Na medida em que a população mundial envelhece, a expectativa é de que o número de pessoas que vivem com demência triplique até 2050, segundo a OMS. Foto: EBC/Eduardo Bovo

OMS: número de pessoas afetadas por demência triplicará no mundo até 2050

Na medida em que a população mundial envelhece, a expectativa é de que o número de pessoas que vivem com demência triplique até 2050, passando de 50 milhões para 152 milhões, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) na quinta-feira (7).

A demência é um “termo guarda-chuva” que inclui diversas doenças, que são principalmente progressivas e afetam memória, outras habilidades cognitivas e comportamentos.

Um em cada cinco bebês que nascem no Brasil é filho de mãe adolescente. Foto: Governo do Rio de Janeiro

Fundo de População da ONU pede políticas de saúde sexual e reprodutiva para adolescentes nas Américas

Em São Paulo para um seminário internacional sobre a saúde de adolescentes nas Américas, a equipe do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) defendeu na terça-feira (5) que os jovens tenham mais acesso a políticas de saúde sexual e reprodutiva. Agência da ONU lembrou que a América Latina tem a segunda taxa mais alta do mundo de gravidez na adolescência — 18% de todos os partos na região são de mulheres com menos de 20 anos de idade.

Um bebê é examinado com suspeita de desnutrição no hospital Al-Jomhouri, apoiado pelo UNICEF em Sa'ada, no Iêmen. Foto: UNICEF / Maad Al-Zekri

ONU pede fim de confrontos e ataques aéreos no Iêmen; bloqueio saudita ameaça milhões de pessoas

“O secretário-geral pede a retomada urgente de todas as importações comerciais. Sem estas, milhões de crianças, mulheres e homens correm o risco de sofrer com fome, doenças e a morte em massa”, afirmou o secretário-geral, António Guterres, e chefes de sete agências das Nações Unidas.

Um número alarmante de 20,7 milhões de pessoas no Iêmen precisa de algum tipo de apoio humanitário ou de proteção, com cerca de 9,8 milhões em necessidade extrema de assistência.

Eliminação da transmissão vertical do HIV e da sífilis coloca Caribe no rumo certo para erradicar a AIDS como ameaça de saúde de pública até 2030. Foto: OPAS

Seis países e territórios caribenhos eliminam transmissão do HIV e sífilis de mãe para filho

Seis países e territórios caribenhos — Anguilla; Antígua e Barbuda; Bermudas; Ilhas Cayman; Montserrat; e São Cristóvão e Névis — foram certificados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como livres da transmissão do HIV e da sífilis de mãe para filho, a chamada transmissão vertical. Reconhecimento da eliminação foi anunciado na última sexta-feira (1º), Dia Mundial contra a AIDS.

OPAS e UNAIDS pedem intensificação dos esforços para prevenção ao HIV e oferta de todas as opções disponíveis para evitar novas infecções. Foto: UNICEF/Noorani

OPAS e UNAIDS pedem intensificação dos esforços de prevenção ao HIV

Um novo relatório da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) mostra que ampliar o acesso a todas as opções de prevenção ao HIV disponíveis atualmente reduziria o número de novos casos do vírus na América Latina e no Caribe — que se mantêm em 120 mil por ano desde 2010.

O relatório defende a distribuição de preservativos e lubrificantes, a oferta de teste para sífilis ao mesmo tempo em que se oferece o teste para HIV, bem como o acesso universal ao tratamento, algo que melhora significativamente a saúde das pessoas com HIV e reduz o risco de infecção de seus parceiros.

Criança sob mosquiteiro para prevenir malária. Foto: OMS

OMS: Brasil e Venezuela respondem por mais da metade dos casos de malária nas Américas

Relatório divulgado nesta quarta-feira (29) pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostrou que a região das Américas teve o maior crescimento percentual (36%) na incidência de casos de malária entre 2014 e 2016 no mundo.

O crescimento foi intensificado a partir de 2013, devido principalmente ao aumento da incidência no Brasil e na Venezuela, países que responderam por 52,4% dos casos reportados em 2016 nas Américas, segundo a agência das Nações Unidas.

Diretora da OPAS, Carissa Etienne, ao lado do representante das Olimpíadas Especiais, Timothy Shriver. Foto: OPAS

ONU e instituição esportiva firmam parceria pela saúde de pessoas com deficiências intelectuais

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e as Olimpíadas Especiais assinaram nesta semana (28) um acordo para melhorar o acesso das pessoas com deficiência intelectual a atendimento de qualidade. Além de mobilizar os 365 mil atletas e parceiros da instituição esportiva, as duas entidades capacitarão profissionais de saúde e conscientizarão gestores e políticos sobre as necessidades dessa população.

Estima-se que um em cada 10 produtos médicos que circulam em países de baixa e média renda seja de baixa qualidade ou falsificado, de acordo com a OMS. Foto: EBC

OMS: 1 em cada 10 produtos médicos em países de baixa e média renda está fora do padrão ou é falsificado

Estima-se que um em cada dez produtos médicos que circulam em países de baixa e média renda seja de baixa qualidade ou falsificado, de acordo com novas pesquisas realizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgadas na terça-feira (28).

“Medicamentos de baixa qualidade e falsificados afetam particularmente as comunidades mais vulneráveis”, afirma Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS. “Imagine uma mãe que deixa de comprar alimentos ou manter outras necessidades básicas para pagar o tratamento de sua criança, sem saber que os remédios são inadequados ou falsificados e que esse tratamento pode fazer com que o filho morra. Isso é inaceitável”.

As experiências selecionadas receberão certificado de reconhecimento do projeto e serão apresentadas em publicação a ser elaborada pelo Ministério da Saúde e pela OPAS/OMS. Foto: EBC

Prazo de inscrição para laboratório de educação em saúde é prorrogado para 11/12

Foram prorrogadas até 11 de dezembro as inscrições para a primeira edição do Laboratório de Inovação em Educação na Saúde, promovido pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) e pelo Ministério da Saúde do Brasil.

A proposta é mapear práticas inovadoras e experiências de sucesso que contribuam para a formação e qualificação dos trabalhadores e profissionais de saúde no Sistema Único de Saúde (SUS).

Raiva canina é doença endêmica na Guatemala. Foto: PEXELS

Reunião na Guatemala discute eliminação da raiva transmitida por cães na região das Américas

Os últimos desafios para a eliminação da raiva em humanos transmitida por cães na região das Américas será tema de discussão durante a 16ª Reunião de Diretores dos Programas da Raiva das Américas (REDIPRA), que ocorre na cidade de La Antigua, na Guatemala, na quarta e quinta-feira (29 e 30).

A reunião é promovida pela área de saúde pública veterinária do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

Pessoas usam máscara de proteção contra a tuberculose. Foto: IRIN/David Gough

Mais de 70 países prometem tomar medidas urgentes para acabar com tuberculose até 2030

Setenta e cinco ministros concordaram na semana passada (17) em tomar medidas urgentes para erradicar a tuberculose até 2030. O anúncio foi feito na primeira Conferência Ministerial Mundial da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o tema, que reuniu delegados de 114 países em Moscou, na Rússia.

“Este dia marca um ponto crítico na luta para acabar com a tuberculose”, disse o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus. “Indica um compromisso mundial já muito atrasado para deter a morte e o sofrimento causado por essa antiga assassina”.

Phumzile Mlambo-Ngcuka, diretora-executiva da ONU Mulheres, ao lado de António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Foto: Eskinder Debebe

ONU pede fim da impunidade para a violência de gênero

Em pronunciamento em Nova Iorque para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher, lembrado no próximo 25 de novembro, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, defendeu a igualdade de gênero e o empoderamento feminino como soluções para as violações dos direitos das mulheres.

“Em todo o mundo, mais de uma a cada três mulheres enfrentará violência ao longo de suas vidas; 750 milhões de mulheres se casaram antes de completar 18 anos e mais de 250 milhões foram submetidas à mutilação genital feminina”, lembrou o dirigente máximo do organismo internacional.

Grupo coordenado por UNFPA e OPAS/OMS promoveu o debate sobre Estratégia Global para a Saúde das Mulheres, das Crianças e dos Adolescentes 2016-2030. Foto: OMS

ONU e parceiros discutem estratégia nacional para saúde de mulheres, crianças e adolescentes

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) receberam na quinta-feira (23) representantes de outras agências da ONU, do Ministério da Saúde brasileiro, da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL) e da sociedade civil para discutir a implementação da Estratégia Global para a Saúde das Mulheres, das Crianças e dos Adolescentes 2016-2030 no país.

A iniciativa foca no apoio aos países para que as políticas públicas de saúde efetivamente promovam a equidade e sejam voltadas aos mais vulneráveis, sem deixar ninguém para trás.

Iniciativa da OMS busca reduzir pela metade nos próximos cinco anos os danos graves e evitáveis associados a erros de medicação. Foto: Agência Brasil/Valter Campanato

Erros no uso de medicações custam US$42 bi por ano no mundo, estima ONU

Os custos relacionados a erros no uso de medicações somam 42 bilhões de dólares, ou cerca de 136 bilhões de reais, por ano no mundo, segundo estimativas da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

A estimativa da agência da ONU é de que ao menos uma pessoa morra por dia globalmente devido a erros no uso de medicamentos. Somente nos Estados Unidos, aproximadamente 1,3 milhão de pessoas são prejudicadas anualmente por esses equívocos.

Agências da ONU manifestaram preocupação com PEC 181/15. Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão.

Agências da ONU divulgam nota sobre PEC 181/15

Agências das Nações Unidas no Brasil manifestaram no domingo (19) preocupação com a eventual aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 181/15 que, segundo as instituições, em seus termos atuais acarretará em maior risco para a saúde de mulheres e meninas.

As agências da ONU lembram que, de acordo com relatores do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, a negação de serviços de abortamento nos casos já previstos em lei pode colocar em risco a saúde física e mental de mulheres e meninas cujo sofrimento pode constituir tortura e/ou tratamento cruel, desumano ou degradante.

A declaração foi divulgada em comunicado assinado por Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), ONU Mulheres, Escritório da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde no Brasil (OPAS/OMS) e o Escritório Regional para a América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

Vista aérea de Teerã. Foto: Hansueli Krapf/Wikimedia Commons (CC)

ONU oferece apoio a esforços de recuperação após terremoto em Irã e Iraque

As Nações Unidas estão prontas para apoiar os esforços de recuperação após terremoto que atingiu o Irã e o Iraque no domingo (12), disse secretário-geral da ONU, António Guterres, na segunda-feira (13).

O terremoto de magnitude 7.3 que atingiu o Irã e o Iraque já é considerado o mais letal de 2017. Até o momento, já foram registrados mais de 400 mortos e cerca de 7 mil feridos, em sua maioria iranianos. Além disso, 70 mil pessoas ficaram desabrigadas e precisam urgentemente de abrigo.

Mais países se mobilizam para combater a resistência antimicrobiana na alimentação e na agricultura. Foto: EBC

Países se mobilizam para combater resistência a antibióticos na alimentação e na agricultura

Os esforços para interromper a propagação de patógenos resistentes a antibióticos nas atividades agrícolas e nos sistemas alimentares ganharam impulso graças a um forte apoio dos governos e de técnicos que está potencializando a capacidade dos países de responder ao problema, disse a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Os antimicrobianos são muito utilizados nos setores pecuário, avícola e aquícola para tratar ou prevenir doenças. Seu uso excessivo e indevido impulsiona a aparição e propagação de patógenos causadores de doenças que são resistentes aos medicamentos e, por isso, cada vez mais difíceis de tratar.

Abdullah, de 6 anos, no leste Ghouta, perto de Damasco, na Síria; eles fugiram de um bombardeio recentemente. Foto: UNICEF/Almohibany

Síria: ONU pede acesso imediato e irrestrito para salvar vidas em zona rural de Damasco

Situação volta a se complicar após comboio ter alcançado região no final de outubro. Milhares de pessoas continuam vivendo em dez áreas sitiadas na Síria.

Segundo a OMS, há relatos de escassez grave de alimentos e de itens médicos no leste de Ghouta, zona rural da capital Damasco, onde até 400 mil pessoas continuam sitiadas e sem acesso a assistência vital.

Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) relata lenta volta à normalidade em Alepo, onde combates chegaram ao fim.

OPAS/OMS lança publicação sobre uso racional de medicamentos em Congresso Brasileiro de Ciências Farmacêuticas. Foto: ONU

ONU lança publicação sobre uso racional de medicamentos em congresso farmacêutico no Paraná

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) lançou nesta quarta-feira (15) a versão completa da publicação “Uso Racional de Medicamentos: fundamentação em condutas terapêuticas e nos macroprocessos da Assistência Farmacêutica”, durante o I Congresso Brasileiro de Ciências Farmacêuticas, que ocorre até sábado (18) em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Entre os tópicos da publicação estão tratamento da dor lombar, novas opções terapêuticas para artrite reumatoide, tratamento da doença do refluxo gastrintestinal em crianças, uso de insulina para tratar diabetes melito, prevenção primária de cardiopatia isquêmica, utilização de medidas medicamentosas no caso de depressão em idosos, utilização do misoprostol em hemorragias pós-parto e opções de contracepção na adolescência.

Profissionais do Programa Mais Médicos em Breves, no sudoeste da Ilha de Marajó. Foto: OPAS

ONU apresenta Mais Médicos em fórum global sobre saúde na Irlanda

O Mais Médicos permitiu preencher 18.240 vagas em 4.058 municípios brasileiros e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas. Dessas, 11.429 foram ocupadas por profissionais cubanos. Em dois anos, de janeiro de 2013 a janeiro de 2015, o número de consultas na Estratégia nacional de Saúde da Família aumentou 33% nos municípios que participaram do programa, fruto de uma parceria entre os governos de Brasil e Cuba e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Obesidade nas Américas preocupa a OMS. Foto: Flickr/Tony Alter (CC)

Américas têm duas vez mais obesos que a média mundial, alerta OMS

A obesidade é um dos principais desencadeadores da diabetes, e as Américas têm mais que o dobro de adultos obesos que a média mundial, com as mulheres sendo o grupo mais afetado pelo excesso de peso.

A dieta saudável e a vida ativa podem colocar um freio no avanço da obesidade e prevenir a aparição da diabetes, assim como ajudar a controlá-la, alertou a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

OMS sugere maior tributação de bebidas açucaradas. Foto: EBC

OMS sugere aumentar preço de bebidas adoçadas para melhorar alimentação dos brasileiros

Aumentar o preço de bebidas adoçadas é uma das medidas mais estratégicas para melhorar a alimentação da população brasileira, bem como reduzir a carga da obesidade e de doenças crônicas não transmissíveis no país. A declaração foi feita pela representante adjunta da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, María Dolores Pérez-Rosales, na abertura de um seminário organizado pelo organismo internacional, que busca reunir conhecimentos e experiências sobre modelos de tributação desses produtos e seus benefícios para a saúde pública.

Embalagem fictícia e meramente ilustrativa.

ONU recomenda que embalagens de alimentos no Brasil tenham advertência nutricional frontal

Em um painel técnico realizado na quinta-feira (9) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e pelo Ministério da Saúde, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) reforçou suas recomendações para a adoção de ícones frontais de advertência nutricional na rotulagem de alimentos no Brasil.

Governo federal, pesquisadores, especialistas, organizações e indústria de alimentos, entre outros atores, participaram da discussão e apresentaram suas propostas de modelos para que o país possa avançar nesse processo regulatório.

Foto: Poppy/Flickr/CC

Com início de julgamento no STF, OMS volta a pedir proibição de cigarros com sabor

O Brasil foi o primeiro país no mundo a proibir, em 2012, o uso desses aditivos. Nos anos seguintes, pelo menos 33 outros países baniram produtos de tabaco com flavorizantes. “Retroceder nessa medida pode atrapalhar a bem-sucedida trajetória brasileira na redução do número de pessoas que fumam”, alertou a agência especializada da ONU.

O uso do tabaco é a principal causa evitável de mortes em todo o mundo, matando mais de 7 milhões de pessoas por ano. Os seus custos econômicos também são enormes, totalizando mais de US$ 1,4 trilhão – ou cerca de R$ 4,5 trilhões – em custos de saúde e perda de produtividade.

Rótulos de alimentos no Brasil devem ser mais claros, defende agência da ONU

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), escritório da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas, acredita que o Brasil se beneficiará da adoção de um novo modelo de rotulagem de alimentos, que permita ao consumidor fazer escolhas mais saudáveis. O tema está sendo analisado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), com a participação de diversas instituições.

A OPAS defende que os rótulos de alimentos processados e ultraprocessados tenham em sua embalagem um selo em formato de octógono, com fundo preto e letras brancas, que informe sobre o alto teor de nutrientes críticos da seguinte forma: “muito açúcar”, “muito sódio”, “contêm adoçantes”, entre outros.

O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, cobrou uma resposta da sociedade e do poder público à dura realidade enfrentada pela juventude afrodescendente. Foto: UNFPA/Agnes Sofia Guimarães

‘O racismo mata e não podemos ser indiferentes’, diz ONU Brasil em lançamento da campanha #VidasNegras

A ONU Brasil lançou na terça-feira (7) a campanha #VidasNegras, iniciativa de conscientização nacional pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Em cerimônia que reuniu em Brasília cerca de cem autoridades públicas e representantes da sociedade civil e do corpo diplomático, dirigentes das Nações Unidas alertaram que cinco jovens negros morrem a cada duas horas no país. Por ano, o número chega a 23 mil.

O organismo internacional fez um apelo à sociedade brasileira e ao poder público por repostas ao racismo e à discriminação. Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no Brasil.

Especialistas em finanças e HIV se reúnem no Haiti para o 3º fórum regional sobre sustentabilidade na resposta ao vírus. Foto: UNAIDS

Especialistas em finanças reúnem-se no Haiti para discutir sustentabilidade da resposta ao HIV

Especialistas em finanças e HIV da América Latina e do Caribe reúnem-se a partir desta segunda-feira (6) no Haiti para fórum sobre sustentabilidade da resposta ao vírus. O evento é organizado por governo haitiano, Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), pessoas vivendo com HIV e parceiros.

O encontro tem entre seus objetivos facilitar a discussão sobre estratégias e mecanismos para a transição rumo a respostas nacionais sustentáveis com o intuito de acabar com a AIDS como ameaça para a saúde pública na América Latina e no Caribe até 2030.

Município de Eirunepé desenvolveu ações de prevenção e monitoramento da malária que foram premiadas pela OPAS. Imagem: Frame de documentário da OPAS

OPAS premia Brasil, Haiti e República Dominicana por combate à malária

Uma iniciativa brasileira está entre os ganhadores da premiação Campeões da Malária, realizada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e agências parceiras. Em Eirunepé, cidade do Amazonas onde a patologia afetava sobretudo grupos populacionais isolados, o projeto municipal para conter a doença fez as infecções caírem de 8 mil em 2013 para 126 em outubro de 2017. Programas do Haiti e da República Dominicana também foram reconhecidos.

Principal doença transmitida por carrapatos no Brasil é tema de simpósio no Rio

A Secretaria de Vigilância em Saúde do Brasil (SVS) e a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), com apoio do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA), realizaram em outubro (16 e 17) no Rio de Janeiro o 2º Simpósio Nacional de Doenças Transmitidas por Carrapatos.

O simpósio possibilitou a troca de experiências entre profissionais da saúde que trabalham nos serviços de vigilância epidemiológica e na assistência médica em áreas endêmicas da febre maculosa (principal doença transmitida por carrapatos no Brasil) e nas universidades colaboradoras.