoçadas com açúcar em pelo menos 30% no mesmo grupo etário e ampliar em no mínimo 17,8% o percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente. O prazo para o cumprimento dos objetivos é 2019.

Diretora-geral da OMS, Margaret Chan, durante a 67ª Assembleia Mundial da Saúde. Foto: OMS/V. Martin

Ministros e autoridades reúnem-se em Genebra para eleger novo(a) diretor(a) da OMS

Ministros e autoridades de saúde de 194 países participam a partir desta segunda-feira (22) da 70ª Assembleia Mundial da Saúde, que ocorre até 31 de maio em Genebra, na Suíça. Durante o encontro, haverá a eleição do novo diretor ou diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ministros dos países do G20 também se reuniram na semana passada (20) em Berlim, na Alemanha, para discutir uma resposta global coordenada aos desafios da saúde em todo o planeta.

Sala de Situação, Ação e Articulação sobre Direitos das Mulheres foi estabelecida em março de 2016, em resposta da ONU e da sociedade civil à crise sanitária. Foto: ONU Mulheres/Isabel Clavelin

Agências da ONU lembram 1 ano de sala de situação para combate ao zika no Brasil

Após um ano de existência, a Sala de Situação, Ação e Articulação sobre Direitos das Mulheres — criada por ONU Mulheres, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) — como resposta à crise sanitária do vírus zika, consolidou-se como um canal aberto para as organizações feministas e de mulheres, para a análise de pesquisas e informações sobre saúde e para ações de parceria entre a sociedade civil e as Nações Unidas.

Pressão alta não é mais problema exclusivo de países desenvolvidos e afeta populações de diferentes partes do mundo. Foto: Banco Mundial / Aisha Faquir

Países das Américas apresentam casos bem sucedidos de redução do risco cardiovascular

Quatro países das Américas adotaram ações bem-sucedidas para reduzir o risco cardiovascular de suas populações. Trata-se de um programa apoiado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, que se consiste no acompanhamento integral de pessoas com hipertensão.

Entre 20% e 35% da população adulta da América Latina e do Caribe têm hipertensão. O número de pessoas com pressão arterial elevada tem aumentado nos últimos anos, e muitos não sabem ter essa condição.

Acidentes no trânsito são a principal causa de morte entre adolescentes de dez a 19 anos, provocando 115 mil óbitos por ano. Foto: OMS

Mais de 1,2 milhão de adolescentes morrem anualmente por causas evitáveis, alerta OMS

Mais de 3 mil adolescentes morrem todos os dias por causas evitáveis como acidentes de trânsito, infecções respiratórias inferiores e suicídio. O saldo anual chega a mais de 1,2 milhão de óbitos. Os números são do novo levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado na terça-feira (16). Documento alerta que, em 2015, dois terços dos falecimentos juvenis preveníveis foram registrados em países de média e baixa renda da África e do Sudeste Asiático.

PANAFTOSA firma parceria com município fluminense de Miguel Pereira. Foto: PANAFTOSA

Centro da ONU e município de Miguel Pereira firmam parceria para combater doenças de origem animal

O município de Miguel Pereira, no estado do Rio de Janeiro, firmou nesta semana um convênio na área de saúde veterinária com o Centro Pan-americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA). Com a parceria, o governo e a instituição de pesquisa capacitarão profissionais de serviços veterinários, produtores de alimentos e comerciantes para estimular o manejo adequado da comida e fortalecer a vigilância sanitária contra doenças transmitidas por animais.

Cerca de 19 milhões de pessoas precisam de assistência no Iêmen, sendo que mais da metade depende da ajuda para sobreviver. Foto: Giles Clarke/OCHA

Ataque contra cidade e porto no Iêmen pode comprometer capacidade humanitária, alerta OIM

“Caso o ataque aconteça, a expectativa é que, no mínimo, cerca de 400 mil pessoas fujam da cidade [de Al Hudaydah], aumentando a situação já desesperadora de mais de 2 milhões de pessoas deslocadas e suas comunidades de acolhimento afetadas pelo conflito”, alertou o diretor de operações e emergências da Organização Internacional para as Migrações, Mohammed Abdiker. Cerca de 19 milhões de pessoas precisam de assistência no país, sendo que mais da metade depende da ajuda para sobreviver.

A educação é essencial para promover a paz e da estabilidade em regiões tomadas pelo conflito. Foto: S. Escobar-Jaramillo/ACNUR

ONU e países da América Central discutem problemas sociais que fragilizam saúde da mulher e dos jovens

Representantes de oito países da América Central, de organizações não governamentais e das Nações Unidas se reuniram nesta semana (10), no Panamá, para discussões sobre a implementação a nível regional da Estratégia Mundial para a Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente. Marco global determina que Estados-membros da ONU ponham um fim, até 2030, à mortalidade de mulheres e jovens por problemas de saúde preveníveis.

Solenidade de Abertura do Mês de Vacinação dos Povos Indígenas. Foto: Sesai/Alejandro Zambrana

OPAS e Ministério da Saúde lançam mês de vacinação dos povos indígenas

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o Ministério da Saúde do Brasil lançaram no sábado (6) o Mês de Vacinação dos Povos Indígenas. O objetivo é aumentar os índices de imunização nessa população, melhorando a proteção contra diversas doenças que podem ser prevenidas por vacinas, como a gripe, o sarampo e a rubéola, entre outras. A meta é beneficiar mais de 100 mil índios aldeados em todo país.

Ciclista em Edimburgo. Foto: Wkimedia Commons/John Wigham (CC)

OMS recomenda limite de 50km/h para reduzir mortes no trânsito; velocidade alta causa um terço de óbitos por acidentes

Em novo relatório, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que a velocidade segura no trânsito é fundamental para reduzir o número de acidentes e mortes. Óbitos em vias de tráfego chegam a 1,25 milhão por ano.

Agência da ONU lembra protagonismo de prefeitos e líderes municipais para tornar cidades mais habitáveis e menos perigosas para seus habitantes.

Os desafios mais importantes para a saúde e o bem-estar nas Américas estão enraizados na desigualdade e na exclusão social, segundo a OPAS. Foto: Banco Mundial

Desigualdade e exclusão social são desafios para saúde nas Américas, diz agência da ONU

Os desafios mais importantes para a saúde e o bem-estar nas Américas estão enraizados na desigualdade e na exclusão social. A afirmação foi feita pela diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, durante a primeira reunião do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável, ocorrido na semana passada na Cidade do México.

Menina lava as mãos em bairro no centro de Porto-Príncipe, no Haiti. Foto: UNICEF/Roger LeMoyne

Lavar as mãos ajuda a combater proliferação de micróbios resistentes, diz ONU em dia mundial

Em 2017, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) lembram o Dia Mundial de Higienização das Mãos, observado em 5 de maio, com a campanha “A luta contra a resistência microbiana está em suas mãos”.

Atividades de conscientização, apoiadas pelo Brasil, abordam importância da lavagem das mãos entre médicos e pacientes. Higiene é fundamental para prevenir infecções, incluindo as resistentes a antibióticos.

Carissa Etienne, da OPAS (à esquerda), e Alicia Bárcena, da CEPAL (à direita). Foto: CEPAL

Agências da ONU firmam acordo para melhorar coleta de estatísticas sobre saúde na América Latina e Caribe

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) assinaram na quinta-feira (27) um novo acordo de cooperação para melhorar sistemas de informação sobre o bem-estar da população da região. Parceria entre as duas agências da ONU foi formalizada na Cidade do México, em meio aos eventos do primeiro Fórum regional sobre Desenvolvimento Sustentável.

Instalação de mosquiteiros é uma das iniciativas de prevenção e controle da malária. Foto: Governo do Estado do Acre/Secom/Angela Peres

Concurso premia melhores práticas para prevenção e eliminação da malária

O concurso “Campeões contra a Malária nas Américas” recebe até 26 de junho inscrições de iniciativas locais e nacionais de combate à malária e que demonstrem como a vigilância e o acesso universal ao diagnóstico e ao tratamento têm sido essenciais para a eliminação e prevenção da doença.

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) é uma das patrocinadoras do prêmio.

Estudante recebe vacina contra doenças como hepatite B, influenza A (H1N1), sarampo e febre amarela. Foto: Wilson Dias/ABr

Mais de 300 milhões vivem com infecção crônica por hepatite no mundo, alerta OMS

Novos dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que cerca de 325 milhões de pessoas no mundo vivem com infecção crônica pelo vírus da hepatite B ou C.

O relatório global sobre hepatites de 2017 indica que a maioria dessas pessoas não tem acesso a testes e tratamentos que podem salvar vidas. Como resultado, milhões estão em risco de uma lenta progressão para doença hepática crônica, câncer e morte.

Acompanhamento pré-natal nas unidades básicas de saúde de Curitiba. Foto:SMCS/Valdecir Galor.

UNICEF alerta para elevado número de cesarianas no Brasil

O elevado número de cesarianas no país coloca o Brasil em segundo lugar no mundo em percentual deste tipo de parto. Enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece em até 15% a proporção recomendada de partos por cesariana, no Brasil esse percentual é de 57%. O alerta foi feito pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Entre os estados com maiores percentuais estão Goiás (67%), Espírito Santo (67%), Rondônia (66%), Paraná (63%) e Rio Grande do Sul (63%). Segundo estudos, grande parte das cesarianas é realizada de forma eletiva, sem fatores de risco que justifiquem a cirurgia, e antes de a mulher entrar em trabalho de parto.

Doenças tropicais negligenciais são responsáveis por deixar sequelas graves, como mutilações e desfigurações. Foto: OMS

OMS: 1 bilhão de pessoas têm acesso a tratamento para pelo menos uma doença tropical negligenciada

Em 2015, quase um sétimo da população mundial recebeu atendimento para cuidar de patologias que se disseminam nas regiões mais quentes do planeta e que estão fortemente associadas à pobreza. Número foi divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que apresentou nesta quarta-feira (19) conquistas inéditas na luta contra doenças como elefantíase, raiva e leishmaniose.

Publicidade de bebidas alcoólicas influencia negativamente comportamento de jovens, alerta OPAS. Foto: PEXELS

OPAS propõe regulação da publicidade sobre bebidas alcoólicas para reduzir consumo

Estimativas compiladas pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) revelam uma alta incidência do consumo episódico e excessivo de bebidas alcoólicas entre indivíduos de 15 a 19 anos nas Américas — 29,3% entre os homens e 7,1% entre as mulheres.

Em nova publicação, agência regional da OMS propõe recomendações para que países reduzam exposição de grupos vulneráveis ao marketing sobre álcool.

Cuba se tornou recentemente o primeiro país do mundo a receber a validação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de eliminação da transmissão vertical – de mãe para filho – do HIV e da sífilis. O sucesso da ilha caribenha é mais um passo em direção é um passo na direção certa para reduzir a ameaça global do HIV e da AIDS, uma das metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 3. Confira nessa matéria especial em vídeo.

Cuba é o primeiro país do mundo a erradicar transmissão materna de HIV e sífilis; vídeo

Cuba se tornou recentemente o primeiro país do mundo a receber a validação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de eliminação da transmissão vertical – de mãe para filho – do HIV e da sífilis.

O sucesso da ilha caribenha é mais um passo em direção é um passo na direção certa para reduzir a ameaça global do HIV e da AIDS, uma das metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 3. Confira nessa matéria especial em vídeo.