Mãe segura recém-nascido em maternidade de Dhaka, em Bangladesh. Foto: ONU/Kibae Park

OMS publica novas diretrizes para reduzir intervenções médicas desnecessárias no parto

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou nesta quinta-feira (15) novas diretrizes sobre padrões globais de atendimento às mulheres grávidas, com o objetivo de reduzir o uso desnecessário de algumas intervenções médicas como, por exemplo, a cesárea.

“Queremos que as mulheres deem à luz em um ambiente seguro, com profissionais qualificados e em unidades bem equipadas. No entanto, a crescente ‘medicalização’ de processos normais de parto estão minando a capacidade das mulheres de dar à luz, e afetando negativamente sua experiência de parto”, disse Nothemba Simelela, diretora-geral assistente para família, mulheres, crianças e adolescentes da OMS.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou a revisão de sua lista de agentes patogênicos prioritários. Foto: EBC

OMS divulga lista de doenças prioritárias para pesquisa e desenvolvimento em 2018

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou na quarta-feira (14) a revisão de sua lista de agentes patogênicos prioritários, que podem causar uma emergência de saúde pública e para as quais não existem medidas suficientes. O organismo internacional pede que a comunidade médica una esforços de pesquisa e desenvolvimento para tratamentos e vacinas com o objetivo de ajudar a controlar possíveis surtos de oito doenças.

Doses de vacina contra a febre amarela. Foto: OPAS

ONU apoia capacitação em febre amarela de 290 funcionários da saúde de Duque de Caxias

Em resposta à atual onda de casos de febre amarela silvestre, o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA), vinculado às Nações Unidas, apoiou a capacitação de 290 profissionais da Secretaria Municipal de Saúde de Duque de Caxias. Público da formação são os agentes comunitários e cirurgiões-dentistas das unidades de atendimento do programa “Saúde da Família”. Aperfeiçoamento visa fortalecer a vigilância para evitar a ocorrência de uma epidemia.

Foto: Banco Mundial/Athit Perawongmetha

Casos de câncer devem aumentar 70% até 2038, calcula OMS

No Dia Mundial de Combate ao Câncer, lembrado no domingo (4), a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que “quase todas as famílias do mundo são afetadas pelo câncer de alguma maneira”. Aproximadamente 14 milhões de novos casos são registrados por ano globalmente, e a OMS calcula que essas notificações devam subir 70% nas próximas duas décadas.

A OMS explica que foram feitos muitos progressos na prevenção, no tratamento e nos cuidados paliativos da doença. Mas o acesso a esses avanços é desigual. Em muitos países, o câncer é diagnosticado muito tarde, o tratamento é caro ou inacessível e serviços paliativos não estão disponíveis.

Com decisão do STF, Brasil avança no combate ao tabagismo, avalia OMS. Foto: PEXELS

ONU elogia decisão do STF de proibir aditivos que mudam sabor e cheiro de cigarros

O Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil manteve na quinta-feira (1) a validade da resolução 14/2012, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que impede o uso de aditivos em produtos derivados do tabaco. Com isso, volta a ficar proibido o uso desses agentes para, por exemplo, modificar o sabor e o cheiro de cigarros, tornando-os mais atrativos, principalmente para os jovens. A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OPAS), comemorou a sentença.

A hanseníase é uma doença infecciosa crônica causada por bactérias. Foto: EBC

Brasil registra 11,6% dos casos de hanseníase no mundo

Em evento para o Dia Mundial de Combate à Hanseníase, observado comumente no último domingo de janeiro, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) participou nesta semana (31), em Belém do Pará, do lançamento de uma campanha de conscientização sobre a doença. A iniciativa, do Ministério da Saúde do Brasil, aborda os sintomas da enfermidade. País identificou 25,2 mil casos da patologia em 2016, número que representava 11,6% do total global de novas ocorrências.

Além de estarem mais expostos ao risco de morte violenta intencional, os negros e negras também integram o grupo de brasileiros que têm, em geral, piores indicadores de saúde. Foto: EBC

Negros têm maior incidência de problemas de saúde evitáveis no Brasil, alerta ONU

Mortalidade de recém-nascidos antes dos seis dias de vida, infecções sexualmente transmissíveis, mortes maternas, hanseníase e tuberculose. Estes são alguns dos problemas de saúde evitáveis mais frequentes entre a população negra, tanto em comparação ao contingente branco quanto em relação às médias nacionais, alertaram as Nações Unidas na segunda-feira (29), com base em dados oficiais.

“A população negra não é uma população doente”, explica Lúcia Xavier, coordenadora da organização de mulheres negras Criola. “O que acontece é que ela vive com menos qualidade. O grupo é mais vulnerável às doenças porque está sob maior influência dos determinantes sociais de saúde, ou seja, as condições em que uma pessoa vive e trabalha, a insalubridade, as baixas condições sanitárias às quais está submetida, por exemplo. E a soma desses diversos indicadores de vulnerabilidade aumenta também o risco de perder a vida”, afirma.

Vacina contra a febre amarela. Foto: EBC

Brasil começa maior campanha mundial de vacinas fracionadas da febre amarela

O Brasil começou nesta semana (25) sua campanha de imunização com doses fracionadas da vacina contra febre amarela. A iniciativa acontece em 69 municípios dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Bahia também participará do programa, mas só começará ações em fevereiro. O plano de vacinação brasileiro foi elaborado com a participação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Esta será a maior campanha do mundo com vacinas fracionadas da doença.

Doses de vacina contra a febre amarela. Foto: OPAS

OMS aponta para riscos e desafios logísticos na resposta do Brasil à febre amarela

Em novo informativo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que, com a decisão do Brasil de realizar uma campanha em massa de vacinação, espera-se uma efetiva limitação da transmissão da febre amarela.

Contudo, agência aponta para desafios logísticos e ressalta que o grande número de brasileiros não vacinados, vivendo em lugares favoráveis à transmissão da doença, representam um risco elevado para mudanças nos atuais padrões de transmissão.

Garantir vidas saudáveis e promover o bem-estar em todo o curso de vida é um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Foto: Carol Garcia / SECOM Bahia

Agência da ONU recebe inscrições para programa gratuito de liderança em saúde nas Américas

Profissionais com experiência gerencial ou executiva em saúde pública, relações internacionais e áreas afins têm até 15 de fevereiro para se candidatar a um programa de liderança da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Diplomacia em saúde, cooperação internacional, gestão de políticas públicas, migração, saúde nas fronteiras, acesso a medicamentos e doenças não transmissíveis são alguns dos temas que serão abordados.

Transtorno dos jogos eletrônicos deverá ser incluído em nova revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID). Foto: PEXELS

OMS esclarece dúvidas sobre vício em video games

O transtorno dos jogos eletrônicos — tradução livre de gaming disorder — é definido no rascunho da 11ª Revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID-11) como um padrão comportamental que prejudica a capacidade de controlar a prática desse tipo de entretenimento. Os video games são priorizados em detrimento de outras atividades, e o jogo se torna mais importante que outros interesses e ações diárias.

A fim de esclarecer dúvidas sobre a revisão da CID e a inclusão do transtorno na Classificação, a Organização Mundial da Saúde (OMS) preparou um “perguntas e respostas” sobre o tema.

Foto: UNESCO

Guia de educação em sexualidade da ONU enfatiza igualdade de gênero e direitos humanos

Perto de completar dez anos, o guia “Orientações Técnicas de Educação em Sexualidade”, voltado para legisladores que trabalham na elaboração de currículos escolares no mundo todo, teve esta semana sua edição atualizada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Com base em uma análise das melhores práticas no mundo, o guia mostra que a educação em sexualidade ajuda os jovens a se tornar mais responsáveis em sua atitude e comportamento no que se refere à saúde sexual e reprodutiva. Também é essencial no combate à evasão escolar de meninas provocada por gravidez ou casamento precoce.

Poluição ambiental mata 12,6 milhões de pessoas por ano. Foto: PEXELS

Agências da ONU se unem para combater riscos ambientais de saúde

A ONU Meio Ambiente e a Organização Mundial da Saúde (OMS) firmaram nesta semana (10) uma nova parceria para enfrentar os problemas de saúde causados pela poluição ambiental. Cooperação visa ampliar a realização de pesquisas, além de aprimorar métodos de monitoramento da qualidade do ar e da água. Agências trabalharão ainda por melhorias na gestão de resíduos e produtos químicos. Acordo prevê que os dois organismos compartilhem a coordenação da campanha da ONU BreatheLife.

Foto: OPAS/OMS

Brasil anuncia fracionamento de doses de vacina contra febre amarela em três estados

O Ministério da Saúde anunciou na terça-feira (9) que vai adotar, entre fevereiro e março deste ano, o fracionamento de doses da vacina contra a febre amarela em três estados: Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. Essa medida é recomendada pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) como uma das estratégias de imunização que podem ser usadas em casos de emergência.

Entre os usuários da CID, estão profissionais de saúde, pesquisadores, gestores e codificadores de informações em saúde. Foto: Ministério da Saúde/Creative Commons

Leia perguntas e respostas sobre a revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID)

A Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID) fornece uma linguagem comum para registro e monitoramento de doenças. Isso permite que profissionais de todo o mundo comparem e compartilhem dados de forma consistente e padronizada — entre hospitais, regiões e países, bem como por períodos de tempo. Essa ferramenta facilita a coleta e armazenamento de dados para análise e tomada de decisões baseadas em evidências.

A CID foi traduzida para 43 idiomas e é utilizada por todos os Estados-membros da Organização Mundial da Saúde (OMS). A maioria dos países (117) usa o sistema para registrar dados sobre mortalidade, um indicador básico de saúde.

Mães e crianças aguardam na fila para receber vacinação contra sarampo em campo de refugiados de Baidoa, na Somália. Foto ONU (arquivo)

Milhões de crianças na Somália são vacinadas contra sarampo em campanha da ONU

Mais de 1 milhão de crianças com idade entre 6 meses a 10 anos em Puntland e 4,2 milhões em toda a Somália participaram de uma campanha de vacinação de cinco dias contra o sarampo encerrada no domingo (7), informaram as Nações Unidas nesta segunda-feira (8).

A campanha foi conduzida por uma parceria entre Organização Mundial da Saúde (OMS), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Ministério da Saúde da Somália.

Profilaxia pré-exposição é mais uma ferramenta contra a transmissão do HIV. Foto: UNAIDS

Brasil começa a distribuir remédios para prevenir HIV entre populações-chave

O Ministério da Saúde começou no início de dezembro (1º) a distribuir as profilaxias pré-exposição (PrEP) e pós-exposição (PEP) para prevenir o HIV entre populações-chave em 35 localidades do país.

Em dezembro passado, um novo relatório sobre prevenção do HIV elaborado por Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) recomendou ampliar o acesso a todas as opções de prevenção disponíveis, entre elas, a PrEP, para diminuir os novos casos de HIV, que têm se mantido em 120 mil por ano desde 2010 na América Latina e no Caribe.

Bandeira da ONU é levantada na cerimônia de lançamento da MINUJUSTH. Foto MINUJUSTH/Logan Abassi

Nova missão da ONU no Haiti tem como objetivo fortalecer o Estado de direito no país

A chefe da nova Missão das Nações Unidas de Apoio à Justiça no Haiti (MINUJUSTH), Susan Page, disse que a operação terá como foco exclusivo fortalecer o Estado de direito no país.

“O novo mandato estabelecido pelo Conselho de Segurança da ONU é trabalhar com o governo haitiano para fortalecer suas instituições de Estado de direito. Também continua a apoiar a polícia nacional haitiana e a trabalhar para a Justiça e os direitos humanos — e isso inclui informação, monitoramento e análise”, disse ela em entrevista ao UN News.

A OMS acredita que com a vacina, deve diminuir o uso de antibióticos para febre tifoide. Foto: OMS

OMS aprova mais um passo para vacina inovadora contra febre tifoide

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pré-qualificou a primeira vacina conjugada para febre tifoide, a Typbar-TCV, da Bharat Biotech. Segundo a agência, as vacinas conjugadas são produtos inovadores que oferecem maior tempo de imunidade em doses menores.

Essas vacinas podem ser oferecidas a crianças em campanhas rotineiras de imunização. Ter a pré-qualificação da OMS significa que a vacina tem todos os padrões de qualidade, segurança e eficácia para ser comercializada.

Iemenitas aguardam na fila para receber água potável de tanque fornecido pelo UNICEF em Sanaa, no Iêmen. Foto: UNICEF

Iêmen caminha para catástrofe humanitária, alertam agências da ONU

Enquanto o conflito no Iêmen ultrapassa a marca de 1 mil dias, as Nações Unidas alertaram que se os trabalhadores humanitários não tiverem maior acesso ao país e se a violência não diminuir, o custo em termos de vidas perdidas será incalculável. O alerta foi feito pelos chefes de Organização Mundial da Saúde (OMS), Programa Mundial de Alimentos (PMA) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Cerca de 75% da população iemenita está em necessidade de assistência humanitária, incluindo 11,3 milhões de crianças que não podem sobreviver sem ela. Ao menos 60% dos iemenitas estão agora em insegurança alimentar e 16 milhões de pessoas não têm acesso a água potável e saneamento básico. Menos da metade dos hospitais do Iêmen está funcionando plenamente e profissionais de saúde ficaram meses sem receber salários.

Imunização contra a hepatite B na Argentina. Foto: OPAS/OMS

Revista Pan-Americana de Saúde Pública divulga edição especial sobre imunização nas Américas

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) lançou uma edição especial da Revista Pan-Americana de Saúde Pública sobre imunização nas Américas.

A publicação comemora os 40 anos do Programa Ampliado de Imunização e homenageia o legado de Ciro de Quadros, ex-funcionário da OPAS/OMS e médico epidemiologista brasileiro reconhecido por seus esforços para a erradicação da poliomielite globalmente.

Apesar de a mortalidade materna ter caído 43% na América Latina e 30% no Caribe de 1990 a 2010, o progresso foi insuficiente para alcançar o objetivo de redução de 75% estabelecido pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Foto: OPAS/OMS

‘Nenhuma mulher deve morrer no processo de se tornar mãe’, diz diretora da OPAS

Um enfoque baseado em direitos humanos que utilize instrumentos legais internacionais pode ajudar no esforço de redução da mortalidade materna nas Américas, disseram especialistas durante simpósio realizado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) no início de dezembro (8) em Washington.

Apesar de a mortalidade materna ter caído 43% na América Latina e 30% no Caribe de 1990 a 2010, o progresso foi insuficiente para alcançar o objetivo de redução de 75% estabelecido pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas em 2015. “Isso é um reflexo da desigualdade dentro e entre os países, e também uma negação dos direitos humanos daquelas mulheres que morreram por conta de algo tão natural com dar a luz”, disse a diretora da OPAS, Carissa Etienne.

Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 3 prevê alcançar a cobertura universal de saúde. Foto: Agência Brasil / Marcello Casal Jr.

Revista de saúde da ONU prorroga prazo para recebimento de artigos sobre atenção primária

Foi prorrogado até 14 de janeiro de 2018 o prazo de envio de artigos para uma edição especial da Revista Pan-Americana de Saúde Pública, cujo tema será “Atenção primária à saúde nas Américas: Quarenta anos de Alma-Ata”. Os trabalhos serão aceitos em português, espanhol ou inglês. Periódico é publicado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), braço regional da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Peru preparado tradicionalmente durante as festas de fim de ano. Foto: Flickr (CC)/neal whitehouse piper

Cinco dicas da ONU para preparar comidas de forma saudável nas festas de fim de ano

A cada dia nas Américas, mais de 210 mil pessoas apresentam sintomas de doenças transmitidas por alimentos. Desses casos, quase metade ocorre entre crianças com menos de cinco anos de idade. Durante as celebrações de fim de ano, o risco de contrair essas enfermidades pode aumentar devido à manipulação e refrigeração inadequadas das comidas, que são preparadas com antecedência e em grandes quantidades.

Para evitar esses problemas, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), braço regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), recomenda cinco medidas a serem tomadas durante o preparo dos pratos.

Foto: Anvisa

Brasil avança ao atualizar imagens de advertência nos rótulos dos cigarros, avalia OPAS/OMS

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) tem recomendado uma série de iniciativas, baseadas nas melhores evidências científicas disponíveis, para auxiliar os países das Américas na redução do número de fumantes. Recentemente, o Brasil fortaleceu uma delas ao atualizar as imagens de advertência nos rótulos dos cigarros e demais produtos derivados do tabaco.

O controle do tabagismo é um poderoso instrumento para melhorar a saúde da população. Globalmente, mais de 7 milhões de pessoas perdem a vida a cada ano, vitimadas por doenças causadas pelo consumo do tabaco – como câncer e diabetes. Esse produto é responsável por mais de 1,4 trilhão de dólares (4,3 trilhões de reais) em custos de saúde e perda de produtividade no mundo.

O fechamento de todas as vias, terrestres, marítimas e aéreas que dão acesso ao Iêmen pode causar graves consequências ao país que já enfrenta uma complicada crise humanitária. O bloqueio, realizado por uma coalizão liderada pela Arábia Saudita, vem afetando as operações da Organização Mundial da Saúde (OMS) na região, onde milhões de pessoas dependem da ajuda humanitária para sobreviver. Segundo representantes da ONU, o prolongamento das obstruções pode ocasionar a maior crise de fome que o mundo viu em décadas.

Bloqueio saudita ao Iêmen pode levar a catástrofe humanitária ainda pior

O fechamento de todas as vias, terrestres, marítimas e aéreas que dão acesso ao Iêmen pode causar graves consequências ao país que já enfrenta uma complicada crise humanitária.

O bloqueio, realizado por uma coalizão liderada pela Arábia Saudita, vem afetando as operações da Organização Mundial da Saúde (OMS) na região, onde milhões de pessoas dependem da ajuda humanitária para sobreviver. Segundo representantes da ONU, o prolongamento das obstruções pode ocasionar a maior crise de fome que o mundo viu em décadas.

Com o Mais Médicos, foi possível preencher 18.240 vagas em 4.058 municípios brasileiros e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas. Dessas, 11.429 foram ocupadas pelos profissionais cubanos. Foto: OPAS

Agência da ONU lança aplicativo para divulgar dados sobre o Mais Médicos

Já está disponível para computador, tablet ou celular o aplicativo gratuito “Sistema Integrado de Informações Mais Médicos (SIMM)”. A ferramenta foi criada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), para facilitar o acesso da sociedade brasileira aos principais bancos de dados do programa Mais Médicos. Software indica a quantidade de profissionais da iniciativa e onde eles atuam, além de apresentar linha do tempo do projeto.