Flávia Nunes e Clara Almeida são articuladoras dos direitos dos povos Guaranis-Kaiowás Foto: ONU Mulheres/Isabel Clavelin

Mulheres indígenas buscam apoio da ONU Brasil para garantir compromissos do Estado brasileiro

Mulheres indígenas reuniram-se com representantes das Nações Unidas em Brasília (DF) na semana passada (14) para pedir apoio da Organização para a garantia do cumprimento dos compromissos do Estado brasileiro assumidos na Declaração sobre os Direitos dos Povos Indígenas, que completará dez anos em setembro.

Fome, miséria, violência, feminicídio, homicídios, desaparecimento e perseguição foram destacados como problemas crônicos que violam os direitos dos povos indígenas, comprometendo o ordenamento jurídico brasileiro e as normativas internacionais.

ONU Mulheres alerta para desigualdades de gênero em cadeias de fornecedores para compras corporativas. Foto: PEXELS

ONU defende que políticas de compras corporativas ajudem a reduzir desigualdades de gênero

Políticas de compras dos setores público e privado devem levar em conta as desigualdades de gênero nas cadeias de abastecimento. Essa foi a pauta defendida pela ONU Mulheres nesta sexta-feira (18), em um fórum organizado em São Paulo pela agência das Nações Unidas, a Rede Brasil do Pacto Global e a Fundação Getúlio Vargas. Evento discutiu como a aquisição consciente de insumos pode empoderar mulheres empreendedoras.

Relatório do Banco Mundial examina lacunas existentes na legislação de 173 economias relacionadas à violência contra as mulheres. Foto: George Campos/USP Imagens

Agência da ONU participa de audiência pública sobre leis de proteção à mulher

Uma audiência pública realizada na quarta-feira (16) em Brasília debateu a necessidade de mudanças na legislação brasileira para que efetivamente protejam meninas e mulheres contra a violência. A audiência foi requerida pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, por meio das deputadas Erika Kokay (PT-DF) e Dâmina Pereira (PSL-MG). A representante auxiliar do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Fernanda Lopes, foi convidada para a sessão.

Durante o evento, houve apresentação cultural de Luana Euzébio, Cris de Souza, Cleo Street e Thug Dee. Foto: UNFPA Brasil.

Juventude negra é a mais afetada pelas políticas de drogas no Brasil, dizem especialistas

Redução de danos, violência contra jovens e falta de políticas públicas capazes de atender a usuários de drogas foram alguns dos temas que guiaram a segunda sessão de debates na Casa da ONU em Brasília na segunda-feira (14), no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Juventude.

O evento foi organizado pela ONU Brasil em parceria com o programa Câmara Ligada da Câmara dos Deputados.

No Brasil, vírus zika já circula por 18 estados. Foto: FotosPúblicas / Rafael Neddermeyer

Agências da ONU discutem consequências da epidemia de zika para as mulheres brasileiras

Em Salvador, agências da ONU participaram na segunda-feira (7) do 6º encontro da Sala de Situação, Ação e Articulação sobre Direitos das Mulheres no contexto da epidemia de zika. Reunião contou com a participação de especialistas da Fundação Oswaldo Cruz e de representantes da sociedade civil. Encontro aconteceu na véspera da Feira de Soluções para a Saúde — Zika, evento que teve início nesta terça-feira, também na capital baiana.

Rayanne Cristine Maximo Franca. Foto: ONU Mulheres

‘É hora de o mundo ouvir nossa voz’, diz ativista indígena brasileira

Rayanne França, de 25 anos, é uma ativista brasileira da juventude indígena. Desde que deixou sua casa aos 17 anos, embarcou na luta por direitos e reconhecimento. Ela faz parte da Rede de Juventude Indígena (REJUIND) e participou recentemente da 61ª sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher e da 16ª sessão do Fórum Permanente da ONU para Questões Indígenas, realizados em Nova Iorque.

Às vésperas do Dia Internacional dos Povos Indígenas (9 de agosto), Rayanne conversou com a ONU Mulheres sobre as principais preocupações das jovens mulheres indígenas no Brasil. Leia o depoimento.

Marcha das Margaridas de Brasília em 2015. Foto: ONU Mulheres/Isabel Clavelin

Lei Maria da Penha completa 11 anos; especialistas analisam avanços e desafios

A Lei Maria da Penha completa 11 anos nesta segunda-feira (7). Formulada sob a perspectiva feminista, a lei foi pioneira no Brasil em demarcar o caráter específico da violência de gênero, explicitando a desigualdade entre homens e mulheres como o grande motivador do problema. O marco vem modificando a compreensão da violência contra as mulheres, desnaturalizando a violência como parte das relações familiares e de intimidade.

Em entrevista à ONU Mulheres, a pesquisadora e socióloga Wânia Pasinato e a jornalista Amanda Kamanchek analisam a importância da lei para a consolidação dos direitos humanos das mulheres, levando em conta desigualdades estruturais de gênero na sociedade brasileira.

Imagem da mostra 'Pais Suecos', de John Bävman. Foto: John Bävman

ONU e governo da Suécia convidam brasileiros a participar de campanha de fotos sobre paternidade

Inspirados pela exposição “Pais Suecos”, do fotógrafo Johan Bävman, a campanha da ONU ElesPorElas e a Embaixada da Suécia no Brasil convidam pais brasileiros a compartilhar fotografias que retratem a relação com seus filhos. Iniciativa, chamada “Pais Brasileiros”, quer estimular discussões sobre a divisão entre homens e mulheres das responsabilidades pela criação das crianças.

Marcha das Mulheres Negras reúne ativistas no Rio pelo fim do racismo e do machismo

No último domingo (30), a III Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo e a Violência e pelo Bem Viver levou para a orla de Copacabana, no Rio de Janeiro, mensagens de empoderamento feminino e de luta contra a discriminação. Manifestação contou com o apoio da ONU Mulheres Brasil. Entre as ativistas e participantes do movimento, estava Kenia Maria, atriz e defensora dos direitos das mulheres negras da agência das Nações Unidas.

Youtubers negras vão movimentar redes sociais da ONU Mulheres Brasil com debates sobre igualdade de gênero e racial. Imagem: ONU Mulheres Brasil

Com youtubers negras, ONU Mulheres realiza campanha sobre empoderamento das brasileiras afrodescendentes

A partir desta segunda-feira (24) e até a próxima sexta-feira (28), cinco youtubers negras, jovens e brasileiras ocuparão as redes sociais da ONU Mulheres Brasil para discutir o papel das afrodescendentes no cumprimento da Agenda 2030 das Nações Unidas. Ações são parte da campanha #SouNegraEQueroFalar, que lembra as mobilizações das mulheres negras no chamado Julho das Pretas e também o Dia da Mulher Afro-latino-americana, Afro-caribenha e da Diáspora, comemorado na América Latina no dia 25 de julho.

Juliana Maia, assistente de programas da ONU Mulheres Brasil. Foto: Sistema FIRJAN/Vinícius Magalhães

ONU Mulheres defende igualdade de gênero e racial no setor privado

A diversidade racial na iniciativa privada foi tema de um seminário no Rio de Janeiro que contou com a participação da ONU Mulheres. A agência das Nações Unidas lembrou que, segundo o Perfil Social, Racial e de Gênero das 500 Maiores Empresas do Brasil, as funcionárias negras representam apenas 10,6% do número de total de profissionais. No quadro executivo, existem apenas duas afrodescendentes entre 548 diretores.

Fórum sobre os Princípios de Empoderamento das Mulheres foi promovido, no Rio de Janeiro, pela ONU Mulheres e Pacto Global com apoio da White Martins. Foto: Erik Barros Pinto

No Rio, empresas e ONU debatem igualdade de gênero no setor privado

No início de julho (3), a primeira edição do Fórum sobre os Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs) no Rio de Janeiro reuniu cerca de 150 gestores, especialistas e representantes de companhias e das Nações Unidas para debater a promoção da igualdade de gênero no mercado de trabalho. Presença feminina na chefia de corporações foi um dos destaques das discussões. Encontro foi promovido pela ONU Mulheres e pela Rede Brasil do Pacto Global.

Edição da Pauta Feminina de julho debaterá desafios enfrentados por brasileiras afrodescendentes. Imagem: Divulgação

ONU Mulheres participa de audiência pública sobre desafios enfrentados por brasileiras afrodescendentes

Para enriquecer o debate sobre desafios enfrentados por brasileiras afrodescendentes, a ONU Mulheres participa na quinta-feira (13) da 44ª edição da Pauta Feminina, audiência pública promovida mensalmente pela Procuradoria Especial da Mulher do Senado Federal.

Encontro será realizado em alusão ao dia 25 de julho, data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha. Entre as convidadas, está Eunice Borges, associada do Programa Liderança e Participação Política da ONU Mulheres no Brasil.

Taís Araújo, defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres Brasil, ao lado de Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil, e Niky Fabiancic, coordenador-residente da ONU Brasil. Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

Grupo Temático de Gênero, Raça e Etnia da ONU discute situação das mulheres negras no Brasil

Recém-nomeada defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres Brasil, Taís Araújo foi apresentada pela representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, ao Grupo Temático de Gênero, Raça e Etnia do Sistema das Nações Unidas no Brasil, uma das instâncias de articulação e gestão da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável e da Década Internacional de Afrodescendentes. O encontro ocorreu na segunda-feira (3), na Casa da ONU, em Brasília.

ONU Mulheres foi uma das entidades apoiadoras da Marcha das Mulheres Negras, em 2015. À direita, a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

ONU Mulheres e movimento de mulheres negras discutem em Brasília ações para Agenda 2030

A representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, apresentou no fim de junho (27) em Brasília a estratégia de comunicação e ação política “Mulheres Negras Rumo a Um Planeta 50-50 em 2030” para organizações brasileiras de mulheres negras.

Segundo Nadine, este é o momento de as organizações traçarem um posicionamento para atuação conjunta, garantindo o cumprimento da Agenda 2030 e por um Planeta 50-50. “Nós contamos com as organizações de mulheres negras do país para traçar os rumos dessa estratégia. Somente vamos obter êxito se trabalharmos conjuntamente. Há muito o que ser feito, e a ONU Mulheres está disposta atuar como colaboradora desse processo”, declarou.

O presidente da FNP e prefeito de Campinas, Jonas Donizzete, e o coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, firmaram acordo de parceria em Brasília. Foto: PNUD/Vivian Doherty

ONU Brasil e Frente Nacional dos Prefeitos reforçam parceria pelo desenvolvimento sustentável

O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, e o presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e prefeito de Campinas (SP), Jonas Donizette, firmaram na terça-feira (4) um memorando de entendimento com o objetivo de criar um marco de cooperação, além de facilitar e fortalecer a colaboração para promoção e alcance dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Taís Araújo é designada Defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres Brasil Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

ONU Mulheres Brasil nomeia Taís Araújo como defensora dos Direitos das Mulheres Negras

Atriz reforça a estratégia “Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030” da ONU Mulheres Brasil, para visibilidade das afro-brasileiras como um dos grupos prioritários da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável e da Década Internacional de Afrodescendentes.

Taís se soma ao grupo de mulheres públicas vinculadas à ONU Mulheres Brasil: embaixadora Camila Pitanga e defensoras dos Direitos das Mulheres Negras, Kenia Maria, e para a Prevenção e a Eliminação da Violência, Juliana Paes.

Evento de lançamento foi realizado no Rio de Janeiro Foto: Divulgação

Com apoio da ONU Mulheres, Globo promove ciclo de discussões sobre identidade de gênero

Celebrado mundialmente como o Dia do Orgulho LGBT, o 28 de junho foi uma data de reflexão no Rio de Janeiro. Nesta quarta-feira, no Teatro Solar de Botafogo, a Globo realizou o fórum “Corpo: Artigo Indefinido” com o objetivo de discutir as questões de gênero. Para a curadoria de conteúdo, a empresa de comunicação contou com parceria da ONU Mulheres, do Fundo Elas de Investimento Social e do projeto de justiça social SSEX BBOX.

Assessoras da sociedade civil e integrantes da ONU Mulheres Brasil. Foto: ONU Mulheres/Mara Silva

Sociedade civil apresenta questões prioritárias à ONU Mulheres para promover igualdade de gênero no Brasil

Nesse mês, a ONU Mulheres Brasil se reuniu com o Grupo Assessor da Sociedade Civil (GASC), em Brasília, para promover a integração entre a sua antiga composição e as novas integrantes recém-empossadas pelo edital de 2017. O encontro aconteceu nos dias 8 e 9 de junho. No evento, a representante nacional da agência das Nações Unidas, Nadine Gasman, apresentou um plano de trabalho para promover a igualdade de gênero no país.

Eiman Haru, refugiada sudanesa, hoje ajuda mulheres na mesma situação pelo IMDH. Foto: ACNUR

Com experiência humanitária, sudanesa ajuda outras refugiadas a recomeçar a vida no DF

Atuando no projeto “Mulheres Unidas”, o trabalho de Eiman Haru é exemplo da luta pelo fim da violência contra as mulheres refugiadas – e pauta do Dia Laranja pelo Fim da Violência contra as Mulheres, marcado todo dia 25. Iniciativa do Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH) tem o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Como grande parte das mulheres forçadas a se deslocar, a trajetória de Eiman é marcada pela superação das dificuldades inerentes ao refúgio e à integração local. Confira nesse vídeo e nessa reportagem especial.

Lideranças da indústria reunidas no Festival Internacional de Criatividade de Cannes Lions como parte da Aliança sem Estereótipo Foto: Getty Images /Cannes Lions

Em Cannes, ONU Mulheres convida indústria global a eliminar estereótipos de gênero na publicidade

A diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, pediu esta semana durante o Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions um maior compromisso das empresas com a igualdade de gênero e uma atuação coletiva para a eliminação de estereótipos na publicidade.

Durante o evento, 25 empresas se comprometeram com uma agenda global para enfrentar estereótipos de gênero nos anúncios e campanhas publicitárias.

Estudos estabeleceram relação entre microcefalia e zika. Foto: EBC

Feira apoiada por agências da ONU em Salvador apresenta soluções de combate ao zika

Centenas de expositores apresentarão um conjunto de soluções de combate a doenças transmitidas por mosquitos na Feira de Soluções para a Saúde — Zika, que ocorre em Salvador (BA) de 8 a 10 de agosto. Os interessados podem cadastrar suas soluções até 14 de julho no site www.feirazika.unb.br.

Reunindo parceiros nacionais e internacionais, a feira é apoiada por Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), ONU Mulheres e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), sendo patrocinada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS).

Seminário Internacional Equidade de Gênero no Setor Público reuniu dezenas de servidoras e servidores públicos, em Brasília. Foto: ONU Mulheres/Isabel Clavelin

Evento apoiado pela ONU Mulheres em Brasília discute igualdade de gênero no setor público

Autoridades da administração pública brasileira e de organizações internacionais reuniram-se semana passada (5 e 6) no auditório da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) para a abertura do Seminário Internacional Equidade de Gênero no Setor Público. O evento foi promovido pela ENAP em parceria com a Embaixada da Noruega, Embaixada da Suécia e ONU Mulheres.

“Possibilitar a discussão sobre os avanços e desafios na implementação das políticas públicas que visam a promover a equidade de gênero é central para refletirmos todas as discussões que estão se dando na esfera internacional, mas que afetam diretamente a vida de cada um de nós”, disse durante o evento a gerente de programas da ONU Mulheres, Ana Carolina Querino.

Argentina sedia nona reunião de ministras e altas autoridades das mulheres. Foto: Flickr (CC)/Szymon Kochański

ONU Mulheres participa de reunião de ministras do MERCOSUL na Argentina

Teve início nesta quinta-feira (1º), na Argentina, a 9ª Reunião de Ministras e Altas-Autoridades das Mulheres do MERCOSUL (RMAAM). O encontro, que acontece até a próxima sexta-feira, conta com a participação da representante da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman. A dirigente participou na manhã de hoje do debate sobre a participação das mulheres na política. O evento dez parte da série de discussões técnicas que precederam os trabalhos da reunião.